Sociedade

Estudantes são-tomenses no Brasil estão a viver na rua

Numa carta endereçada ao Primeiro Ministro Patrice Trovoada, os estudantes são-tomenses no Brasil, dizem que há 9 meses que não recebem a bolsa de estudo. A lei brasileira não permite que os estudantes exerçam actividade profissional remunerada. “Existem colegas em situações extremas, sem moradia há mais de cinco meses disputando albergues noturnos com os pedintes e sem abrigos, porque perderam as suas casas nesses infindáveis meses sem auxilio do MEC-STP”.

Clique –  carta estudante bolseiro do Brasil_01

    46 comentários

46 comentários

  1. ambrosio

    20 de Maio de 2011 as 7:52

    Vamos é angariar dinheiro para ajudar os estudantes que estes senhores mandaram passar fome e castigar esses bandidos

  2. Vigário

    20 de Maio de 2011 as 8:10

    Infelizmente oque se percebe eh um desleixo total do governo com essa questao desses nossos irmãos nesse Brasil e nao so.
    O descaso eh assustador, eh inaceitável que se coloque os estudantes nove de atraso de bolsa.
    Ministério da Educacao eh um setor extremamente milindroso e precisava de alguem com competências inabaláveis. Qualquer governo que secundarize a Educacao estará então adiando a nossa própria nação.
    Vejam o exemplo do Japão, Qd saíram da grande guerra a primeira coisa q fizeram foi formar quadros e com isso tornaram no que Sao hoje so pra citar um exemplo.
    Encontrem mecanismos urgentes para resolver situações dos nossos irmãos filhos e primos, eh mto desumano tdo isso

    Que Deus tenha misericórdia desses meninos

  3. flogá

    20 de Maio de 2011 as 8:36

    Epá meus compatriotas, a vossa carta é muito comovente mas a malta governante por aqui está apenas focalizada em angariar fundos para o banho eleitoral. Por isso ainda terão de esperar.

    • Ferro Costa

      20 de Maio de 2011 as 12:24

      Lamentável é situação dos estudantes no Brasil e não só. Mas onde esta o dinheiro para continuar a suportar tantas bolsas de estudo? STP não pode continuar a enviar estudantes para o estrangeiro para depois deixá-los passar mal. Se da 10 bolsas então que assuma as dez e não 200, 300, etc. Mas os bolseiros devem passar por uma selecção transparente. Esse governo deve duma vez por todas resolver o problema dos estudantes abandonados em paises estrangeiros

  4. Eleuterio

    20 de Maio de 2011 as 9:13

    Meus senhores ja e chegada a hora de resolver essa situação,nove meses e demais.
    E o supreendente e que parece nao haver vontade de resolver isso. E porque criar entraves para eles ainda la. Eu nao entendi isso, alguem por favor me explique

  5. Osama bin Laden

    20 de Maio de 2011 as 10:25

    Isso é muita falta de consideração, por amor de Deus Patrice Viaja todas as semanas gasta dinheiro de povo enquanto filhos de STP que estão no estrangeiro a estudo estão a viver na Rua, isso não pode ser, é muita humilhação…. Até Rafael Branco pagava as bolsas aos estudante..
    Afinal que Governo é esse meu santo Deus.. Na altura da Drª Maria das Neves as bolsas eram pagas 3 em 3 meses sem falhas. Patrice assim não, filhos de STP não merecem passar tudo isso!
    Pára de viajar, pegue nesse dinheiro e manda para esses jovens ter uma vida tranquila nos seus estudos.
    Que coisa Patrice em nome do pai do espírito santo credo má fé, deixe de preocupar unicamente com dinheiro para banho na campanha eleitoral e dê uma atenção a governação do nosso país é para isso que o senhor foi eleito.

    Faço uma pergunta ao todo STP! Aonde está os partidos da oposição? Aonde os deputados da Assembleia Nacional? Aonde anda o senhor Presidente da Republica? Aonde anda o senhor Ministro da educação que por acaso já foi Padre? Aonde a sociedade civil São-tomense???
    Patrice eu votei em si, mais se for para isso não dá, nunca mais conte com o meu vote.. Nunca mais.. Mais nunca mais..

    Desta vez vou votar numa senhora, homens de STP não tem coração, são maus, vingativos .. não dá…

  6. edy

    20 de Maio de 2011 as 11:50

    peneta sooe, awo bamo zeme caboca.

