1 de Junho celebrado em todo o país – Fradique despede-se das crianças

Fradique de Menezes fez hoje uma maratona para festejar com as crianças dos distritos de Água Grande, Lobata e Lembá, o último 1º de Junho na qualidade de Presidente da República. As crianças da (na) rua, no centro do lema deste ano, marcaram uma mensagem especial de Menezes às crianças de todo o país, transmitida na íntegra ontem pela TVS e pela Rádio Nacional.

O Presidente da República chamou a atenção do governo, de toda a sociedade civil, igrejas, ONG’s,  associações comunitárias e câmaras distritais  e apelou a parcerias para a eficácia do que descreveu como batalha contínua para a dignificação e protecção dos direitos das crianças, principalmente as crianças de rua.

«Este fenómeno das crianças de Rua começou de forma tímida no nosso país, mas apesar do esforço das ONGS de várias instituições nacionais o número de crianças na rua tende a crescer com consequências desagradáveis a nível da regulamentação da sociedade e das famílias sem qualquer dúvida uma das consequências da inconsequência das nossas políticas de apoio social às famílias frágeis, as mães solteiras, as meninas que engravidam precocemente, enfim a vocês todas as crianças. E isto apesar de todos os esforços que fizemos enquanto como nação em prol das crianças».

O chefe do Estado são-tomense lamentou que muitos dos problemas que afligem as crianças em São Tomé e Príncipe não tenham sido ainda resolvidos ou mitigados. Fradique de Menezes considerou ainda que o quadro actual não potencia uma solução rápida e pareceu emocionado quando se referiu às crianças que, em diversos pontos do país, o tratam ‘apenas por Fradique’.

Hoje,  em Água Grande, o chefe do Estado deslocou-se primeiro à escola de Bobô Forro, da qual é padrinho, tendo estado depois na Escola 1º de Junho, na Chácara e percorrido escolas primárias e secundárias nos distritos de Lobata e Lembá.

O Primeiro-ministro, Patrice Trovoada, festejou a data na Região Autónoma do Príncipe, acompanhado da Ministra dos Assuntos Sociais, Ângela Pinheiro. O Ministro da Educação, Olinto Daio, percorreu diversas escolas, incluindo a Primária da Fundação Popular. Os festejos abrandaram o ritmo da capital, com o centro praticamente vazio no período da tarde e muitos estabelecimentos comerciais encerrados.

Na Escola da Fundação Popular

Raquel Silva, a directora da Escola Primária da Fundação Popular, está de parabéns. Todos os seus colegas terão tentado caprichar. Raquel conseguiu. O quintal da escola, sombreado por um caroceiro gigante, esteve engalanado com fitas multicores oferecidas pelo Centro de Corte e Costura Josina Machel. À entrada, Filipe, aluno da 4ª classe e companheiros, conduziam os padrinhos da escola e os convidados aos respectivos lugares. Estavam todos muitos compenetrados do seu papel e orgulhosos do crachá de cartolina que exibiam ao peito com a palavra ‘protocolo’.

O programa de actividades foi rico em imaginação, embora com escassos recursos. Os meninos da rua foram lembrados em mensagens lidas em Português, Lungu’ ie, Forro, Angolar, Cabo-verdiano, Francês e Inglês, numa celebração da diversidade que faz a nação são-tomense e em respeito para com os esperados visitantes estrangeiros.

Cartazes falavam do direito ao amor, à atenção,ao carinho, à alegria. Do respeito para com os pais e os professores. Do direito a um nome e a uma família.

Houve danças e música, dramatização, leitura de contos exemplares, desfiles. Ússua e samba e música pop. Num dos números, as meninas envergavam saias de folhas de fruteira. Os meninos equilibravam na cabeça chapéus de feltro e tinham pequenas bolas de fruta-pão pendentes do pescoço. O samba levou à festa um cheirinho do Brasil.

‘Sózinho não és nada. Juntos seremos todos uma família’, disse um dos pequenos actores dirigindo-se a um suposto menino da rua.

‘ Sem as crianças, o mundo seria um deserto, sem sorrisos, sem alegria e sem futuro’, disse a directora, Raquel Silva na sua mensagem, lida entre um incessante vai-vém.

Houve uma exposição com livros infantis, desenhos, brinquedos singelos feitos pelas crianças. No centro, uma pequena bandeira nacional. Via-se que fora feita pelos próprios alunos.

Olinto Daio, o ministro da Educação, fez uma breve paragem, confraternizou um pouco com professores, alunos, encarregados de educação e padrinhos e continuou a percorrer escolas.

Ao fim do dia, Raquel Silva estava visivelmente cansada, mas feliz.

Felício Mendes em força

Cumprindo a tradição, a Rádio Nacional fez uma extensa cobertura dos festejos, com ligações directas, durante toda a manhã, a escolas dos diversos distritos. A programação musical foi ajustada à data. O reportório de Felício Mendes, provavelmente o artista musical que mais compôs e cantou para as crianças em São Tomé e Príncipe, entrou em força. Também temas cantados pelos seus ‘filhos’ e discípulos, Kalú e Zézito e os Canucos da Ilha Verde. As músicas de Felício são regularmente transmitidas pela Rádio Nacional. Mas é particularmente no dia 1 de Junho que o artista, hoje residente em França, regressa em força ao convívio dos rádio-ouvintes. Mesmo estando longe dos seus meninos de ontem e de hoje.

São de Deus Lima

  1. img
    J. Maria Cardoso Responder

    Que cada 1 de Junho as crianças não só festejem o mais esperado dia, mas tb os nossos políticos têm a oportunidade de sentir na consciência a esperança dos pequenos num dia melhor.
    Feliz dia as crianças de STP e do mundo.

  2. img
    garrido Responder

    desejo muitas felicidades a todas as crianças de sao tome e pricipe,

  3. img
    E.Santos Responder

    As crianças têm direito a um São Tomé e Príncipe melhor…As crianças têm direito que se lhes deixe crescer na paz e tranquilidade…
    Quando era criança ouvia os adultos dizerem, “as crianças de hoje são os homens de amanhã”, são o futuro deste país.
    Garantiram-me uma infância feliz mas hoje cresci e o que vejo são as crianças de ontem que se transformaram em corruptos de hoje, a formar crianças que serão os desgraçados de amanhã.
    É uma vergonha termos andado como carranguejo, trinta anos depois da independência. E mesmo assim os responsáveis por este cenário inistem em querer continuar a ser dirigentes. O São-tomense é mesmo mau e desgraçado. Verdade seja dita, nem querem saber de criança para nada. Se meninas, já nem lhes dão tempo para curtir a adolescência, passam logo de anjo de Deus para mulher banalizada com 14 anos. Porque os senhores rápidamente se põe atrás delas, nem que para isso tenham de ir fazer pedido a coitados de pais pobres. Que os próprios empobreceram e tiraram a dignidade.
    É este o retrato do país, que temos de pôr cobro.
    As crianças têm direito a uma sociedade dignificante, que se resgate os valores morais da sociedade.
    Que o futuro destas crianças seja melhor do que o presente e do que o futuro que lhes querem dar, é o meu maior desejo neste dia 1.º de Junho.

    • img
      Celsio Junqueira Responder

      Bdia Carissimo,

      Começo a temer os seus comentários pela falta de esperança e positivismo implicito.

      Não podemos confundir algumas arvores com a floresta. E mais, STP não são só os “politicos”, existem mais instituições desde ONGs até as internacionais que operam no arquipelago e têm uma palavra a dizer.

      Concordo com tudo o que o meu caro amigo diagnostica, mas quero que seja mais positivo e optimista. Temos esse dever para com o país e sobretudo com as crianças. Apresentar um caminho alternativo e dizer claramente, não é justo confudirem a parte com o todo.

      Abraços,

  4. img
    Micondo Responder

    Adeus “Furacão”,

    Não se esqueça de levar o MDFM. A nossa Santa Tomé não merecia isto

  5. img
    E.Santos Responder

    Não sei quem postou isto no youtube, mas foi bom recordar os velhos tempos.

    Triste foi perceber que o futuro melhor nunca chegou. Isto sim, é uma pena….

    Não quero fazer chorar ninguém…mas deliciem-se com Calu Mendes neste dia 1 de Junho.

    http://www.youtube.com/watch?v=NfQBTdRIB-Q&NR=1

  6. img
    MELHORES DIAS VIRAO Responder

    Que bela reportagem!Fico feliz em saber que 1 de junho passou muito bém nas nossas ilhas.Fico também surpreso em ver que Sao Lima agora juntamente com Abél Viega trabalham para Tela Nom,os meus parabéns!ÉS UMA GRANDA PROFISSIONAL,GOSTEI DA REPORTAGEM!!!

  7. img
    Fardo Responder

    Viva criancas de STP!!!

  8. img
    mé pombo Responder

    parabens a voces crianças de stp e do mundo inteiro,tenho muitas saudades dos festejos desse dia de quando erra criaça, em ouvir essas musicas passarem na radio nacional, agora que estou longe de nossa terra, por estar seguindo meus estudos fora de stp, da até vontade de chorar, gostaria de voltar a ser novamente criança…parabens, parabens,parabens a voces todos.

  9. img
    Abel Martins Responder

    Foi com muita tristeza que 1 de Junho foi celebrado a nivel nacional. Ano passado o governo de entao deu uma tolerancia de ponto para todos os pais e encaregados de educacao a fim de acompanharem-se os seus educando ou filhos para escola e festejar com as crianca este dia.Mas infelizmentenao percebo como que este ano o governo nem se quer dar satisfacao aos pais, digo-vos que isto e’ muito mal.No meu caso fui sancionado pelo meu patrao hoje quando eu cheguei no trabalho so por ter acompanhado meu filho para escola enquanto a minha esposa foi com minha filha pra outra escola. Eu acho que o meu patrao tem toda razao por culpa do estado mas um dia Deus ira julgar a todo mundo por esta injustica.

Deixe um comentario

*