Sociedade

Conselho de Concertação Social fixou aumento do salário a nível da função pública

O governo e os parceiros sociais, reunidos em conselho de concertação social, acordaram em aumentar o salário de base em 21,63%. A partir da zona intermediária da grelha salarial o aumento é de 21%. O novo aumento salarial começa a ser implementado a partir de Janeiro de 2012.

O salário de base em São Tomé e Príncipe, subiu de 800 mil dobras, cerca de 30 euros, para 1 milhão de dobras, o equivalente a 40 euros e oitenta cêntimos. Uma decisão do Conselho de Concertação Social, após a última reunião realizada esta semana. Costa Carlos secretário-geral do União Geral dos Trabalhadores, anunciou o aumento acordado. «Houve um aumento do salário de base nos escalões mais baixos de 21,63% e do meio da grelha salarial até ao topo houve um aumento de 21%. Em termos do salário real saímos de 800 mil dobras para 1 milhão de dobras em termos de salário de base», afirmou o porta-voz do Conselho de Concertação Social.

O aumento salarial fixado no quadro do conselho de concertação social, acrescenta cerca de 170 mil dobras, para os trabalhadores de baixo escalão e 150 mil dobras para os quadros superiores. Costa Carlos reconhece que é um aumento insignificante. «Reconhece-se que se fez um aumento mas em termos reais ele não reflecte no bolso de cada trabalhador», frisou.

As duas centrais sindicais que têm assento no Conselho de Concertação Social, nomeadamente a UGT e a ONTSTEP, prometem prosseguir com as negociações no sentido de se definir o salário mínimo nacional. Carlos Costa, diz que ainda não existe o salário mínimo. No entanto acredita que até o final do ano, as centrais sindicais chegarão a acordo com o Governo com vista a implementação do salário mínimo.

Abel Veiga

    11 comentários

11 comentários

  1. Lévé-Léngue

    28 de Outubro de 2011 as 14:35

    Sr. Costa Carlos, quem te viu e quem te vê!
    Bastou ser beneficiado com um “tacho” no Conselho de Administração da CST para lentamente perder o fôlego para negociações com o 1.º Ministro.
    800.000 para 1.000.000??? Na certa o senhor dirá aos trabalhadores que esta é uma vitória. QUE IRONIA!

  2. Carlos Ceita

    28 de Outubro de 2011 as 14:52

    Desta imagem (ou será imagem do arquivo) se não for o que salta a vista é a água parada junto ao edifício dos tribunais. Isto por si só é suficiente para não comentar a notícia. Edifício dos Tribunais um órgão de soberania da republica merece respeito e prestigio. O acumular da água junto deste edifício mostra bem o estado ao que o país chegou. Quanto tempo é que esta água está lá parada? Quantos mosquitos não puseram ali os seus ovitos. Depois digam-me lá como é que se pode sequer imaginar no desenvolvimento do turismo neste país. Não é uma questão de dinheiro ou de investimento é mais uma questão de vontade de por esta água acumulada jorrar para o mar. E reparem o edifício está localizado muito pertinho do mar.
    Se isto tem vindo a acontecer todas as vezes que chove parafraseando o veterano jornalista português Fernando Pessa é caso para dizer: meu caro Presidente da Câmara de Agua Grande e esta hein.

    Abraços

    • Juocerlee

      28 de Outubro de 2011 as 19:32

      Só pra sugerir uma retificação do “post” feito pelo Sr. Carlos Ceita. A foto ilustra o Palácio do Governo, e não o Tribunal. Compreendo o equivoco, pois de facto os dois edifícios têm semelharidades entre si.

    • Anca

      29 de Outubro de 2011 as 0:09

      O ridículo e engraçado a mesmo tempo é que a Bandeira Nacional está a meia haste.

  3. Carlos Pereira da Silva

    28 de Outubro de 2011 as 16:07

    Meus senhores,

    Este nosso país está de pernas para oar ou o ABel Veiga está a nos enganar. Eu pensava que era o Governo é que fixava os salários e aumentos salariais e talvez até a Assembleia quando aprova o OGE. Mas ele vem dizer que é o Conselho de Concertação Social. Eu não percebo nada e isto não pode andar assim.
    CPS

  4. Adilino frustrado

    28 de Outubro de 2011 as 16:55

    tamos a subrir ja vamos receber um milhão que maravilha enquanto os senhores governantes continuam a banquetiar e a viajar. eu não kero voltar par ilha eu VOU VOLTAR PARA ILHA.

  5. Rosário

    29 de Outubro de 2011 as 23:22

    Caros leitores aproveito para dar algum esclarecimento.
    Anteriormente era governo que fixava o aumento salarial. Após enumeras greves e desestabilização política criou-se o concelho de concertação social que discute e aprova o aumento salarial antes de ser oficializado. Isto é, o governo apresenta uma proposta que será discutida e aprovada no conselho.
    NB: Não sou político, sou economista

  6. Rosário

    29 de Outubro de 2011 as 23:26

    No que concerne a aumento, mesmo que o valor pareça ridículo, devemos considerar uma vitória, nem nos países desenvolvidos faz-se um aumento salarial mais de 21%. Nem um aumento salarial de 100% seria suficiente para fazer face a elevado custo de vida e dos produtos no nosso querido país. Mas convenhamos, São Tomé e Príncipe é um pais que infelizmente não tem recursos próprios, ou melhor vive de 95% de ajudas internacionais, logo vamos pagar salário com o quê? O salário mínimo deveria ser de 200 USD, mais como pagamos, será que nos santomenses temos produzido o suficiente para custear as nossas despesas, ou vamos aumentar pedido de ajuda! Não seria melhor pedir ajuda para projectos de desenvolvimento! Criar empregos! etc
    Concluindo, o problema de São Tomé e Príncipe não está no aumento salarial, mais sim no excesso de corrupção. Se pouco recursos obtidos fossem aplicados em projectos de desenvolvimento o país estaria diferente.
    NB: Não sou político, sou economista

  7. Carlos Ceita

    30 de Outubro de 2011 as 12:47

    Meu caro Juocerlee obrigado pela correcção. De facto são semelhantes. Ainda assim tratando-se de um edifício governamental um potencial local de interesse dos turistas e de recepção dos diplomatas estrangeiros não se justifica agua de chuva parada ai. Não levarão (Turistas e diplomatas) com certeza muito boa imagem do país.
    Abraços

  8. Bem ni wê mali ni tlachi

    31 de Outubro de 2011 as 8:43

    Isso é uma miséria…. Não dar em nada nem para pagar transporte..

  9. Arte

    31 de Outubro de 2011 as 15:48

    Costa Carlos, sinceramente..!
    Quem te viu e quem te vê: Triste figura a sua..! Francamente.
    PRECISAMOS SIM de um novo Secretário-geral deste sindicato. Fico sem palavras!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo