São-tomenses procuram sintonizar a Rádio Nacional mas sem sucesso

Rádio Nacional de São Tomé e Príncipe, é de longe o órgão de comunicação social que presta melhor serviço público ao país. A Agenda Pública Nacional é actualizada através da Rádio Nacional. Desde as primeiras horas de quarta feira, que os são-tomenses, perderam contacto com a nossa Rádio. Os trabalhadores entraram em greve.

A greve por tempo indeterminado na Rádio Nacional, que começou esta quarta – feira, já está a provocar reclamações por parte dos cidadãos. É através da Rádio Nacional, que os são-tomenses anunciam o falecimento dos seus entes – queridos.  É pelas antenas da Rádio Nacional, que os emigrantes são-tomenses em Angola e no Gabão, recebem notícias do país. Os que estão na terra natal, mandam recados para os seus familiares radicados sobretudo no Gabão e vice-versa.  

Quando acontece um incêndio em São Tomé, os cidadãos ligam para a Rádio Nacional, a fim dos jornalistas ou locutores de serviço, passaram o aviso de incêndio e assim alertar a corporação dos bombeiros. Quando o hospital central precisa de sangue para socorrer um doente na urgência, o recurso é a rádio nacional, para convocar o cidadão que possa doar o sangue.

A pobre Rádio Nacional, cujo edifício está praticamente em ruínas, com fissuras nas paredes que deixa entrar água da chuva por todo lado, é o órgão de comunicação social que leva ao povo são-tomense, e em directo todas as sessões parlamentares. Muita gente são-tomense e estrangeira, fica admirada com o trabalho que a Rádio Nacional presta ao povo são-tomense, durante o período eleitoral.

É o momento em que a audiência da Rádio nacional chega a atingir 100% do auditório. As últimas eleições presidenciais foram o exemplo disso mesmo. Os ouvidos do país estavam colados a Rádio Nacional, na contagem palpitante dos votos. Um trabalho árduo realizado sem meios materiais nem financeiros, mas com sucesso, graças a dedicação dos profissionais.

O Téla Nón sabe que para fazer a cobertura em directo da cerimónia de investidura do novo Presidente da República, no passado dia 3 de Setembro, a Rádio Nacional através da sua Direcção teve que bater portas alheias, para conseguir um feixe de retransmissão. Todo o país ouviu em directo tal emissão, e certamente pensou que a Rádio Nacional tinha meios para o fazer. Não.  

Num país em que parte significativa da população não tem acesso a energia eléctrica, e outra parte tem fornecimento de electricidade com cortes constantes, a rádio é sim, o órgão de comunicação social mais procurado. Muitas vezes com rádio de pilha, o são-tomense acompanha o país e o mundo.

Desde uma hora da madrugada de 2 de Novembro, que os são-tomenses buscam insistentemente sintonizar a rádio nacional mas sem sucesso. Os trabalhadores entraram em greve, após tentativa fracassada de negociação com o Governo, com vista ao estabelecimento do regime privativo na estação de rádio que funcionava 24/24.

Actualmente o salário praticado na Rádio Nacional, é de 800 mil dobras para a maioria dos trabalhadores, cerca de 32 euros, e 3 milhões de dobras para o mais alto dirigente da estação, o director, o equivalente a 122 euros.

Segundo Alfredo Medeiros, líder do Sindicato dos Jornalistas e Técnicos da Comunicação Social, o novo estatuto remuneratório proposto ao Governo desde 1 de Setembro passado, fixa o salário de base em 6 milhões de dobras, o mesmo que 244 euros, e o escalão mais alto no valor de 28 milhões de dobras, ou seja, 1142 euros.

Não houve negociação, garante o líder sindical. O Governo através do Ministro Secretário do Governo, Afonso Varela, enviou a posição do Governo por SMS ao líder sindical. Uma mensagem que segundo o líder sindical, demonstra a falta de respeito e de vontade de diálogo por parte do Governo.

Segundo Alfredo Medeiros, enquanto o Governo não se disponibilizar para diálogo franco e sério, a Rádio Nacional fica em silêncio.

Abel Veiga

  1. img
    NINA Responder

    INFELIZMENTE EM STP BEBÉ QUE NÃO CHORA NÃO MAMA.

