“O que podemos esperar da futura postura desses jovens que nunca têm respostas para as suas perguntas?”.

Mais um grito, mais uma súplica dos estudantes são-tomenses no Brasil.  

Do grupo de Estudantes Bolsistas do Estado no Brasil ao Ministro da Educação da República Democrática de São Tomé e Príncipe.

Exmo. Senhor Ministro da Educação,

O nosso silêncio, desde a última mensagem publicada, não significa ausência das dificuldades que enfrentamos todos os dias. É sim um sinal de compreensão da situação organizacional e financeira degradante do país e, particularmente, do Ministério da Educação. Acontece que esse tempo de espera esgotou e é chegada a hora de, mais uma vez, pedirmos que seja realizado, o mais breve possível, o pagamento integral das bolsas de estudo referentes ao período de Abril a Setembro deste ano (em atraso), no mínimo. No mínimo porque teoricamente, é neste período que deveria ser realizado também o pagamento de bolsas do último trimestre deste ano.

Reparamos que as nossas mensagens não têm sido devidamente interpretadas pelas autoridades competentes. As despesas que temos são mensais e quando não são pagas, ficam acumuladas e são cobradas diariamente (em Setembro último, recebemos bolsa de 3 (três) meses sendo que devia ser de 9 (nove) e somos pressionados, com mais ou menos agressividade, para pagar as despesas de desde Abril e neste momento completamos 7 (sete) meses de dívidas e de privações). O pagamento das bolsas deve ser efectuado no valor integral (de todos os meses devidos), caso contrário não podemos quitar todas as dívidas e as dificuldades continuam presentes. É um facto que não tem recebido a devida atenção de vossa excelência e/ou do sector competente, uma vez que, independentemente de quanto tempo deixam de nos pagar, quando o fazem só pagam subsídios de 3 (três) meses. Esta situação representa um desrespeito total pelos estudantes bolsistas do Estado.

A constante situação de desrespeito pelos estudantes no estrangeiro, futuros quadros do país que somos, levanta uma questão importante para o desenvolvimento sustentável que queremos para STP: o que podemos esperar da futura postura desses jovens que sofrem tanto “na terra dos outros”, que passam por tanta humilhação, que sofrem ameaças de todos os tipos, que se sentem revoltados com este sistema corrupto onde “safa-se quem tem padrinho na cozinha” e que nunca têm respostas para as suas perguntas?

Excelência, estamos no último semestre do ano e o Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2012 já está para ser aprovado. O que podemos esperar desse programa? Existe a preocupação com o orçamento do valor dos subsídios para os estudantes são-tomenses no estrangeiro? Esperamos que essa questão seja muito bem equacionada entre o poder Legislativo e o poder Executivo para evitar as situações de fome, desespero e reivindicação que são frequentemente protagonizadas pelos estudantes bolsistas do Estado no exterior.

Como já é do vosso conhecimento, somos um grupo virtual criado para dar voz aos estudantes bolsistas no estado no exterior e faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para que os nossos direitos sejam respeitados.

Helton Neves

Hailton Sousa

Miguel Nascimento

bolsistassantolas@hotmail.com

  1. img
    Helves Santola Responder

    Respostas, queremos respostas….!!

Deixe um comentario

*