Médicos em greve por tempo indeterminado

No único hospital do país não há médicos para atender os pacientes. Bem Vinda Vera Cruz porta voz dos médicos grevista avisou que nas próximas 48 horas, só serão atendidos casos de urgência. Se o governo não atender as suas reivindicações, passadas as 48 horas, nem os casos de urgência serão atendidos.

O hospital central de São Tomé e Príncipe, está doente. Os médicos elegeram a greve que começou esta manhã como antídoto para tratar do hospital de referência que está em agonia. A greve por tempo indeterminado que começou esta manhã, resulta segundo os médicos grevistas da falta de diálogo do Governo em negociar, as reivindicações apresentadas ao executivo.

Melhoria das condições de trabalho é uma das reivindicações. Bem Vinda Vera Cruz, em nome dos médicos, denuncia a situação degradante do hospital Ayres de Menezes. «Temos falta de quase tudo. Não temos fios de sutura, mesmo o problema de água potável que disseram que já está resolvido, o certo é que temos água de manhã e a tarde não há água. Um hospital tem que ter água 24/24. Há momentos em que não conseguimos atender os pacientes, por falta de medicamentos. Ora não há este, ora não há aquele medicamento», declarou a médica porta-voz.

Para além da falta de condições de trabalho os médicos exigem, a actualização do subsídio das horas extraordinárias. Desde o ano 2004 que os médicos recebem 40 mil dobras cerca de 1 euro e 63 cêntimos por cada hora extraordinária, durante o serviço de piquete. «Apresentamos uma proposta de actualização do subsídio ao governo, que por sua vez não aceita a proposta. Fomos a negociação e decidimos baixar o valor. São valores que eu não quero aqui anunciar. O certo é que decidimos ceder, baixamos o valor proposto para aumento das actuais 40 mil dobras, mas o governo decidiu manter braço de ferro connosco», reclamou.

Os médicos consideram a implementação da carreira como sendo a principal reivindicação. Segundo Bem Vinda Vera Cruz, os médicos têm uma salário mensal que não ultrapassa 3 milhões de dobras, o equivalente a 122 euros. «Continuamos com um salário que tenho receio de dizer. Inaceitável, e inimaginável. Recebemos como salário entre 2 à 3 milhões de dobras. Quer seja médico especialista, quer médicos que chegaram agora, quer os médicos que trabalham há mais de 30 anos», afirmou.

Os médicos dizem que não são reconhecidos como tal pelo Estado, porque nunca o diploma que define a carreira aprovado no ano 2004 foi implementado. «O Estado não nos conhece como médicos. O estado nos conhece como técnicos superiores de terceira classe. Estou aqui há 17 anos e outros médicos estão a trabalhar há mais de 20 anos. Não estamos enquadrados. Para estarmos enquadrados é necessário implementar a carreira que foi aprovada desde 2004», pontuou.

Por tudo isso, o hospital Ayres de Menezes está desde esta manhã entregue aos enfermeiros. «Comprometemo-nos em atender os casos de emergência e urgência, só. E isto durante 48 horas. Passadas as 48 horas nem estes casos vamos atender», concluiu Bem Vinda Vera Cruz.

A população já está a sentir o impacto da greve dos médicos. Armindo Tomba jornalista de profissão, que recorreu ao hospital para tratar de um problema de saúde, disse ao Téla Nón a saída do Banco de Urgências, que não teve hipóteses de ser atendido. «Os médicos estão a reivindicar os seus legítimos direitos, por isso mesmo tenho que regressar a casa. Tenho um problema de ácido úrico que está a provocar inchaço nas pernas, mas não tenho outra alternativa», referiu o paciente, Armindo Tomba.

Sem disponibilidade de diálogo, tudo indica que os próximos dias serão bastante difíceis em São Tomé e Príncipe. Note-se que organizações sindicais de outros sectores do Estado, estão a preparar greves de grande envergadura.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Mafioso Responder

    Tenham dó e piedade do povo. Se os medicos fazem greve e nós?
    Amam a vossa profissão, servir e sempre servir o paciente. A condições vão ser melhoradas.
    Querem importar medicamentos? é melhor mudar de estrategia.
    Se calhar ja têm parceiros ai para importar medicamentos e a pressão ao governo é melhor coisa.
    Sempre a subir.

    • img
      Lévé-Léngue Responder

      Não sejas tão “Mafioso”
      Esse apelo deve ser dirigido aos directores de gabinete dos ministros, secretários-gerais dos ministérios, directores-gerais, membros fantasmas de conselhos de administração, assessores e detentores de outros “tachos” que a política promove descarradamente, em prejuizo dos verdadeiros profissionais deste País.
      Esta falta de atenção à classe médica, docente e não só, demonstra claramente a vergonhosa distribuição de riqueza deste pequeno paraíso. Só a título de exemplo, lembro-te que o Estado desperdiça muito dinheiro com pagamento de pensões vitalícias aos ditos combatentes da liberdad da patria, quando os verdadeiros combatentes estão ainda atirados a sua sorte. O mesmo se pode dizer das pensões desses antigos dirigentes, muitos dos quais só contribuiram para afundar este País ainda mais. E quando esses médicos, professores e outros profissionais se reformarem, o que receberão como recompensa? UMA PENSÃO INFERIOR A 20 EUROS MENSAIS, além da falta de protecção e cuidados básicos… É preciso valorizar a classe e dignificar os que se predispõem a ajudar verdadeiramente o País.
      SE NÃO HÁ O DIGNO PARA QUEM NOS SALVA A VIDA, COMO SUPORTAM OS TACHOS PARA OS QUE NOS LIXAM A VIDA?

  2. img
    Mario da Costa Responder

    Ha gente que vive com menos de 1 Euro por dia no Mundo:
    Voces querem horas extraordinarias a mais!!!

    • img
      Lupuye Responder

      Mesquinho! Compara o salario deles com o dos politicos da nossa sociedade e veras que tem todo o direito. Compara o trabalho deles com o dos nossos politicos e veras que merecem mais. E os nossos politicos para alem de terem um salario de se lhe tirar o chapeu, ainda tem a possibilidade de roubar o que e do povo e nem sequer responder por isso na justica por causa da imunidade parlamentar. Pensa bem e deixa de ser mesquinho. Nao porque ha gente que vive com menos de 1 euro no mundo temos que pagar esse tipo de salario aos nossos medicos. E por isso que muitos que se formam nao regressam, por salarios desse tipo.

    • img
      Edson Francês Responder

      Calado és um poeta! Todos os trabalhadores têm direito de revendicar os seus direitos.

    • img
      Edson Francês Responder

      Nos Estados Unidos começou um movimento revolucionàrio chamado “os indignados”, que jà se espalhou por toda a Europa. A ideia é entrar em greve geral e ocupar a praça pùblica até que o governo responda às exigências dos funcionàrios pùblicos, isso deveria ser feito em STP. Acho inaceitàvel um que um médico receba 122 euros por mês enquanto os nossos pseudo-deputados recebem salàrios colossais! Greve sim senhora!!

  3. img
    Nando Responder

    Confesso que nunca imaginei que os médicos pudessem ganhar assim tao pouco!!! Parece incrível… Será que nos outros países da francofonia também é assim? Alguém pode me dizer quanto é que se paga a um médico em Moçambique ou em Cabo Verde?

    • img
      Francisco Responder

      Um médico em Moçambique ganha entre 12 e 20 mil meticais , ou seja, entre 400 a 667 dólares (279 e 465 euros). O último valor é conseguido por aqueles profissionais que são afectos em zonas recônditas, recebendo, para o efeito, o subsídio de deslocamento ou de isolamento.O médico moçambicano recebe menos de metade do salário que um médico ganha em Cabo Verde. Ou seja, naquele arquipélago, no início da profissão, o médico tem um salário base de 800 euros

      • img
        Adlander Aragão Responder

        só não disvalorizem o proficionalismo,porque o dinheiro é sempre fruto de proficionalismo.

      • img
        nucha Responder

        Não acredito que os médicos ganham essa miséria em STP…. Choquei!

        Meu Deus…

  4. img
    Nando Responder

    Queria dizer lusofonia.

  5. img
    Mimi Responder

    Tenho pena que as coisas tivessem que chegar a este ponto e espero que o governo tenha o bom senso de resolver este assunto. Por respeito aos santomenses e a S. Tomé e Príncipe, força à boa governaçao e à negociaçao!

  6. img
    Francisco Castanheira Responder

    122 euros por mes? E os Deputados e Ministros quanto devem estar a receber?
    Pinto da Costa tem de tomar medidas.

    • img
      Cauteloso Responder

      Pela amor de Deus não seja obssecado o Pinto da Costa não vai resolver nada isso não tem nada a ver com o Pinto mas sim com o governo.

  7. img
    MEU DEUS Responder

    MEU DEUS …

  8. img
    povo tem sempre razão Responder

    Realmente o que ganham não serve para nada.
    Não entendo porque é que o Governo não atende as reivindicações dos médicos.
    São profissionais que fazem muito pelo País.
    Enfim, muita má fé nesta terra.
    Quem trabalha mais ganha menos.

    • img
      Adlander Aragão Responder

      concordo contigo meu carro, porquê não? se os carros dos diregentes, um cidadão cumum mesmo trabalhando a vida toda ainda não consegue comprar um carro que valha a metade do preço.

  9. img
    Leopaldo Responder

    Primeiro AGER, agora é Hospital….as geves vão começar em cadeia….Sr Patrice fez muits promessas e ao fim de 1 ano, só coversa que temo estado a ouvir, ou seja, anda a fazer muita publicidade na TVS… trabalho que é trabalho não estamos a ver nada …

    • img
      Mimi Responder

      Sim; muita e muita publicidade mesmo na TVS. Basta ver a maneira como foi tratada esta noticia no telejornal de ontem. Foi como se os medicos fosse malucos…

  10. img
    MEU DEUS Responder

    DEVE HAVER ROTATIVIDADE NOS CARGOS

  11. img
    NTM Responder

    Olha Nando,um médico Cabo verdiano ganha como salário de base, acima de 600euros um valor que da jeito.

  12. img
    "Nós por cá e a nossa maneira" Responder

    ….é preciso definir prioridades….a situação do nosso hospital é uma prioridade, que deve ser levada em consideração com maxima urgencia….não podemos continuar, depois de 36 anos de independencia, a ter o unico hospital do país onde falta tudo…desde o basico(água, saneamento do meio, etc) até o menos prioritario….temos que pensar….o dinheiro que foi utilizado para construir as docas,(edificio inoperante), compras de carros novos para o executivo, os extras recebidos pelos membros do governo, o dinheiro canalizado para dar banho a população durante a campanha eleitoral… deveriam ser canalizados para melhorar as condições do unico hospital do país, quiça construir um novo de raiz…..não devemos esquecer que….sem a saude não somos ninguém….uma população sem saude condigna não sobrevive as calamidades naturais e muito menos se não tiverem um hospital em condições…..pensem seriamente nisto….não basta haver acordos de cooperação para juntas medicas de doentes em estado grave ou com enfermidades não trataveis em STP…é preciso olhar para as situções graves que acontecem diariamente nos hospitais…por ex;mulheres morrem nas maternidades por falta de aparelhos apropriados para diagnosticos no momento do parto,,,etc……..pensem com cuidado em prioridades porque o país é nossos,(presente), dos nossos filhos e netos(futuro)…..temos que mudar e muito…….

  13. img
    maria chora muito Responder

    Os medicos em São Tomé nem ganham 100 euros. Enquanto outros ganham milhões. O Pires e o seu amigo Aragão,o Bartolomeu Amado Vaz estão jubilados, porque trabalharam “muito” na magistratura com 50.000.000 de dobras, ( 2.000 Euros) mensais, ainda com carros de luxo a porta. O Patrice é só paleio. Resto NADA.

  14. img
    Ana Teixeira Responder

    Como é possível que os médicos em STP ganhem esse valor ao final do mês? Em Cabo Verde um médico ganha no minimo 800 Euros. Há que reclamar mais dignidade.

    • img
      Adlander Aragão Responder

      a dignidade e respeito não se pede , conquista-se , a coisa esta mal mas vamos todos resolver-las da melhor manira sem atingir a maioria,

  15. img
    Joao Batepa Responder

    o Pinto e o Trovoada devem ir po abate!

    • img
      Adlander Aragão Responder

      São doi orgão autonomos, em nada iriam resolver neste debate

  16. img
    Adlander Aragão Responder

    Estão cobertos de razão,mas ai eu pergunto, será que vcs estão dispostos para carregar a culpa de uma familia que que possivelmente há de ver seu unico filho morrer, porque vcs estão em greve.?, culparão o governo é certo,mas saibam que tb aquela familia sofre como vcs. então meus amigos, sei que sem dinheniro a vida fica uma Mer….´, mas sem amor pelo proximo é um vasio total, será uma existência tão vasia e tão vasia que nem a o vasio. FAÇAM SEMPRE VALER OS SEUS DIREITOS MAS NUNCA DEXA EXTERMINAR OQUE DEUS CRIOU ; A VIDA . ATÉ MEUS CARROS .

  17. img
    Anca Responder

    Vamos enquadrar a noticias com os conceitos subjacentes.

    “Hospital”

    “Hospital ou nosocômio é um local destinado ao atendimento de doentes, para proporcionar o diagnóstico, que pode ser de vários tipos (laboratorial, clínico, cinesiológico-funcional) e o tratamento necessário.” “Documenta-se o vocábulo português “hospital” no sec. XVI talvez por influência do francês “hôpital” do sec. XII derivados da forma culta do latim “hospitale” relativo a hospede, hospitalidade, adjetivo neutro substantivado de “hospitalis (domus) – (casa) que hospeda.”

    “Historicamente, os hospitais surgiram como lugares de acolhida de doentes e peregrinos, durante a Idade Média.” “A denominação “Hotel-Dieu”, que foi empregada para um conjunto de instituições francesas do sec. VII, já traz em si a noção de hospedagem e o caráter religioso que caracterizou a origem dessa instituição na Europa.” “Acredita-se que o 1º “Hotel-Dieu” foi fundado em Paris nos anos 651 ou 829 (reconstruído ?) de nossa era.” “Rosen (o.c.)”

    “Actualmente há diferenciação entre hospitais públicos e privados de grande e de médio porte a depender da sua entidade mantenedora e do número de leitos que oferecem.” “Os hospitais públicos por sua vez podem ser regionais e locais de acordo com a área de abrangência da população a ser assistida, são financiados e mantidos pelo Estado, sendo o custo menor para os doentes em comparação com os hospitais privados.” “No Brasil graças à concepção do Sistema Único de Saúde – SUS é completamente gratuito.”

    “Os hospitais também podem ser classificados pelo tipo de serviços que prestam: cirurgias gerais e especializadas, acompanhamento de eventos naturais como o parto (maternidade), o envelhecimento (Asilos e hospitais geriátricos) ou ao caráter de urgência / emergência da demanda.” “Assim sendo hospital pode se constituir como de caráter específico, acompanhando as divisões da especialidade médica por sexo, idade e/ou por atenção à patologias específicas (hospital do câncer, hospital psiquiátrico, de oftalmologia etc.) ou constituir-se como um hospital geral.”

    “Departamentos”

    “Trabalham em hospital profissionais de limpeza, administração, diretoria, recepção, e principalmente profissionais de saúde, como médicos, cirurgiões-dentistas, enfermeiros, fisioterapeutas, etc.” “O planejamento dos serviços a ser oferecidos e o estudo da relação da unidade hospitalar com as demais unidades de saúde é realizado por profissionais de saúde pública e autoridades sanitárias governamentais, política e juridicamente constituídas.”

    “Os principais departamentos de um hospital são o seu corpo clínico (diretoria médica) e o serviço de arquivo médio e estatística (SAME); o setor administrativo de manutenção e o setor financeiro.” “Num “Hospital Geral” os serviços oferecidos variam muito e também os departamentos que esses possuem.” “Eles podem ter serviços de atendimento à casos graves, tais como departamento de emergência, centro de trauma, unidade de queimados, cirurgia de emergência ou atendimento de urgência.” “Esses podem ser apoiados por unidades especialistas, tal como cardiologia, terapia intensiva, neurologia, ginecologia e obstetrícia e oncologia.”

    “Também existem as unidades de suporte, que auxiliam no tratamento e no diagnóstico médico.” “As mais comuns são farmácia, patologia e radiologia ou bioimagem.”

    “História (linha do tempo)”

    “Para Foucault o hospital como instrumento terapêutico é uma invenção relativamente nova, que data o final do século XVIII.” “Segundo ele a consciência de que o hospital pode e deve ser um instrumento destinado a curar aparece claramente em torno de 1780, diversos estudiosos e filantropos dessa época como o inglês John Howard (1726–1790) conhecido como o reformador das prisões e o médico francês Jacques-René Tenon (1724 – 1816) que em 1788 publicou o Tenon “Mémoire sur les Hôpitaux de Paris” (Memórias sobre os Hospitais de Paris) a pedido da “Academia de Ciências” no momento em que se colocava o problema da reconstrução do Hotel-Dieu de Paris.” “Foram realizadas visitas inquéritos e feitas comparações que determinam reformas e construções dos hospitais.”

    “A tarefa de descrever a origem do hospital que conhecemos ou a reconstrução sociológica da história dos hospitais, requer uma análise das condições políticas, econômicas e culturais da estrutura social, dos sistemas de valores, da organização da cidade, em relação às condições e necessidades da população nos diversos períodos históricos.” “Essencialmente nem tudo que foi chamado de hospital corresponde ao que conhecemos hoje.” “Rosem (o.c. p. 280), por exemplo, nos explica que o termo hospital na frança do séc. XVIII possuía uma conotação mais vasta, designava uma série de instituições caritativas criadas para atender os necessitados fossem eles, doentes, inválidos ou dependentes.” “Uns se constituíam como algo próximo aos hospitais que conhecemos, outros, aos asilos.”

    “Foucault (o.c.) assinala ainda que, poder-se-ia dizer também que há milênios existem instituições (hospitais) destinadas à cura e que o que ocorreu no séc. XVIII foi a constatação de que os hospitais não curavam tão bem quando deviam.” “Considera ainda a existência dos hospitais marítimos e militares destinados, do ponto de vista da saúde a controlar epidemias (com medidas tipo quarentena) e assegurar a manutenção da corporação.”

    “Feito essas considerações observe-se a relevância ou aproximação relativa de instituições em diversas épocas e culturas ao nosso objeto de estudo, o hospital nessa possível linha de evolução:
    Vista do Askleipion’de Cós, um dos melhor preservados dessa época.”

    “- Grécia antiga 1200 – 400 aC.” “Nos “Templos” ou “Clínicas” de Esculápio (de Asclépio) – (Grego: Ασκληπιεία) O atendimento individual ao cidadão grego com ervas, repouso, purgantes, banhos térmicos, rituais religiosos tipo consulta à oráculos, indução de sonhos reveladores, (“enkoimesis” – Grego: ενκοίμησις) etc. e atividades de lazer (“kátharsis”) / educação em teatro, realizados em construções (Anfiteatros) anexas ás clínicas – “Iatreion” (lugar dos médicos – “Iatros”)”

    “As Iatreion estavam no centro da cidade, com camas para doentes e banheiros, possuindo boa ventilação, iluminação, aparentemente cuidados destinados à evitar a contaminação.” “Pode ser considerada como um antecedente do ambulatório (?).” “Dessa época sobreviveu também o termo “Cline” (do grego κλίνη – cama, origem dos termo clínico, clínica médica), e terapeutas (Médicos, do grego terapia θεραπεία – “servir a deus” – Asclépio).” “Pacientes curados, faziam doações denomindadas “Taxas”.”

    “- 160 a.C. – Nesse período na China sob a dinastia Han a medicina possuía um caráter de serviço público, segundo as “Memórias Históricas” teriam existido hospitais ou estabelecimentos análogos e os médicos da corte procediam exames sistemáticos no pessoal do palácio e tornavam-se com freqüência funcionários ou escreviam sobre medicina.” “A partir do ano 624 os estudos médicos foram sancionados por exames sob autoridade do T’ai-yi-chou (grande serviço médico) se constituindo como o mais antigo exemplo do controle do estado sobre a medicina.”

    “- Hipócrates (em grego, Ἱπποκράτης) — (Cós, 460–Tessália, 377 a.C.) introduz princípios de racionalidade médica e ética (legando os textos conhecidos como “Corpus Hipocraticus”) até hoje tido como referências (ver: Juramento de Hipócrates) mas não parece ter modificado a forma das instituições existentes.”

    “- Roma (Império Romano – 27 a.C. – 476 d.C.) das referências aos hospitais da antigüidade apenas o “Valetudinarium”, instituição romana destinada ao tratamento e recuperação das tropas, durante o período de expansão do império não tem origem religiosa, ou pelo menos no princípio. Posteriormente, nesse mesmo império, entre os séculos I e II a.C., registram-se, pois, instituições análogas destinadas aos escravos.” “Registra-se também nesse período e a permanência das instituições (templos?) e casas de banho sobreviventes do mundo grego.”

    “- 129 A 199 dC, Galeno reafirma e desenvolve os princípios da medicina grega.”

    “- Ano Zero Início da era cristã – Jesus Cristo é tido como um curandeiro, aumentando a concepção religiosa e espiritual da medicina, reafirmando os princípios éticos da caridade expresso nos textos bíblicos como “amor ao próximo”.” “A era dos milagres e expectativa de cura através de “auxílio divino” e penitências que desenvolveram-se a partir de então, tem várias interpretações, inclusive a de exacerbação da fé e rejeição ao racionalismo, típico da Idade Média considerada por alguns como a “idade das trevas”.”

    “- 325 dC. Constantino I, também conhecido como Constantino Magno ou Constantino, o Grande (272 —337) em 317 é que passa a adotar declarado e oficialmente lemas e símbolos cristãos e em 325 publica o édito que proibia as “casas de banho” e templos pagãos.” “(Enciclopédia Mirador (o.c.)”

    “- Século IV dC, São criados os hospitais budistas da Índia.”

    “- 370 dC Funda-se o primeiro hospital em Cesaréia construído após proclamação de édito cristão, considerando-se seguindo a doutrina de Jesus Cristo.”

    “- 370 A 379 dC Basílio, o Grande (São basílo Magno), institui como norma a criação de hospitais como “sistema sanitários”, tendo o hospital de Roma como referência.” “Multiplicam-se os hospitais dos primeiros séculos da era cristã, juntamente com as numerosas ordens religiosas associadas, que sobreviveram por mais de 1500 anos.”

    “- 475 – 476 dC Rómulo Augusto cria por édito as “xenodoquias” (do grego Xenos – Estrangeiro dochion- alojamento) para hospedagem dos forasteiros e participantes das típica vias de peregrinação dessa época (ver: o Caminho de São Tiago).”
    “Igreja Notre-Dame de Paris, vendo-se à a direita, o antigo Hotel-Dieu”

    “- ~ 650-656. Construção do Hotel-Dieu em Paris, sob a direção do Bispo de São Landry.”

    “- Séc. XV. Início do processo de separação do hospital medieval em duas instituições distintas: o hospital sensu stricto para o cuidado dos pacientes e a instituição de caridade, geralmente associada à recolha de órfãos, abrigos ou casas para os pobres”

    “- Séc. XV. O “Quattrocento Italiano”, no contexto de transformações da cidade-estado e suas instituições de bem-estar, surge uma nova arquitetura e tipologia do hospital, que o distanciou das instituições medievais.” “Um símbolo desta reforma é a utilização da cruz grega e formação de claustros nos espaços, o que permitiu a classificação e separação dos internos.”

    “- 1498 Decreto de D. Manuel I em Lisboa para criação da 1ª Santa Casa de Misericórdia em Portugal.” “modelo que se estende naquele pais e posteriormente na sua colônia do Brasil.”
    “Um médico visitando os enfermos em um hospital.” “Gravura alemã de 1682.”

    “- Séc. XVI e XVII. Transformações dos leprosários medievais em hospitais gerais.” “O primeiro hospital no mundo muçulmano foram criados para tratar pacientes com hanseníase e isolá-los do resto da população, isso em torno do ano 700, o “Bimaristan” que foi fundado em Damasco durante o reinado do califa omíada Abd al-Malik Antes dessa forma de organização, eram relativamente comuns, as “colônias” ou associações de auto ajuda entre leprosos banidos das cidades.”

    “- Séc XVIII. Reconhecimento da importância da ventilação paradigma da aeração (miasmas – retorno ao conhecimento grego hipocrático da relação das enfermidades, dos lugares com os ares e as águas).” “Se caracterizam as soluções arquitetônicas com tipologia própria (Lazaretos pabellonarios), um dos principios orientadores da reforma e reconstrução do novo Hôtel-Dieu de París, que incendiou em 1772.”

    “- 1789 A 1790. Durante os sangrentos acontecimentos da Revolução Francesa a ira popular tomou os hospitais que estavam sendo utilizados como prisões políticas.” “Posteriormente os hospitais tornaram-se um encargo da Administração Municipal e as ordens religiosas se limitaram ao serviço espiritual prestado aos doentes.”

    “- 1822. Proclama-se na Espanha, a “Ley General de Beneficencia”, base para a futura legislação do século XIX, é a etapa final da Beneficência sob a administração de Carlos III.”

    “1863. Henry Dunant inicia o movimento em Genebra que resultou no Comitê Internacional da Cruz Vermelha para proteger a vida e a dignidade de vítimas de conflitos internacionais e internos.”

    “- Princípios do séc. XIX. Serviços médicos de cuidados de emergência pré-hospitalar foi iniciado para recuperar o maior número possível de combatentes, as ordens de Napoleão Bonaparte, Dominique-Jean Larrey (1766-1842) usa o termo “triagem”, como um sistema de classificação para tratar os feridos no campo de batalha.” “Cria-se o transporte por ambulância e introduz-se os princípios da saúde militar moderna.”

    “Revoluções da assepsia, higiene e anestesia”

    “Louis Pasteur (1822 -1895) Início das explicações do contágio, bacteriologia e fabricação das vacinas.”
    “Joseph Lister, (1827 —1912), o cirurgião e pesquisador inglês que iniciou uma nova era no campo da cirurgia em 1865, utilizando o ácido carbólico (fenol) como agente anti-séptico.”
    “Philipp Semmelweis (1818 1865) demonstrando a validade da lavagem das mãos como profilaxia”
    “Joseph Priestley (1733–1804) descoberta do óxido nitroso viabilizado para uso medico como anestésio e analgésico por Thomas Beddoes e James Watt, que publicaram o livro “Considerations on the Medical Use and on the Production of Factitious Airs” (1794)”

    “Nessa perspectiva a história hospital é a sucessiva evolução e adaptação dos avanços da tecnologia médica.” “A microbiologia e história da higiene tem um valor especial para história do hospital porque até hoje as infecções hospitalares são um dos problemas dessa instituição.”

    “O hospital no sistema de saúde”

    “- 1910. Publicação por Abraham Flexner (1866-1959) do estudo “Medical Education in the United States and Canada – A Report to the Carnegie Foundation for the Advancement of Teaching” conhecido como o Relatório Flexner (Flexner Report) considerado o grande responsável pela mais importante reforma das escolas médicas de todos os tempos nos Estados Unidos da América (EUA), com profundas implicações para a formação médica por suas recomendações à especialização e exigência na formação médica de um ciclo clínico de mais dois anos, realizado no hospital devidamente equipado com laboratórios e instalações adequadas.”

    “- 1920. Além do avanço tecnológico e especialização dos hospital pode-se afirmar que as modernas discussões sobre o hopspital se iniciam com o relatório Dawson elaborado por Bertrand Edward Dawson, (1864 – 1945) que deu origem aos sistema médico inglês de 1948 que articula “centros de saúde” a hospitais (Novaes, 1990 o.c.) e tem sido considerado um dos primeiros documentos que sintetizaram um modo específico de pensar políticas públicas de saúde mediante a criação de Sistemas Nacionais.” “É comum a expressão modelo hospitalo-cêntrico em oposição a um modelo assistência que tem como centro a atenção primária, realizada em unidades elementares de saúde, como expressão de uma controvertida polêmica sobre a aplicação dos recursos da saúde pública.”

    Ver também

    -Hospital universitário
    -Hospital psiquiátrico
    -Hospital Dia
    -Posto de saúde
    -Profissionais de saúde
    -Enfermagem
    -Farmácia / Biomedicina
    -Fisioterapia / Psicologia
    -História da medicina
    -Sistema Único de Saúde
    -Lista de unidades hospitalares do Brasil

    In Wikipédia

    Ver referências

    Vamos ao conceito de sistema de saúde;

    “Sistema de Saúde”

    “Um sistema de saúde é composto pela relação que o conjunto de instituições prestadoras de serviços de saúde de saúde mantém entre si.” “Enquanto sistema, tal como postulado pela teoria geral dos sistemas, refere-se a uma inter-relação entre seus elementos componentes onde o todo ou o sistema em si não pode ser reduzido a análise separada de seus componentes.” “Não há um consenso sobre o modelo ideal de organização ou mesmo sobre quais os seus componentes e responsabilidades quanto à saúde da população, essa diversidade de interpretações vem da própria dificuldade de definir saúde bem como das distintas proposições políticas e teóricas sobre a concepção de saúde pública também compreendida como saúde comunitária medicina preventiva e social.” “Observe-se ainda, na perspectiva da teoria de organização dos sistemas que um conjunto de instituições de saúde desarticuladas entre si não compõem um sistema de saúde ou como ensinam os especialistas em planejamento de saúde coletiva tão possuem a eficiência e eficácia que poderiam ter ao realizar suas ações de saúde.”

    “O texto da lei que criou o sistema nacional de saúde no Brasil, como resultado de um processo de luta debates político que data pelo menos ao início do século XX denominado reforma sanitária e simultaneamente a evolução das concepções de saúde pública no panorama internacional, define um sistema de saúde como…o complexo de serviços do setor público e do setor privado voltados para ações de interesse da saúde…abrangendo atividades que visem a promoção, proteção, e recuperação da saúde…Esse sistema particularmente evoluiu para criação do Sistema Único de Saúde SUS mas refere-se ao complexo de serviços e atividades que aqui analisamos como componente dos sitemas de saúde.”

    “Elementos constituintes”

    “Essencialmente pode-se se dizer que um sistema de saúde se constitui por estabelecimentos de saúde ou local onde são prestados os serviços de saúde que ao longo da história da medicina possuem várias denominações desde os templos e balneários da antiguidade ao hospital (manicônios Nosocômios etc.)” “Laboratórios, e serviços ambulatoriais dispensário, postos de saúde aonde se incluem os domicílios do paciente e do médico nas diversas modalidades ou modelos assistenciais bem como os profissionais ou trabalhadores que executam as ações de saúde e naturalmente as instituições que regulamentam sua formação e controlam suas atividades.”

    “Contudo como observa Mario Testa os serviços de saúde são uma das formas de resposta da sociedade aos problemas apresentados pelo estado de saúde e situação epidemiológica isto é às causas e suas manifestações ou efeitos.” “Observe-se numa concepção mais ampla de saúde podemos incluir entre os fatores determinantes e condicionantes de saúde deve-se incluir a pior das violências (na concepção de Gandhi) que é a pobreza, os problemas decorrentes da fome, do abastecimento de água e da falta de saneamento básico que em última análse refletem a própria política e organização do estado e relações internacionais.”

    “Avaliando Sistemas de Saúde”

    “Na proposição de investigação dos serviços de saúde da OPAS Organização Pnamericana de Saúde[4] para fins de comparação e análise deve-se observar:”

    “Recursos para serviços de saúde — Recursos humanos, materiais, tecnológicos, financeiros e organizativos necessários para a prestação de serviços de saúde;”
    “Prestação de serviços de saúde — Demanda e oferta ou quantidade de serviços, acessibilidade, distribuição e qualidade dos serviços de saúde;”
    “Condições de saúde — Fatores determinantes e condicionantes das necessidades de saúde das populações e avaliação dos resultados dos serviços de saúde para indivíduos e populações.”

    “Paradoxalmente os indicadores das condições de vida e saúde de um povo referem-se à ocorrência de doenças e taxas mortalidade das populações.” “Os maiores conflitos entre teóricos da área referem-se aos modelos assistênciais ou formas de organização e responsabilidades do estado quanto à oferta centrada na prevenção e promoção de saúde ou na recuperação e reabilitação da saúde individual a partir da prestação de serviços públicos ou privados.” “Na prática, além dos indicadores de saúde o que se dispõe para avaliação dos sistemas de saúde é a sua comparação a partir da descrição destes nos diversos países e/ou nas diversas regiões com características epidemiológicas ou ecológicas e sociais distintas.”

    In Wikipédia

    Ver referência

    Ver também

    -Posto de saúde
    -Plano de saúde
    -Saneamento
    -Saúde pública
    -Profissional da área da saúde
    -Especialidades médicas
    -Agente comunitário de saúde
    -Sistema Nacional de Saúde de Portugal
    -Sistema Único de Saúde SUS
    -UK National Health Service (em port)
    -Filme de Michael Moore comparando o Sistema de Saúde Americano com o canadense, inglês e cubano
    -Médicos de pés descalços
    -Curandeiro

    Procuremos o saber

    Pois o saber faz-nos bem

    Pois o saber dá-nos luz

    Para saber e saber fazer, pensar e comportar

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • img
      Anca Responder

      Quis dizer; enquadrar à noticia os conceitos subjacente;

      Bem haja

    • img
      Anca Responder

      Vamos ao enquadramento do conceito de Médico;

      “Médico”

      “O médico é o profissional autorizado pelo Estado para exercer a Medicina; se ocupa da saúde humana e/ou animal, prevenindo, diagnosticando e curando as doenças, o que requer conhecimento detalhado de disciplinas acadêmicas (como anatomia e fisiologia) por detrás das doenças e do tratamento – a ciência da medicina – e também competência na sua prática aplicada – a arte da medicina.”

      “Tanto o papel do médico e o significado da palavra variam significativamente ao redor do mundo, mas como compreensão geral, a ética médica requer que médicos demonstrem consideração, compaixão e benevolência frente a seus pacientes.”

      “Os médicos podem ser generalistas, isto é, não especializados em nenhuma área específica da medicina, ou especialistas, quando especializados em alguma área.”

      “Especialidades reconhecidas”

      “Acupuntura”
      “Alergia e imunologia”
      “Anatomia Patológica”
      “Anestesiologia”
      “Angiologia”
      “Oncologia”
      “Cardiologia”
      “Cirurgia de Cabeça e Pescoço”
      “Cirurgia do Aparelho Digestivo”
      “Cirurgia cardiovascular”
      “Cirurgia Geral”
      “Cirurgia Pediátrica”
      “Cirurgia Plástica”
      “Cirurgia Torácica”
      “Cirurgia Vascular”
      “Clínica médica”
      “Coloproctologia”
      “Dermatologia”

      “Endocrinologia”
      “Endoscopia”
      “Gastroenterologia”
      “Genética médica”
      “Geriatria”
      “Ginecologia e Obstetrícia”
      “Hematologia e hemoterapia”
      “Homeopatia”
      “Infectologia”
      “Mastologia”
      “Medicina de Família e Comunidade”
      “Medicina do trabalho”
      “Medicina do tráfego”
      “Medicina esportiva”
      “Medicina Física e de Reabilitação”
      “Medicina intensiva”
      “Medicina legal”
      “Medicina nuclear”

      “Medicina preventiva e social”
      “Nefrologia”
      “Neurocirurgia”
      “Neurologia”
      “Nutrologia”
      “Oftalmologia”
      “Ortopedia e Traumatologia”
      “Otorrinolaringologia”
      “Patologia”
      “Pediatria”
      “Pneumologia”
      “Proctologia”
      “Psiquiatria”
      “Radiologia e diagnóstico por imagem”
      “Radioterapia”
      “Reumatologia”
      “Urologia”

      “Áreas de atuação”

