Sindicato da Função Pública adia greve geral a espera do regresso do Primeiro-ministro

O Sindicato da Função Pública, não quer avançar com a greve geral na ausência do Primeiro-ministro e de outros influentes membros do governo que se encontram ausentes do país. Por isso decidiu adiar a greve geral inicialmente prevista para hoje, para o próximo dia 28 de Novembro.

«Pretendemos que o senhor Primeiro Ministro, ajoelhe e peça perdão a todos os trabalhadores da função pública e ao seu líder por ter-nos injuriado, dizendo que a instituição não tem legitimidade», declarou Aurélio Silva, Secretário-geral do Sindicato da Função Pública.

O Sindicato da Função Pública que exige a fixação do salário de base a nível nacional no valor equivalente a 200 dólares norte americanos, contra os cerca de 50 dólares actualmente praticados, garante que a greve prevista para hoje, foi adiada porque o Primeiro-ministro e outros influentes membros do governo estão ausentes do país.

O sindicato da Função Pública, quer que o Primeiro-ministro peça perdão pelas declarações proferidas a imprensa dando conta que o sindicato da Função Pública não tem legitimidade, e que abra as portas para negociações.

Segundo Aurélio Silva a greve geral ficou marcada para 28 de Novembro. A manifestação pública dos trabalhadores licenciados também ficou adiada para 30 de Novembro. «Patrice Trovoada é arrogante. Não pauta por abertura ao diálogo. Ele utiliza o seu autoritarismo pensando que o país é a sua propriedade privada. Vamos ensina-lo a corrigir esta conduta», precisou Aurélio Silva.

Abel Veiga

  1. img
    Biboss Responder

    Caros Compatriotas, nem todo aquele que evita é burro…
    Peço-vos muita calma e coerencia na resolulação desta questão, para ambas as partes tirarem vantagens,porque se levarmos muita furia, poderemos perder tudo.Estou ao vosso lado(ao lado do povo sofredor que diz basta de injustiça).Tenho dito.

  2. img
    jaka Responder

    espero que ele coruja , porque sempre pensei que Patrice Trovoada sempre é arrogante antes de sonhar ser primeiro ministro .. Espero que possa aprender,, pode ser fim da sua carreira política

  3. img
    Santa Marta Responder

    Não é por causa da ausência do Primeiro ministro que faz adiar aquilo que foi anunciado com tanta pompa.
    Os funcionários estão cansados de ouvir esse cauique mentiroso e outro arrogante como patrice, que pensa que manda nos funcionários e assume o seu cumprimisso em nome do trabalhador.
    estero que esse comentário não seja boicotado como os outros.

    • img
      Dildo Responder

      Olá. Meu nome é Dildo Santa Marta. Tenho escutado pessoas a me perguntar sobre alguns comentários que têm sido feitos nesse jornal online. Até hoje nao tinha verificado os comentários. Aqui nao vou questionar a qualidade do comentário. Apenas gostaria de pedir-lhe que, por favor, substitui-se o santa marta. Santa Marta engloba um comentário para uma familia em São Tomé e tem, de certa forma, me envolvido em comentários que nao tem nada haver comigo. Na espera de uma resposta sua em relação ao bom senso, queira aceitar os meus cumprimentos.

  4. img
    Cobra Preta Responder

    Boa

  5. img
    Anca Responder

    Casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão.

    A montanha volta a parir um rato.

    Tanto barulho e discórdia passando pela falta de organização do país (território/povo).

    Acordemos e empenhemos por;

    Mais cultura de e pelo trabalho, mais empenho na produtividade e produção interna do país(população/território), menos cultura de ociosidade e oportunismo político.

    É verdade que temos o dinheiro de reclamar e fazer greve, pois assim prevê o nosso regime jurídico-político.

    Mas o país(população/território) depende para o seu orçamento anual de estado em 90% de ajuda e doações externas dos nossos parceiros de desenvolvimento.

    Pois o pais(população/território), está entregue e depende da vontade e conjuntura política-económica e financeira dos outros países.

    Querer aumento de 200 dólares quando só produzimos 10% de riqueza interna?

    Quando nada produzimos?

    Quando nada exportamos?

    Quando temos terra e ninguém quer a trabalhar, nem se interessa por ela, desde, as autoridades competentes até a sociedade civil?

    Sejamos mais ponderados, mais humildes.

    Mais unidade, mais disciplina, mais organização, mais empenho no trabalho e combate a corrupção, para mudarmos o rumo do país(território/população), à progresso e desenvolvimento sustentável.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  6. img
    Anca Responder

    Onde se lê;

    “temos dinheiro de reclamar”
    deve-se ler temos o direito à reclamar.

    Bem haja a todos

  7. img
    NINA Responder

    Cauíque não tem nenhuma legitimidade para ser presidente do sindicato da função pública de STP. Deve haver rotatividade.
    Ele não competente e nem sequer é honesto. O pior ainda,o cauíque não é funcionário público. Meu Deus, onde já se viu ? só em STP.

