Revolta juvenil na noite da última sexta – feira provocou melhoria do fornecimento de energia na ilha do Príncipe

Após a manifestação espontânea que agitou a cidade de Santo António na noite da última sexta – feira, o fornecimento de energia eléctrica melhorou consideravelmente no Príncipe a partir do último sábado.

Nos últimos dias o fornecimento de energia na ilha do Príncipe, baixou de forma drástica. A população da região autónoma só tinha acesso a luz eléctrica, das 8 horas até as 14 horas. A delegação da EMAE na ilha, suspendia o fornecimento para retomar por volta das 17:30. As 23 horas os geradores da central térmica de cidade de Santo António, eram desligados.

A delegação da EMAE, explicou que só recebia 40 mil litros de gasóleo por mês, dai a necessidade de racionalizar o fornecimento. Descontentes com a situação na última sexta – feira os jovens da ilha, se revoltaram por volta das 23 horas, quando a delegação da EMAE cortou o fornecimento de energia.

A manifestação de revolta que cresceu por noite dentro até a madrugada de Sábado, acabou por precipitar uma solução imediata para o problema. Após reunião entre a representação da população, o Presidente do Governo Regional e o delegado da EMAE, no último sábado o fornecimento de energia melhorou. No sábado ao invés do corte as 23 horas, Príncipe tive energia até as 3 horas da manhã de Domingo.

O Téla Nón apurou que durante a reunião, alguns populares exibiram o acordo assinado entre o actual Primeiro-ministro Patrice Trovoada, na altura candidato ao cargo de Primeiro-ministro e a população do Príncipe. Um acordo que dentre outros aspectos, promete reforço da produção de energia na ilha, após a tomada de posse do então candidato ao cargo de Primeiro-ministro.

Porque nos últimos 30 dias o fornecimento de energia diminuiu de forma preocupante, a população, com destaque para os jovens, saiu a rua de Santo António em manifestação.

Ainda na reunião que tranquilizou os jovens da ilha, o delegado da EMAE na ilha, disse a rádio regional, que o Governo Central, prometeu para os próximos dias, aumentar a quantidade do gasóleo que é fornecido ao Príncipe para produção de energia. Actualmente são 40 mil litros, e o executivo central, prometeu aumentar para 50 mil litros mensais.

Abel Veiga

  1. img
    Celsio Junqueira Responder

    Prometido é devido.

    Só fica bem ao Governo Central cumprir as suas promessas.

    Bem haja aos Jovens do Principe

  2. img
    insonia da costa Responder

    Umas das palavras dita pelo Sr. 1º Ministro Patrice aquando da sua campnha na ilha foi esta :eu patrice não sou homen de assinar papel e deixar e porque tem deixado para traz os acordos…. ele nos mentiu mais uma vez fomos enganados como sempre…

  3. img
    INCOMODADO COM ISTO Responder

    AINDA BEM QUE VCS FISERAM ISTO…
    E OUTRO ASPECTO É QUE O ACTAL PRESIDENTE DO GOVERNO REGIONAL TÓZE CASSANDRA NÃO TÊM NADA A VER COM O ACORDO QUE VCS ASSINARAM COM O PREMEIRO MINISTRO, SE EU BEM RECORDO, ESTAVA LA O LEVY NANZARÉ E PRIMEIRO MINISTRO E MAIS COMPANINHA.
    VÃO LA MOSTAR ESSE ACORDO A ELES……
    E DEIXAM O TÓZE TRABALHAR ASSIM COMO TEM FEITO NESSE ÚLTIMOS ANOS DENTRO DAS CONDIÇÕES QUE LHE É POSTO A DISPOSIÇÃO…..

  4. img
    Reflexões de um filho do Príncipe Responder

    No Príncipe tudo é sempre mais complicado. Se o país como um todo já sofre com a insularidade, na Ilha do Príncipe o efeito desse isolamento é muito mais grave.
    Esse acontecimento fez-me pensar sobre algumas coisas:

    1º No Príncipe para se conseguir qualquer direito tem-se que fazer “barulho”, sinal que as coisas não funcionam.

    2º A Iha do Príncipe, nesse momento, deveria ter a funcinar uma barragem hidrelétrica, se não fosse a incompetencia dos engenheiros Portugueses e do ex presidente regional Damião, que nada soube fazer ao tomar conhecimento que a obra não funcionava. (Esse, diga-se de passagem, por toda a sua incompetencia como presidente regional ganhou depois como presente, cargos de ministro, PM e embaixador em PT).

    2º A cerca de 3 anos atrás, li aqui mesmo neste jornal que o actual governo regional tinha reabilitado parte da barragem e que a mesma já produzia certa quantidade de luz eléctrica. Era tudo mentira, e só se descobriu a farsa quando um dos geradores avariou.Era o governo regional mais uma vez tentando enganar os de fora para passar imagem de eficiência.

    3º Ao contrario do que parece, o atual governo só é mais do mesmo, já se encontra viciado e repetindo os mesmos erros da era “Damião”. Recusa críticas, ainda que construtivas e tenta calar os insatisfeitos a qualquer custo. As viagens dos governantes para exterior são frequentes, mas os resultados concretos são insignificativos.
    4º O governo regional usa muito bem a imprensa e a popularidade do Tó-Zé Cassandra para ludibriar os que olham o Príncipe de fora, passando a impressão que as coisas por lá se encontram muito melhores. Só quem mora no Príncipe sabe que as coisas por lá estão quase do mesmo jeito, verificando-se poucas melhorias. O que se percebe é um lugar a deriva, que vive de promessas, onde o maior desejo dos jovens é sair do Príncipe, ou “fugir e escapar” como lá se diz.

    5º O actual governo Regional não tem planos concretos de longo prazo. Apresenta apenas medidas imediatas e de curto prazo, como essa que apresentou agora para a minimização do problema de falta de luz e aquela de fornecer energia para pequenas localidades através de pequenos geradores. Essa última, claramente eleitoreira, que só facilitou o desvio de gasóleo e complicou a situação da falta de luz de modo geral na lha. Podia apresentar aqui várias outras ações desordenadas e sem planejameto desse governo.
    6º O Tó-Zé, sabe-se que é uma pessoa mt competende, mas ao chegar no Príncipe cercou-se de um bando de incompetentes, e pior, não se sabe porquê, mas tem feito questão de continuar sendo assessorado por essas turma de ignorantes que se acham donos do Príncipe. Agora já pensa e age como eles.

    7º O Príncipe precisa efectivamente parar de depender da boa vontade do governo central e pressiona-lo até as últimas consequencias para conseguir o que lhe garante a constituição e a autonomia. Precisa parar de olhar apenas para Portugal como parceiro de cooperação e passar a procurar também outros Países. Precisa adoptar nova postura, propondo negócios aos possíveis parceiros e parar com a cultura de pedinchar.

    8º Enquanto o Príncipe depender de São Tomé para fazer qualquer coisa a situação será essa, pois quem segue um perdido também não sabe para onde irá. Infelizmente ainda será assim por muito tempo, teremos que aguentar e sofrer as consequencias da imcompetencia e corrupção dos nossos “irmãos” de S.Tomé.

    Admira-me tanta incompetencia. S.Tomé e Príncipe não precisa inventar a roda, pois os modelos estão prontos, basta adapta-los e usar, vejamos o exemplo de Cabo-Verde. Antigamente justificava-se com a falta de quadros e de conhecimento. E agora, qual é a desculpa para tamanho atraso desse país?

    • img
      Daniel L. Responder

      Senhor filho do Príncipe

      Deixa de conversa fiada e venha para cá trabalhar.
      Estamos fartos deste papo: e tal, eu sou bom, o fulano é incompetente, o sicrano é melhor.
      Chega! Chega! Venha para cá dar o seu contributo, tomar banho de caneca como nós e contribuir para o desenvolvimento da nossa terra.
      Chega de falar, falar, falar, discurso banais e sem conteúdo que só fazem o boi dormir.
      O melhor que aconteceu ao Príncipe, nestes últimos anos, foi ter reajustado a sua governação. Eu sei que os dirigentes actuais não são pessoas perfeitas. Todos eles têm defeitos. Mas ainda se lembram como o Príncipe estava há 10 anos? Alguém se lembra disto? Quem nos respeitava em S.Tomé? Há quanto tempo a população do Príncipe estava a lutar para o novo estatuto político administrativo da região? Quem conseguiu isto em 4 anos? Foi este governo do Tozé.
      Como é que estava a nossa cultura? Quem a dinamizou e deu condições para podermos ainda hoje estar a respirar outro ar neste aspecto? Foi este governo regional. Quem deu oportunidades aos jovens para poderem usufruir de bolsas de estudo? Foi este governo regional.
      Quem dinamizou a agricultura e pesca cá na ilha? Foi este governo regional.
      Eu digo-vos sinceramente, este rapaz, fez mais pelo Príncipe em 4 anos do que todos os governo regionais em 30 anos.
      Vocês deviam ser agradecidos a ele. Eu não sei o que seria do Príncipe se o Tozé não aparecesse para nos salvar. Deus há-de lhe dar força, coragem e inteligência para segurar este barco.
      Uma coisa é certa: nunca mais queremos o MLSTP a nos governar. Esta gente deu cabo da nossa terra, ofendeu-nos muito.
      A luta continua.
      Cumprimentos a todos os meus amigos que estão lá fora.
      Daniel

    • img
      Humilde Responder

      Alguém saberia dizer-me quem é o diretor da Email no Príncipe?

      • img
        Humilde Responder

        *EMAE

      • img
        Banco de Má Lingua Responder

        É filho de senhor Daniel antigo chefe das finanças com dona Sabina .. Vulgo Nelito….

        • img
          Humilde Responder

          obrigado Banco de Má Lingua

    • img
      antonio martins Responder

      nao corresponde a verdade o que e dit em relacao a barragem foi o responsavel pela recuperacao, ficou a funcionar dentro de alguns condicionalismos por falta de materias,aguardando que volta-se mas tal nao se verificou
      apesar de tudo o principe tens condicoes hidricas para a producao de energia sufciente para alimentar a ilha.

  5. img
    boca suja Responder

    Ha dias em que so o centro da cidade tem energia, e o director regional da EMAE chama de SERVIçOS MINIMOS, e outra localidade perto do centro da cidade “Budo Budo” que é a localidade mais prejudicada pela EMAE também com varios utentes e empresas fica o dia todo sem energia.Actualmente no Principe o designado de serviços minimos é so para funçao publica,quer isso dizer os privados que se lixem ou comprem o seu proprio gerador.

  6. img
    minú yé Responder

    Pois é meus senhores para um STP melhor o povo tem que faser aquilo que fizeram em Tunisia…..sair a rua gritar e exigir quanto não tamos lixado….e fico ainda mais feliz que no Principe os jovens tão a ser curajosose tomam medidas quando é necessário…força JUVENTUDE.. sois vós quem mandam naquele pedaço da Terra….

  7. img
    minú yé Responder

    Para corte de energia é tão rápido mais diminuição de Deputados e cortes nas viagens dos senhores deputadinhos não se houve falar….

  8. img
    Maria Prazeres Responder

    Sou de Príncipe e como todos que aí vivem já senti isso na pele… por isso agradeço e dou os parabéns os jovens de Principe por deixarem de cruzar os braços e ver as coisas passarem… e digo mais de os 50 mil litros não forem suficientes que façam mais manifestação pois o Governo Central tem que começar a dar nosso Ilha a devida atenção e respeito…..

  9. img
    De Longe Responder

    Ficará bem a quem queira criar autoridade de estado não dar aquilo quenão deve ser dado como forma de se subjugar a uma manifestação. Se o aumento do fornecimento de energia não vai compromoter outras áreas mais vitais, porque se terá esperado por uma manifestação?

    • img
      jona Responder

      muito bem de lonje,um abraço.

  10. img
    Obama Responder

    Esta notícia prova uma vez mais que o povo unido jamais será vencido. Haveremos de ter num futuro n longínquo cada vez mais protestos e revoltas (organizadas e pacíficas), para se exigir dos governantes aquilo que é do nosso direito.
    Vamos estar sempre atentos às diversões situações de injustiças e de abuso de poder em STP e denunciá-las neste espaço público pois só assim conseguiremos fazer com que a informação chegue à todo o mundo.
    Os Santomenses merecem viver com tudo de bom e de melhor à semelhança do que acontece com os povos ocidentais pois temos uma terra rica e abençoada e um povo bastante acolhedor e pacífico.
    Mas mesmo pacíficos, devemos revoltar, exigir os nossos direitos e n nos deixarmos intimidar pelo poder, arrogância de alguns dos nossos governantes que usam e abusam da coisa pública de uma forma clara, aberta e sem qualquer punição.
    Viva o nosso querido STP!!

  11. img
    visão de Domingo Responder

    Com a queda dos regimes de África Branca não sei como vai safar o menino Patrice!!
    Certamente que terá feito conta com o apoio desses ditadores africanos.
    sobra-lhe ainda o Aly Bongo.
    Cuidado PT.

  12. img
    jaka doxi Responder

    Meu caro visão de domingo.
    A gente sabe quem são as pessoas que aproveitam do país para engordar as suas contas pesssoais.
    E você que concerteza é do mlstp-pcd sabe mais do que ninguem o que estou a dizer e quem são estas pessoas.
    Abraços.

  13. img
    São-tomense Responder

    Xê, séc. XXI e um país ainda sofre de falta de energia eléctrica…..é preciso rever esse país, o problema está na base da estrutura política….!

  14. img
    Elias Costa Responder

    O Governo de Tó Zé Cassandra dá provas claras de incapacidade para resolver os problemas da Região do Príncipe. A responsabilidade não é só do Governo Central. Foi para resolver os problemas do povo que a Ilha do Príncipe tem hoje o estatuto político-administrativo de Região Autónoma. Este estatuto não é para se conjugar os “verbos” mentir, enganar o povo, fazer de contas e dissimular os problemas. Essa situação é vergonhosa e humilhante para o povo da Região do Príncipe. Por isso, manifesto todo o meu apoio aos revoltosos.

    • img
      Humilde Responder

      Sr. Elias Costa, o senhora nem deveria opnar sobre este assunto, aliás o senher deveria fazer uma critica mais construtivas, o senhor deveria ir a ilha ajudar o Tozé Cassandra, deixa de mandar boca e volta a terra pra ver o que é bom pra tosse…
      fui

  15. img
    menino TUÍN Responder

    só precisam de pop. na campanha,ms na energia….. crédo

  16. img
    uck principience Responder

    o Elias Costa só quero mandar igual ao pai
    .
    Vem trabalhar e deixa de estar a mandar bocas desnecessaria porque no principe não queremos a tua opinião o seu apoio é inexistente .

Deixe um comentario

*