      “Alergia e imunologia pediátrica”
      “Angiorradiologia e cirurgia endovascular”
      “Atendimento ao queimado”
      “Cardiologia pediátrica”
      “Cirurgia crânio-maxilo-facial”
      “Cirurgia da coluna”
      “Cirurgia da mão”
      “Cirurgia dermatológica”
      “Cirurgia do trauma”
      “Cirurgia videolaparoscópica”
      “Citopatologia”
      “Cosmiatria”
      “Dor”
      “Ecocardiografia”
      “Ecografia vascular com doppler”
      “Eletrofisiologia clínica invasiva”
      “Endocrinologia pediátrica”

      “Endoscopia digestiva”
      “Endoscopia ginecológica”
      “Endoscopia respiratória”
      “Ergometria”
      “Foniatria”
      “Gastroenterologia pediátrica”
      “Hansenologia”
      “Hematologia e hemoterapia pediátrica”
      “Hemodinâmica e cardiologia intervencionista”
      “Hepatologia”
      “Infectologia hospitalar”
      “Infectologia pediátrica”
      “Medicina de urgência”
      “Medicina do adolescente”
      “Medicina fetal”
      “Medicina intensiva neonatal”
      “Medicina intensiva pediátrica”
      “Nefrologia pediátrica”

      “Neonatologia”
      “Neurofisiologia clínica”
      “Neurologia pediátrica”
      “Neurorradiologia”
      “Nutrição parenteral e enteral”
      “Nutrição parenteral e enteral pediátrica”
      “Nutrologia pediátrica”
      “Pneumologia pediátrica”
      “Psicogeriatria”
      “Psicoterapia”
      “Psiquiatria da infância e adolescência”
      “Psiquiatria forense”
      “Radiologia intervencionista e angiorradiologia”
      “Reprodução humana”
      “Reumatologia pediátrica”
      “Sexologia”
      “Ultra-sonografia em ginecologia e obstetrícia”

      “Especialidades que viraram áreas de atuação”

      “Administração em Saúde”
      “Cirurgia da Mão”
      “Citopatologia”
      “Endoscopia Digestiva”
      “Endoscopia Respiratória”
      “Hansenologia”
      “Hepatologia”
      “Nutrição Parenteral e Enteral e
      Neurofisiologia Clínica”

      In Wikipédia

      Ver também

      “Medicina”
      “Medicina Veterinária”
      “Especialidades médicas”

  18. img
    mto bem Responder

    Está na hora do governo de STP tomar juizo isso sim. Desde de quando profissionais da área da saúde que passam 6 anos estudando para atender as necessidades do povo, vai trabalhar nessas condições. Façam greve sim, e se acontecer alguma coisa o governo será responsavel, bamdo de ladr~~oes. O hospital que é o q cuida da saúde da populaçao pode ficar assim nesse estado deplorável. A tomem juizo, seus governantes. Têm dinheiro para construirem casas novas e não sabem investir naquilo que é o mais importante e consagrado por Deus, que é a SAÚDE. Palhaçada. A profissão médica é algo de muita responsabilidade e consagrado por Deus. e se um paciente morre na mão do médico, vão dizer que culpa é de quem? Vao dizer que é do médico. Então, para evitar essas coisas, têm sim que MELHORAR AS CONDIÇÕES DI HOSPITAL, E TÊM AINDA QUE AUMENTAR SIM O SALARIOS DESSES DETENTORES DO CONHECIMENTO DA SAÚDE. eEm nenhum lugar do mundo acontece o que acontece em STP. Aquilo ali, não é um hopstal, É UM LUGAR DE SE CONTRAIR DOENÇAS, isso sim. FAÇAM MESMO A GREVE e reivindiquem os vossos DIREITOS COMO PROFISSINAIS DA SAÙDE.

  19. img
    Afonso - fiá luxinga Responder

    Primeiramente, é vosso direito seja forte e não dêem braço, a torcer.
    Porque existe pessoas incompetente, principalmente certo ministros que não possuem condições para dialogar, outros nem com funcionário no próprio Ministério,quando aparece um funcionário, pegam no telemóvel e fingem que esta na linha para não serem incomodado, quer saber até onde chegam ou quando deixarem desta função como irão comportar perante a sociedade
    Força povo de STP

  20. img
    Almeida Paquito Responder

    Greve não devia ser só pelo problema salárial, condições de trabalho, mas também pedirem ja a cabeça da Ministra Angêla que não esta la a fazer nada. Quando abre a boca so faz envergonhar. Essa moça é muito fraca para o desafio. Esse ministério é muita area para o camião da Angêla. Patrice ponha a moÇa no teu gabinete, mas brinda-nos com um homem competente para fazer o lugar. Acabe com essa palhaçada na saúde.

  21. img
    Ámí sá míme Responder

    sinceramente não sei aonde esse mundo vai parar, espero que DEUS não tarde mais em chegar, ser humano cada vez esta tornando crueis avarento sem amor,isso tudo é para ver que a Biblia não engana quando diz que “nos ultimos tempo vai aparecer Homens amantes dos prazeres, sem amor …” quando esses medicos estiveram no ambito de formação eu penso que fez um juramento que é o de servir a nação e mesmo se não tinham feito têm isso na mente, sera que vocês têm corragem de deixar morrer inocentes por causa de dinheiro? isso tambem acontece todos estão dependendo do governo, espero que isso sirva de alerta para os estdantes que estão na terras estranhas que não esperem nada do governo de stp apenas a frustrações

  22. img
    Biboss Responder

    Nada justifica, está pouca vergonha por parte do Governo,será que a reserva do Estado já foi a falencia????
    é inadmissivel. Em maiorias dos paises do Mundo, o Estado tem a obrigação de dar especial atenção aos serviços de 1º nível, como(Saúde,alimentos,ordem publica,etc).onde está a consciência do governo????,meu Deus salva-nos.Tenho dito.

  23. img
    INCOMODADO COM ISTO Responder

    Pois é isso que me incomoda
    ” Deixem-nos trabalhar ” andaram dizer isto durante a CAPANHA ELEITORAL,

    • img
      SANTOLA Responder

      Politica em STP em 3 passos

      1:O sofrimento do Povo é proporcional ao Partido que ele eleger para o governar.

      2:Todos são da mesma casta, consequentemente todos vão vos fazer sofrer.

      3:Procurem escolher a parte da casta que menos sofrimento vai vos proporcionar.

  24. img
    Lucileide Lima ( GIBELA) Responder

    Realmente o Governo do PT e o dito secretário Geral dos Governos de São Tomé e príncipe têm revelado muita arrogância e fraca cultura de diálogo. As vezes até faltam com a verdade. Dizer que a TVS melhorou????? Melhorou sim na publicidade ao aos actos do Governo. Isso sim agora é TVPT.

  25. img
    folha nova Responder

    muita vergonha…É este nosso STP…. os médico tem todo o legistimo direito …este não é salario para um médico aquele tem a vida do povo na mão…

  26. img
    Sereia Responder

    Realmente o que ganham não serve para nada. Mas não comparemos as coisas, Em Cabo Verde trabalha-se há produção, Nós santomenses tornamos prequiçosos mesquinhos arrogantes e reclamadores. afinal o que produzimos vivemos só de dadívas e de apoios, hoje em dia se reparam as pessoas já não querem trabalhar mais sim querem um emprego porque no final de mês têm salário. Não sei se é devido o salário mas cá os medicos atendem os pacientes muito mal como fossem os seus inimigos, sabem que a vossa profissão exige amor compressão e atenção, e os nossos médicos não têm essa qualidade,são poucos os que têm a maior parte estão sempre enjoados. dexeimos disso vamos trabalhar e produzir só assim podemos exigir.

  27. img
    ôssobó Responder

    Meu Deus!
    Enquanto os Ministros têm dinheiro para comprar fatos de luxo, os medicos nao têm meios para trabalhar. Este governo ja teve tempo suficiente para dar sinal k está a mudar as coisas para melhora a vida do povo, como o 1º Ministro prometeu durante as campanhas.

  28. img
    maria chora muito Responder

    Senhor ANCA não precisamos disso. Fica no seu burraco como anca. OK

    • img
      Anca Responder

      Obrigado/a um grande abraço irmão SãoTomense

      Por isso e fraca capacidade cultural e falta de conhecimento é que a “maria chora muito”
      vai continuar a chorar, ainda mais, e não ver luz, nem ao fundo do túnel nem o seu feixe para ter esclarecimento.

      Chora maria
      Chora muito

      Pratiquemos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem

    • img
      Anca Responder

      Aprendam que eu não duro para sempre.

      Pratiquem o bem

      Pois o bem

      Fica-vos bem

      • img
        Anca Responder

        Parar puita?

        Parar puita?

        Você é maluco rapaz?

        Você é maluca piquêna?

        Aqui gente fôga gente é.

  29. img
    Anca Responder

    Vamos ao conceito de Medicina;

    “Medicina”

    “A medicina é uma das muitas áreas do conhecimento ligada à manutenção e restauração da saúde.” “Ela trabalha, num sentido amplo, com a prevenção e cura das doenças humanas e animais num contexto médico.”

