Sociedade

População vandaliza obras de vedação do aeroporto internacional

A equipa de engenharia do exército norte-americano iniciou começou a vedar o aeroporto internacional há cerca de 2 semanas. As obras avançavam a bom ritmo, mas de repente começou a ter problemas. A população que habita os arredores do aeroporto vandalizou as obras.

Parte da vedação erguida acabou por ser derrubada. Uma acção de vandalismo, que obrigou a engenharia militar norte americana a recuar. Recuar no sentido de reparar os estragos para depois dar sequência aos trabalhos de vedação.

Milhares de pessoas habitam nos arredores do aeroporto internacional. As populações das Praias Loxinga, Cruz e Gamboa, se abastecem de água potável nas torneiras do aeroporto internacional. Por isso têm que entrar no espaço aeroportuário atravessando a pista. Uma situação que perdura há vários anos.

Com a vedação do aeroporto internacional, os moradores das referidas localidades, não terão onde se abastecer de água potável. Aliás na primeira tentativa de vedação do aeroporto, em que as obras foram entregues a engenharia das forças armadas são-tomenses, já a população das redondezas reclamavam o facto de não terem como se abastecer de água potável, caso a zona fosse vedada.

A falta de água potável nos arredores do aeroporto, pode estar na origem da acção de vandalismo, contra as obras que desta vez estão a ser executadas pela engenharia do exército norte-americano.

Os militares dos Estados unidos, pretendem concluir a vedação do aeroporto até Dezembro próximo. A obra está orçada em 310 mil euros.

De recordar que a vedação do aeroporto internacional, é uma das recomendações feitas pela Organização Internacional da Aviação Civil ao estado são-tomense, após a realização ainda este de uma auditoria ao aeroporto internacional.

Abel Veiga

    29 comentários

29 comentários

  1. Leopardo

    19 de Agosto de 2010 as 15:32

    O nosso aeroporto é uma vergonha em todos os sentidos:
    Técnicos incapacitados
    A casa de Banho … só visto
    A equipa de Segurança só sabem facilita os amigos a entrarem no recinto restrito ao passageiros e são abubés (matumbo)…mesmo com a mini-esfraestrutura criada a pouco tempo para evitar a entrada das pessoas.
    Por outro lado, a Enasa tem condições suficiente para abastecer aquela pequena localidade de água potável…

  2. FC

    19 de Agosto de 2010 as 16:13

    Esta notícia já é antiga. Mas acho que esta obra, sendo uma recomendação de um organismo internacional, de extrema importância para o reconhecimento do nosso país no estrangeiro. Não é muito, mas é o mínimo exigível.
    Mas acho que o problema maior está em que as coisas devem ser feitas observando também os interesses da população, neste caso da população que vive nos arredores do nosso aeroporto.
    Assim sendo, esta obra mesmo obedecendo as normas internacionais e ter uma importância capital para todo o país, vai contra o interesse de muitos que vivem nas redondezas.
    A ENASA, que penso ser a empresa gestora destes trabalhos, deveria estar mesmo muito preocupada com este facto, e não apenas parecer preocupada.
    Porque as dificuldades de muita gente que lá vive é real e não auguram nada de bom. Aliás como já se está a ver.
    As pessoas têm necessidade de água potável, aquelas localidades não têm água corrente, por isso elas usam a pista de aterragem, cortando o caminho, em vez de fazerem entre 2 a 6 km para iram apanhar água, lavarem a roupa, na zona da Praia Francesa, etc.
    Mesmo com as passagens prometidas pela ENASA, não me parece que esta vedação, assim como está, irá durar muito tempo. Penso que esta obra terá um prazo de validade de no máximo 2 anos, período a partir do qual começarão a aparecer grandes fendas na vedação.
    Queria aproveitar para deixar um aviso à Direcção da ENASA que do outro lado, Praia Francesa, muitos quintais irão sofrer graves inundações, com as chuvas que se avizinham, devido ao facto de terem sido acumulados grandes quantidades de entulhos, provenientes destes trabalhos, no sistema rudimentar de esgoto que àquela zona da cidade de ST tem.