  8. img
    NINA Responder

    não é competente

  9. img
    NINA Responder

    Acho que deve haver melhoria salarial na função pública a partir de Janeiro 2012, melhoria das condições de vida,de trabalho e o pagamento do 13º mês como um direito e não apenas o subsídio de Natal como infelizmente tem sido o(salário de base). Mas uma coisa também é certa, deve haver maior exigência aos funcionários. A pontualidade,a qualidade de serviço, o cumprimento dos deveres, a avaliação, a formação, a conduta dentro e fora de serviço, a honestidade, a competência,etc, etc, devem ser o pão nosso de cada dia.Para o bem de todos,
    deve haver um equilíbrio entre os direitos e os deveres.

  10. img
    Cauteloso Responder

    O culpado disto tudo é mesmo o Patrício.Porque ele não governa com transparência.O país não tem dinheiro e muita gente que faz greve não entende isso.É preciso ter visão.Antigamente saiam da escola técnica grandes artistas e profissionais em vários ramos que a trinta minutos de avião podiam trabalhar na Guiné Equatorial como emigrantes, e trazer grandes remessas em divisa para S.tomé e Príncipe.Em vez disso mutiláram o ensino técnico, os artistas já não tem a qualidade que os samtomenses eram conotados na outrora o ensino esta de rasto, os alunos a comprarem certificados para terem bolsa de estudos para serem doutores enfim. Não sei onde o meu país vai parar. S.Tomé e Príncipe precisa de gente capaz, gente que pensa realmente com cabeça e não com os pés.Por favor governam com realismo e não com paixão falem a verdade.

  11. img
    Bernardino Almeida Neto Responder

    A greve é um dos direitos de consagração constitucional. Há direito a greve em todo o Estado de Direito Democrático. É bom que haja greve em São Tomé e Príncipe de forma a mexer um pouco a sociedade dormenta e pacata.
    Vir, como veio, de forma aliás leviana, o representante da função pública dizer que o PM deve AJOELHAR-SE E PEDIR PERDÃO, está exagerar em toda sua plenitude.
    Esse Sr. Aurélio deve ser chamado à responsabilidade por tudo quanto tem feito com relação às indemnizações dos licenciados da função pública. Há indicios sérios, fortes, e irrefutáveis de ilícitos criminais.
    E mais, as autoridades governamentais, deste e do anterior governo sabem desta realidade mas, até a presente data não mexeram uma palha (sindicância rigorosa, procurando saber dos vivos e mortos que recebem ou que receberam as devidas indemnizações). Porquê? Confesso não saber.

  12. img
    Paracetmol 500mg Responder

    Mas que raio de 1º ministro que não tem uma agenda pública. Viagem e mais viagens. Este homem não reside em stp pelos vistos.
    O primeiro ministro não domicilio profissional em stp, porque está constantemente a viajar. Por isso, se não reside em stp, devia ser destituído do cargo.

  13. img
    Voz da razão Responder

    A função pública terá que eleger outro lider sindical e mandar Cauíque trabalhar. Ele devia pegar numa parcela de terra e produzir…assim seria mais útil a nação…

  14. img
    fidelito Responder

    GOSTARIA APENAS DE SABER QUANTAS VEZES OS FUNCIONÁRIOS LICENCIADOS JÁ FORAM INDEMNIZADOS.

    O SR CAUIQUE QUE ME EXPLIQUE ISSO!

    QUE TIPO DE DESPEDIMENTO EM QUE A ENTIDADE PATRONAL ESTÁ SEMPRE A INDEMINIZAR OS DESPEDIDOS?

    O SR CAUIQUE TEM Q SER UM POUCO MAIS SÉRIO E EXPLICAR AO PAÍS ESSE PROCESSO TODO.

    ATÉ JÁ

    • img
      Brocajoia Responder

      e já agora, é bom esse senhor dizer o povo onde é que vai o dinheiro de muitos e muitos funcionários públicos que morreram já que ele ainda tem na sua lista de vivos, depois recebe a massa toda. A minha família tam bém morreu mas no momento da verdade, dinheiro ficou no bolso desse fulano, que está enriquecer com ajuda de muitos. Essa massa muitos estão a comer dela.fui!

  15. img
    Antonio Santos Responder

    Meus caros,
    O problema salarial em STP ñ està no aumento mas sim no acerto. Não se pode aceitar que alguns ganhem 50 000 000,00 dobras /mes (2000 Euros), mesmo aposentados, outros, o povo apenas 40 Euros. Mas o problema é que não encontro mesmo ninguem que toca nesse assunto.

  16. img
    José Aguiar Responder

    Até quando o referendo para a mudança da constituição, de forma a termos uma politica mais séria nete país?

Deixe um comentario

*