Vigilância electrónica para proteger a floresta da Bacia do Congo

A floresta da Bacia do Congo, zona a que São Tomé e Príncipe faz parte, é um dos principais pulmões do mundo, junto com a floresta da Amazónia na América Latina. O Instituto Francês de Investigação para o Desenvolvimento, em parceria com outras instituições vai instalar tecnologia de ponta para vigiar a floresta no Gabão.

O Instituto Francês de Investigação para o Desenvolvimento, está a trabalhar em parceria com o Instituto de Investigação Espacial do Brasil e o governo gabonês para instalação no Gabão de uma estação de tratamento de imagens por satélite.

O dispositivo a ser instalado no mês de Agosto próximo, está avaliado em 9 milhões de euros, e vai permitir fiscalizar a floresta da África Central. Um processo que vai permitir a recolha de dados meteorológicos de uma qualidade excepcional, segundo o Presidente do Instituto Francês de Investigação para o Desenvolvimento, Michel Laurent.

Segundo o projecto através do sistema de vigilância da floresta Tropical da Bacia do Congo, poder-se-á prever em função do nível de humidade a emergência deste ou daquele vírus, ou ainda preparar planos de acção contra a seca. Para além do Instituto francês o banco mundial e o BAD financiam o projecto.

Através da instalação das infra-estruturas de vigilância por via de satélites, o instituto francês diz que pretende ajudar os países africanos a ter mãos sobre o seu património.

Abel Veiga/Fonte -Agência France Press

  1. img
    Digno de Respeito Responder

    O mundo está em transformação constante e perante a “Aldeia Global” o projecto agora referido nesta notícia vem efectivamante reforçar a ideia de que embora o conceito de suberania a questão das fronteiras é quase inexistente.

    A Vigilância electrónica para proteger a floresta da Bacia do Congo, simplesmente ajudar na protecção do ecossistema e promoverá o desenvolvimento local e regional.

  2. img
    Nando Vaz (Roça Agostinho Neto) Responder

    Gostaria de agradecer o Instituto Francês de Investigação para o Desenvolvimento,pela salvação do ecossistema, visto que a África é um continente do futura!..

  3. img
    Manuel Fernandes Responder

    Esta vigilância terá como objectivo fundamental, proteger as empresas estrangeiras, fundamentalmente as francesas e chinesas, que tem vindo a delapidar toda a madeira na grande floresta de Africa Central. Os técnicos responsáveis das florestas dos países da África Central, são ameaçado pelos Administradores destas empresas, que em coluio com os membros do Governo dos referidos países, deixam que toda a riqueza florestal seja roubada a troco das comissões quue recebem.
    s nove milhões que a França diz que irá investir na segurança elecgtrónica, será para defender a exploração irracional e contra a vontade das comunidades das localidades onde estas florestas estão localizadas.

  4. img
    Lúdico Responder

    Boa notícia!
    A aplicação, das informações que irão ser geradas, acredito que serão mais do interesse dos países promotores que para o Gabão! Pois, em termos de legislação, fiscalização e operacionalização não resta dúvida que Gabão enfrenta muitos desafios! Também o Brasil tem uma dor de cabeça enorme com a floresta amazônica, porque além do corte ilegal, do desmatamento, da grilagem soma-se o narcotráfico! Porém, o INPE com os seus grupos de trabalho e projectos de investigação tem contribuído para a monitorização da área florestal brasileira!

    Teríamos cá em STP também um bom controlo da nossa floresta, mesmo sem tecnologia de ponta, se existissem boa vontade política e amor ao nosso mar verde!

  5. img
    Santola in New York City Responder

    Boas a todos,esta vigilancia electronica a resultar com o proposito para o k esta distinado e um bom investimento para todos da Bacia do Congo,pois nos somos abencoados por fazer parte desta riqueza natural do qual muitos Paises nao podem usufruir…mas tambem a k salientar k muitas empresas Chinesas,Francesas e algumas da propria regiao tenn contribuido em muito para distruiçao destas florestas(derrubaren arvores de grande porte)enfim e um pouco suspeito mas a k fazer alguma coisa para proteger as florestas em todo Mundo antes tarde do k nunca.Vivo en NEW YORK CITY muitas vezes sinto falta de apanhar um bom ar de ir a floresta ouvir cantar dos passaros…sentir a natureza.
    Bem aja a todos,Viva STP

  6. img
    Anca Responder

    Mias uma vez são os outros a pensar por nós.

    A saber mais do que nós sobre os nossos recursos.

    Ninguém da nada a ninguém,
    sem esperar retornos
    do que foi dado

    Até Quando?

    África

    Até Quando?

    Africanos

  7. img
    Anca Responder

    Uma vez implementada a vigilância electrónica, sejamos perspicaz a monitorizar e fiscalizar, a dar formação a população para a questão da preservação dos recursos,uma vez que esses países encontram-se numa fase de desenvolvimento em vão necessitar de matéria prima e recursos, para manter sustentável a sua economia.

    Exijamos a menos benefícios no acesso a essas tecnologias para preservar os nossos ecossistemas, uma vez que essas acções de graças têm um presente um bocadinho envenado.

    Que o veneno apenas nos adormeças e não nos cegue durante nosso sono e Sonhos.

    Para o bem de todos

  8. img
    Anca Responder

    Quis dizer; Mais uma vez

  9. img
    Isidoro Porto Responder

    Nem tudo que brilha é ouro. Neste caso particular, não acredito que nesta fase em que todos países (incluindo a França) enfrentam a crise financeira, a França esteja disposta a financiar 9 milhões de Euros apenas para defender a floresta da bacia do Congo, sem contra-partidas. O futuro dirá.

    1. Quem serão os gestores dos dados recolhidos pelo satélite?

    2. Onde estará instalado o NOC – Network Operational Center deste Satelite? Em França com certeza.

    3. Terão todos os países que compõem a área vigiada acesso ao nével técnico e tecnológico a todas informaçõoes recolhidas? Pessoalmente penso que não.

    O certo é que a França e uns poucos países dóceis gerirão estas informaçõoes em seus únicos proveitos.

    Esta servirá provàvelmente de suporte as expediçõoes francesas que farão estudos exaustivos das riquesas existentes no solo e subsolo desta área para depois impôr governos dóceis que lhe permitirá explorá-las indescriminadamente.

    Esta é a minha modesta opinião. Nem tudo que brilha e ouro.

    05/Mai/2011

    • img
      Virtual Responder

      Claro que irão gerir todas as informações geradas e não só! Aliás, só vejo um propósito nisso: Vigiar esta área do continente africano! Pois, a forma mais barateada de fazê-lo é vender esta conversa de monitorização da floresta! Acham mesmo que os franceses e os brasileiros estão interessados em ir ao bolso e sacar 9.000.000,00 de Euros em favor das florestas da Bacia do Congo, sem nada de valioso em troca!?

Deixe um comentario

*