  3. Adriano Málé Bobo

    19 de Agosto de 2010 as 16:50

    equanto continuarmos com aquela mesquinha como aeroporto, estamos tramado, sempre falam na modernização do aeroporto, mas nunca se viu niguem a fazer nada,o sr.m.o.p.r.n, que se tome muito cuido, porque tem suado alguns nomes, para serem presidente do conselho de administração, da enasa, inviduos do ponto de vista incopitente, bebedo, fala barato e mais coisa

  4. Mé Súbà

    19 de Agosto de 2010 as 16:55

    Concordo consigo Leopardo.

    Adicionalmente importa dizer que o vandalismo está associado ao clima reinante de impunidade que a cada segundo consome os ideais que norteiam o viver em comunidade.

    O aeroporto tem segurança militar, existem mecanismos claros de fazer o devido acompanhamento dos trabalhos, em segurança .

    Não sou favorável a atitude dos moradores mas, como pedir que a população que reside naquela zona contorne toda a pista a procura do precioso líquido!!!

    Será tão oneroso assim, aproveitar-se a oportunidade para de uma vez por todas abastecer aquelas localidades com água potável?

    Sinceramente, não podemos continuar com esse tipo de soluções, é tapar o sol com a peneira, catar água com o cesta.

    Lembro-me perfeitamente que em tempos havia um murro de vedação, da parte de trás, muitas crianças se magoaram ao tentar atravessar em busca de água e, foi aos poucos sendo demolido.
    Será que ninguém de direito pensou sobre os motivos que realmente move a revolta da população?

    O nosso aeroporto, só quem não quer não vê que constitui grande fonte de rendimento para alguns, a custa dos níveis de segurança dos aviões. Torço para que nada de errado aconteça mas, que devem ser tomadas medidas disso não tenho a menor dúvida.

    Para terminar, gostaria de solicitar ao Telá Nón se é possível, mediante a censura necessária, divulgar-se de quando em vez algumas imagens de situações “interessantes”.
    FUI

  5. Alberto Nascimento

    19 de Agosto de 2010 as 17:14

    Alguem que trabalhe nessa terra.

    Primeiro, agua para os pobres poderem sobreviver.

    Depois o Aeroporto.

    Eu gostava de saber o que ‘e que os Americanos estao a levar em troca.

  6. António Veiga Costa

    19 de Agosto de 2010 as 17:15

    É a anarquia que se implantou no país.
    Esse é o resultado da corrupção x impunidade. Efeito dominó: se os grandes roubam, pilham e não são punidos, os pequenos, pobres, sem água e energia vão querer agir da mesma forma.

    Lei para todos já! Do maior ao menor!
    Coloquem São Tomé e Príncipe no prumo!

  7. ET

    19 de Agosto de 2010 as 17:39

    Gostava de saber aonde é que estao os críticos que falam que a culpa é sempre de alguem ou de algum partido. Porque nao dizem que essa anarquia foi instaurada e mentalizada….quando se repreendia a populçao alguns politicos vinham dizer que é coisa do regime antigo….deixem o povo a vontade…agora resolvam. O povo tem de apreender que num país ha regras e sao para ser cumpridas, que as infrigi é punido….Mas não, repreensão é massacrar populaçao. Poupem-me!!

  8. Zovirax

    19 de Agosto de 2010 as 18:05

    Erro crasso das pessoas que estão a conduzir política de Vedação do aeroporto, sem se preocuparem com as necessidades e direito das populações. Não se pode negar um direito básico as pessoas que é acesso a água potável. As populações não podem viver sem acesso a água. Quem tem poder de decisão deve mandar construir chafarizes para a satisfação das necessidades das populações durante ou antes da execução das obras do muro de vedação.

    • Fernando Magalhaes Santana

      19 de Agosto de 2010 as 19:46

      Para Zovirax,
      Concordo 100% contigo. Por favor nao leve a mal comigo nas outras contradicoes nossas. Ok?

      • Zovirax

        20 de Agosto de 2010 as 10:53

        Meu caro,
        Espero que esteja tudo bem contigo.
        A divergencia de opinioes enriquece o convivio social. Eu n sou dono da verdade. Estou aqui para partilhar ideias. Juntos podemos encontrar solucoes para alguns problemas de STP. Bem haja.