  7. E.Santos

    20 de Maio de 2011 as 12:50

    Assim também não. É preciso ter ideias. Se o Governo não tem como minimizar a situação financeira destes estudantes, ao menos tente um acordo bilateral com o Governo Brasileiro para conceder um título aos estudantes São-tomenses que lhes permitam exercer um número de horas mínimo de trabalho que lhes garanta o sustento até a conclusão dos estudos. É o mínimo.

  8. Pedro Cassandra

    20 de Maio de 2011 as 13:13

    Kei men ca ton bega bila pali, axem fooo,

    Meus senhores procurem formas de resolver situação desses nossos irmãos, o pais esta com dificuldades isso eh sabido mas deixar-lhes nove meses com bolsa em atraso eh nao dar importância a situação.
    O problema também eh os pais de STP sao muito tapados, ficam vendo filhos morrerem na miséria em terra alheia ainda ficam calados.

    Medidas urgentes sao necessárias, ou então melhor fechar esse ministério e mandar todo mundo pra casa

  9. J. Maria Cardoso

    20 de Maio de 2011 as 13:25

    Eu na qualidade do Ministro da Educação ao ter-me apercebido deste sofrimento dos estudantes são-tomenses no Brasil k acumula aos outros gritos de socorro lidos no Téla Nón, já não me restava tempo para reflexão.
    Duas portas de saida:
    1ª – Enviar o cheque dos nove meses aos sacrificados filhos da terra.
    2ª – Não podendo enviar, depositaria o meu pedido de demissão ao 1º Ministro.
    Meus caros estudantes, k Deus olhe por vocês!

    • Celsio Junqueira

      20 de Maio de 2011 as 15:34

      Lucidez e sensatez a sua!

      Que o Ministro lhe oiça e proceda em conformidade.

      Subscrevo na plenitude.

      Bem Haja!

      • E.Santos

        22 de Maio de 2011 as 0:59

        Vocês dois só podem estar a brincar.
        Nesta linha de pensamento não teríamos Ministro de Educação. Todos os que entrassem teriam de se demitir logo a seguir. Aliás, se de cada vez que não tivermos recursos financeiros (que é quase sempre), fossem pedir demisão, não teríamos ministros que durasse.
        O Ministro tem sim de encontrar alternativas. Transfira-os para países que nos oferecem bolsas, negoceia títulos de estudantes que lhe permita trabalhar e auto sustentarem-se, incentiva as famílias as lhes prestar assistência, qualquer coisa. Mas faça.

        • E.Santos

          22 de Maio de 2011 as 1:05

          E mais, em última instância pode trazer todos de volta para casa. Afinal, já temos Universidade em São Tomé, porque estar a sofrer na terra dos outros? Se não têm dinheiro para pagar.

        • Celsio Junqueira

          23 de Maio de 2011 as 9:15

          Meu Caro,

          O Ministério existe para resolver problemas e se puder (coisa dificil de acontecer) antecipa-los.

          O que o Ministro tem de fazer e/ou fez não sei, mas se não consegue resolver ou fazer nada, é melhor demitir-se e dar lugar a quem tenha mais agilidade e imaginação.

          O que não pode acontecer é o que já está a acontecer pelos vistos a tempo demais, para uma normal aceitação e razoabilidade, são situações de miséria e pobreza humana nos Estudantes Bolseiros.

          O Ministério tem que os informar e trabalhar de uma forma a garantir sustentabilidade financeira continua dos bolseiros.

          Se tiver de e for solução fazer regressar alguns para as Universidades que existem no País (boa sugestão do meu caro E.S.), diga abertamente e não tenha medo do impopulismo da medida/decisão.

          Como está é que não pode continuar!

          Concluindo, só disse o que faria se tivesse no lugar do Ministro!

          Abraços e obrigado pela sugestão,

  10. Dangereux comme feu

    20 de Maio de 2011 as 13:42

    Isso é um, a falta de humanidade do governo santomense e banalização da vida humana com que nos deparamos pelo inadimplemento de questões intrínsecas ao bem comum e lamentavelmente pela inércia dos incompetentes ideologistas e alienadores que se mantêm nesse orla de perversidade, projetando subversões no que concerne aos princípios de dignidade e equidade que temos enquanto seres humanos como preceitos fundamentais do Estado democrático de Direito.
    Estamos a viver cada vez mais uma ditadura partidária clandestina e o pior de tudo é que as pessoas não percebem isso pelo fato de estarem alienados pelos demagogos INCOMPETENTES, PERVERSOS, INADIMPLESTES, PROCASTINADORES, E PRINCIPALMETE DESUMANOS.

  11. oldayr salgueiro

    20 de Maio de 2011 as 15:23

    Mais vcs ai do Governos , Presidente , Deputados e partidos polico estão a pensar que viver em brasil nessa situação é facil. Esse problema dos alunos ja deveria ser selecionado como perioridade porque estão longe dos seus familiares e da sua terra natal e não podemos trabalhar no Brasil , mais ha dinheiro para viagens , casolina para carro de Estado andar no fim de semana , para pagar os Deputados , Ministros e mais luchos e regalias que autos foncionarios de Estado beneficiam sem dar lucros economia do Pais . Gente isso não é rogar nem pedir favor é um direito dos estudantes redicados nos paises estrangeiros , CUIDA DOS TEUS INTERESSES MAS NÃO ESQUECE DOS OUTROS TAMBÉM SOMOS FILHA DA TERRA .

  12. HFM Productions Lda.

    20 de Maio de 2011 as 15:32

    O nosso governo herdeu tudo de Estado Português, arongância,suberbisse, palermisse e outros tipos de coisas que não me vem na mente agora. Vocês não conseguem sustentar os vossos filhos que enviam ao estrangeiro para a conclusão dos seus estudos e na deriva vão a busca de meios para se sobriviverem ainda têm a ousadia de interver com informações parvas junto a outra organização de boa fé…. Bandos de filhos da puta, desgraçados, não fodem e não deixem os outros foderem… Pesso desculpa pelos termos utilizado, digo isso por estar nesta mesma situação e pior de tudo é que o MEC só sabe informar que os documentos estão sob análise que nunca mais acaba… e o tempo vai passando a mãe que o governo engravidou falta dias para dar a Luz… A sorte que eu tive é de me encontrar num outro país e que me autorizou a trabalhar…

    • Truqui sun Dêçu

      20 de Maio de 2011 as 18:18

      Srº. HFM:– O srº. escreveu:– « herdeu tudo de Estado Português,arongância, suberbisse, palermice e outros tipos de coisas que não me vem na mente agora ». Para seu conhecimento devo dizer o seguinte:– no tempo Colonial, todo o estudante de S.Tomé, que vinha estudar para tirar um curso na Metrópole (era assim que se dizia), recebia a Bolsa todos os meses e não passave fome. Informe-se primeiro, para não mandar «Bôcas» infelizes. Qualquer um dos antigos estudantes, poderá elucidá-lo.

      • HFM Productions Lda.

        21 de Maio de 2011 as 14:59

        Oh Sr. Truqui Sun Dêçu se eu fosse o Sr. nem se quer comentava nada a respeito disto, estamos a viver, o Sr está a referir algo que já aconteceu, fica esperto, você consegue viver a tua passada no presente? cada momento da vida é vivida somente uma vez…

      • sabuta

        23 de Maio de 2011 as 20:04

        Quantos formarão no período colonial, abra os olhos !!!!

  13. Wilder Casimiro Matzinhe

    20 de Maio de 2011 as 16:31

    Por amor de Deus, isso é uma vergonha para todos nós resolvam isso!
    Um estudante sai de S.Tomé com ânimo e vontade de estudar, e agora são abandonados pelo seu próprio governo e uma tristeza…

  14. Esperança - STP

    20 de Maio de 2011 as 17:44

    Governo pagou a bolsa muito bem! Quase todos alunos receberam a bolsa, tenho amigos e familiares que receberam a bolsa. O que acontece é que existe alunos que andam a reprovar constantemente e foram fazer o curso de X anos e já passou o prazo. Não há dinheiro que aquente sustentar as pessoas que não querem estudae. E digo mais, não vale esses alunos esperar pela governo, porque o governo está preocupados com quem está a estudar e acredito que esta carta só vem de 1 a maximo 5 alunos que querem viver no Brasil em vez de estudar e terminar o curso.
    Vamos ser sincero meus amigos!
    Essa é a verdade.

    • Vigario

      20 de Maio de 2011 as 18:04

      Essa senhora deve ser uma dessas pessoas que recebeu bolsa porque eu tou no ultimo ano de engenharia, vim pra ca porque o governo me enviou pra ca em agosto de 2006, e no entanto tenho a bolsa de desde o mes de setembro ate a presente data em atraso,… STP esta tao mal que mesmo os loucos andam a solta e falando besteiras… passe o exagero.

      Não podemos nos convencer de que estejas falando isso de má fé, prefirimos pensar que não estejas na plenitude de suas faculdades mentais.

      Que Deus te abençoe e te alivia logo desse mal

    • Aua ue

      20 de Maio de 2011 as 18:21

      Quem te pagou pra escrevr isso? Se ainda na semana passada o ministro estava em portugal e confirmou que n ha dinheiro pra pagar as bolsas? Má fé…por pessoas como tu é que a terra esta como esta
      . alunos de todos paises vamos nos unir e gritar kidale pra esses governantes que andam a bricar conosco

    • Em USA

      20 de Maio de 2011 as 19:21

      VC é um inocente, não sabe o que diz, um daqueles invejoso filho de um dos governantes…eu não sou estudante mas esta situação me comove, alias deverias fazer um comentario mais solidario pq jamais estes alunos iriam brincar com coisa seria, são dessas pessoas igual a ti que STP não avança, oportunista do raio…

    • SOS Igualidade

      20 de Maio de 2011 as 23:54

      Em que dados a Sra Esperança baseou para escrever isso?! A Sra. deve fazer parte do sistema e neste caso os seus estão bem servidos..! Será que eles é que estão a mentir? O Governo que venha a público explicar e provar que foi enviado o dinheiro para esses estudantes! A Sra. ao escrever isso, depreende-se que uns recebem e outros não o que torna o assunto muito mais grave. Não esqueça que de qualquer forma eles são Santomenses e foram para estudar dentro do acordo existente entre os dois países. Enviem passagem para que possam regressar e quem quiser ficar que fique pela sua conta e risco. Só assim, o governo poderá justificar esse abandono…já não basta falar, este governo que venha provar a todos que foi enviado o dinheiro. Fui…

    • Eu mesma

      21 de Maio de 2011 as 0:04

      Verdade,
      Gostaria de saber em qual estado estão vivendo esses estudantes aque no Brasil,pois moro em Brasília e conheço varios estudandes santomenses na UNB (UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA)e nunca ouvi relados em 3 anos de estudos desta forma como é apresentado nessa carta…O senhor 1°ministro tem é que pedir a esses estudantes o tempo e a formação que se encontram nos cursos que vieram estudar no nosso pais que é um dos mais rigorosos.
      E concordo com o senhor ESPERANÇA,quando diz que vieram viver e não estudar,é fácil começar um curso sem um propósito para término as custa de um país com tantas dificuldades como São Tomé,tem que se fazer um levantamento de como custear esses estudantes e também cobra-los um retorno favoravel ao país.

      • Jessica Monteiro

        26 de Maio de 2011 as 2:29

        Bom dia/Boa tarde/Boa noite meu povo;

        Ao meu ver, ninguém tem o direito de julgar ser verdade ou não quando os estudantes relatam a situação do seu quotidiano no Brasil, pois trata-se de um País imenso e diverso, por isso, a realidade de cada região é diferente (Ex.: Há estados do Brasil em que os estudantes freqüentam cursos em Universidades privadas, onde não é oferecido apoio algum aos estudantes, e outros, estudam em Universidades Federais, onde os estudantes as vezes têm acesso a moradia, alimentação, e até ajudas de custo). Nem todos os estudantes recebem a bolsa Promisaes, nem todos recebem bolsa emergencial, etc…Por isso acredito sim que alguns estejam passando maus bocados, e se, se trata ou não de estudantes repetentes, não vem ao caso, pois o que importa agora é a busca de resolução do problema que não é pequeno. Sou estudante Sãotomense, e também estudo em Brasília na UnB, já passei por muitas dificuldades e venci os meus obstáculos,mas isso não me dá o direito de vir aqui duvidar dos problemas dos outros. Se “Eu mesma” não passa ou nunca “ouviu” relatos desse tipo, não significa que o problema não exista!!! Então sugiro, antes de deixar comentários que não transmita apoio moral aos seus colegas, não diga nada! Vamos pensar no coletivo e não no individuo, pois seria um exercício útil no crescimento das nossas lindas Ilhas.

        Bem haja a todos

    • António Veiga Costa

      21 de Maio de 2011 as 2:51

      Os seus já se safaram, o resto é que se dane.
      Mais uma vez o viés mesquinho e egoísta do santomense falando!
      A política do “eu sozinho”.