    “Ações de saúde pública e ambiental, incluindo a saúde animal, promoção, prevenção, controle, erradicação e tratamento das doenças, traumatismos ou qualquer outro agravo à integridade e bem-estar animais, além do controlo de sanidade dos produtos e subprodutos de origem animal para o consumo humano e animal compreendem a área da medicina da responsabilidade do profissional de saúde médico veterinário.”

    “Em Portugal, a saúde oral, higiene, integridade dentária, a sua limpeza e profilaxia compreendem a área da medicina da responsabilidade do Médico Dentista, que é um profissional da saúde capacitado na área de odontologia, e apesar de ter um âmbito de acção semelhante, não deve ser confundido com o Médico estomatologista.” “Porém no Brasil, odontologia e medicina são profissões distintas.”

    “Segundo a Organização Mundial da Saúde, saúde não é apenas a ausência de doença. Consiste no bem-estar físico, mental, psicológico e social do indivíduo.” “É um estado cumulativo, que deve ser promovido durante toda a vida, de maneira a assegurar-se de que seus benefícios sejam integralmente desfrutados em dias posteriores.” “Nesse contexto, diretrizes de organizações supra-nacionais compostas por eminentes intelectuais do globo relacionados à área de saúde estabeleceram um novo paradigma de abordagem em medicina.”

    “O santo patrono da Medicina é São Lucas.”

    “Conceito de medicina”

    “Medicina, derivada do latim ars medicina, significa a arte da cura.”

    “O conceito de Medicina tradicional refere-se a práticas, abordagens e conhecimentos, — incorporando conceitos materiais e espirituais —, técnicas manuais e exercícios, aplicados individualmente ou combinados, a indivíduos ou a colectividades, de maneira a tratar, diagnosticar e prevenir doenças, ou visando a manter o bem-estar.”

    “A actual prática da medicina utiliza em seu favor conhecimentos obtidos por diversas ciências, por exemplo, biologia, química, física, antropologia, epidemiologia.” “Trata-se, na verdade, de várias ligações das ciências relacionadas à saúde.” “Em um conceito estrito, a Medicina busca a saúde por meio de estudos (propedêutica médica), diagnóstico e tratamento das diversas patologias, e no conceito mais amplo, aliviar o sofrimento e manter o bem-estar global.” “De modo geral, a Medicina engloba os campos de clínica médica, cirurgia, pediatria, tocoginecologia e saúde pública.”

    “História da Medicina”

    “Hipócrates é considerado o pai da medicina. Considera-se que viveu entre 460 a 377 a.C. e deixou um legado ético e moral válido até hoje.” “Precursor do pensamento científico, procurava detalhes nas doenças de seus pacientes para chegar a um diagnóstico, utilizando explicações sobrenaturais, devido à limitação do conhecimento da época.” “Ainda antes da era cristã, Asclepíades de Bitínia tentou conciliar o atomisto de Leucipo e Demócrito com a prática médica.” “No primeiro século de era cristã, Cláudio Galeno, outro médico grego, deu contribuições substanciais (baseado em dissecções de animais) para o desenvolvimento da medicina.”

    “Na Idade Média os religiosos assumiram o controle da arte de curar através de medicamentos e deixaram para os barbeiros, que já lidavam com a navalha, a arte de drenar abscessos e retirar pequenas imperfeições do pênis.” “A formação de secreções purulentas era considerada normal e saudável.”

    “Em 1865, Louis Pasteur teorizou que as infecções eram causadas por seres vivos.” “Foi ele o inventor do processo de pasteurização, muito utilizado no leite.” “Lister, em 1865, aplicou pela primeira vez uma solução anti-séptica em um paciente com fraturas complexas, com efeito profilático na infecção.” “Iniciou-se uma nova era.” “Em 1928 Alexander Fleming descobriu a penicilina ao observar que as colônias de bactérias não cresciam próximo ao mofo de algumas placas de cultura.” “Surge uma nova era: a dos antibióticos, que permitiu aos médicos curar infecções consideradas mortais.” “A evolução desde então não parou.” “A eterna luta do homem contra a morte entrou em uma nova etapa, cada vez mais moderna e cara.”

    “História da Medicina no Brasil”

    “A Academia Nacional de Medicina é uma instituição médica centenária, fundada no Brasil em 1829 pelo Dr. Joaquim Cândido Soares de Meireles sob o nome de Sociedade de Medicina.” “Posteriormente foi chamada Academia Imperial de Medicina.” “Recentemente foi presidida pelo Dr. Neves Manta.” “Há 100 membros titulares que ingressam na instituição mediante apresentação de teses científicas.” “Numa de suas dependências, um pequeno Museu mostra, por exemplo, o primeiro estetoscópio chegado ao Brasil.”

    “Até o século XIX floresciam curandeiros, alguns charlatães, feiticeiros.” “O primeiro médico prático do Rio de Janeiro foi Aleixo Manuel, o velho, em meados do século XVII.” “Os caboclos empregavam a vaga medicina dos pajés e os negros, seus amuletos e ervas.” “Em certas ruas, barbeiros apregoavam drogas, faziam sangrias.” “Não havia Faculdade de Medicina e os cariocas que desejavam curar seus semelhantes eram obrigados a ir estudar em Coimbra.” “A medicina do tempo do Primeiro Reinado, embora D. João VI tivesse trazido alguns bons médicos para o Rio de Janeiro, era do “tipo caseiro”: rodelinhas de limão nas frontes para enxaquecas, suadouros de sabugueiro e quina, para as febres: cataplasmas contra as asmas: antipirina para as dores de cabeça; banhos de malva para as dores nas cadeiras; um “cordial” contra a insônia e, para os loucos, o Hospício, na Praia Vermelha.”

    “O Rio de Janeiro foi sempre no tempo colonial um verdadeiro “campo experimental” para remédios, tal sua quantidade.” “Além de serem imitados os de Portugal, havia especialidades indígenas ou africanas.” “Na Farmacopeia de Vigier, de 1766, são anotados: para a sífilis, carne de víbora em pó; para a tuberculose pulmonar ou “chaga de bofe”, açúcar rosado com leite de jumenta ou cabra; para a verminose, raspas de chifre de veado; para a calvície, pomada de gordura humana retirada dos enforcados; nas anginas, pescoço de galo torrado e pulverizado; para panarícios, pasta de minhocas; havia chás feitos com excrementos de gatos e cães, percevejos, urina, carne e pele de sapos e lagartixas.” “Uma emulsão conhecida como ´da castidade´ era dada a padres e freiras como antiafrodisíaco: levava água de alface, rosas e sementes de papoulas.”

    “Após abrir os portos do Brasil às nações amigas de Portugal, D. João VI assinou, em 18 de fevereiro de 1808, o documento que mandou criar a Escola de Cirurgia da Bahia (Atual UFBA) e deu início ao ensino da medicina no país.” “A Faculdade de Medicina da UFRJ foi criada pelo príncipe regente D. João, por Carta Régia, assinada em 5 de novembro de 1808, com o nome de Escola de Anatomia, Medicina e Cirurgia e instalada no Hospital Militar do Morro do Castelo.”

    “A interiorização do ensino da medicina começou somente em 1950 quando foi fundada a primeira faculdade de medicina do interior do Brasil, a Faculdade de Medicina de Sorocaba da PUC-SP.”

    “Em 13 de junho de 1954 o diretor do Instituto Brasileiro de História da Medicina plantou no Jardim Botânico do Rio uma muda vinda da árvore de Hipócrates, multimilenar, que ainda existe na ilha de Cós, na Grécia.”

    “Ciências médicas e profissões médicas”

    “O tempo em média de formação em Medicina é de 7 anos.” “Após formar-se médico, pode-se fazer especialização ou uma residência médica que irá depender da especialidade e sub-especialidade que optar.” “Para entrar em um programa de residência médica, o médico deve ser aprovado e classificado em concurso de âmbito internacional e, devido ao grande número de médicos que se formam a cada ano, vem aumentando o número de profissionais que conseguem ser aprovados neste concurso.” “Estes médicos acabam optando por fazer especialização em curso normal de pós-graduação, que muitas vezes não apresentam o mesmo nível de qualidade exigido para um programa de Residência.”

    “A Medicina tem dois aspectos: é uma área de conhecimento (isto é, uma ciência) e é uma área de aplicação desse conhecimento (as profissões médicas).” “Na medicina, podemos destacar a Odontologia, que tanto no Brasil como em Portugal já constitui um curso independente.”

    “A Medicina baseada em evidências é uma tentativa de ligar esses dois aspectos (ciência e prática) através do uso do método científico, buscando através de técnicas e pesquisas científicas o melhor tratamento para um determinado paciente.”

    “Às vezes, pode ser difícil distinguir entre ciência médica e profissão em Medicina.” “Os vários ramos especializados da Medicina são estudados por ciências básicas especializadas e por correspondentes profissões médicas, igualmente especializadas, que lidam com órgãos, sistemas orgânicos e suas doenças.” “As ciências básicas da medicina frequentemente são as mesmas de outras áreas da ciência da saúde ou ciência médica como a biologia, a física e a química.”
    “Existem várias áreas ligadas à ciência da saúde ou ciência médica: odontologia, serviço social, psicologia, enfermagem (o cuidado com o paciente doente), farmácia, biomedicina, fonoaudiologia, educação física fisioterapia, terapia ocupacional, nutrição, protética e bioengenharia.”

    “Podem-se incluir também diversas profissões auxiliares (de nível médio) no Brasil entre estas se destacam os Agentes Comunitários de Saúde, função equivalente aos Médicos de pés descalços na China, os Agentes de Controle de Endemias ou Zoonoses; Os Auxiliares de Saneamento e Inspetores Sanitários; Os Auxiliares de Laboratório (bioquímica) , Auxiliares de enfermagem, Auxiliares de Nutrição e Odontologia ou Técnicos de Higiene Dental.” “Em algumas regiões ainda se encontram parteiras capacitadas e supervisionadas por centros de obstetrícia.” “Especialistas de Saúde Pública tem enfatizado a importância dessas profissões especialmente por sua capacidade de resolver os agravos mais frequentes da população e principalmente por realizar serviços de prevenção (medicina preventiva) e promoção da saúde no modelo de atenção à saúde da família.”

    “O médico, quando nos últimos anos da Faculdade de Medicina, realiza internato hospitalar em diversas áreas como clínica médica, cirurgia geral, pediatria e ginecologia e obstetrícia.” “Em algumas faculdades brasileiras já foi introduzido também o internato obrigatório em saúde coletiva, com estágios em medicina preventiva e social e medicina de família e comunidade.”

    “Faculdades de Medicina”

    “Após abrir os portos do Brasil às nações amigas de Portugal, D. João VI assinou, em 18 de fevereiro de 1808, o documento que mandou criar a Escola de Cirurgia da Bahia (Atual UFBA) e deu início ao ensino da medicina no país.” “No mesmo ano, a Faculdade de Medicina da UFRJ foi criada pelo príncipe regente D. João, por Carta Régia, assinada em 5 de novembro de 1808, com o nome de Escola de Anatomia, Medicina e Cirurgia e instalada no Hospital Militar do Morro do Castelo.”

    “A interiorização do ensino da medicina começou somente em 1950 quando foi fundada a primeira faculdade de medicina do interior do Brasil, a Faculdade de Medicina de Sorocaba da PUC-SP.”

    “No Brasil há 180 escolas médicas (102 particulares, 7 municipais, 24 estaduais e 48 federais.” “Somente de 1996 a 2009, 98 escolas médicas foram autorizadas (entre as quais apenas 30 públicas), situação sem paralelo em qualquer outro país do mundo.” “A China, com mais de 1 bilhão e 300 milhões de habitantes, possui 150 cursos médicos; os Estados Unidos, com população de mais de 300 milhões, contam com 131 faculdades de medicina.”

    “O Estado de São Paulo é o que mais possui faculdades (30 no total), seguido de Minas Gerais com 28 escolas.” “Há uma oferta desproporcional das vagas no país: o Tocantins oferece uma vaga para 4.145 habitantes.” “No Maranhão, o estado com menos vagas, a proporção é de 1 para 33.807 habitantes.”

    “O maior hospital universitário do país é o Hospital das Clínicas da FMUSP com 1213 leitos.” “O menor é o Hospital Universitário de Maringá com apenas 97 leitos.”

    “A Universidade Gama Filho no Rio de Janeiro é a que mais forma médicos com 400 vagas anuais.” “A segunda colocada é a Universidade Federal de Minas Gerais com 320 vagas anuais.” “A faculdade com o menor número de vagas é a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte em Mossoró com somente 26 vagas/ano.”

    “A mensalidade mais cara é do Centro Universitário de Belo Horizonte: R$ 7.143,50. A mais barata é da Escola Bahiana de Medicina: R$ 2.075,00.”

    “Distribuição de médicos no Brasil”

    “A desigualdade na distribuição de médicos no Brasil acompanha outros abismos sociais existentes no país.” “Apesar de haver um médico para cada 549 brasileiros – índice superior ao recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), de um para cada mil pessoas -, sete em cada 10 profissionais habilitados para atuar no país trabalham nas regiões Sul e Sudeste.” “Com isso, enquanto no Rio de Janeiro há um profissional para cada 289 habitantes, no outro extremo, os maranhenses dispõem de um médico para cada 1.848 pessoas.” “Os dados são de um novo balanço do Conselho Federal de Medicina (CFM).”

    “Há cerca de 347 mil médicos espalhados por todo o Brasil.” “Não fosse a disparidade na repartição desses profissionais, poderia ser dito que a situação brasileira é melhor que a de países como o Japão (com um médico para cada 952 habitantes), Reino Unido (um para 869 pessoas) e Argentina (um para 740).” “A média recomendada pela OMS visa garantir que a população tenha assistência médica, assim como os profissionais tenham um número satisfatório de pacientes.” “No ranking brasileiro, o Paraná ocupa o 7.° lugar, com um profissional para cada grupo de 586 habitantes.”

    “Em estados do Norte e do Nordeste, as capitais reúnem quase 90% dos profissionais.” “Segundo o Sistema Integrado de Entidades Médicas, em março do ano passado havia 575 médicos habilitados no Acre.” “Destes, 427 (74%) trabalhavam na capital, contabilizando um médico para cada 716 habitantes.” “Os outros 21 municípios dividiam 119 profissionais, cada um deles responsável por 3.236 habitantes.” “No interior de Roraima, a proporção passa de um médico para 10 mil pessoas.”

    “Especialidades médicas”

    “No Brasil, para ser um especialista, o médico deve realizar uma residência médica e prestar um concurso junto a associação médica da especialidade, que é reconhecido pela Associação Médica Brasileira e homologado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), sem o qual ele é apenas médico, sem especialidade.” “Até para ser considerado Clínico, o médico deve fazer Residência em Clínica Médica, com duração mínima de 2 anos.”
    “A medicina tem muitas especializações possíveis, algumas subespecializações e as denominadas “áreas de atuação”.”
    “No Brasil elas são regulamentadas em Resolução expedida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).” (Veja a Anexo: Lista de especialidades médicas).”

    “Algumas disciplinas ministradas durante o curso de medicina:”

    “Anatomia é o estudo da estrutura macroscópica física dos organismos.” “Estuda as grandes estruturas, o esqueleto, a musculatura, os vasos sanguíneos arteriais e venosos, bem como os vasos linfáticos e nervos, órgãos e estruturas anexas.”
    “Bioética é o estudo do relacionamento entre biologia, medicina e filosofia, especialmente da disciplina ética e metafísica.”
    “Cirurgia cardiovascular atua na cirurgia do coração.”
    “Citologia é estudo das células individuais e de suas estruturas internas.”
    “Embriologia é o estudo do desenvolvimento dos organismos a partir da união dos gametas, as células sexuais parentais, que dão origem ao ovo ou zigoto que, por sua vez, se desenvolve no embrião.”
    “Epidemiologia é o estudo quantitativo dos processos de doenças nas populações humanas.” “Inclui o estudo das epidemias, das endemias, da bioestatística, dos fatores de risco relacionados às doenças entre outros tópicos.”
    “Farmacologia é o estudo das drogas, desde sua obtenção até suas ações benéficas e prejudiciais ao organismo.”
    “Fisiatria é a área da Medicina que estuda e trata das consequências das doenças que geram a incapacidade física.”
    “Fisiologia é o estudo do funcionamento normal do organismo.”
    “Neurociência é um termo que reúne as disciplinas biológicas que estudam o sistema nervoso, especialmente a anatomia e a fisiologia do cérebro humano.”
    “Oftalmologia é o estudo das patologias oculares, com sua aplicação no diagnóstico e tratamento clinico-cirúrgico.”
    “Saúde Pública é a aplicação dos conhecimentos médicos, processados pelos epidemiólogos, com o objetivo de impedir a incidência de doença nas populações.”
    “Angiologia é a especialidade médica que se ocupa do tratamento clínico das doenças que acometem vasos sanguíneos (artérias e veias) e vasos linfáticos.” “Atua em conjunto com a cirurgia vascular que se ocupa do tratamento cirúrgico das ditas doenças.”

    “Especialização”

    “Pediatria é a especialidade médica dedicada à assistência à criança e ao adolescente, nos seus diversos aspectos, sejam eles preventivos ou curativos.”
    “Urologia é uma especialidade cirúrgica da medicina que trata do trato urinário de homens e mulheres e do sistema reprodutor dos homens.”

