Sociedade

Sindicato dos Jornalistas solidariza-se com São Lima

Para além da solidariedade manifestada em relação a jornalista, cujo trabalho de promoção do contraditório no programa Em Directo da TVS, foi posto em causa pelo Governo e a Direcção da TVS, o sindicato garante que vai acompanhar a evolução do processo.

O Sindicato dos Jornalistas diz que vai acompanhar a evolução do processo, «procurando ajudar a encontrar uma solução plausível do problema, uma vez que ainda não se verifica uma situação de desemprego», diz o comunicado do Sindicato dos Jornalistas.

Para além de São Lima, outros 26 trabalhadores da TVS estão na mesma situação contratual, que expira no próximo dia 31 de Dezembro. Facto que preocupa o sindicato dos jornalistas. Por isso a necessidade de acompanhar a evolução do caso.

No que concerne a suspensão pela Direcção da TVS do Programa Em Directo, numa clara violação da liberdade de imprensa, o Sindicato dos Jornalistas, «considera que o assunto é de foro da liberdade de expressão, sendo por isso em primeira instância da competência do órgão vocacionado para o efeito, nomeadamente o Conselho Superior de Imprensa», diz o comunicado.

No primeiro ponto do comunicado, o sindicato dos jornalistas, manifesta «solidariedade a jornalista Conceição Lima, reconhecendo-lhe o direito ao trabalho».

Abel Veiga

    35 comentários

35 comentários

  1. José Maria

    11 de Dezembro de 2010 as 10:05

    Subscrevo a preocupação do Sidicato dos Jornalistas e espero bem que tudo seja feito que seja mas uma vez vença a voz da verdade e da Liberdade de expressão para o bem da socidade duma informação isenta das injustiça que se vem praticando em S.T.P., que o bem prevaleça sobre mal dos maus feitores.
    Viva a Democracia
    Viva S. Tomé e Príncipe.

  2. Voz do Povo (Num Estado democratico, a voz do Povo eh a vontade e palavra de Deus)

    11 de Dezembro de 2010 as 11:14

    Vossa manisfestacao mostra claramente que nao estao solidarios com a Sao porque nao aparece no vosso comunicado vossa condenacao a atitude do governo. Muito diplomacia no vosso comunicado o representa o vosso medo em publicamente condenar a acao do governo. O senhor lider do sindicato eh um fantoche, devia ser mais atrevido nas palavras. Deixa de demagogia….Viva Sao! Viva democracia!

    • Pumbu

      13 de Dezembro de 2010 as 19:31

      Aceito que um lider de sindicato deste sector deve ser um homem com dois (senao 3) c-lhoes mais bem evidentes perante um caso semelhante. Temos que ter mais autoridade no exercicio das nossas funcoes!

  3. Underdôglas

    11 de Dezembro de 2010 as 22:54

    Nada de confusao! Uma coisa é a liberdade de imprensa que foi ferida; outra coisa é o direito de trabalho que é para toda a gente e nao para jornalistas em especial.
    Com a crise economico-financeira em todo mundo ha despedimentos.

    Alias a jornalista sabe que a sua antiga radio BBC tem estado a despedir pessoal nos ultimos anos e so este despediu centenas de pessoas na sua maioria jornalistas.

    A VOA também despede; a RFI despediu este ano centenas de jornalistas, enfim ha despedimentos em todos os sectores da vida economica e social em todo o mundo.

    A jornalista tem um contrato que expira em Dezembro e o empregador pode nao renovar o contrato e nao ha nenhum tribunal do mundo que estará com ela.

    Se todos os governos tivessem que dar trabalho a toda a gente, nao haveria desemprego no mundo.

    Nada de hipocrisias!

    • Lanis

      13 de Dezembro de 2010 as 4:51

      Concordo contigo parcialmente.

      Porque os despedimentos têm razões economicas. Portanto, a empresa (TVS/Estado) teria que fundamentar a não renovação do contrato numa razão de gestão.

      Se não fez isso, esta a violar claramente aquilo que a constituições diz em materia de direito ao Traballho, liberdade de opinião, etc. Ademais, tens que lembrar que não pode haver discriminação.

      Fica Bene.

  4. Jorge Alberto dos Reis

    12 de Dezembro de 2010 as 0:05

    É ESTE O TEOR DE UMA MENSAGEM QUE A JORNALISTA E ESCRITORA SANTOMENSE CONCEIÇÃO LIMA, EM S. TOMÉ E PRÍNCIPE, ESCREVEU PARA A SUA AMIGA, PROFESSORA UNIVERSITÁRIA E ESCRITORA SANTOMENSE, INOCÊNCIA MATA, EM LISBOA, PARA MOBILIZAR AMIGOS E AMIGAS, JORNALISTAS E ESCRITORES CONTRA O DIRECTOR DA TELEVISÃO SANTOMENSE, ÓSCAR MEDEIROS, JORNALISTA TAMBÉM EM S. TOMÉ E PRÍNCIPE.
    TUDO ESTÁ RELACIONADO COM UMA ENTREVISTA QUE SÃO LIMA DEVERIA FAZER NA TELEVISÃO SANTOMENSE COM CARLOS VEIGA, LÍDER DO MPD, PARTIDO NA OPOSIÇÃO EM CABO VERDE. A ENTREVISTA ACABOU POR NÃO SER FEITA. À VOLTA DISTO SURGIRAM VÁRIAS NOTÍCIAS E COMENTÁRIOS NA INTERNET.

    A MENSAGEM DE SÃO LIMA PARA INOCÊNCIA MATA, CLASSIFICADA COMO CONFIDENCIAL PELA INOCÊNCIA MATA, ESTÁ AGORA A CIRCULAR NA NET.
    É ASSIM QUE A JORNALISTA SÃO LIMA, TIDA COMO JORNALISTA DE REFERÊNCIA, MOBILIZA OS AMIGOS E ATÉ ESCRITORES CONHECIDOS PARA ATINGIR OS SEUS OBJECTIVOS CONTRA O ACTUAL DIRECTOR DA TVS, ÓSCAR MEDEIROS.

    ISTO É UMA SACANICE E É MUITO INDECENTE. LEIAM:

    CONFIDENCIAL!

    Mas pronunciem-se.

    Acham que se pode fazer alguma coisa mesmo?
    Cency

    De: São Lima [mailto:mariasaolima@hotmail.com]
    Enviada: quarta-feira, 8 de Dezembro de 2010 8:42
    Para: mata.inocencia@gmail.com
    Assunto: URGENTE, UMA PROPOSTA

    Cency,

    Algumas pessoas cá acham que elementos da diáspora em Lisboa poderiam escrever uma carta registada, endereçada ao PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA RDP e ao Director da RDPAfrica, denunciando a submissão do seu correspondente ao governo. Se ele em duas ocasiões, no espaço de uma semana, enquanto director da TVS, cancelou uma entrevista com uma eminente personalidade por ordem do governo e vergou-se à ordem do governo para matar o programa que sabes e despedir, retaliatoriamente, uma colega, não obedecerá ele a todas as ordens do governo contra a oposição? Que garantias de isenção dá ele? E a RDPAfrica, porque razão não deu QUALQUER cobertura a nenhum dos casos, ao contrário de outros órgãos internacionais? Está em causa a imparcialidade e isenção da RDPAfrica em relação à cobertura noticiosa de São Tomé e Príncipe, sobretudo quando se aproximam as eleições presidenciais.
    Se acharem a ideia exequível, juntem à carta cópias dos artigos do A Semana de Cabo Verde, da VOA, o meu artigo sobre a entrevista que Carlos Veiga não deu, e os artigos do Abel Veiga sobre o meu caso.
    Diz-me alguma coisa e responde-me o mais depressa possível. Isto, sem prejuízo de escreverem em órgãos de comunicação aí em Lisboa, na net. Tu, se escreveres alguma coisa, coloca aqui em STP simultaneamente no Correio da Semana e no Tela Non. E vê se há mais pessoas dispostas a escrever. É preciso fazer barulho, o mais barulho possível, não deixar que o caso caia rapidamente no esquecimento. Vou falar com o Mia Couto. Vê se falas com o Loja Neves. Fala também com o Zé Luís Almada e companhia.
    Abraço
    São

    • Andre Boa-Ventura

      12 de Dezembro de 2010 as 14:38

      Sem comentarios!!!

      • Joao Escobar

        12 de Dezembro de 2010 as 14:48

        Lamentável, se foi realmente a São a autora desta mensagem. Aos poucos se começa a perceber melhor o real alcance da polémica gerada a volta da entrevista não consumada…

    • jose santos

      12 de Dezembro de 2010 as 17:26

      Sr Reis
      Antes de mais ponho em causa a veracidade deste e-mail.
      Mesmo assim pergunto, o que ha nessa mensagem que o senhor qualifica de sacanegem. Isso pelo contrario e a democracia no seu explendor. Qualquer um com o minimo sentido critico faz a pergunta. (Como e possivel um Jornanilta como o Oscar medeiros nao se pronunciar perante um escandalo desse e o pior como submete a esse poder?)

    • António Veiga Costa

      12 de Dezembro de 2010 as 18:34

      Manipulação!!!Usando a situação politicamente.

      • Lanis

        13 de Dezembro de 2010 as 5:08

        A sério!!

        Então o Director da TVS é do ADI, né?

        Pior ainda. Se ADI quer mesmo mudança como é que pode colocar um jornalista (propagandista) deles na TVS.
        Tamos lixados com vcs políticos, estamos lixados…

        Ando seriamente a pensar em emigrar p bem longe daqui.

        Bjs

        PS: é lícito denunciar o òscar. ele deixou de ser imparcial. Ele só vai dar as notícias depois de consultar o PM. Assim, ele vai anular todas as formas de termos acesso à informação coerente. Antes criticavamos a TVS agora temos tb na RTP. E tu achas isso bom? Achas?

        • António Veiga Costa

          13 de Dezembro de 2010 as 22:06

          Lanis,

          vc está se dirigindo a mim???

          Se for, digo-te que não existe nenhum jornalista que não penda para partido A ou B.
          Qual sua surpresa em ver o Oscar à frente da TVS??? Vc queria o que? Que fosse nomeado gente do PCD ou do MLSTP???