  9. lupuie

    19 de Agosto de 2010 as 19:52

    Uns desviam agua do hospital e nao se faz nada. Agora estes quebram a vedacao porque tambem andam a procura do precioso liquido.
    Com tanta agua e tantos rios em Sao Tome nao se entende como e que desde a independencia em 1975 nao tivemos politicos com visao para abastecer todo o nosso pais com agua. NAO DEVERIAMOS TER PROBLEMAS COM AGUA NEM COM ELECTRICIDADE. Conheco ilhas que nao tem nem um rio e com muito menos chuva que Sao Tome mas que nao tem falta de agua. Ja e tempo que os nossos ditos politicos facam algo para esse povo. Roubar tudo nao vale!

  10. Pedro Sousa

    19 de Agosto de 2010 as 22:55

    Nós não temos petroleo no diserto, vão lá para lado do iraque,que em STP petroleo já acabou antes de começar a sair. Esses americanos não podem ouvir falar em petroleo vão logo.
    Porquê que não nos faz um aeroporto ao envés estar a fazer essa miseria num sitio que de aeroporto não tem nada..

    • Fernando Magalhaes Santana

      20 de Agosto de 2010 as 1:11

      Caro irmo Pedro Sousa,
      NAo seja mal agradecico. Os americanos, como os chineses, egipcios, portugueses a mesmo taiwaneses estao a tentar ajudar STP na medida em que podem e cabe-nos a nos os santomenses de ser responsaveis pelos nossos planos e objectivos. A gente deve receer qualquer tipo de ajuda e dizer OBRIGADO. Mais nada. Ajuda e’ sempre ajuda. Nunca diga o que disseste no teu comentario anterior. Os americanos nao precisam de petroleo de STP porque nem ha petroleo. Os nigerianos ja compremeteram tudo para eles. Senao vejamos:

      1) STP recebeu cerca de 100 milhoes de dolares da concecao de bonus do petroleo. Hoje nao temos nem uma ponte feita com todo este dinheiro. Foi voce, fui eu, foram os americanos que comeram este dinheiro todo? NAO

      2) No escritorio da Autoridade conjunta so deve ter uns 5 santomenses la a trabalhar e com rank baixinho. Mas tem cerca de 80 e tal nigerianos, segundas esposas, ex-ministros, velhos corruptos nigerianos recebendo salarios altissimos. E nao te esqueca que dizem que STP tem direito a 40% do negocio. Nao acha que tambem deveriamos reivindicar nossa comparticipacao na rdem de 4o % das despesas tambem? Sao os americanos e’ que sao culpados por isto?

      3) na primeira versao do contrato de istalacao de VOZ DE AMERICA em Pinheira, os americanos queriam em troca, resolver o problema de energia electrica para todo STP. Sabe quem trocou a energia pelo dinheiro? Prefeiru receber 4 milhoes de dolares em vez de deixar os homens dar-nos energia? Lembra a grande historia dum primeiro ministro que ao pensar que sabia ingles respondia YES a tudo e deu cabo do pais? O eng. Norberto Costa Alegre. Este na altura alegou que a energia era ponto estrategico e nunca deveria estar na mao de americanos. Resultado: o pais comeu 4 milhoes de dolares e hoje estamos escuros.

      Essa mentalidade como a tua chama-se mentalidade cubana, comunista. Ja estamos cansados desta mentalidade pequena, copia de Fidel Castro. Qualquer coisa que qualquer pais ou pessoa nos oferecer, por favor, diga OBRIGADO e trabalhe para merecer mais. Nao seja mal agradecido por favor.

      • Pleto

        20 de Agosto de 2010 as 10:29

        Conclusao final: dinheiro vivo na mao de Santomenses ou melhor dizendo “Governo Santomense” so da corrupçao.
        Bandalha + Bandalha total, nao vai ser fácil STP limpar a imagem negativa.

        Depois para agravar a situaçao, ninguém assume a culpa, justiça n consegue punir os malfeitores que sabem quem sao.

      • Pedro Sousa

        20 de Agosto de 2010 as 13:24

        Ok amigo, em parte tens razão, mais devo dizer-lhe que ser, ou não comunista não é crime nenhum, é uma opção de vida que varia de acordo com o princípio de cada um.
        Mais mesmo assim, uma vez que eles estão dispostos a ajudar não acha que deviam fazer uma coisa melhor ou seja construir um novo aeroporto com alguma dignidade. Pelo menos igual ao aeroporto da praia em Cabo Verde?
        Ao fazerem obra de vedação dá a entender que eles aceitam aquele espaço, como sendo um aeroporto, o que não é, é qualquer coisa menos aeroporto.

      • Alexsander Ferreira

        31 de Agosto de 2010 as 17:28

        Caro amigo, concordo consigo
        nós devemos gostar do nosso País e e não possuir várias nacinalidades e esquecer o nosso berço

  11. Helves Santola

    20 de Agosto de 2010 as 0:24

    Será que eles, antes de vandalizarem o trabalho, conversaram com a direcção da obra, já que esta ñ se dispôs a falar com a população……!!!?????

  12. Armindo Fonseca Dos Santos

    20 de Agosto de 2010 as 10:49

    Como sabemos a água é um precioso líquido que todo o ser humano de direito na sua vida ,mas não é a causa para haver vandalismo da parte da população deste local.Eu penso que a ENASA juntamente com a EMAE poderiam e podem resolver o problema de água para esta população,canalizando um ramal para este local, criando assim pequenos postos de abastecimento,só assim evitariam esses conflitos.A ENASA tem dinheiro para efectuar tal canalização evitando este problema que dura já há muito tempo.É de lamentar que há torneiras do aeroporto com água e não há água nas casas de banho do mesmo aeroporto.Isto é um vergonha para o nosso país.O actual aeroporto parece simplesmente um aviário.

  13. Leopoldo Francisco Mariano (Pompilio)

    20 de Agosto de 2010 as 11:11

    Seá que naquela área nunca teve água. Concordo que por razões de segurança as que delimitam o aeroporto aos bairros de praias Gamboa, Luxinga e Cruz devam ser vedadas. Sendo a água um bem essencial para o ser vivo, acho que com uma paulada matavam-se duas raposas, ou seja, que canalizassem água para os referidos bairros e prosseguissem com as obras de vedação.

  14. atencao!!!!!

    20 de Agosto de 2010 as 13:15

    de facto o aeroporto amerita seguranca, por forma a ser considerado minimamente seguro e gozar da confianca das autoridades internacionais que o fiscalizam e tutelam a seguranca dos mesmos, contudo, devia-se primeiramente sim, criar condicoes de abastecimento de agua as populacoes dos arredores, de forma a evitar-se a invasao constante da pista de aterrisagem.

    pois conforme eu mesmo escrevera num poema a tempos atrás de forma satírica, parece até que as palenas madrugadoras das pessoas enfileiradas em busca de agua logo de manha, ao cintilarem contra o brilho de sol, por vezes ilumina melhor o mal iluminado aeroporto, que ou sem energia electrica, é mal iluminado.

    e que diferenca faz terem mandado os soldados americanos realizarem a obra? por acaso por serem americanos implica dizer que sao mais competentes? teem mais autoridade na hora de impedir o acesso da populacao localß

    valorizem-se mais a sí mesmo e aos con-cidadaos, meus caros actores civis e governantes…! tenham orgulho de só próprios!

  15. Carlos Ceita

    20 de Agosto de 2010 as 16:21

    Caro Fernando Magalhaes Santana concordo contigo em matéria de corrupção que tem delapidado o país e claro todas as ajudas são bem vindas. Mas duvido muitos das boas intenções americanas nem mesmo por terem lá um presidente negro ou de qualquer estado ou pais estrangeiro. Ate agora os americanos ajudaram sim a Europa com o Plano Marshall. Protegem países como república checa com antimísseis contra o Irão. E para rir. Querem é assustar os russos.

    Quanto a África e América Latina a história é outra. Não se vê o mesmo empenho dos EUA.
    Ainda acredito na máxima de que ninguém da nada a ninguém se não tiver aqui e acola qualquer interesse.
    Por isso tenho lido e recomendo-te que leias as notas do economista Teotonio Torres. Sobretudo quando ele fala Kissinger.
    Estamos na era global e por favor deixemos lá de chavões comunistas. Isto é coisa para época do macartismo. Nesta época até Martin Lutrher king era comunista.
    STP tem de cooperar com todos os paises com os EUA com o Irao com Libia Suecia, cuba China Taiwan e por ai fora. STP é um pais soberano. Não temos nada que escolher se é comunista social-democrata, socialista direita ou esquerda.. Isso não faz sentido hoje. Se for bom para a pátria seja bem vindo.
    Temos sim é de ser pragmático nas nossas relações bilaterais ou multilaterais. Até Paulo Portas o digníssimo senhor da direita portuguesa foi ao jantar do Jose Eduardo dos santos coisa impensável há uns tempos atrás. Porquê ora porque tem 100 mil portugueses em Angola.
    Respeito muito Cuba por respeito a milhares de quadros sãotomenses formados neste pais “cococomunista” parafraseando diácono remédios. E também pelo Nelson Mandela que agradeceu ao F Catro a ajuda ao seu movimento ANC para derrubar o apartheid.
    Tenho respeito pelos comunistas em Portugal no Brasil na Venezuela ou em Franca do Sarkozy.
    Porque os comunistas estão ao lado das minorias quando vemos a pouca vergonha que aconteceu em França com imigrantes a serem arrastados no chão. Imagem que faz lembrar lista dos Schindler sobre a II Guerra Mundial.
    Respeito o Saramago respeito Netinho de Paula e Martinho da Vila pessoas que sempre admirei e são comunista. Mas tenho admiradores noutras ideologias claro. Sou pragmático.

