Direcção da TVS nega que a nova linha gráfica foi inspirada nas cores e símbolo da ADI

O Director da TVS, Óscar Medeiros, disse que a acusação da Associação dos Economistas, não é séria. Segundo o Director, a nova linha gráfica da TVS foi inspirada nas cores tradicionais da Televisão Pública e não no símbolo do partido no poder, a ADI.

«Não é sério. Até parece que em São Tomé, toda gente sabe tudo. A Associação dos Economistas até percebe da linha gráfica de uma televisão do que se calhar da própria economia. Isso não me parece sério», declarou o Director da TVS, Óscar Medeiros, em resposta a acusação de violação da liberdade de imprensa, feita pela Associação dos Economistas, com destaque para a nova linha gráfica, que segundo a organização da sociedade civil, reflecte as cores e o símbolo do partido no poder, a ADI.

A acusação da Associação dos Economistas, está contida numa carta aberta endereçada ao Primeiro-ministro e Chefe do Governo, Patrice Trovoada.

A Direcção da TVS, nega e garante que a nova linha gráfica foi construída com base nas cores dominantes nos estúdios da televisão pública. «Esta linha gráfica foi preparada tendo em conta as actuais circunstâncias dos estúdios da Televisão São-tomense. A cor predominante no nosso estúdio é azul e barras vermelhas. Dai que nós seguimos esta lógica e produzimos os genéricos, o logo tipo, e os separadores de emissão com base nessas cores. As cores do ADI são Azul e Amarelo e as cores da linha gráfica da TVS, são Azul e Vermelho. E isto foi feito com base no antigo logótipo da TVS, que tinha o fundo azul tracejado e as letras TVS a vermelho», defendeu Óscar Medeiros. .

A Direcção da TVS, acrescentou ainda que em momento nenhum, «fez-se essa nova linha gráfica a pensar nos partidos políticos ou coisa parecida».

A Direcção da TVS, explicou também que o símbolo do partido ADI, é caracterizado por duas argolas entrelaçadas, enquanto o novo separador de emissão da TVS, é marcado por discos.

Na entrevista que concedeu ao Téla Nón, assim como a TVS e a RTP-África, o Director da TVS, desmentiu as afirmações do Presidente da Mesa da Assembleia da Associação dos Economistas Teotónio Torres, segundo as quais, Oscar Medeiros é afilhado do actual Primeiro-ministro Patrice Trovoada.

O Director da TVS, esclareceu que não é afilhado, mas sim tem laços fortes de amizade e de parentesco com o actual Chefe do Governo. «Toda gente tem direito de ter família e amigos. Patrice Trovoada não é meu padrinho. Temos relações de amizade e até mesmo familiar. Essa amizade tem mais de 10 anos. E não é hoje que Patrice Trovoada é Primeiro-ministro em 6 meses que eu, Socar Medeiros iria deixar de ser amigo dele. Não obstante o facto de Patrice Trovoada ser Primeiro-ministro, Oscar Medeiros é jornalista e deve fazer o seu trabalho com toda isenção e imparcialidade», afirmou o Director da TVS.

Ao contrário dos relatos cada vez mais persistentes de jornalistas e operadores de imagem da TVS, dando conta que nunca antes a Televisão São-tomense, conheceu tanta censura e intervenção directa do director na concepção das reportagens. Intervenção caracterizada por cortes de declarações que não são favoráveis ao governo, e outras formas de censura, o director respondeu que «nunca houve queixas dos trabalhadores ou jornalistas nossos, dando conta que a Direcção da Televisão vai a redacção, saber o que está a ser feito, e controlar as peças dos jornalistas, isso nunca aconteceu. Aqui cada jornalista é livre de apresentar a sua reportagem de acordo ao que viu no terreno, faz a sua reportagem e entrega ao editor do dia para alinhar no Telejornal», pontuou.

O Director que optou pelo silêncio durante a polémica relacionada com o afastamento da jornalista São Lima, caso também referenciado pela Associação dos Economistas, como sendo um dos exemplos da violação da liberdade de imprensa crescente no país, veio agora responder ao último artigo publicado pelo Téla Nón, sobre o caso. O artigo com o qual o Téla Nón encerrou a polémica São Lima – TVS. «Eu ainda vi um artigo no Jornal Téla Nón, que dizia que dos 26 trabalhadores que estavam na mesma situação da São Lima, em termos de contrato, 25 deles ficaram e que apenas a São Lima saiu da Televisão. Isso não corresponde a verdade. Se quiser consultar os nossos serviços de administração, verá que 7 dessas pessoas não estão na televisão e as que ainda estão não têm a situação regularizada. No entanto continuam porque fazem falta a televisão, e está-se a tentar regularizar a situação desses trabalhadores», concluiu.

Abel Veiga

  1. img
    Afinal Responder

    Sinto-me maravilhado pelas apologias do “jornalista” Oscar Medeiros! Depois de termos escutado, discutido, comido, bebido, dançado, è que ele vem defender a causa da TVS, indirectamente, do Gorverno? Pela astùcia, nao pela inteligencia, eu preferiria que ele continuasse calado, vejo inoportuna estas suas apologias! Deveria desde os primeiros tempos esclarecer os leitores da Tela Non, se calhar nem Associação dos Economistas viria relembrar ainda estes atropelos da TVS (do Governo). Coitadinho do “jornalista”! è pena constatar a queda (desgraça) daquele que pouco a pouco ia engrandecer o seu profissionalismo jornalistico… Agora como um simples paladino do Governo… Com Humildade!

  2. img
    J. Oliveira Responder

    Na verdade, antes da publicação do primeiro artigo sobre este caso, não dei conta da pos´sível semelhança entre o símbolo do ADI e o da TVS.

    Outra verdade é que daqui a pouco poderá haver outras comparações, como por exemplo com a CST, a RTP, etc, que, pelos vistos também possuem quase a mesma semelhança.

    Seja como for, as críticas, sejam elas quais forem, ajudam a refrescar e melhorar a memória e, quem sabem, contribuindo para o desenvolvimento. Por isso, devem ser sempre benvindas, venham elas de ond vierem.

  3. img
    Buter teatro esquecido Responder

    Senhor Óscar Medeiros o senhor está enganado;
    Economistas, são professionais que preocupam com o aumento de lucros nas empresas, crescimento económico e sustentável, e, o bem estar do seu povo e do mundo. Por isso, está classe não fica isenta de pronunciar, sobre o mau estar causado pela está estação da televisão.

    Relativamente ao simbolo, a sua justificação não é credível, o simbolo deve estar relacionado com histórias do país, ou de alguém que prestou obras de reconhecido mérito ao país.

    • img
      peter Responder

      ECONOMISTA FAZ QUEE?? HAHAHAA MASCARADOOO

    • img
      jaka doxi Responder

      Oh Buter.
      O país não conseguiu fazer história que se preze nos últimos 35 anos.
      Mesmo a tão falada história do Rei Amador já dizem que foi tudo manobras do mlstp e que afinal o homem não foi Rei.
      Em quê ficamos?
      Fui

  4. img
    Original Responder

    Antigamente quando Mam Rafa estava no Governo ouvia-sa notícias de RDP África em cada meia hora mas com Man Trov o jornalista passou a sofrer sintoma de queixo preso. RTP sabe disso e prefere manter silêncio.

    • img
      Original Responder

      Esqueci de referir que notícias sobre tudo que corria mal em STP, podia ser ouvido na RDP África.

  5. img
    ih Responder

    “Se quiser consultar os nossos serviços de administração, verá que 7 dessas pessoas não estão na televisão e as que ainda estão não têm a situação regularizada. No entanto continuam porque fazem falta a televisão”

    Entao caro Oscar e a Sao Deus Lima nao fazia ou nao faz falta a telvisao? Antes tivesses mantido calado…

    • img
      jaka doxi Responder

      Caro Ih.
      Sobre este assunto fui informada que a nossa querida são Lima abandonou a TVS antes mesmo de terminar o contrato.
      Os outros coitados ficaram lá e trabalharam até ao fim do contrato.Por penso que o caso São Lima foi mais uma manobra politica patrocinada por uma grande jornalista.
      E saiba mais que pelo facto de a São abandonar o trablho sem dar satisfação a direcção da TVS justifica o seu afastamento.
      Vamos ser sérios nas nossas análises.
      Fui

  6. img
    Edson Costa Responder

    Se as acusações da associação dos economistas vierem a ser comprovadas, então estamos perante um caso gravissimo em STP. Sò queria relembrar q o governo não é ADI, não podemos transformar a nossa démocracia numa “partitocracia”. O senhor Fradique de Menezes havia feito algo semelhante quando decidiu colocar as suas fotos e cartazes nos autocarros pùblicos!

  7. img
    ovumabissu Responder

    Resumindo e concluindo: um assunto sem assunto.

    Coisas para entreter a malta.

  8. img
    peter Responder

    MEU AMIGO OSCAR, LEMBRAS DOS OUVI LA ANDA CA??? SAO ESSES, NAO TE PRECUPES SO SABEM DIZER OUVI LA, ANDA CA!! ):

  9. img
    José Manuel Triste Vencedor Responder

    Jaca Doxi é uma mulher ou homem?? disseste fui informada
    os homens são informados

  10. img
    Digno de Respeito Responder

    Caros senhores,

    As palavras são são fortes como tão leves de pesar. Analisem (“sintática” e “morfológica” e friamente) a seguinte expressão:

    “consultar os nossos serviços de administração, verá que 7 dessas pessoas não estão na televisão e as que ainda estão não têm a situação regularizada. No entanto continuam porque fazem falta a televisã”

    fico com a ideia que um orgão público estaria (provávelmente) a promover a ILEGALIDADE em seu benefício. Se assim é, muito triste aos que não têm mesmo alternativa. Pior ainda, quando não estudam e nem procuram aumentar conhecimentos técnicos: visão e brilho profissional.

Deixe um comentario

*