    • Antonio Mascarenhas

      12 de Dezembro de 2010 as 23:16

      Lamentavel, se foi realmente a Sao a autora da mensagem. Agora ja se comeca a perceber melhor o real alcance da polemica gerada a volta da tal entrevista.

      Confesso que tambem, eu, estava sendo arrastado pela onda. Lamentavel! lamentavel! lamentavel!

      Estou curioso para ver a reaccao dos apoiantes da dita “Liberdade de imprensa” defendida pela Sao.

    • Januário Trindade

      13 de Dezembro de 2010 as 7:44

      Nós os forros somos ruins, maldosos e não temos nenhum complexo em prejudicar-nos, como povo, ou prejudicar-mo-nos como irmãos. Isto é muito triste! Isto é muito triste! Qual a razão para a rapariga escrever uma mensagem confidencial para uma sua amiga tentando combater a vergonha e má-fé que estão a fazer contra ela, pedindo ajuda aos seus amigos no estrangeiro, para ajudá-la e vocês publicarem esta mensagem. Credo Deus Pai Todo Poderoso. Deus não vos dá poder. Por favor, não matem a pequena. S.Tomé Poderoso, senhor Bom Despacho não vos dá poder.
      Disseram-me que foi o senhor Menezes, da RDP-África mais o senhor Director da Televisão de S.Tomé, que andam a fazer isto. Isto é justo? Para quê ofenderem a rapariga desta forma? Qual o interesse nisto tudo? O senhor Menezes da RDP-África não tem filhos e família? Cuidado com o tempo. O Homem manda com o tempo e Deus manda para sempre. Cuidado senhor Menezes…
      Não há necessidade nenhuma para estarem a fazer isto com a rapariga. Eu nunca pensei que nós Sãotomenses fossemos capazes de tanto. E admira-me que um senhor que anda a pregar respeito e consideração como o senhor Menezes da RDP-África que eu tive a oportunidade de conhecer, fosse desta estirpe de pessoa. Enfim… vamos conhecendo as pessoas e o seu carácter.
      Adeus a todos
      Januário Trindade da Conceição

    • A RDP Africa está ao serviço de Patrice Trovoada em STP

      13 de Dezembro de 2010 as 9:00

      A São tem o direito de mobilizar pessoas de boa vontade em torno da causa dela e de todos nós que é a liberdade de expressão e a defesa do contraditório.

      Quanto à RDP África, está claro que existe uma incompatibilidade entre o cargo de Director de uma televisão estatal que está ao serviço do governo e o papel de correspondente de uma Rádio portuguesa que se diz imparcial.

      O silêncio com que a RDP África tratou este caso é a prova disso. Acabar com o programa mais visto pelos santomenses não é motivo de destaque? Claro que não quando quem sai mal na figura é o próprio Director da TVS que por sinal é o correspondente da RDP Africa e que por isso pode censurar este tipo de informação…

      A RDP Africa está claramente ao serviço do governo de Patrice Trovoada!

      Não há mais nada a acrescentar!

  5. suave

    12 de Dezembro de 2010 as 0:21

    essa é uma solidariedade plástica e tardia. só quem nao quer ver.

    e tambem o ambrosio quaresma, pois escreveu um artigo meio a dar o beneficio da duvida sobre a veracidade do facto, e nao com um tema contundente no seu jornal o parvo.

    olhem bem! ninguem a está a apoiar entre este sindicato nem o jornal o parvo.

    só o tela non o tem feito.

    isso está claro como agua.

  6. COCO DE BICHO

    12 de Dezembro de 2010 as 8:33

    Perante uma clara e manifesta violacao da liberdade de imprensa e de expressao, mostrar-se solidario nao basta, torna-se necessario fazer mais qualquer coisa como manifestacoes e vigilias.
    Nao tenhamos medo, ha que lutar pela nossa liberdade de expressao que muito nos custou a conquistar. Nao ha nenhum “Bokassazito” que nos possa calar. ABAIXO A DITADURA.
    ABAIXO A DEMOCRACIA AMORDACADA.
    ABAIXO A REPUBLICA DEMONOCRATICA.
    ABAIXO BOKASSAZINHO.

  7. suave

    12 de Dezembro de 2010 as 15:14

    Estimado senhor Jorge Alberto dos Reis , de todos modos o facto do senhor ter descoberto esta mensagem confidencial e smplora entre duas amigas, nao prova nada em quanto a suposta maldade da jornalista SAO. pelo contrário, ve-se apenas uma ves mais, uma pessoa diligente, com um currriculum farto e abastado de saber e contactos, a tentar fazer algo pela sua propria defesa, e para tal usa todos os meios lícitos, sociais e de amizade e influencia que o seu próprio abastado curriculum e mérito como profissional a permitem dispor.

    qual é o mal? que mal tem o que ela disse?

    és cego ou nao ves que seja lá como for o governo agiu mal e o oscár medeiros está feito um pao mandado?

    entao, qdo o oscár escrevera o seu artigo criticando a ministra maria de cristo, ele fez apenas tambem uma jogada subversiva para que se retaliasse ou se eliminasse a ministra?

    olhe meu amigo, Jorge Alberto dos Reis , deixe de ser emitacao de wikileaks e cuscuvilheiro se classe, por favor!

  8. suave

    12 de Dezembro de 2010 as 15:16

    correcoe: simplória; vez; sem classe.

    • ipsis verbis

      13 de Dezembro de 2010 as 17:00

      Que coisa hein!

  9. De peito aberto por STP

    13 de Dezembro de 2010 as 9:32

    Perante ESTES FACTOS, bem como dos comentários no Debate Africano de ontem na RDP- África, a minha sensatez e o meu bom senso me obrigam a mudar de opinião em torno a esta treta criada e forjada pela nossa antes querida São de “deus” Lima. E escrevo a palavra deus em minúscula, para não apelidar a nossa Jornalista de São de “MAQUIAVELICA” Lima.
    Tudo indica que tanto o Governo como Óscar Medeiros são as verdadeiras vítimas do São Lima e Companhia (inclua-se a oposição ao Governo). Trata-se pois de mais uma tentativa de travar as boas iniciativas do Governo, bem como de uma atitude irracional e invejosa do São Lima contra o nosso Jornalista Óscar Medeiros. Ou será que ela quer roubar, permitam-me a expressão, o lugar dele, tanto na TVS como na RDP-África. Se a nossa São Lima, em tempos atrás, trocou o nosso leve-leve de STP por algumas libras em Londres, não venha ela agora querer, em tão pouco tempo, conquistar tudo o que ela, por ventura, teria conseguido, se optasse, a 10, 15 anos atrás por STP, em vez da boa vida Londrina. Na vida aprendemos todos os dias, nem tudo que brilha é ouro. A São brilhou tanto, nos últimos dias, fez tanto barulho, como aliás pretendia, mas a verdade veio a tona. Porém, o que me deixa ainda um pouco intrigado é a razão do silêncio do nosso Óscar Medeiros. Talvez quando ele se expressar, ficaremos mais esclarecidos ainda desta grande cabala montada contra ele e o próprio Governo.
    OBS: JÁ QUE TÊM DITO POR Aí QUE O NOSSO ABEL VEIGA, BEM COMO O TELA -NON NÂO TÊM SIDO IMPARCIAIS NESTE POLÉMICA; ESPERO QUE DEIXAM PASSAR O MEU COMENTÁRIO.

    • De peito aberto por STP

      13 de Dezembro de 2010 as 16:02

      Aqui está uma posição oficial…
      Leiam e informem-se com verdade….
      São Deus Lima: Eclipse total ou parcial?
      PostDateIconSexta, 10 Dezembro 2010 22:55 | PDF | Versão para impressão | Enviar por E-mail

      Foi divulgado pelo Tela-Non de que o Governo cancelou o Programa “Em Directo” da TVS apresentado pela jornalista São Deus Lima e que teria igualmente suspenso o contrato com a mesma na sequência de uma entrevista que a jornalista teria combinado com o Dr. Carlos Veiga.

      A narração intencional destes factos pela própria jornalista e pelo Tela-Non, tal qual apresentada, deixa qualquer cidadão indignado.

      Mas, para que a verdade não esteja à penumbra entre as frustrações pessoais e opções políticas, vale a pena explicar sem complicar.

      O Governo, em especial o Dr. Patrice Trovoada, sempre apreciou o desempenho da jornalista São Deus Lima. Prova disso, na sua dinâmica de apostar nos jovens e na competência, o Dr. Patrice convidou, logo após a tomada de posse do seu governo, a jornalista São Deus Lima para criar e liderar o Gabinete de Comunicação e Imagem do Governo. Convite que apenas de forma indirecta negou.

      O Programa “Em Directo” da TVS, que inexplicavelmente expulsou o seu antecessor e semelhante em termos de conteúdo e formato, animado pelo jornalista José Bouças, pelo seu cariz de confronto de ideias, granjeou simpatias de inúmeros círculos da nossa sociedade. Apesar de muitas vezes parecer pressionar os participantes a desprestigiarem o trabalho do Governo, ou de alguns dos seus membros, não deixou de ser igualmente apreciado pelo actual executivo, tal como no passado o programa “Grande Entrevista” do José Bossas, como um dos melhores programas de confronto de ideias e de informação que a televisão pública sãotomense tem neste momento.

      O “Em Directo”, tal como outros programas estão de férias e não suspenso devido a quadra de Natal e a preparação do lançamento dos novos conteúdos da TVS para 2011, por decisão da direcção da TVS. E Esperemos que o Programa EM Directo regresse em 2011 com ou sem São Lima.

      A jornalista São Lima está consciente de que a República de Cabo Verde está neste momento em pré-campanha eleitoral. E sabe igualmente que a Televisão Pública Sãotomense deve ser imparcial a lidar com este dossier sobretudo que o Primeiro-Ministro há menos de duas semanas esteve em Cabo-Verde e assinou protocolo de cooperação com o Governo Cabo-verdiano em diversos domínios: educação, agricultura, energias renováveis, cooperação macroeconómica.