  16. Digno de Respeito

    21 de Agosto de 2010 as 0:02

    Caros conterâneos, pela notícia que comentamos nesta página, apenas contribuimos com o nosso agradecimento como meros leitores e detnetores de opinião enquanto público. Quanto, aos pormenores e contornos da acção da equipa que opera em STP, talvez deva a um acordo bilateral para o efeito. Para que ocorrece as obras, alguém tinha de ser responsável ou pelo pedido (solicitação), ou pretenção ou interesse de uma das partes ou de ambas partes. Provávelmente, existira um acordo negocial para que acontecesse essas obra. No meu ponto de vista, é ai no acto negocial que se deveria (re)pensar também na necessidade básica e isencial da classe mais vulnerável (população local). Qualque obra só é realizada mediante o resultado de acordo entre as partes (contratante e contratada). E, acho que nada é feito por mero acaso…

  17. Golias

    21 de Agosto de 2010 as 9:01

    Carlos, não existem milagres! STP nunca deixará de ser pobre, pois é esse mesmo factor que traz dinheiro para este país! E em relação à tua teoria, desculpa lá mas tu és tão ou mais interesseiro que os EUA! Queres que uma instituição que não tem rigorosamente nada a ver com o fornecimento de água no país resolva uma situação só porque achas que estão a fazer a obra com algum interesse! Enfim..se construíres uma casa num caminho que eu faça habitualmente, achas que isso me dá direito de exigir que faças uma travessia pela tua casa para meu passar? Pelo amor da santa! eheheh

    • Zovirax

      22 de Agosto de 2010 as 13:28

      Meu caro numa situcao de calamidade publica, os militares tem a missao de fornecer agua e outros bens a populacao.Desculpe-me pela intromissao.

  18. Gualter Saores

    22 de Agosto de 2010 as 14:51

    O que estamos a assistir é uma desorganizaçao total por parte do estado. Entao nao é mais facil pôr a disposiçao da populaçao os serviços basicos de saneamento de agua potavel e depois vedar aquela coisa que dizem ser pista de aeronaves? É uma questao de higiene mental por parte dos decisores politicos, a governaçao continua sendo uma vergonha.

  19. Armindo Fonseca Dos Santos

    23 de Agosto de 2010 as 10:24

    Só quem não vê que constitui uma fonte de rendimento para alguns.a população que vai aí buscar água,paga a ENASA para apanhar água.Isto é inaceitável,como é que o antigo 1º Ministro não viu isto?Com o dinheiro que a população desta zona paga para apanhar água,eu acho que dava para canalizar água para esta zona.

  20. Jose Aguas

    24 de Agosto de 2010 as 17:07

    Primeiro a água para as populações, e depois a vedação.
    O que fazem as populações sem água e com vedação ?
    Não é vandalismo destruir a vedação, é a sobrevivência das pessoas, sem água não há vida.

  21. Alexandre

    27 de Setembro de 2010 as 19:27

    opa

  22. minus

    18 de Maio de 2013 as 13:51

    você sabe aquela coisa que mexe mesmo consigo e dá alguns coices, pois é, exatamente assim que senti toda vez que pisei aquele edifício que por despeito chamarei aeroporto, quisera eu não estar envolto nesse emaranhado de brutos e agressivos comentários, porem, não é nada fácil passar por aquele lugar e fingir que não estamos perante a decadência em sui generis, custa crer, custa crer… vamos lá ver aqui há quatro anos aonde e como isto estará!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo