Sociedade

São Tomé e Príncipe dá passos no sentido de melhoria do ambiente de negócios

A inauguração na última semana do balcão único para a criação, alteração e extinção de empresas, faz parte de uma série de acções que o governo são-tomense vem desenvolvendo no sentido de melhorar o ambiente de negócios. São Tomé e Príncipe, é considerado como um dos países do mundo onde é mais difícil constituir uma empresa. A pesada burocracia sustenta tal argumento. Através do balcão único que foi inaugurado nas instalações da Sat Insurance, pelo ministro da Justiça e Administração Pública Elísio Texeira(na foto), a constituição de uma empresa vai demorar apenas 5 dias, quando no passado eram necessários meses. Uma forma de atracção dos investidores, através da redução dos custos e a burocracia.

    31 comentários

31 comentários

  1. atencao!!!

    30 de Agosto de 2010 as 7:02

    podes crer que sim.

    e se assim comecares caro elisio, pois aqueles que dizem que és um jovem muito mau, se enganam.

    porque deveras com essa abertura de celeridade em questoes de formacao empresarial, certamente muitos jovens na diaspora que sempre quiseram investir e criar projectos bem como empresas em stp, já se sentirao mais motivados de faze-lo por fim!!!!

    nada mau

  2. sydnei

    30 de Agosto de 2010 as 8:22

    Essa foi uma boa iniciativa de Estado…. porque no antigo governo tenha que espera varios meses, e eles tenha que ser socio da empresa .com o novo governo esta a mudar tudo isso que é mudança esperamos a mudança em todo os sectores de Estado de preferencia ariea de Justiça … concretamente PIC, CADEIA , Policia Nacional…

    • tagarela

      30 de Agosto de 2010 as 16:06

      Sem sombra de dúvidas a constituição de Empresas em 5 dias é sem dúvida um ganho, embora o ideal fosse em um dia, mas chegaremos lá.
      Essa visão e implementação desse projecto foi feito pelo governo cessante, o que é de se louvar. Assim é, pois, seguramente que teve que ser criado diploma legal para tal, feito a informatização específica, formação dos funcionáros e tudo o mais necessário para que tal fosse possível, e o tutelar da pasta do governo actual apenas inaugurou. Seria impossível que com apenas duas semanas de governação cujo orçamento ainda não foi aprovado, pudesse tomar tal decisão, fosse criado quadro legal para tal, tivesse verba, ministrado formações aos funcionários, melhorasse o sistema informático, encontrasse espaço, o apetrechasse e o inaugurasse.
      Quer se queira, quer não, o louro é do governo cessante. Viva STP!!!

      • FC

        31 de Agosto de 2010 as 8:28

        Finalmente vejo alguém com algum discernimento por aqui.

      • António Veiga Costa

        31 de Agosto de 2010 as 20:48

        O Sr. Tagarela não descobriu nenhum “ovo de colombo”.
        Quem acompanha o cenário governamental em São Tomé sabe que essa foi iniciativa do governo cessante.

        O governo atual deu continuidade e implementou. Afinal, porque não implantar um bom projeto do governo anterior?

        Com essa atitude o Primeiro-Ministro já iniciou sua gestao dando mostras de que a prioridade é o desenvolvimento do país.

        O que houve de bom no governo cessante aproveita-se. Isso é governo, política é outra coisa.

        • tagarela

          1 de Setembro de 2010 as 13:52

          De facto não descobri o “ovo do colombo” até porque não era essa a minha intenção.
          O que escrevi foi em resposta àqueles que atribuiam glória ao Ministro de tutela e ao governo actual por ter implementado e modernizado essa área da administração pública com a inauguração desse balcão.
          Reitero, no entanto, que essa inauguração em nada demonstra “continuidade” pois pela rapidez com que se procedeu a inauguração, leva-me a crer que o governo cessante já tinha tudo pronto e, por mera estupidez ou desleixo não o inaugurou.
          No mais, a inauguração teria que ser feita de qualquer forma, pelo que o Ministro de tutela se não o fizesse demonstraria que não está comprometido com o desenvolvimento do país.
          No entanto, creio que esse facto é o menos importante. Concordo consigo que tudo o que tiver sido forjado a nível de projectos credíveis pelo governo cessante, de bom para o país, deve ser dado continuidade pelo actual governo. Viva STP!!!

    • Santomense

      31 de Agosto de 2010 as 15:11

      Olha devias ir primeiro as aulas de Português e depois consultar Dicionário antes de para tds lerem. aceite a minha sugestão. isto não significa nada pois se não vejamos. O Ministro d Justiça foi até então Director dos Registos… então, ele o k andava fazendo aí?
      OBGD

  3. A. da Silva

    30 de Agosto de 2010 as 8:54

    é importante. Mas, com tudo tem um mas, é preciso termos em conta que existe uma relação inversa entre a Taxa de Juro e investimento.

  4. hugo lima

    30 de Agosto de 2010 as 9:20

    Muito bém, iniciativas como essa deveria ser extensiva a muitos sectores da função pública.
    Mas que seja feita com cabeça tronco e membro.
    Parabens

  5. Lima

    30 de Agosto de 2010 as 9:20

    Até agora 3-0(ADI-MLSTP): Visitas surpresas; cumprimento da lei(viaturas de estado); constituição de empresas; Era sem tempo estas oportunidades para provar que o país tem gente capaz com algum pragmatismo. falta a criação do Tribunal Comercial acompanhada da construção de infraestrutura própria para efeito.

    • FC

      30 de Agosto de 2010 as 17:49

      Acha mesmo que este é um projecto deste novo governo? Sinceramente tenho as minhas dúvidas. Mas se for, o tempo relâmpago com que se concebeu e institucionalizou deixa-me com muitas dúvidas se isto é real ou apenas para estrangeiro ver…

    • FC

      30 de Agosto de 2010 as 17:54

      E porquê balcão único, nas instalações da Sat Insurance? Será que o estado vendeu ou alienou tudo que já não tem mais espaços para criar serviços destes? Qual a renda que o estado paga a Sat Insurance por este espaço?

    • José Silva

      30 de Agosto de 2010 as 21:05

      Temos que além disso erguer mais uma cadeia, que a existente não tera espaço para tanta cumplicidade… …

  6. Pleto

    30 de Agosto de 2010 as 10:14

    Pois muito, mais a questao nao é só abrir empresa em 5 dias. As reformas tem que ser mais profundas,desde ministério das finanças,economia,justiça, segurança social etc… o sistema tem que funcionar.
    Vamos ter esperanças e acreditar que é possivel mudar as coisas,devegar devagarinho acredito que vamos la 🙂

  7. Digno de Respeito

    30 de Agosto de 2010 as 11:47

    Felicito a iniciativa. Acredito que com a criação de Base de Dados Nacional tudo seria mais práctico e ganharia-se tempo. Parece que se começa a semear dinamismo no País. É um bom começo…

  8. Madalena

    30 de Agosto de 2010 as 13:40

    Queremos empresa num dia.
    Mas criar empresa não é nada, torná-la rentavel é outra coisa.
    temos empresas, medias empresas, pequenos empresarios, proprietarios de terras, mas o sucesso dos empresarios é nulo. empregos gerados?

  9. Digno de Respeito

    30 de Agosto de 2010 as 15:01

    Depois de criada as empresas apresentarão seus relatórios periódicos ao Estado através das finanças públicas? Que mecanismos utilizar? A criação das futuras empresas, incluiem as mistas, estrangeiras ou apenas nacionais? Se estrangeiras obrigatóriamente deverá ter ou não a participação de um técnico nacional?!!!

    Saudaçoes patrióticas ao Titular…..

    • António Veiga Costa

      31 de Agosto de 2010 as 20:56

      Amigo, dirija-se ao Balcão Único para dirimir todas as suas dúvidas. Não adianta perguntar ao Abel.

  10. kimposso

    30 de Agosto de 2010 as 15:06

    Esta eh uma das iniciativas, se bem que tardia, mas vem a tempo.Nao se trata de nenhuma inovacao, mas para ja eh uma medida que visa incrementar investimento e possibilitar centenas senao milhares de pessoas ou empresas que querem abrir empresas e desenvolver negocios em STP.
    Agora eh importante que outras extruturas acompanhe toda evolucao do processo, assim como a fiscalizacao.

  11. Aleluia

    30 de Agosto de 2010 as 16:08

    Desculpem, caros comentadores! Não sou de nenhum partido e critico tudo que me pareça mal:

    O Elísio devia ter vergonha e não pôr lá uma placa com o nome dele!
    Tudo já estava feito no anterior governo. Eu sou funcionário do Estado e uma vez participei de um encontro onde estava o proprio Elisio como funcionaro tambem. E ele é dos que mais se opôs à esse guichê unico porque ia tirar-lhe os milhões que ele cobrava lá no seu sector ( e dividia só entre os chefes). Foi muito dificil os ministros convencerem-no.
    As legislações ( leis, decretos e despachos), as nomeações, os equipamentos, o espaço…tudo já estava feito. Só que as coisas ficaram prontas no momento da campanha e parece-me que a ministra preferiu esperar as eleições. Só que ela não esperou que a mudança ganhasse hehhhee.

    Verdade seja dita. Dar ao Sésar o que lhe pertence! RESPONDA SR. MINISTRO! É OU NÃO É ASSIM? Honestidade é uma boa qualidade!
    Fui

    • FC

      31 de Agosto de 2010 as 8:26

      Claro!

  12. Helves Santola

    30 de Agosto de 2010 as 16:47

    Parabéns!

  13. walter pinto

    30 de Agosto de 2010 as 19:11

    isso mesmo
    e quem pensa que este governo
    não vai em frente estão enganados
    força.
    ja estiveste aque na europa e sabes como
    é.
    e precisamos de empresas seja de quem ou qual for.
    força governo.

  14. Perreira

    30 de Agosto de 2010 as 19:46

    claro que tem que ter a placa com o nome dele se foi ele q inaugurou. se a anterior ministra nao o fez o preblema foi dela. ela deve ter inagurado outras coisas ahhahahahhahahhahahahahha

  15. BLAGA PENA

    30 de Agosto de 2010 as 20:14

    Ja esperava isto, agradeço agora vou a STP montar a minha empresa

  16. VOS DE CUBA

    31 de Agosto de 2010 as 7:07

    NUM PAIS SOBERANO DE DIREITOS DEMOCRATICOS, A ONDE AS LEIS FAZEM JUSTIÇA, MAS QUE A BURROCRACIA È A INIMIGA DO FAZER…DIGO QUE PARA UM DIZENVOLVIVENTO SUTENTAVEL DA BASE ECONOMICA E SOCIAL, ESTA DADA PELA VIA DA INVERSAO EXTRAGERA DIRECTA, AONDE OS INVERSORES SAO CONTROLADOS POR UMA LEI QUE ESTABLECE OS PREÇOS DE MERCADO PARA QUE A INFLAÇAO NAO CULMINE AO SEU ESTADO HIPER.

    ESES INVERSORES SERAO, A BASE DOS INGRESOS PARA OS COFRES DO ESTADO, SEJA ELE POR CONTRIBUIÇAO TRIBUTARIA, OU MESMO PELO MONTANTE EM CAUSA ESTIPULADO PELA PARTE SANTOMENSE, QUE CONDIZ QUE UM EMPRESARIO PASSA INVESTIR REALMENTE…

    GRANDES PASOS DADOS PELO MINISTRO, E SE A COISA CONTINUA ASSIM AO SEU BOM RITMO, O NOSSO APOIO E CONTRIBUIÇAO COMO JOVENS QUE SOMOS, SERA TODO UM PRAZER AJUDAR A PATRIA.

    AQUELE SALUDO.

    DE LA TIERRA.

  17. certeza

    31 de Agosto de 2010 as 8:50

    Concordo com o(a) Aleluia. O ministro Elisio podia inaugurar isso cortando fitas ou coisa do género, e no discurso dizer que é algo de bom que o anterior governo fez. É assim que tem que ser! Continuar com as coisas boas e corrigir o que está mal, e não continuar com a velha maxima: o que está bem, nós é que fisemos; o que está mal, herdamos! Temos que mudar essa forma de agir!

  18. Consultoris Curiae

    31 de Agosto de 2010 as 9:40

    Está é, obviamente, uma iniciativa, no mínimo, do último executivo. Desde logo, porque matérias desta natureza não são nem podem ser concebidas num curto espaço de tempo. Depois, porque qualquer conhecedor dos sistema legiferente nacional, sabe que o Governo não tem, a si, competência em matéria legislativa com esse objecto fora do quadro da autorização legislativa. Ademais, que se sabe, nem a AN foi empossada, nem o Governo tem o programa aprovado por aquele órgão. Acresce que, eventuais autorizações legislativas aprovadas pela na legislatura que ora finda, caducaram no dia das eleições (nem antes nem depois). Repondo o rigor para que bem se afirme e melhor se compreenda a realidade das coisas, importa destacar o essencial. E o essencial aqui é que, aparentemente, terá funcionado o príncipio da continuidade das instituições, ou seja, independentemente da mudança de Executivo, parece ter subsistido uma estrutura que tenha dado a conhecer e que tenha preservado as condições para que este projecto tenha / esteja a ter seguimento. E isso, sim, é de louvar. Quanto ao dito ministro, parece-me que fez ou terá feito o que lhe competia. Não parar o projecto, antes pelo contrário, inaugurando-o. Não sei se houve ou não uma palavra para a anterior titular da pasta ou se a mesma terá sido convidada a estar presente. Se houve, óptimo. Se não houve, mau, mas que isso não se repita. Em qualquer dos casos, não é esse o aspecto central.

  19. Arlindo Borja

    31 de Agosto de 2010 as 16:59

    Bom sinal

  20. Alecas Fernandes

    1 de Setembro de 2010 as 8:15

    Valeu SR.Douctor ,É assim k começa as coisas.Continua assim.

  21. António Martins Gomes

    1 de Setembro de 2010 as 18:21

    Ñão deixa de ser um passo importante rumo à modernização da administração pública santomense…mas constituir empresa em 5 dias, também é muito tempo. Em Cabo Verde constitui-se empresa em um dia e, isso melhorou de que maneira o ambiente de negócios no arquipélago. Na minha opinião, devemos ir ainda mais longe, isso a pensar nos emigrantes, naqueles que vivem nas roças e algumas com acesso difícil e na atracção de investidores estrangeiros, que não têm muito tempo disponível.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo