Sindicato da Função Pública rejeita a cifra do aumento salarial fixada pelo Governo

O aumento salarial fixado pelo Governo no âmbito do Conselho de Concertação Social, foi rejeitado pelo Sindicato da Função Pública. Aurélio Silva(NA FOTO) líder da organização sindical, acusou as duas centrais sindicais com representação no Concelho de Concertação Social, de serem manipuladas pelo Governo.

Segundo o Sindicato da Função Pública que tem greve geral marcada para 7 de Novembro, o acordo de aumento salarial anunciado por Costa Carlos, não reflecte os interesses dos trabalhadores da Função Pública. «Não se trata de nenhuma proposta dos funcionários da função pública e não mereceu o parecer deste sindicato que controla a função pública. Essa proposta não satisfaz aos trabalhadores», declarou Aurélio Silva.

O Sindicato da Função Pública garante que mais de 60% dos trabalhadores já estão preparados para aderir a greve geral marcada para 7 de Novembro. «Quer o sindicato da função pública, a SINTRASA, quer o Sindicato dos Jornalistas e outros sindicatos da Função Pública, não estamos de acordo com este tipo de atitude do governo. Por isso agendamos para dia 7 uma greve geral para reivindicar os direitos. A proposta dos trabalhadores é de fixação do salário de base em 200 dólares para a Função Pública», sublinhou.

O facto de o Primeiro-ministro Patrice Trovoada, numa das suas intervenções a imprensa, ter posto em causa a legitimidade do Sindicato da Função Pública, Aurélio Silva, respondeu. «Até agora a atitude do senhor Primeiro Ministro tem sido arrogante, disse na comunicação social que o sindicato da Função Pública não é legítimo, quando o sindicato foi criado desde 1986. Ele diz isso porque é um sindicato que não satisfaz os interesses do governo, mas sim defende os interesses dos trabalhadores», pontuou Aurélio Silva.

Costa Carlos, Secretário-geral da UGT e porta voz do Conselho de Concertação Social, também mereceu críticas do Sindicato da Função Pública. Segundo Aurélio Silva, Costa Carlos foi nomeado pelo Governo, como membro do Conselho de Administração da CST. «Para dizer que o senhor Costa Carlos é membro do conselho de administração da CST, e por isso mesmo pertence ao governo, e não pode invocar a defesa dos direitos dos trabalhadores», declarou o líder do Sindicato da Função Pública.

Abel Veiga

  1. img
    Lévé-Léngue Responder

    O senhor tem toda a razão, pois espelha também o estado de espírito da classe. Entretanto, para que essa luta siga avante e que a classe saia vitoriosa, é indispensável que a liderança seja forte e credível. Infelizmente, a sua figura não garante esses pré-requisitos, o que sinceramente fomenta muitos receios e recuos.

  2. img
    Vida Dura Responder

    Muito bem Aurélio Silva, muito bem senhor Kawiki! É assim que se fala.
    Se for necessário uma greve geral, vamos a ela.
    Já bastam de brincadeiras com o povo, basta de brincadeiras com coisas sérias.
    Toda a gente viu e ouviu Patrice Trovoada garantir aumentos salariais significativos para o proximo OGE aquando da discussão do orçamento do ano corrente.
    Agora por de lado o sindicato da função publica é que não.
    É verdade que esse sindicato precisa reorganizar-se e b uscar outra liderança, mas enquanto isso não acontece é o senhor Aurélio Silva o seu líder. Por isso, façamos de nós mesmos homens com orgulho de viver e viver com um minimo de dignidade.

  3. img
    Brocajoia Responder

    concordo com esse sindicato quanto aumento de salário mas todavia,o sindicato tem que ter a frente dela pessoa sem rabo na estrada ou que tem muito as escondidas. Falo com conhecimento de causa.Esse sr Aurelio tem muita coisa escondida por explicar, como por exemplo, falcatroas dentro desse sindicato. Por que razão não pede uma sindicância externa às contas do sindicato e ao levantamento minucioso dos falecidos e ausentes da função pública cujas indemnizações foram papadas literalmente?
    Quando ele fizer sindicância externa ai tudo estará em aberto. Muitos ex e funcionários públicos estão ou foram enganados por esse individuo.

  4. img
    Lucastro Responder

    Sum Kauiki ê, o senhor deveria dar exemplo como “lider” sindical. O senhor trabalha? Onde? Não estará o senhor a enganar os seus companheiros?
    Eu não sou contra a greve, acho que todos os trabalhadores devem reivindicar os seus direitos, e lutar por eles, mas uma função publica como a nossa em que só se trabalha uma ou duas horas por dia?

  5. img
    Gé Borges Responder

    Meus Caros
    Falando sobre esse “nosso” Sindicato e a “nosso” ainda País…
    Tenho muito que dizer, e nem sei como e onde começar… só sei que as coisas vão mal… as pessoas são malvadas… egoístas… cheios de interesses pelo dinheiro. Que parece que ficou vicio.
    Não querendo criticar pelo negativo nestas notícias expostas, mas pedem pelo aumento do salário mínimo para mais de 3.500.000,00 Dbs, como menciona no Tela Non “O aumento salarial fixado pelo Governo no âmbito do Conselho de Concertação Social, foi rejeitado pelo Sindicato da Função Pública. Aurélio Silva (NA FOTO) líder da organização sindical, acusou as duas centrais sindicais com representação no Concelho de Concertação Social, de serem manipuladas pelo Governo.” “O Sindicato da Função Pública garante que mais de 60% dos trabalhadores já estão preparados para aderir a greve geral marcada para 7 de Novembro. «Quer o sindicato da função pública, a SINTRASA, quer o Sindicato dos Jornalistas e outros sindicatos da Função Pública, não estamos de acordo com este tipo de atitude do governo. Por isso agendamos para dia 7 uma greve geral para reivindicar os direitos. A proposta dos trabalhadores é de fixação do salário de base em 200 dólares para a Função Pública», sublinhou.”

    Meus Senhores!!! Que trabalhadores propõem a fixação do salário de base em 200 dólares?!!!
    Os de realmente, Função Pública?!!!
    Porque, para que saibam… os Funcionários da Função Pública, a maioria não fazem o realmente trabalho para ganharem 200 dólares como salário Base, isso deve ser ideia dos Sindicatos, Dirigentes Sindicatos… porque maioria deles não cumprem as 8 horas de trabalho, não dão uma resposta aquém da expectativa… e pior a Função Publica carece de Personalidade Capazes.
    Nosso Lema:
    UNIDADE – DISCIPLINA – TRABALHO
    Não sei se me entendem… mas nenhum deles são cumpridos pela maioria dos Santomenses.
    E falando dos Funcionários da Função Publica, muito menos são aqueles que respeitam o Código Deontológico das Normas e Regulamentos Internos dos seus Postos de Trabalho.
    Gracias…
    Para um Justo São Tomé e Príncipe… de oportunidades a todos, e para Todos.
    Gé Borges
    00 239 9979173

  6. img
    truquim deçu Responder

    Eu não sei se as pessoas que fizeram comentario sobre esse aspecto são membros do governo ou mandatados do governo, minha gente, coisa esta, esta mal, então vamos resolver cada coisa no seu momento propio, dizer que o Aurelho Silva não é pessoa idial para o lugar que ocupa todos sabemos, mas a questão é causa é aumento do salario no seio da função publica, esta mesmo mal, muita gente tem um montão de subissidios e os trabalhadores de baixo escalão n têm, por isso devemos aderir a greve no dia 7 e exigir o governo uma milhoria das condições para o povo de S.T.P, há gente que ganha mais de 50 milhoes de dobras por mês independente de cartões te movel energia pago combustivel grates enfim´. E são esses senhores é que exigem as pessoas de 800mil dobras fazerem tudo e nem se quer importa como é que esseas pessoas vivem, gostaria que um dia retirassem os beneficios a essas gente por apena 90 dias e dava-os 800 mil ou mesmo 3.000.000 por mês, aqui sim eles sentiriam ou alias aperceberiam de uma vez para sempre as lamentaçãos do povo trabalhador. quanto ao Aurelio Silva desejo força, e ver na medidas possivel de fazer um congresso a livre mente ao fim de os trabalhadores da função publica elegerem um outro seu representante, mas por momento vamos coloborar ao fim de sairmos vencedores

    • img
      Gé Borges Responder

      Meu Caro ”Truquim deçu”
      Não sei se entendo, ou me faz entender…
      Respeito todas as Criticas, desde que venham em benefício do País.
      A coisa vai mal, sabemos todos nós no País, mesmo sabendo que há quem finja que não existe. E que existem um desequilíbrio grande no que diz respeito ao salário da Função Publica… existe e grande desequilíbrio!!!
      Mas… não é partindo disso que o Sindicato negocie um aumento para quase o quadruplo do salário base actual.
      Só pergunto: qual foi o incentivo e a estratégia adoptada pelos Sindicatos, para fazer gerar riqueza neste País? Já que eles somente chegam a pedir o aumento de Salário… somente quando vêem para a Comunicação Social, só querem reivindicar o aumento Salarial. Acha mesmo que o Sindicato só nasceu para isso!!! Para dar cabo do País? Porque é isso que esses estão a fazer, com o pedido de aumento de salário. Porque se aumentem o salário, daqui a algumas semanas, vais ver que as coisas vão aumentar no mercado. E se vai ficar assim toda a vida?!!! Só pergunto, e me esclareçam por favor… Incentivo e estratégia.
      Só do trabalho sai o Ouro e a Prata… São Tomé e Príncipe necessita Pessoas Certas no Lugar Certo.
      Bem Haja o ainda nosso São Tomé e Príncipe

      O Ouro e a Prata se faz do Trabalho… STP DESENVOLVIDO É POSSIVEL.
      Gé Borges

  7. img
    Rebas Moris Responder

    Siga em frente meu tio. Mesmo que alguém lhe dê ” INKI” ou “INKINHO” promete-nos que o tio não vai receber. AH AH AH AH AH

  8. img
    joao pedro Responder

    qual e o salario minin?

Deixe um comentario

*