    • sabuta

      23 de Maio de 2011 as 20:12

      concordo consigo é isto mesmo que esta acontecer e não é só no Brasil, em Portugal acontece, com os senhores que estão de junta Medica e que nunca ficam melhor há quem esta a 15 anos de junta de saúde e que reclama assistência( Excepção aos emodializados que por desgraça têm que ficar em Portugal o resto da vida)

  15. budu d'awa

    20 de Maio de 2011 as 18:39

    Sra. Esperança, acho que a informação que obtiveste seja dos filhos daqueles senhores q se acham “donos” de STP, no quais recebem o dinheiro frequentimente. Não tenha sentido na pele o que é atraso da bolsa.
    Eu no teu lugar tentaria pesquisar melhor essa informação.

  16. Edson Francês

    20 de Maio de 2011 as 18:47

    Quero deixar aqui o meu grito de revolta face a essa situação lamentàvel em que vivem os nossos irmãos! Jà não hà pachorra para tanta ma fé e falta de consideração dos nossos pseudo-governantes! Mas estes senhores acham que estão a fazer bem? E os pais dos meninos o que jà fizeram para reverter esta situação vergonhosa???

  17. banana prata

    20 de Maio de 2011 as 19:52

    Somente em STP q se observa algo desse gênero. Por favor seu dirigentes e membros de governo tomam vergonha na cara e resolvam o problema dos estudantes.
    só deus sabe como esses estudantes se viram para estudar. Porque estudar com fome ninguém mereci isso.
    d’jabo claga nancê tudaxi cu ça goveno cu ca léga iné dotolo non da manhã ba féno.
    deçu te wê ca bê.

  18. banana prata

    20 de Maio de 2011 as 19:54

    d’jabo claga nancê tudaxi cu ça goveno cu ca léga iné dotolo non da manhã passa fome ba féno.
    deçu te wê ca bê.

  19. pereira200@hotmail.live

    20 de Maio de 2011 as 19:55

    manda dinheiro entao pra irmos pra saotomé…la sim podemos passar dificuldade..nos nao somos animal

  20. tera sabi

    20 de Maio de 2011 as 19:56

    Realmente isto que a esperança acabou de nós alvitrar é a mais pura verdade, mais também com bolseiro de STP em país estrangeiro sinto preocupado com esta situação é de facto que também passou por este constrangimentos que a vez considero como absurdo total e falta da boa administração deste sector.
    Vendo vossa carta e por estar consciente de que estudar em países estrangeiro não é nada fácil eu peço-vos para estarem unidos, porque só assim vão de facto conseguir resolver este problema que afecta todos nós, mais por outro lado quero também fazer um apelo a todos os universitários bolseiros de STP, para quando encontrarem estudantes que estão fora do circuito universitário mais a receberem bolsa de estudo que denunciem, por que as vezes são estes estudantes causadores desse transtorno que andamos a viver.
    Já agora quero também criticar a trabalho do Ministério EDSTP, mais concretamente o sector de bolsa, que nada tem feito para entra em contacto com os estudante fora do país, e lamentável ver a forma como eles colaboradores estão trabalhar, num universo onde a tecnologia esta super avançada não temos um e único contacto si quer dos mesmo, mais o sector tem contacto de todos os estudante que estão fora porque todos anos os estudante enviam a suas declaração para o ministérios, no sentido de renovar a bolsa, mais o ministério nunca si quer deu um feedback a universidade tem tão pouco aos estudantes. Isto realmente eu chamo de falta de competência absoluta de quem lá trabalha.
    Fico agora por aqui, esperando que realmente vocês ai tenham imensa força para realmente conseguirem atingir os vossos objectivos que é muito importante para a mudança e desenvolvimento do país.

    • Conhecedor das Verdades

      21 de Maio de 2011 as 15:21

      Sr Tera Sabi

      No que se conserne a denúncia dos estudantes que nem se quer estudam e têm estado a receber bolsa, disse para que possamos denunciar os mesmos, eu não concordo consigo, digo-lhe porquê, eu pessoalmente não sou bolseiro, estudo por conta própria e conheço muitos colegas meus que nem se quer estão na faculdade por razões diversas e que andam a receber aquela ajuda de custo que vem do governo Santomense, o Sr acha que vou denunciá-os? Nunca irei cometer essa loucura… Cabe ao sector de bolsa ter mais rigor e controlo nos seus trabalhos de modo a saberem o que realmente andam a fazer… De certeza há pessoas dessas que andam a receber aquela ajuda de custo e que foram metido neste processo por própria pessoas de comissão de bolsa… Fazem isso nos seus benefícios próprios… Não procure que eu venha falar…