    “Especialidades diagnósticas e de imagem”

    “Anatomia Patológica:” “É uma especialidade médica responsável pela realização de diagnósticos de várias doenças, inclusive do câncer, por meio de estudo ao microscópio de amostras de células ou tecidos.” “Os médicos patologistas são os profissionais responsáveis pelos diagnósticos, gerando laudos que orientam tratamentos, estabelecem prognósticos, garantem a qualidade do atendimento médico e são indispensáveis às campanhas e ações preventivas.” “No Laboratório de Patologia ou de Anatomia Patológica todos os procedimentos são realizados por médicos patologistas e seus auxiliares.” “Estes profissionais detêm conhecimento altamente especializado para o diagnóstico de doenças, incluindo o câncer, a partir de estudo de materiais obtidos por aspirações, esfregaços, biópsias e cirurgias.” “Em cada exame o médico patologista seleciona, de forma individual, as amostras para estudo microscópico, não havendo a possibilidade de automatização por máquinas.” “Exames anatomopatológicos (biópsias, peças cirúrgicas), Exames imuno-histoquímicos e Exames citopatológicos (preventivos, punções, líquidos orgânicos) são procedimentos médicos e devem ser rigorosamente analisados por médicos patologistas ou por médicos citopatologistas, para que sejam executados de forma confiável.”
    “Bioestatística é a aplicação de estatística ao campo biológico e médico.” “Ela é essencial ao planejamento, avaliação e interpretação de todos os dados obtidos em pesquisa na área biológica e médica.” “É fundamental à epidemiologia e à Medicina baseada em evidências.”
    “Bioquímica é o estudo das reações químicas que acontecem dentro dos organismos vivos e, levando em conta a estrutura e a função dos componentes celulares e da célula como um todo.”
    “Física médica – utiliza de conhecimentos da Física para chegar a diagnósticos, bem como auxilia no desenvolvimento de novos equipamentos.”
    “Histologia é estudo de como as células e o material intercelular se unem para formar os tecidos, como o ósseo, o muscular, o conjuntivo etc.”
    “Imunologia é o estudo das células e moléculas que compõem o sistema imunitário e de seu funcionamento na defesa do organismo contra agentes infecciosos e células cancerígenas.”
    “Informática médica é o campo de estudo relacionado à vasta gama de recursos que podem ser aplicados na gestão e utilização da informação biomédica, incluindo a computação médica e o próprio estudo da natureza da informação médica.”
    “Microbiologia é o estudo dos micro-organismos (protozoários, bactérias, fungos e vírus).”
    “Toxicologia é o estudo dos efeitos das toxinas e venenos vegetais, animais e minerais.”
    “Ultrassonografia – Estudo do corpo humano através do ultra-som, que forma sombras e ecos nas estruturas do corpo humano.”

    In Wikipédia

    Ver referência

    Bem haja

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • img
      Filipe Samba Responder

      E a manipulação das celulas vivas(Biotecnologia, Engenharia Genética)
      Biotecnologia significa tecnologia biológica, isto é, ramo científico que consiste na aplicação de diferentes técnicas a sistemas vivos, com o objectivo de obter determinados produtos ou efeitos desejados para benefício do homem.
      Os desenvolvimentos da Engenharia Genética estão intimamente ligados aos desenvolvimentos em outras áreas, como a Genética, a Biologia Celular, a Química, a Física e a Microscopia. As diferentes áreas de trabalho da Biotecnologia (Engenharia Genética, Cultura de Células e Tecidos, Engenharia de Proteínas e de Produtos Alimentares, etc.) são responsáveis por progressos em inúmeras áreas científicas, assim como por alguns dos produtos que consumimos no dia-a-dia. Vejamos alguns exemplos da aplicação da Biotecnologia em diferentes campos:

      Medicina: produção de hormonas (por exemplo: insulina e hormona de crescimento (GH, Growth Hormone) – antes da aplicação das técnicas de Engenharia Genética, era necessário, para produzir apenas uma dose de GH, a disponibilidade de cinquenta glândulas pituitárias de cadáveres); desenvolvimento de Vacinas; testes de gravidez; desenvolvimento de antibióticos; terapia e rastreio genético; produção de tecidos humanos em cultura.
      Indústria Alimentar: produção de pão, bebidas alcoólicas e produtos lácteos; frutos resistentes ao apodrecimento; alimentos enriquecidos em nutrientes essenciais (particularmente úteis nos países de onde a diversidade alimentar se limita a um a dois alimentos diferentes) e até mesmo fármacos integrados em produtos alimentares (por exemplo: vacinas).
      Agricultura, Pecuária e Pesca: desenvolvimento de variedades vegetais resistentes à seca, pragas e uso de herbicidas químicos; criação e selecção de variedades de plantas e animais mais produtivas; crescimento rápido de animais (por exemplo, peixes e galinhas) destinados a produção alimentar; aumento da produção de leite.
      Preservação do Ambiente: preservação do ADN de espécies em risco de extinção para estudo e até possível clonagem; análise e reconstituição de características de seres vivos extintos por análise de ADN; produção de bactérias capazes de digerir hidrocarbonetos (importante no caso dos derrames de petróleo); redução da desflorestação por diminuição da área necessária à agricultura, graças ao aumento da produtividade das culturas; abandono do uso de pesticidas, por criação de variedades vegetais naturalmente resistentes; criação de bactérias capazes de funcionarem como biofiltros, absorvendo poluentes provenientes de chaminés industriais.
      Indústria química: produção de detergentes; uso de certas estirpes de bactérias como agentes extractores de determinados minerais preciosos a partir de meios com baixa concentração, usando a sua capacidade de concentrarem determinados elementos minerais no seu interior;
      Indústria Informática: desenvolvimento dos chamados computadores orgânicos, que utilizam células nervosas na elaboração de chips de memória e processamento.

      Referenciar documento
      A Grande Enciclopédia Russa

  30. img
    SANTOLA Responder

    Pais quando depende de ajuda externa da nisso pk aqui n ha como fazer magia , é ter contactos e camas feitas internacionalmente …….na politica e experiência conta muito desde as bases dos movimentos Juvenis . Entrar na politiquice sem ter bases, o povo é que sofre.

    Escolheram pra governante o partido que menos ajuda externa consegue angariar para stp com excepção do Gabão o mundo se calhar pouco ou nunca ouviram falar do ADI antes de ganharem as eleições …… mais a esperança é a ultima a morrer , vamos ver se as coisas melhoram…

  31. img
    Mimi Responder

    O que a Sra. Ministra fez transparecer ontem foi que os médicos estavam a pedir muito do que aparentemente já tinham. Francamente! Será que ela antes de ser ministra vivia ou sobrevivia? Pois se os médicos auferem 3.000.000 de dobras, quanto é que ela auferia ( e vai auferir, já que os cargos nao sao eternos), uma vez que nao é técnica superior?… Será que ela era feliz e se sentia realizada com o salário que tinha há um ano atrás?

  32. img
    Anca Responder

    Para mim, a questão fundamental prende-se com a organização/estruturação da sociedade,organização do país, das instituições e autoridades competentes, para dinamizar, e promover a engrenagem, para a quantificação e qualificação, para o crescimento e desenvolvimento.

    Hora vejamos

    Temos partidos políticos, ao quais, não se exige a apresentação de um programa de orientação,organização,estruturação, sócio-político-económico, do país, a quando do sufrágio.

    A sociedade civil organizada, as autoridades eleitas competentes, os partidos políticos, os cidadãos, têm falta de cultura e deontologia-organizacional-política-administratiza,de gestão do pais,(população, território),
    conhecemos mal os problemas que afectam, populações e do território, e mais grave não queremos saber, para a implementação de políticas de crescimento e desenvolvimento sustentável.

    Passando pela falta de moral e ética de pensamento e comportamento.

    Falta, ou não querer, saber e saber fazer.

    Falta de cultura.

    Conclusão;

    Aumento de pobreza e miséria

    Degradação moral ética, social-cultural-económica e política

    Perda de soberania e poder de estado internamente e no concerto das nações.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  33. img
    SANTOLA Responder

    Um pais para desenvolver tem que ter duas bases solidas: Saúde e Educação

    Saúde :(Resolução da Greve dos Medidos e atentar aos pedidos dos mesmos ,pk com a saúde n se brinca)

    e

    Educação (Socorro aos estudantes Santomenses espalhados em todo o Mundo)

    Negar o povo estes dois requisitos mostra assim a verdadeiro objectivo do Governo .

    Querem ver o povo burro e a morrer nas camas dos Hospitais por causas de falta de medicamentos ou pk faltaram doutores nas urgências.

  34. img
    lino Responder

    estou chocado com esta notícia!!
    Também tenho uma licenciatura e estar a ganhar 122 euros para viver com dignidade, não me parece que seja provável.
    Digo dignidade, de acordo com a classe (médica).
    Muita gente vive com menos, alguns irão dizer…mas de certeza que vivem mal.
    está provado que ir para s.tomé trabalhar para o estado é muito mau.
    122 euros!!!????
    Meu Deus!!
    Em condições normais para a classe, este valor muitas vezes gasta-se num dia para almoço.
    Uma grande treta aturar esses gajos do estado.
    Mas para eles, há sempre com fartura.

  35. img
    Arte Responder

    ESTOU SOLIDÁRIO COM TODOS OS MÉDICOS, E JULGO ATÉ QUE É PECAMINOSO NAO DAREM OUVIDOS A ESTA CLASSE. FORÇA E NUNCA DESISTAM. A LUTA É PARA VALER; NAO DESITAM. ABRAÇOS DE FUNDO DE CORAÇÃO A TODOS OS MEDICOS DE STP.

  36. img
    Iazalde santos Responder

    k vergonha para noso ESTADO.QUANDO K saimos da maldiçao?

  37. img
    MEU DEUS Responder

    APELO AO BOM SENSO DE AMBAS A PARTES

Deixe um comentario

*