Príncipe island hawksbills: Genetic isolation of an eastern Atlantic stock

É o título de um estudo científico sobre a Tartaruga Sada da ilha do Príncipe. Uma espécie em vias de extinção, que através do Projecto Sada, começa a ganhar maior esperança de vida. O estudo vai ser publicado no Journal of Experimental Marine Biologv and Ecology.

A publicação tem como título Príncipe island hawksbills: Genetic isolation of an eastern Atlantic stock e é assinada por C. Monzón-Argüello, N.S. Loureiro, C. Delgado, A. Marco, J.M. Lopes, M.G. Gomes & F.A. Abreu-Grobois.

O texto sintetiza mais de um ano de recolhas de amostras biológicas nas águas e nas praias do Príncipe, meses de trabalho no laboratório, e um intenso esforço para a redação e revisão da publicação científica.

Pela primeira vez fica descrita, de forma sistemática e detalhada, a estrutura genética da população singular de tartarugas SADA do Príncipe. Foram estudados 147 indivíduos (fêmeas adultas, machos adultos, indivíduos sub-adultos e juvenis neríticos) e concluiu-se que a população reprodutora pertence a um único haplotipo (EATL), o qual já tinha sido anteriormente identificado em indivíduos observados no mar mas não se conhecia a origem desse haplotipo. Com este estudo, e após a sua publicação, fica finalmente conhecida a origem: as SADAS com haplotipo EATL nasceram nas praias da Ilha do Príncipe.

Consequentemente, a importância dos esforços para a conservação das Tartarugas Marinhas na Ilha do Príncipe ganha nova dimensão. O Programa SADA tem-se empenhado desde Dezembro de 2008 e tem congregado esforços, colaborações e financiamentos. O resultado de tudo isso é que hoje as tartarugas marinhas são olhadas com bastante mais respeito, e o seu valor para a biodiversidade global é reconhecido, na Ilha e fora dela. A partir de hoje, com a publicação deste estudo, a dimensão científica do Programa SADA fica confirmada: as tartarugas SADA (Eretmochelys imbricata) são um valor-chave da biodiversidade global, na Ilha do Príncipe, e o mais ameaçado de extinção. Na verdade, os outros endemismos do Príncipe são igualmente fundamentais para a biodiversidade global, mas nenhum deles está tão diariamente ameaçado de extinção como a tartaruga SADA. Por isso, todas as iniciativas para a sua conservação são fundamentais.

As atividades com vista ao aprofundamento do conhecimento relativo à estrutura genética das tartarugas SADA da Ilha do Príncipe continuam, nas praias, nas águas e no laboratório. No futuro, o grupo de investigadores e mergulhadores que tem estado envolvido neste esforço publicará novos resultados científicos. E entretanto, claro está, continuam bem vivos os esforços para a conservação das tartarugas marinhas na Ilha do Príncipe.

Projecto Sada

  1. img
    desconhecido Responder

    boa

  2. img
    Anca Responder

    É de valorizar e reconhecer o valor da investigação, para a preservação da natureza e o ambiente natural.

    Necessário se torna reconhecer o valor patrimonial, deste estudo na preservação da biodiversidade local, regional e global,na preservação da espécie em analise.

    Pois a valorização e preservação trás sempre, mais valia,(social,ambiental, cultural, se se quisermos economicamente) no desenvolvimento sustentável futuro das ilhas de São Tomé e Príncipe.

    Bem haja

    Continuemos a praticar o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem Santomenses

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

Deixe um comentario

*