  21. reflitam

    21 de Maio de 2011 as 0:17

    o ministro de educaçao k foi padre deveria ter um pouco de piedade desses podres coitados estudantes e começar a repensar numa forma de ajudar…cmo é k alguem com tamanha responsabilidade consegue colocar cabeça na almofada e dormir sem pensar numa soluçao que ajude esses pobres coitados, filhos da terra…ai k tristezaa

  22. vagi blogogô

    21 de Maio de 2011 as 11:01

    Espero que senhor da tutela que dizem foi homem de casa de deus se pronicie sobre o caso, porque isso é muito gráve para um governo que parecia dar prova da boa governação.

  23. mariana salvaterra

    21 de Maio de 2011 as 19:36

    Pois mais incrével que pareca nenhum governo do salvo os arabes ricos em petróleos.. podem pagar a bolsa gratuitamente para todos estudantes de S. Tomé e principe com trinta anos ou mais já deviamos saber como os outros paises mais desenvolvidos do que o nosso. resoveram esse assunto.Aqui na escandinávia todo filho de zé ninguém como eu pode estudar no estrangeiro desde que tenhas nota a altura,como Um departamento estatal chamemos-lhe de “blaga” se encarrega a emprestar dinheiro ao estudante dinheiro esse que quando o estudante finalizar ele vai reembolsando uma quantia até aos sessenta anos. esta pode ser uma saída a esta aflicao dolorosa mt. podem até enlouquecer acho que o governo deve resolver este urgente falando com o governo Brasileiro pedindo um moratória..para pagar mais tarde,mas nove meses é realmente inconcíbel o nome e a reputacao da nacao ter os seus cidadaos,nesta situacao. Que os pais manisfestem pedem o regresso imediato do que aquela situacao horrivel, que Deus nos acuda.

  24. Isidoro Porto

    22 de Maio de 2011 as 22:36

    Água Sampaio, Praia das Conchas, Plancas 1ª
    terão água potável canalizada e chafariz

    O Parvo 19-05-2011 Foi lançada esta quarta-feira, 18 de Maio, pelo Projecto de Adaptação às Mudanças Climáticas a primeira pedra para a construção de três chafarizes e lavandarias nas comunidades de Água Sampaio, Praia das Conchas, Plancas Primeira, Secunda e Plancas Praia e canalização de água potável nas cinco comunidades. As obras estão avaliadas em cerca de 186 MIL DOLARES, repartido entre o PNUD e o Governo.
    As localidades citadas têm uma enorme necessidade de água canalizada e tratada. Em Plancas 1ª e 2ª nunca existiu uma canalização de água potável na comunidade. A população utiliza uma água em péssimas condições para o consumo quando chove e nas épocas secas, não tem acesso a este líquido precioso. Dentro de três meses estas situações poderão estar minimizadas, através de uma das componentes do Projecto de Adaptação a Mudanças Climáticas, direccionada para o Distrito de Lobata.
    A primeira pedra para a construção de lavandarias, chafarizes e canalização de água potável nestas cinco comunidades foi assim lançada esta quarta-feira. “Nós sabemos que nestas comunidades a água é escassa e mal distribuída. E com este projecto nestas componentes nós vamos melhorar estas condições infra-estruturais, na maioria dos casos reabilitação total, sendo quatro comunidades, e Plancas Praia construção na totalidade”, disse Carlos Vila Nova, Ministro das Infra-estruturas.
    Um projecto que começa da capitação, deposito, distribuição e construção de lavandarias e chafarizes que contribuirá para a melhoria das condições de vida da população. O projecto será executado por cinco empresas, nomeadamente Minel Limitada, Alisei, SMC-Service, Ecomóvel e Sotec, através do financiamento do PND e do Governo.
    Segundo Arlindo Carvalho, “foi entregue cada obra a uma empresa com vista a responsabiliza-las mais e que possam cumprir com o prazo estabelecido e qualidade. Outra questão que nós gostaríamos de pedir as empresas é que tentassem inserir a própria população nos pequenos trabalhos que podem fazer, como forma de ajuda-los e responsabiliza-los mais na preservação delas. Decidimos escolher as comunidades devido a problema climático e a aridez que existe. E a água é o fundamental para que possa haver uma sustentabilidade nestas zonas e estamos a cumprir com uma das componentes fundamentais”.
    Esta é uma primeira fase. A segunda será a canalização de água para irrigação tendo em conta que grande parte destas comunidades são agrícolas. O Projecto agradou a população das localidades beneficiadas, tendo em conta que, em algumas delas nunca tiveram água a correr num tubo canalizado na comunidade, como no caso de Plancas Praia. “Desde de que vim para esta roça nunca assisti canalização de água. Por isso, agradeço a todos, porque a água que utilizamos aqui é bastante suja”, disse Diogo Lazaro, representante da comunidade de Plancas Praia.
    “É para nós da Câmara, assim como para a população de Água Sampaio um grande motivo de satisfação e gostaríamos que a população tivesse em conta o esforço feito para terem água e as infra-estruturas que serão construídas aqui e preservassem-nas”, declarou Hermenegildo Santos, presidente da Câmara Distrital de Lobata.
    Quanto as empresas encarregues pelas obras, o Presidente da Câmara Distrital aconselhou ao cumprimento do prazo estabelecido e pela melhor qualidade das obras.
    Euclydes Amadeu

    Artigo retirado do Jornal Digital “O PARVO” DE 19/05/11.

    Achei este artigo bastante interessante pelo baixo valor monetario do projecto versus alto, enorme impacto humanitario e social e quica economico – valas para rega de campos agriculas. Este artigo tambem e didactico pois esclarece aos nossos dirigentes que nao precisamos de milhoes de dolares para fazer boas obras. Desculpem-me, pois acho que o TELA NON nao deve fechar os olhos a este assunto.

    Isidoro Porto
    22/Maio/2011

  25. Kuá ê dá ê dá

    23 de Maio de 2011 as 10:26

    Realmento é muita pena ver os nossos irmãos jovens a sofrer desse jeito. Mas enfim…. é o país e dirogentes que temos, fazer oquê……..

  26. nat

    23 de Maio de 2011 as 11:53

    Infelizmente o que se percebe e um desleixo total do governo o governo santomence esta uma banadalia ha alunos que estao à un ano e meio fora do seu pais sem receber una bolça a passar fome olha que nao é so brasil.temos que ir pstp tirar todos os imcopetenetes no governo se nao nao vamos caminhar jamais. eu espero que essa nosso governo mude.

  27. RosaPink

    24 de Maio de 2011 as 11:24

    Isso realmente é muito triste …eu também estudei no Brasil e passei por situações tão constrangedoras que nem mencionaria cá, mas pronto fui forte e hoje assim como eu muitos conseguiram e estão em STP batalhando para ser reconhecida por todo esse esforço. Mas nisso tudo algo me deixa triste com o novo GOVERNO, quando fomos a Urna votar no ADI pensamos que tudo mas tudo mesmo ia melhorar mas infelizmente parece que está na mesma! Pior não é deverem aos alunos 9 meses de bolsas mas sim nunca pagar esses atrasados e mandar somente 3 meses ou 6 meses o resto não sabemos para onde vai, e ainda quando chegas cá tens que brigar por esses atrasos.E assim os alunos continuam mergulhados em dívidas que nunca acaba.
    Espero que alguém do governo principalmente ministro da educação e que tomem vergonha na cara e acabem com isso, caso contrario ADI será comparado há muitos outros partidos que passaram por ai que o povo hoje já nem quem ver!!! FAÇAM ALGO E ACABEM LOGO COM ISSO!

  28. BMW

    25 de Maio de 2011 as 0:06

    é lamentavel a situação dos estudantes bolseiros e não só no Brasil.Há alunos em Portugal que deixaram de receber a bolsa,sem saberem porquê,a embaixada não sabe infromar exactamente o que se passa.São estudantes em Cuba que recebem as bolsas sempre atrasados.enfim,só pai do alto.

  29. mimi

    14 de Julho de 2011 as 22:33

    até quando os nossos dirigentes deixarão da corrupçao e fazer aquilo que na verdade é importante para nosso país?
    depois reclamao que os guadros formados não vem pra dar apoio para o desenvolvimento do país. como diz o ditado “quem dá espera receber algo em troca” agora pergunto se os bolseiros não recebem apoio como terão animo para ajudar o país a sair do boraco? depois de tanto sofrimento e formados será que voltao ao país;?POR FAVOR ABREM AS PORTAS ……………………

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo