Sociedade

Nigéria lançou dois satélites para garantir segurança nacional e vigilância ambiental

O país mais populoso de África, e dado como possível país emergente nos próximos tempos, lança mão nas novas tecnologias, para conquistar o progresso. Construiu e lançou dois satélites, que reforçam a segurança interna e regional, e garantem a prevenção de catástrofes naturais.

A notícia foi avançada pela Agência France Press. Num comunicado datado de 18 de Agosto, o governo nigeriano anunciou o lançamento na quarta – feira, 17 de Agosto de dois satélites, para garantir a segurança interna e regional e por outro lado, produzir informações que permitem prever situações de catástrofes naturais, nomeadamente seca e inundações.

Os dois satélites nomeadamente NigeriaSat-2 e Nigeria Sat-X, foram lançados a partir da base de Yasny na Rússia diz o comunicado do Governo Nigeriano. Os dois satélites podem ser utilizados para gestão das florestas, a cartografia, vigilância de catástrofes naturais, para fins militares e de segurança dentre outros, explica o comunicado do Governo da Nigéria.

O Presidente da Nigéria Goodluck Jonathan, felicitou a nação nigeriana pelo êxito alcançado. «Felicito a nossa nação por este novo episódio que resulta do esforço nacional, para conquistar a autonomia. Felicito os nigerianos que demonstraram competência, para tornar este processo em realidade», declarou o Chefe de Estado Nigeriano. .

O Presidente Goodluck Jonathan, explicou ainda que o satélite  Nigeria Sat X foi construído por engenheiros e cientistas nigerianos, enquanto que o satélite NigeriaSat-2 foi construído na Grã-Bretanha em parceria com a empresa britânica Surrey Satellite Technology Limited.

Por outro lado em declarações a Agência France Press,  Frank Chizea, director do projecto acrescentou que através dos dois satélites a Nigéria vai melhorar a execução da política de segurança alimentar. Através dos satélites será possível avaliar a qualidade dos solos, assim como alertar os agricultores sobre a possibilidade de haver seca, nesta ou naquela região do país.

Ainda através dos satélites, a Nigéria vai ter acesso a dados importantes que permitirão detectar outras ameaças, como acções de criminalidade, contrabandos, roubo de petróleo, de armas e outros equipamentos, tanto dentro do país, como ao longo da fronteira terrestre e marítima.

São Tomé e Príncipe, que é parceiro da Nigéria na exploração do petróleo na fronteira marítima comum, pode vir a beneficiar do avanço tecnológico do país vizinho. A zona de exploração conjunta nigeriano-saõ-tomense extenden-se por dezenas de milhares de quilómetros quadrados. Apesar do tratado assinado entre os dois países, prever a criação de uma unidade militar conjunta para fiscalizar a zona, São Tomé e Príncipe, que nem se quer tem uma fragata, não tem podido cumprir com as orientações do tratado neste capítulo.

Através dos satélites, Nigéria tem agora a possibilidade de analisar a situação da zona conjunta a pente fino.

Note-se que o primeiro satélite nigeriano foi lançado no ano 2007, com muita publicidade. Custou 257 milhões de dólares e foi construído em cooperação com a China Popular. Um ano depois do seu lançado conheceu uma grave avaria técnica tornando-se inoperacional.

Abel Veiga

    4 comentários

4 comentários

  1. Digno de Respeito

    22 de Agosto de 2011 as 22:49

    Perante a globalização e o contexto internacional, sugiro que STP crie uma estrutura interna equipada de meios nem que seja mínimos porque o tempo assim o exige: a criação de polícia científica.

    Certo que carecemos de meios materiais e humanos mas o investimento quando é bem feito, não se olha para os encargos. É preciso sermos acertivos e aproveitar todos corações de boa vontade para ajudar no desenvolvimento de STP. Acho que não podemos nos limitar apenas a receber. Temos de contribuir e retribuir com as nossas qualidades humanas para o bem das gerações futuras: nossos netos e bisnetos….

  2. Digno de Respeito

    23 de Agosto de 2011 as 13:36

    finalmente. É preciso saber que hj o mundo equidistante é o mais perto. Bom trabalho

  3. luisó

    25 de Agosto de 2011 as 11:05

    farto-me de rir !!!!!!
    então estes tipos andam a mandar para o espaço satelites daquele tipo e não reparam no que têm no seu quintal? matam-se uns aos ouros pela relegião, cristãos e muçulmanos, com zonas de pessoas a morrer com fome, terrorismo no delta, derrames imensos e incontroláveis das petroliferas no delta, etec, etc, e é preciso um satelite para passarem a ver isto?
    eles são bandidos, traficantes e outras coisas mas não sabia que eram cegos!!!!!

  4. Rio de Ouro

    27 de Agosto de 2011 as 7:46

    Se a coisa pegar, não poderemos tirar um “pum” em STP sem eles saibam. Credo! Só espero que a coisa não falhe a órbita e nos caia em cima da cabeça.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo