Crianças do Município de Lagos de Portugal proporcionam um 1º de Junho diferente as crianças carenciada da Ilha do Príncipe

Mais de duzentas caixas com brinquedos, roupas e calçados, ofertados pelos alunos e professores do agrupamento vertical da escola de Lagos, foram distribuídos as crianças carenciadas da ilha do Principe.

A iniciativa pertence ao cidadão João Paulo Cassandra que durante uma visitita a Portugal conseguiu convencer alguns amigos, daquele Município Português, no sentido de ajudarem as crianças mais carentes duma região onde o índice de pobreza ainda é assustador.

A ideia foi prontamente aceite, e os alunos e professores do agrupamento do Município de Lagos, recolheram ajudas e “Grupo Corlett”, transportou para o Príncipe.

Nesta primeira fase mais de mil crianças foram beneficiadas com as ajudas colectados em Portugal. João Paulo Cassandra, que também exerce o cargo de presidente da Assembleia Legislativa do Principe, acredita que mais ajudas poderão acontecer.

“Percorremos a ilha toda para entregar os os brinquedos, e foi visível a alegria estampada nos rostos dos pequeninos. ” Afirmou João Paulo Cassandra.

Na comunidade de S. Joaquim, interior da ilha do Principe, uma das muitas comunidades visitadas pela caravana solidária a satisfação das pessoas era clara. Para Ilídio Cruz, responsável da Comunidade de S. Joaquim “ esta ajuda não podia chegar na melhor altura, com o 1º de Junho a porta, para nós os pais e encarregados de educação foi um grande alívio. Por isso, agradecemos aos nossos amigos de Portugal” .Manifestou esse Encarregado de Educação.

Dos cerca de dezasseis jardins e creches existentes no Principe, apenas, dois encontram-se apetrechos com materiais para as crianças brincarem. Uma situação que despertou a atenção do mentor da iniciativa. “Enquanto alguém que se preocupa com o futuro deste país, sempre que poder, junto aos meios amigos procurarei desenvolver acções desta natureza. Neste sentido, quero devolver todo o mérito deste gesto de solidariedade aos verdadeiros protagonistas desta acção; que são as crianças do agrupamento vertical da escola de Lagos em Portugal”. Disse Cassandra.

Com tal gesto de solidariedade as crianças da ilha do Principe passam vão ter um 1º de Junho diferente proporcionado pelos meninos do Município de Lagos de Portugal.

Teobaldo Cabral

  1. img
    a bem do desporto Responder

    Que estas ajudas sejam em prol do desenvolvimento Regional.. A q se ter em conta o alto nivel de pobreza que emana na ilha mas isso tem a ver com o froco nivel de desemprego..Po meu carro Jp faça sempre isso q você como pai seram uma mas valia e sei bem que sabes o que é isto um bem haja continui assim com estas iniciativas….

  2. img
    Núcleo Duro do Príncipe. Responder

    Se não fosse o boicote governativo que os sucessivos governos centrais têm feito ao Príncipe, garanto-vos que nós dávamos uma grande lição de governação aos políticos corruptos da ilha ST. Vejam só caso da instalação de cabo de fibra óptica em que, Rafael Branco e Patrice Trovoada por má fé excluíram a ilha Príncipe, só para travar o desenvolvimento galopante em relação ao centro da corrupção (ST).
    Esse Patrice nunca me enganou………

  3. img
    Gigolo Responder

    Com tal gesto de solidariedade as crianças da ilha do Principe passam vão ter um 1º de Junho diferente proporcionado pelos meninos do Município de Lagos de Portugal.

    Teobaldo Cabral

    Caro Teobaldo Cabral, fico feliz pelo gesto das crianças portuguesas mas lamento e indigno-me com o último paragrafo do seu texto o acima mensionado. Porque infelizmente os politicos e politiqueiros transformaram o dia 1 de Junho num a festa onde os pais são capazes de nada darem aos filhos durante o ano guardando tudo para o 1º de Junho. Penso k um dia Junho é todos os dias as nossas atenções têm k estar virada as crianças 365 dias.
    Se notar bem em Portugal o 1ª de Junho não é comemorado da mesma forma k em STP.
    Pensemos e cuidemos das crianças pois elas são o futuro de amanhã. K todos os dias seja 1º de Junho.

    • img
      Adolfo Trindade Responder

      Concordo e subscrevo senhor Gigolo

      Estes jornalistas têm que aprofundar os seus conhecimentos na arte de informar e fazer um jornalismo cívico competente.
      O dia 1 de Junho não é um dia para as crianças passarem de forma diferente pelo facto de uns caciques políticos arrajarem-nas uns sapatos e aproveitarem-se deste dia para transformar as crianças em negócios dos seus propósitos políticos. Isto tem que acabar. Pelo facto de oferecer as crianças uns pares de sapatos é preciso fazer tanta publicidade política desta acto associando este facto às melhorias significativas na comemoração do dia 1 de Junho pelas crianças? Onde chegámos, sinceramente. Deus salve as nossas crianças. Estes senhores vivem bem e tentam explorar em negócios políticos as misérias das nossas crianças. Hão-de pagar por isso. Deus é pai. E ainda por cima gozam dizendo que esta ajuda não poderia chegar na melhor altura porque é o dia 1 de Junho. Sinceramente. Deus é pai.
      O senhor Teobaldo deveria saber distinguir informação de propaganda política ou humilhação das nossas crianças.
      Adolfo Trindade

  4. img
    João Paulo Preguiçoso Responder

    Se repararem bem no homem de camisa vermelha que aprece na fotó é caso para dizer-se está tudo loco no Príncipe.

    Aquele senhor João Paulo Cassandra actual Presidente de Assembleia Regional, é exemplo da preguiça que reina na ilha Príncipe, este é um autêntico preguiçoso.
    Será este homem um exemplo para alguma criança seguir?! Se não porque aparece num acto tão nobre como esse…

  5. img
    Teobaldo Cabral Responder

    “No exercício da verdade não se deve colocar algemas nas palavras”

    De Autoria de Carlos Cardoso.

    Obrigado pelas criticas.

    T.Cabral

    • img
      Carvalho Responder

      “Nem sempre a nossa verdade é a verdade do povo”

      Autoria: anónimo

      Fui

      Carvalho

  6. img
    Páscoa de Carvalho Lima Responder

    Fiquei muita satisfeita com está atitude.DEUS VOS ABENÇOA por esta ajuda

  7. img
    Taa-Sossegado Responder

    “a verdade é só uma; venha ela de onde vier”

    Auroria: Pe Fabiano

    • img
      Miguel Responder

      Faz-me rir esta coisa da verdade ser só uma. É assim que o país caiu na desgraça no tempo do partido único em que muitos filhos do Príncipe padeceram. Nesta altura “a verdade era só única” como o senhor diz, vinha ela donde vinha. Apetece-me rir.
      Só em em S.T.P é que estas coisas acontecem, ou melhor, só na ilha do Príncipe com estes pobres jornalistas.
      Fui
      Miguel

Deixe um comentario

*