  2. img
    Afonso Pereira Responder

    Meus senhores sejamos serios e praticos, a greve é um direito consagrado a todo trabalhador, obviamente se os trabalhadores se sentem mal remunerados devem automaticamente reivindicar. Num pais aonde se produz apenas 10% do total que se precisa pra o OGE, como poderá pagar um salario desses que voces reivindicam, sejamos razoaveis meus irmãos, sejamos serios, como pagar esse salario gente?? Entendo que existem sectores em STP aonde existem pessoas que ganham balurdes, muito superior ao que voces pedem, mas convenhamos, combater a politica com politiquices, esta mais de que provado que é inviável.
    PS: É imperioso nesse momento para o bem da nação que o poder legislativo,o poder executivo e o concelho de concertação nacional , organizem um forum para discussão do salario nacional, pois é insustentavel que uns estejam ganhando 80 milhoes de dobras, ate um simples motorista da enaport, todo mundo sabe, ganhava ate a bem pouco tempo 16 milhoes de dobras, isso nada mais é que uma palhaçada. Mas isso não deve constituir motivo para começarmos aqui a solicitar 28 milhoes de dobras quando o governo tem pra seu OGE 15,2 milhoes de dolares , isto é o total do que o nosso pais consegue produzir, faltando-nos 136,8 milhoes de dolares, entao não é preciso ser um expert em economia pra se saber que é impraticavel esse salario. Discutamos o que é razoavel, deixemos de poliquices, acacabemos com essa injustiça salarial, mas isso passa por baixar salario dos que ganham 80 milhoes.
    Um bem haja a todos, pelo bem de STP, from BRAZIL

    • img
      Vida Dura Responder

      A reivindicação e dos trabalhadores da Radio nacional, não é apenas de salario. Exigem sim aumentos salariais, mas os problemas que os afligem são varios. Não têm as minimas condições de trabalho e o pior ainda é que se sentem filhos bastardos do Estado. Desde que io Governo de Patrice Trovoada foi empossado que não se sabe nem se copnheçe quem tutela a Comunicação Social.
      o Senhor Varela, uma espécie de vioce-prim eiro ministro chegou a dizer às barbas dos trabalhadores da Radio que ele proprio desconhece o membro do govern o que deve tratar das questões da comunicação social.
      Em vésperas do início da paralização dos trabalhos da Radio o senhor primeiro ministro arruma as malas vai-se embora, leva consigo o seu adjunto Varela bem assim como o Ministro das Finanças e os coitados dos pobres desgraçados da Rádio não tinham de facto outra alternativa.
      A greve tem toda a sua razão de ser.
      O necesário préaviso de greve foi anunciado ao governo há mais de um mês e pela sua arrogância e incapacidade o governo foi recusando receber os representantes dos trabalhadores da Rádio.
      Este país está uma grande vergonha!

  3. img
    kua li piá Responder

    Esta onde de greve que se faz sentir em S.Tomé,deve-se principalmente a arrogância dos membros do governo,a falta de diálogo,a super prepotência dos mesmos.
    A onde é que já se viu que os membros do governo fazem bem o que quiserem,fazem-se dos Ministérios e as Dirrecções de sua casa.
    Este governo liderado pelo Senhor Patrice fez várias promessas e pensamos que as coisas iam mudar.
    Prometeu mais transparência na gestão da coisa pública,o que se vê é mais obscuridade na coisa pública,prometeu mais emprego,até então nada disso foi visto,o padreco Olinto Daio,prometeu mais empregos com a montagem de computadores Magalhães,nada disso,este Ministro já deveria ser demitido por esta e pela super arrogância e vingança que lhe caracteriza.Está fazendo do Ministério a sua casa ,abusando dos professores, dos pais e dos estudantes bolseiros,portanto um conjunto de coisas que vê-se logo que o Governo está afundando e jamais apoiarei o ADI,porque o Senhor Primeiro Ministro fez escolha altamente erradas para os membros do seu governo.
    Ministros altamente arrogantes e disfarçados,que pensam que sabem tudo,Ministros que não sabem dialogar,emfim assim não dá.Vamos var até que ponto vai chegar este governo…

  4. img
    Jose costa Responder

    Senhores juizes, mandem prender estes desordeiros por favor, caso estes nao estejam cumprindo a lei, como fizeram com o Barão Adelino Izidro. Num Pais em que O orcamento de estado e financiado em 90% pela ajuda externa onde se vai arranjar assim tanto dinheiro, e de repente, para satisfazer a todos numa fase em que todos sabem que o mundo vive uma crise financeira profunda? É legitimo reevendicarem por melhores condicoes salariais, mas tambem é preciso calma e bom censo na resolucao dos conflitos.

  5. img
    Assuncao Responder

    Vendam a Radio e TVS publico, e quero ver com quem ou que>, o Governo vai contar para manipular a opiniao publica…

    Com cumprimentos.

  6. img
    lino Responder

    Amigo Afonso Pereia….o seu argumento é vergonhoso.
    O senhor pergunta como pagar este salário!!??
    Respondo-lhe:
    Cortando naqueles que de modo injusto recebem muito.
    Deixe-se lá de demagogia.
    É difícil entender isto?!!
    Tb posso dizer-lhe que qualquer economista entende isto.
    Muito simples, não!?
    VoÇê sabe o que ganha muita gente aí sem merecer?!
    sabe?!
    É muito fácil falar dos outros. Voçê deve estar a ganhar bastante.
    Deixe-lá os homens reivindicar.Com o que ganham, andam na miséria de certeza.
    O povo tem de entender isso.
    A greve deve continuar.
    Deve continuar até serem recebidos condignamente, para tratar deste assunto.
    Voçê entendeu o que fez o Sr Varela?!…
    Isso faz-se?!!….Enviar sms!!!…è uma falta de respeito e de sentido de responsabilidade.
    É de certeza um dos que não merece o que ganha.
    Por mim, começava-se a cortar logo por ele.
    É irresponsável.

    • img
      Mimi Responder

      Mesmo que as reinvindicacoes sejam “descabidas” o patronato em momento nenhum vora as costas ao trabalhador. Se ele ia sair nomeava alguem para o substituir nas negociacoes. Ou pelo facto de nao estarem os patroes o pais para? A preposito, quem é o protavoz do governo ja que sairam os dois “mais velhos”? Ou a governacao esta estes dias em “stand-by”?

  7. img
    Uamato Responder

    Onde se ganha 70 80 90 milhoes e mais milhoes

    baixar para pagar melhor ao outros.

    Governo por favor agir ja o que estao a esperar?

  8. img
    Uamato Responder

    Mudem o director nao esta la a fazer nada
    gosta sim de televisao.

  9. img
    Afonso Pereira Responder

    Caro compatriota Lino, penso que ao ler o meu comentario o senhor não entendeu, entao convido-lhe a relê-lo , julgo estar muito claro, so que infelizmente, nem todo mundo que lê entende oque lê. Essa tb deve ser uma das razões de STP ter despencado tanto no novo IDH. Saudações

  10. img
    Deus nao dorme Responder

    Voces sao culpados a proxima eleicao la estarao voces a traz pensando que esse ou aquele e melhor votem em voces mesmo trabalhando de maneira que voces possam levar comer a casa ninguem muda esse pais onde ja se viu entram sem nada em pouco tempo estao ricos e outros na miseria povo atrasado deixem de leve comece a correr a mente.

  11. img
    Lembá Responder

    A Radio nacional de STP, sem jornalistas de carreira. Quem são os licenciados ou mestrados em Comunicação social ou jornalismo?
    Confunde-se locutor, colaborador com jornalista, entram todos no mesmo saco. daí ninguém vos respeitar, embora tivessem anos de trabalho.

  12. img
    Lévé-Léngue Responder

    É uma pena que as partes até agora não tenham chegado a qualquer consenso. Sinceramente, acho que falta aí bom-senso por parte do Governo, uma arrogância nunca vista neste País, como se os direitos reclamados não pertencessem efectivamente aos trabalhadores desta estação. Pelo andar da carruagem, corremos os risco de não ter a cobertura radiofónica do grande evento desportivo a ter lugar no dia 11 (STP vs Congo)… Já estava a contar com o relato integral de Tomba e Tchanóni.

  13. img
    lino Responder

    meu caro afonso pereira,
    entendi muito bem a sua exposição.
    voçê está a insinuar dificuldades de interpretação da minha parte,,..voçê conhece-me de algum lado?!conhece as minhas aptidões?
    a sua exposição é de uma escrita corente.
    nada cuidada..ok?
    só comentei a sua escrita, porque pese embora faça alusão a necessidade de se entenderem, voçê demonstra alguma pena ou conivência com os malandros que não querem saber dos outros.
    porque é que o sr. varela não atendeu como deve ser os homens?!
    acha bem?
    é cortar nesses gajos e dar melhor salário aos homens.
    só isso.
    uma vez que o governo não quer negociar, então que pague o que eles pedem.
    parece muito!?
    pode ser,…então o sr varela que não fuja as suas responsabilidades ……eve sentar-se e analisar o que pretendem.
    e encontrar uma saida.
    até lá, sou de opnião que a greve deve continuar.
    até o governo deixar de ser arogante e imprestável.
    esse gajos não prestam.
    não tenha pena deles.
    nada todos em dinheiro e gozam com os coitados.

  14. img
    NINA Responder

    OS DIRECTORES DA EMAE, ENAPORT E ENASA, GANHAM MENSALMENTE CERCA DE 90 MILHÕES DE DOBRAS. ONDE JÁ SE VIU ? STP É POBRE ? MEU DEUS …

Deixe um comentario

*