Sociedade

Câmara distrital de Cantagalo mais equipada na limpeza e recolha de resíduos do distrito

O sector de salubridade da Câmara Distrital de Cantagalo está hoje mais equipado e prepara-se para estender o serviço de limpeza a algumas comunidades.

Na passada sexta-feira foi entregue um lote de materiais ao sector de salubridade da Câmara Distrital de Cantagalo (CDC) que lhe permitirá assegurar com mais eficácia e eficiência a limpeza e recolha de resíduos no distrito. A entrega insere-se no trabalho iniciado há quase dois anos por parte da equipa do projeto de apoio às Câmaras Distritais para a implementação de um sistema regular e viável de recolha de resíduos, e em que âmbito no qual foram já realizadas outras atividades, como a formação de funcionários e membros de associações locais, assim como a entrega de outros equipamentos, nomeadamente contentores.

Nesta segunda fase, o trabalho no distrito tem incidido especialmente sobre algumas comunidades identificadas pela CDC, que se preparam no mês de Abril de iniciar o serviço de limpeza e recolha de resíduos comunitários, num trabalho que envolve além da CDC, o GIME 18, 20 e 22 e os presidentes das associações de moradores das comunidades de Anselmo de Andrade, Colónia Açoreana, Santa Cecília e Uba Budo Sede.

As dificuldades existentes no que respeita à cobertura do serviço da CDC obrigam a uma intervenção inovadora de valorização de resíduos, que permitirá às comunidades aumentar do tempo de utilização dos vazadouros existentes e abertos graças ao trabalho das pessoas na comunidade. Nesse sentido está prevista a separação de resíduos “verdes”, isto é, restos de capim, ramos, folhas e todos os restos vegetais.

O serviço a iniciar no próximo mês nas comunidades referidas, inclui a capinação, limpeza, recolha separativa, tratamento e deposição final de resíduos. A CDC, em conjunto com os presidentes das associações das comunidades – que de acordo com as novas orientações da autarquia passarão a ter um papel mais activo, apresentando relatórios mensais sobre o estado da comunidade – irão fiscalizar o trabalhar a realizar pelos diferentes grupos de GIME, que pela primeira vez irão prestar um serviço de limpeza e de gestão integrada de resíduos nas comunidades.

Tudo parece estar pronto para o arranque do serviço de limpeza e recolha de resíduos, sendo que os resultados a atingir no futuro se irão resumir em grande parte ao espírito comunitário de cada localidade. Com efeito, a impossibilidade da CDC em estender a recolha de resíduos nas comunidades mais distantes, obriga a um maior envolvimento comunitário que se deverá basear num verdadeiro espírito de colaboração, e que só assim permitirá uma efectiva melhoria das condições de salubridade e higiene da comunidade.

Artigo escrito no âmbito do projecto “Consolidação do apoio às Câmaras Distritais para a implementação de um sistema regular de recolha dos resíduos sólidos” executado pelas ONG’s ADAPPA, ALISEI, FCJ e MARAPA com o apoio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento

    3 comentários

3 comentários

  1. matacede que cane

    10 de Março de 2011 as 10:03

    Este exemplo deve contagiar a outros distritos

  2. Albertino Silva Braganca de Sousa

    10 de Março de 2011 as 12:34

    Abel Veiga,

    corrija por favor, o primeiro paragráfo do texto, pois tratá-se do sector de salubridade, nao pode existir um sector de insalubridade.

    Atentamente!

    • jaka doxi

      10 de Março de 2011 as 17:08

      Meu caro Albertino.
      Você ainda não percebeu que o texto não é do Abel Veiga?
      O Abel apenas colocou o texto que lhe enviaram.
      Neste caso acredito que seja alguém da equipa camararia de cantagalo que escreveu a notícia.
      Considero que o Abel deve antes de colocar a notícia corrigir os erros de Português nela exposta.
      Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo