Câmara distrital de Mé-Zochi dá passos para reabilitação da zona da Cascata de São Nicolau

Após forte pressão exercida sobre as autoridades governamentais, o poder local de Mé-Zochi liderado por Nelson Carvalho, conseguiu convencer o governo a reconstruir a ponte sobre a cascata de São Nicolau e a realização de outras obras de melhoria no espaço adjacente.

Há vários anos que a ponte sobre a cascata de São Nicolau, ruiu pondo em causa a vida de habitantes da Roça São Nicolau e dos turistas que circulam naquela que é uma das regiões mais lindas do distrito de Mé-Zochi.

Inconformado com a situação, o poder local de Mé-Zochi, que realizou trabalhos de limpeza e de protecção da estrutura degradada, pressionou o governo central no sentido de alocar fundos para reconstruir a ponte.

Esta semana a câmara distrital de Mé-Zochi, participou no lançamento da primeira pedra para a reabilitação do espaço da maior cascata do país com cerca de 40 metros de altura. A obra de reabilitação financiada com fundos da Guiné Equatorial, está avaliada em 7 mil milhões 530 milhões 625 mil dobras e 22 cêntimos, cerca de 307 mil euros.

Para além de reconstruir a ponte, introduzindo um novo tabuleiro em betão, a empresa ENERGIA – STP de capital maioritário estrangeiro, que está a realizar a obra, deverá construir uma nova escada de acesso a Cascata em madeira de azeitona, assim como a instalação de iluminação pública através de painéis solares. Obras que deverão estar concluídas dentro de 4 meses.

O Téla Nón apurou que a empresa construtora já recebeu 30%, do valor da obra. O Presidente da Câmara de Mé-Zochi, considera que está dado o primeiro passo com vista a potencializar o turismo na zona da cascata de São Nicolau. «Só fazer a ponte não é suficiente para ser zona turística. Há ainda muito a fazer. Achamos que se deveria construir bungalows para prestação de serviço aos visitantes, assim como a recuperação da estrada que dá acesso a Cascata», afirmou Nelson Carvalho.

Ainda no distrito de Mé-Zochi, mais concretamente na cidade da Trindade, o poder local, testemunhou o lançamento da primeira pedra para a construção da estrada que liga o centro da capital do distrito de Mé-Zochi à localidade de Uba Budo numa distância de 1 quilómetro.

As obras entregues a empresa são-tomese, Socobrise, custam mais de 9 mil milhões de dobras, e deverão estar concluídas dentro de 4 meses.

Abel Veiga

  1. img
    boca calada Responder

    Parabens sr.Presidente de camara distrital de Mé-Zochi…

  2. img
    Biboss Responder

    Parabens STP,é mesmo assim temos que acreditar em nós mesmo, incentivar as empresas nacionais para execução de algumas obras…isto motiva o Empresariado nacional.Temos que acreditar no nosso País e desenvolver o que é nosso
    .Tenho dito.

  3. img
    Põe Boca Não tira Responder

    Finalmente a população de Uba Budo saberão e conhecerão a estrada de verdade, porque o que têm agora não se pode chamar de estrada

  4. img
    Põe Boca Não tira Responder

    Alguém se lembro das potencialidades turísticas de cascata São Nicolau, mas como disse o presidente de Câmara, tratando-se de um local turístico não basta apenas reconstruir a ponte ou fazer estrada,
    Haver vamos até quando

  5. img
    Malébobo Responder

    Sr:Nelson Carvalho,meus parabens, é assim que se trabalha, diga ao Sr.Mene de lobata para fazer o mesmo, ou tentar copiarte, obrigado, fui

  6. img
    osvaldo pereira Responder

    parabens pela iniciativa,mas não se esqueçam de fiscalizar as obras para ver se estão a ser realmente feitas segundo as normas da construção civil,,,

  7. img
    Fijalatao Responder

    A ideia da recuperação ambiental e paisagística do local é muito bem vinda e o sr. Presidente desta câmara está de parabéns.

    Somente, pequenas questões:
    Será que a empresa construtora desta reabilitação está a altura das suas responsabilidades, no tocante a estrutura que é a alma fundamental nestas questões de segurança de estruturas e pontes?

    Espero que não aconteça o mesmo que está acontecer na famigerada feira do povo na cidade capital!

    Será que a câmara de Mézochi tem fiscalização a altura e isenta de ser subornada colocando o seu umbigo em 1º lugar e a dignidade técnica em 2º lugar e segurança humana e múltimo lugar?

    Em relação às estradas, será que esses construtores nos garantem as camadas internacionalmente estipuladas para a duração por muitos anos destas mesmas estradas? Quando me refiro às camadas, são a base, sub.base, macadame e camada betuminosa, estarão lá com as respectivas espessuras?

    Será que a câmara se comprometerá junto ao governo em fazer periódicamente a manutenção desses locaís?