      Quando o Governo soube que a jornalista São Lima iria consagrar mais ou menos 1h:30min do seu programa ao candidato Dr. Veigas, orientou a TVS, atempadamente, que fizesse apenas uma entrevista com o candidato para ser notícia no telejornal ou um debate entre representantes das candidaturas, uma vez que o outro candidato, Dr. José Maria Neves, no poder, não teria direito à resposta caso houvesse alguma “carga política”. Ora, a jornalista não comunicou esta ideia ao candidato, deixou que o Dr. Veiga chegasse à TVS minutos antes do início do Programa em Directo e levou-o ao Gabinete do Director da TVS e disse-lhe: “Aqui está o Dr. Carlos Veiga e o Senhor Director faça dele o que quiser”. E bateu a porta e foi-se.

      O Dr. Carlos Veigas ficou estupefacto e o Senhor Director da TVS entorpecido com a atitude da sua assessora. Como resolver esta situação? Um desrespeito ao Dr. Carlos Veiga e ao Director da TVS, para além de uma atitude prejudicial para com a imagem do Estado Santomense.

      O MPD estabeleceu excelentes relações com o ADI e os dois líderes tiveram juntos em Marrocos, em Outubro para a reunião dos líderes da Internacional dos Partidos do Centro, e ainda a poucos dias na Cidade da Praia durante a visita oficial de Patrice Trovoada; com o Primeiro Ministro Cabo-verdiano José Maria Neves, as relações são de uma amizade sincera. Estes três líderes são verdadeiros homens de Estado com postura e responsabilidade que não merecem ser joguetes nas mãos de pessoas sem sentido de responsabilidade e do uso apropriado do poder que lhes é dado como fazedores de imagem e de opinião.

      E ainda necessário acrescentar o facto de São Lima ser assessora da TVS no âmbito de um contrato que ela assinou com o anterior Governo. Ela não é jornalista da TVS ou da Rádio Nacional, ela é recrutada temporariamente por um Governo para propósitos específicos que lhe permite a qualquer momento retomar a sua liberdade. O que supõe ela trabalhar com, e para a realização dos objectivos do Governo e não contra ele. O facto de ter continuado com o Governo ADI sugere implicitamente São Lima ter aceite trabalhar em sintonia com e para os objectivos programáticos do actual Governo.

      São Lima não pode ser assessora de dia do Governo e opositora obstinada do mesmo Governo de noite. Para isso existe a imprensa privada. O Primeiro-Ministro respeita e protege a liberdade de imprensa, mas não deve conviver com a incoerência ou a ma fé.

      O tratamento dado ao caso do embaixador Jorge Amado é mais um exemplo como uma considerada falha administrativa de um embaixador, funcionário público, dependendo hierarquicamente do Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, que tem o direito e o dever de reagir em conformidade, transforma-se numa questão política ou mesmo politiqueira, na escrita da jornalista/assessora do Governo São Lima.

      Se São Lima já não vai continuar na TVS, isso não é da competência do Governo. A TVS saberá a quantidade e a qualidade de recursos humanos de que necessita mediante um enquadramento segundo as regras da administração pública. O que se sabe é que o contrato assinado entre o Governo anterior MLSTP-PCD do Rafael Branco e a São Lima, quando era Ministro da Comunicação Social o senhor Carlos Gomes, Vice-Presidente do PCD e membro de Comité de Apoio do Dr. Carlos Veiga, é um contrato que termina no dia “31 de Dezembro”. O mesmo contrato refere explicitamente que “não é renovável”.

      Relembre-se que actualmente o país depara-se com diversas dificuldades de ordem sociais e económicas e não é nada ético e cívico desviar a atenção dos cidadãos para querelas estéreis e egocêntricas e muito menos tentar mobilizar a opinião pública internacional ao desfavor de um Governo que luta arduamente para mobilizar recursos indispensáveis à sustentação financeira do País.

      Portanto, lamenta-se que a Jornalista São Lima tenha deixado os seus sentimentos sejam eles de frustração ou de obsessão “anti-trovoadista” ou “anti-Óscar Medeiros” ou ainda de opções políticas, ofuscarem a sua competência e a sua idoneidade e colocar o seu talento na penumbra da ignorância. Mas acredita-se que o sol da mudança iluminará a mente dos cidadãos e prevalecerá a racionalidade e o bom senso.

  10. Underdôglas

    13 de Dezembro de 2010 as 13:36

    Está claro que todos quiseram manipular todos! (ver a semana on line)O governo saotomense e a jornalista Sao.

    O proprio Veiga foi manipulado. Esperto e grande politico, Veiga, como é evidente tinha que aceitar o convite da jornalista, mesmo sabendo que ela nao estava a ser imparcial para com o PAICV.

    Foi aí, que o seu amigo politico Trovoada lhe pregou uma grande partida, intervindo para ajudar Zé Maria. Deu ordens expressas à TV para nao deixar a jornalista entrevistar Veiga.

    O golpe de Veiga caiu por terra. Mas a culpada nisto, a manipuladora nisto foi a jornalista Sao e o culpado foi Trovoada. Um bom jornalista nao faz essa brinadeira sabendo conscientemente que so vai ter oportunidade de entrevista uma das partes de um pleito democratico; mas um primeiro ministro, seja ele Trovoada ou Djak, nao tem nada que dar ordens a um meio de comunicaçao.

