Câmara de Cantagalo lança projecto de abastecimento de água potável às comunidades rurais do distrito

Dentro de 3 meses a população da roça Roça Água Izé vai ter acesso a água potável. O projecto financiado pela câmara distrital de Cantagalo em parceria com o Governo, pretende levar água potável à outras 5 comunidades agrícolas do interior de São Tomé.

Água Izé, é uma das roças que marca a história de São Tomé e Príncipe, na produção do cacau e copra. Ostenta o nome do colono português que introduziu a cultura do cacau nas ilhas de São Tomé e do Príncipe, o Barão de Água Izé. Uma grande roça com história, que poderia alimentar o turismo, mas que actualmente a semelhança de todas as grandes roças do país, está em ruínas.

As condições sociais degradaram ao ponto da população não ter acesso a água potável. Um dos afluentes do rio Abade que passa há cerca de 500 metros da sede de Água Izé, é a principal fonte de água para população da roça.

O Presidente da câmara do distrito de Cantagalo, Aleixo Pires, é também médico do distrito e reconhece que a saúde dos mais de 2 mil habitantes de Água Izé está em risco. «Quando vemos as análises colhidas em termos de água, constata-se que toda água a nível do país está contaminada. Acho que a população merece o melhor», declarou o Presidente da Câmara na cerimónia de lançamento da primeira pedra para reabilitação do sistema de adopção de água potável a comunidade de Água Izé.

Quando lançou a primeira pedra para levar água potável a população da roça, na última sexta – feira, o Presidente da câmara, realçou a importância do projecto que vai atender outras 5 comunidades agrícolas do distrito de Cantagalo, nomeadamente, Monte Belo, Caridade, Nova Olinda, Santo António, e Apolónia. «O índice da pobreza é maior nas comunidades rurais. A falta de água potável é uma das preocupações destas comunidades», acrescentou Aleixo Pires.

Para atender as necessidades básicas das populações do distrito, Aleixo Pires, procurou financiamentos na ordem de 195 mil euros. Mas só conseguiu 121 mil euros. O lançamento da primeira pedra para reabilitação do sistema de adopção de água em Água Izé, representa o ponta pé de saída para um projecto mais abrangente. O Governo representado na cerimónia pelo Ministro da Descentralização, Arlindo Ramos, prometeu tudo fazer para disponibilizar o valor complementar de 74 mil euros em falta. «Da parte do governo há toda sensibilidade para encontrar financiamentos para execução dessas obras, que aliás se enquadram no âmbito do programa do Governo, que visa garantir o abastecimento de água as populações mais carentes», garantiu o ministro.

Ainda na comunidade de Água Izé, a câmara distrital lançou a primeira pedra para construção de uma creche. «Vemos dia a dia que o número de crianças tem aumentado. Onde actualmente funciona como creche, não oferece condições», explicou o Presidente da Câmara.

Por isso a construção de raiz de um novo centro para as crianças de 0 aos 5 anos. «Nesta idade de 0 aos 5 anos é preciso que as crianças tenham uma boa educação. A educação básica é uma das valências importantes para a nossa sociedade», concluiu Aleixo Pires.

Com infra-estruturas completamente destruídas, Água Izé, o cenário da antiga empresa agrícola Água Izé, e de outras grandes roças de São Tomé e Príncipe, é igual a de uma zona que tivesse sido bombardeada.

Abel Veiga

  1. img
    João Pinto Responder

    Tudo isto só vem demostrar tipo de dirigentes politicos que temos,gente corrupta que vende-se por tudo.Não é normal que uma praia bastante conhecida no nosso país estar perante uma distruição desta natureza nos olhos de todos estes politicos doentes,era bom que esses politicos reavessem todos estes contratos(venda de pria)para grupo duvidosos,já mais…,só em nosso São Tomé e Príncipe.Meus senhores não se vende praias e um bem publico e do publico deve manter não e preciso ser politico para saber da tamanha falta de honestidade desses nossos politicos.

  2. img
    João Pedro Responder

    Estou de acordo consigo sr João Pinto,basta ver na cara desses politicos par ver tipo de gente são.Politicos ficaram mendigos por tudo.Soube que a praia foram vendido ou alugada para grupo gibela só pelo valor de investimento ja era para dar que pensar assim vai s tomé.

  3. img
    Buzio sem pena Responder

    É mais facil levantar 2 milhoes e 500 mil USD, para macaquisses, e deixar o povo sem agua potavel, porque para o povo que vota, isso significa democracia, na miseria,só os palhaços é que sabem fazer e interpretar a democracia e o povo desamerda-se. fui…

  4. img
    Fuquilha Responder

    Tribunal de Contas,O favor de fazer auditoria nas contas de Cantagalo. Parece não haver mais dinheiro.
    O único distrito entregue a sua sorte.
    O presidente daquele distrito nada tem feito.
    A população pretende sair a rua e pedir a demissão do presidente distrital.

    O Governo ja deu td o montante, mas nada feito até antão.

    Uma intervenção mais rápido possível.
    O descontentamento é elevado.

  5. img
    reformista Responder

    O BONECO DE ALEXO PIRES SO FAZ ESSES MACAQUISSES A RUA DA CHAMADA CIDADE DE SANTANA ESTA PÉSSIMA ELE COM UM BANDO DE VEREADORES IMCOPETENTSES SEM ERA SEM BERA ….A NOSSA COITADO DISTRITO DE CANTAGALO NA MAO DE UM INCOPETENTE ATE ENTÃO NAO CONSEGUI DAR PROVAS DE QUE ESPERAVA POR POPULAÇÃO ………FUI

Deixe um comentario

*