    Será que a escada de madeira”Pau de Azeitona” num local extremamente húmido é solução? Quem irá futuramente fazer a manutenção destas madeiras expostas à chuva e ao sol? A manutenção não é barata!

    Cuidado com as emoções e pensem bem!

    A beleza vista no exterior, não está lá porque o Deus a protege! Existem homens e mulheres e governos deste país que as mande preservar! Porque têm amor no que é deles!

    É tudo muito bonito, mas essas nossas estradas não duram nem 6 meses!

    Vêm lá isso e põem um bom director de obra junto à fiscalização principalmente no tocante ao controle do orçamento!

    Tenho dito.

  8. img
    Filipe Samba Responder

    Que tipo de cimento será utilizado para reconstrução da ponte, por situar numa zona húmida.
    É bem possível que em Monte Café haja pessoa que poderia contribuir para reconstrução da ponte.
    Esta Zona era o lugar onde refugiava os mais rebeldes ( fugidos), dos roceiros, fundamentalmente a família Cabangala, Catraios, que batiam a Policia Militar, assim como os feitores nas roças devido os abusos e insultos, que cometiam aos seus colegas.
    Esses sempre conservaram o heroísmo da liberdade; melhor é viver primitivo e ser livre do que nas barracas ou Sanzalas sem liberdade.
    Todos aqueles que viveram ou visitaram Monte Café beberam a água desta fonte.
    Aqui coabitavam variadíssimos pássaros pardais.
    Conclusão
    O essencial não é reconstrução, mas a preservação e aprofundar nos contos locais (histórias) sobre o significado da Cascata de S. Nicolau.
    É uma bênção da Nossa Senhora da Trindade aos habitantes da Freguesia da Trindade (Distrito de Mé-zochi)

  9. img
    zeme almeida Responder

    Senhor Hermenegildo Santos,presidente da camara do destrito de lobata,siga o exemplo do presidente camara de Me-Zochi e faca o mesmo.Apresente projectos e solucao para o seu destrito e nao venham ao publico dizer que o governo so reconhece o destrito ao qual o ADI e responsavel.Se o senhor presidente da camara queira que o seu destrito conheca melhoria,exerca tambem uma forte pressao as autoridades governamentais.A populacao de Guadalupe e arredores esperam mais do senhor.Viva RDSTP

  10. img
    ADELINO DOS SANTOS Responder

    Nós que somos de Mé-Zochi temos fé que melhores dias virão,maior alegria para me é a estrada de uba Flor quem vive espera para ver,que bem aja a nossa cidade

  11. img
    sara Responder

    Viva o Nelson de Carvalho
    é esse tipo de gente que queremos
    continua assim que um dia ainda vais ser o presidente desta terra que só teve politicos malandros e ladrões do dinheiro do povo sofredor.

  12. img
    guennadi sousa soares lima Responder

    oi adorei saber sober este syte e gostaria de receber mais msm vosa mo meu email se for pociver quem saiba eu posa ajudade na aria de designer grafico temto emconta que ja trabalho nesta aria. um beijo a todos e fico muito feliz por trindade esta evoluir,

  13. img
    Gouveia Responder

    A direcção do turismo, a direcção do parque natural, etc, são entidades, do meu ponto de vista devem intervir.Aliás o local é muito visitado, seria bom actividades conjuntas, complementares e não duplicação.
    boa sorte.

  14. img
    Ludmilo Aguiar Responder

    Pdemos notar um certo interrese ao nivel do turismo do distrito de Mê-Zochi mas tb existe outros locais com grandes potencialidades turistica, espero que isso sirva de exemplo claro para possa surgir iniciativas parecidas ou mais relevante em outros distritos do País.
    E quero aproveitar fazer um reparo, que a equipa de fiscalização não durma no decorrer das obras de forma termos uma obra mais duradora e atrativa que não seja como diz em São Tomé ” trabalho matápau”.
    Obrigado pela oportunidade.

  15. img
    Ludmilo Aguiar Responder

    O turismo como atividade econômica tem se estabelecido muito nos últimos tempos, chegando a ser a principal fonte de desenvolvimento econômico de uma localidade. Tal fato é de tão grande veracidade que várias cidades adotaram a atividade turística e apresentam como principal atrativo suas manifestações populares, passando um pouco da cultura e da identidade de seu povo para os visitantes de todas as partes do país e do mundo. Entretanto é importante investir no turismo porque é lucrativo e tb promisor.

  16. img
    Malébobo Responder

    Parabens o senhor de Nelson de Carvalho sempre em frente não faça como outros presidentes de camaras parasitas que passam a vida criticar que não tenho apoio de governo central, obrigado, fui

  17. img
    Ramos Responder

    Já era sem tempo,se todos colaborarem com essa ineciativa acredito que o MÉ-ZOCHI vai mudar de figura para o melhor:por favor senhor presiente não se esqueça da fiscalização ela tem que fumcionar,foça aí na banda

Deixe um comentario

*