    Ou será que a TV é do primeiro ministro Trovoada? A TV é de S Tomé, do ESTADO, quer dizer do povo e nao deste governo ou daquela oposiçao. Compete à TV fazer a sua grelha de programaçao e nao ao Primeiro ministro.

    Isto Trovoada nao sabe, pois filho de ditador so poder ser ditador. E’ mais um chefe de posto africano numa Republica das Roças. O Veiga quando ganhar as eleiçoes tem de castigar Trovoada no seio da Internacional do Centro.

    A ADI cujo chefe faz CENSURAS nao merece ter assento no Internacional do centro democrata. Quanto à jornalista, nao é porque ela passou para a BBC que ela tem de ser necessariamente uma grande profissional. Alias, ha um mito da BBC como grande mídia. E’ BBC em inglês. BBC em português onde trabalhou a Sao, é um labirinto de incompetentes, gente sem preparaçao intelectual.

    Os gajos nem sabem ler sequer o que andam a ler ao microfone! Bem, escrevi aqui ao lado que a Sao tem a mania de grande profissional e está sempre de nariz ao léu; mas com isso houve também CENSURA do seu primeiro minsitro.

    Deve ser uma doença de saotomenses!

    PS Ver a semana on line que desmonta toda esta manipulaçao de Saotomenses

  11. Underdôglas

    13 de Dezembro de 2010 as 13:56

    Mesmo assim, repito, houve censura!

    Eu sou pela liberdade de imprensa absoluta!

    Mas o jornalista nao está acima da liberdade de imprensa.

    As liberdades têm de ser sempre defendidas mesmo frente a jornalistas desonestos.

    Conclusao: A liberdade de imprensa neste caso foi atingida de morte; Mas a jornalista foi desonesta e o Primeiro miinistro e seu director de pacotilha foram censores!

    Qual seria entao a melhor estratégia. A melhor estratégia em defesa das liberdades, era fazer-se o debate, pois o convidado ja estava em estudio e nao tinha nada a ver com a manipulaçao da jornalista. Fazia-se o debate, e depois castigava-se a prevaricadora.

    E claro tudo sem intervençao do governo para CENSURAR; o arbitro nisto tudo tinha que ser o patrao da TV que é o seu DIRECTOR!

    Um director que no fim ia à televisao explicar através de um editorial tudo o que se tinha passado pedindo desculpas aos telespectadores e a Carlos Veiga!

    • jaka doxi

      13 de Dezembro de 2010 as 21:14

      Meu Caro Undrdôglas infelizmente o patrão da TVS ainda é o Governo Santomense seja ele de que côr politica fôr.Como
      em São Tomé também acontece em Cabo Verde. É o estado que ainda paga o salário aos trabalhadores da Televisão.
      Não quero com isso dizer que porque é assim é que o estado deve controlar a Televisão Pública.
      Mas como sabe ainda estamos numa fase pirene da nossa Democracia e também da Liberdade de imprensa.Quando um dia surgir Televisão privada nos nossos paíse acredito que tudo vai mudar.
      Vamos todos rezar para que este dia surja.
      Fui

  12. Fernando Cardoso

    13 de Dezembro de 2010 as 18:50

    Não acredito na existência desta carta porque ela foi forjada. A jornalista e escritora São Lima não tem necessidade de escrever uma carta deste género para a Professora Universitária Inocência Mata. Tudo isto é uma montagem para destrair a atenção do que passou com a entrevista do senhor Carlos Veiga presidente do MPD que não foi autorizada na nossa televisão experimental. Não acredito que a Professora Inocência iria servir para executar este plano que a São lhe propõe. Tudo isto é falso. Tudo isto é mentira. A São Lima saiu vencedora deste confronto com o governo e com o director da televisão e ela merece continuar a trabalhar na TVS. Não acredito que depois de tudo que se passou o governo não renove o contrato com a São. Isto iria então provar que se preparou nos bastidores um plano para destruir a vida profissional da jornalista São Lima. Mas a São é Grande e Deus está com ela.
    Fernando Cardoso.

    • Alberto Fonseca

      14 de Dezembro de 2010 as 10:01

      Fernando Cardoso deixe que a propria Sao se pronuncie sobre a carta.
      Que provas tens para garantir nao tera sido ela autora da carta?

  13. Nelson Capela

    13 de Dezembro de 2010 as 20:39

    Tantas versoes dos acontecimentos que nao se sabe onde esta a versao original e verdadeira.Sempre desconfiei que debaixo desse angu havia osso

  14. Verdade seja dita

    13 de Dezembro de 2010 as 22:33

    O sindicato não solidarizou-se coisissima nenhuma com a São. Tenham vergonha senhores jornalistas e façam notícias co mais isenção… Deixem de enganar o povo. sejam verdadeiros e deixem de manipular a opinião pública contra o Governo e as pessoas de bom senso.

  15. rapaz de riboque

    13 de Dezembro de 2010 as 22:36

    nosso pais é uma vergonha tanta necessidades que temos e os medicamentos que fizeram o favor de oferecer porque deixaram estragar foram queimados ja nao acredito em ninguém nem nada deste pais sem futuro sem rumo

  16. mais suave

    13 de Dezembro de 2010 as 22:56

    altamente bem escrito de peito aberto por stp,

    menos mal que por um lado nao me identifico, porque agora que tenho sido esclarecido, pois tenho a cara cheia de vergonha, porque ja tinha tomado grande posicao a favor da jornalista.

    que coisa horrenda!!!

    fui

  17. Antonio Mascarenhas

    14 de Dezembro de 2010 as 1:14

    Para Abel Veiga e Sao Deus Lima

    Sera que o Abel (Tela Non) ira continuar a afirmar com toda a certeza, como o fez ate agora, que nao houve tentativa de manipulacao da opiniao publica por parte da Sao face aos novos desenvolvimentos que agora comecamos a ter acesso?

    Tera sido efectivamante, apenas, a Libertade de Imprensa que tera estado em causa quando a Sao escreveu o tal artigo referente a falhada entrevista com o Dr Carlos Veigas?

    Abel, os leitores pedem que digas algo sobre o assunto.

    Entao, a Sao agora decidiu ficar calada? Em que ficamos? O publico que acompanhou e apoiou apaixonadamente a causa da Sao em toda esta polemica merece um esclarecimento. E o minimo que se pode pedir.

    Nem sempre estamos certos nas nossas analises.

    Devemos ter humildade suficiente para reconhecer que falhamos e o minimo que podemos fazer, quando falhamos, e pedir desculpa.

  18. De peito aberto por STP

    14 de Dezembro de 2010 as 8:00

    Estimado Celso Junqueira apenas defendo o bom senso e a solidariedade entre os são-tomenses, para o bem-estar de todos. Durante estes últimos dias assistimos um autêntico bombardeio a figura do Sr. Óscar Medeiros e do próprio Governo. Eu pelo menos não tenho os meus olhos turvados com a poeira atirada pelos outros e não me deixo levar facilmente por artimanhas alheias. Desde que estas notícias vieram a tona sempre me interroguei de muitas questões, as que, no momento, impediram-me de formular qualquer tipo de comentário para não cair-me no ridículo, como muitos dos que enviaram os seus comentários neste bendito fórum. Passo a citar as minhas preocupações iniciais:
    1.ª Se o grande ofendido foi o Sr. Carlos Veiga de Cabo Verde, porque razão ele próprio não se manifestou?
    Talvez porque existisse alguém do tipo São Lima, que queria aproveitar-se da desgraça alheia para alcançar os seus objectivos.
    2.ª Pode um órgão público da Comunicação Social de um país soberano, que estabelece relações políticas com o Governo no poder num outro país, promover, durante o período pre-elitoral neste último, um debate a solo com a figura máxima da oposição?
    Denota-se aqui uma malcriadez, petulância ou ao menos tentativa de favorecimento por parte da jornalista que pretendia tal debate.
    3ªSerá que o programa ” Em Directo” da TVS, foi efectivamente eliminado da programação daquele Órgão?
    Quiçá existe qualquer outra versão sobre o facto de não ter havido o programa nesta última quarta-feira.
    4.ª Será que não estamos perante mais uma cabala daqueles que não gostam da mudança, sobretudo quando ela começa a pisar o calcanhar dos que querem estar sempre agarrados ao poder?
    Nunca se sabe se não há dedo político nisto, para não falarmos de dedos políticos, pois foi muito fácil a forma como o Governo foi envolvido nisto tudo.
    Porquê que os seres humanos apenas aparecem quando se trata da oportunidade de maldizer a alguém?
    Para os que vivem em STP como eu (com muito orgulho, embora nada tenha contra os que preferem estar longe enviando seus comentários e contributos) têm sido notórias as grandes melhorias verificadas na TVS após a chegada do Sr. Óscar Medeiros. Para os que estão lá fora (com o devido perdão aos que não merecem ler isto) aos senhores não lhes importa a qualidade técnica, bem como a ética informativa da nossa TVS. Pois os senhores têm lá ao seu dispor, canais de todas as categorias e cores, a mercê dos botões dos vossos controlos remotos. Apenas os que estão cá prezam os significativos avanços verificados na TVS, nos últimos tempos. Disto ninguém comentou. Nós somos um povo que só sabemos prevaricar e falar mal. Esta é, sem dúvidas, uma das principais causas da nossa ignorância, pobreza económica, bem como intelectual.
    Neste sentido, meu caro Celso Junqueira, tenho a lhe dizer que apenas concordaria consigo na ideia de criar-se rapidamente as condições para a existência de um ou mais canais de televisão privada em STP. Pois ninguém sensato, em nenhuma parte do mundo poderá querer utilizar as antenas de uma televisão pública de um país amigo para defender durante mais de hora e meia os seus ideais políticos contra o partido no poder, ainda mais no período pré-eleitoral. A TVS, enquanto estação pública, não é um legado do São Lima, nem do Sr. Óscar Medeiros e do Governo. Mas é um órgão de serviços público que deverá funcionar de acordo com os princípios básicos da nossa nação, sem prejuízo das regras de reciprocidade e respeito pela democracia dos outros Estados. Do meu ponto de vista não acho, de maneira nenhuma correcto que a Televisão Pública de São Tomé e Príncipe promova um tempo de antenas de mais de 1 hora para um candidato da oposição em Cabo-Verde, sem que o partido no poder em Cabo Verde tenha hipóteses de se defender. Não estou a ver um candidato da oposição em STP obter mais de 1 hora e meia na TVC, por exemplo, para expor os seus ideias de campanha. Claramente vê-se que se tratou de uma tentativa, oportunamente anulada, de conquistar votos fáceis no seio da comunidade cabo-verdiana em STP. Se o Sr. Carlos Veiga quer conquistar o eleitorado cabo-verdiano em STP, ele que ande pelas Roças e convença-os directamente.
    Conclusivamente, peço aos eleitores aqui presente que vejam as coisas com olhos de ver e não sejamos demasiados superficiais para não cairmos no ridículo. A propósito há uma frase do Sr. PM que tem vindo a circular e que não terei nenhum temor em usá-la, pelos menos até o final desta legislatura: “ Deixem o Governo Trabalhar” e já agora, Deixem o Óscar Medeiros Trabalhar. O Governo apenas tem pouco mais de 100 dias e Sr. Óscar está na TVS a menos de 90 dias, se a memoria não me falha. No final se trabalharem mal, decidiremos nas urnas, ma se trabalharem bem, todos ficaremos a ganhar e quem sabe muitos dos que se posicionam no estrangeiro criticando, sem elementos suficientes, não regressem a terra que um dia lhes viu nascer.
    Viva a Verdade.

  19. euclides correia

    14 de Dezembro de 2010 as 10:41

    a vossa manifestação deveria ser mais critica ao tema em questão e não apenas comentários banais ligaos ao insucesso de são deus lima.
    se na realidade queremos que as coisas andem,lutemos e critiquemos para gerar mudança.

  20. ipsis verbis

    14 de Dezembro de 2010 as 18:08

    Da ignorância a estupidez,
    Caros compatriotas internautas.
    Tenho visto neste espaço tanta estupidez, que só pode ser filha da ignorância.
    Atenção, que ignorância aqui significa, desconhecimento dos factos. Na verdade, acho que muitos dos internautas apressam-se demais em comentários que roçam a estupidez, apenas porque não se dão ao trabalho de conhecer os factos. Factos, ou seja, aquilo que os juristas, e outros afins, chamam de “verdade material”. Verdade cujo conhecimento só advem do contraditório. E o contraditório aqui significa a audição das partes envolvidas e, se insuficiente for, das testemunhas. Testemunha é quem viu (ou ouviu) directamente. Por isso os tais juristas a apelidam de testumunhas oculares. Não é quem ouviu dizer, porque a opinio deste só serve para confundir e complicar.
    Tenho a impressão de que a maior parte dos meus compatriotas internautas se apressam a desferir decisões “a torto e a direito”, que, por assim ser, são incapazes de fundamentar. Por outras palavras dizem o que lhes vai na ponta da língua, sem previamente consultarem a própria alma. Por isso as conversas saem, quais escaros, que outro destino não têm do que se estatelar no chão.
    Julgo que não deveria ser assim. Embora se diga que as opiniões nada valem porque se dão e não se vendem, acho que ainda assim cada um deveria melhor cuidar da opinião que dá, suportando-nas em factos, digamos verdades, devidamente fundamentadas. Pois caso contrário, acabam por passar por doadores de opiniões que, para além de não valerem um vintém, colhem o apelido de “estúpidas”. E, porque o Homem que se preza não deve fazer o culto da estupidez, acho que melhor ficaria aos meus compatriortas internautas fazer prova de maior ponderação. Até porque quem semeia a estupidez, colhe o desprezo. Porque acaba por vestir o fato do A.BU.BÉ, como se chama aqui na ilha, ao Analfabeto, Burro e Besta.
    E se Deus dotou o Homem de dois ouvidos e uma só boca, é tão só porque deve ouvir mais do que falar, e porque deve ouvir as duas versões da história; para descobrir a tal “verdade material”. E se Deus escondeu a língua do homem por dentro da boca é para que ele não seja um tagarela, ou seja para que não fale a toa, não opine no que desconhece. Língua escondida por dentro da boca significa cautela no respectivo uso.
    Constato, porém, que alguns dos meus compatriotas internautas preferem que as respectivas línguas façam o papel que cabe aos pés: pisar o chão e marchar em qualquer lama.
    Já de longa data se sabe que a ignorância pare a estupidez, quando faltar a ponderação ao ignorante ou a humildade ao estúpido. Não é pois por acaso que a ponderação e a humidade são virtudes dos homens sábios.
    É verdade que nos tempos que correm, a cibernáutica e a proliferação dos chats são atractivos da “opinio populis”. Todos querem dizer algo. Todos querem dar opiniões. Mas, convenhamos, não pode vir daí a selva da estupidez, sob pena dos “opinatras” cairem no descrédito que lhes vota ao desprezo, tão rélis e vil é a sua opinião.
    Como dizia o outro “O Homem que se respeita, ainda que ignorante, não pode pretender defecar pela boca”.
    Tenho dito

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo