Sociedade

Primeira Ronda negocial entre o governo e os trabalhadores da Rádio Nacional não gerou consenso

A greve na Rádio Nacional de São Tomé e Príncipe, continua sem fim a vista. As negociações de quinta – feira, entre o governo e a comissão dos trabalhadores, não produziram consenso. . Segundo Alfredo Medeiros, líder sindical da Rádio Nacional, as negociações foram suspensas, aguardando pelo regresso do Primeiro-ministro que está ausente do país.

Os trabalhadores da rádio nacional, lamentam que as negociações de quinta-feira tenham resultado em fracasso. «Este primeiro encontro não resultou em nada. Porque não houve convergência de ideias, nem ponderação para de uma forma inteligente resolver o problema», explicou o líder da comissão dos trabalhadores da Rádio Nacional.

Segundo Alfredo Medeiros, face a intransigência do Governo em aceitar a proposta de aumento salarial, com o argumento de que os cofres do Estado não podem dar sustentabilidade a tal reivindicação, a comissão dos trabalhadores, decidiu retirar a proposta inicial.

Ao longo da negociação, o Governo concordou que apresentassem uma contra proposta, que define apenas o pagamento de subsídios aos trabalhadores. Uma forma de melhorar o rendimento dos profissionais.

A reunião foi suspensa e retomada no segundo período de quinta – feira. Momento em que os trabalhadores da Rádio nacional, apresentaram a contra proposta. Mas foi inútil. «Propusemos subsídios de 120% para chefia e 240% para a categoria que vai de ajudante técnico até encarregada de limpeza. Isso foi rejeitado categoricamente. Eles disseram que não têm poder de decidir. Fomos recebidos por três indivíduos, nomeadamente o Doutor Varela Ministro Secretário do Governo, o Ministro da Justiça e o Director do Orçamento», acrescentou Alfredo Medeiros.

As negociações estão suspensas, até o regresso do Primeiro-ministro Patrice Trovoada, que depois de chegar a São Tomé na última terça – feira, após visita aos Estados Unidos de América, logo de seguida voltou a viajar. «Como o senhor Primeiro Ministro se encontra ausente do país, estamos a espera para sermos novamente convocados para encontro», concluiu o líder da comissão de greve da Rádio Nacional.

Abel Veiga

    15 comentários

15 comentários

  1. NINA

    11 de Novembro de 2011 as 15:02

    MEU DEUS …

  2. Paparazi

    11 de Novembro de 2011 as 15:15

    Mas este sr 1 ministro e só viajar chega Terça e sai logo entao com que dinheiro ele viaja

    • Sum-Zaquin

      12 de Novembro de 2011 as 14:34

      O Senhor patrice Trovoada comete duas faltas de respeiro. Primeiro falta respeito aos trabalhadores da radio nacionel em greve e ao povo santolmense privado das emissões da rádio em geral, sem lhes dar qualquer confiança visando encontrar uma saida para a greve que já dura duas semanas, e depois volta a faltar respeito aos santomenses in do para o Gabão assistir um jogo na FIFA quando no seu proprio país, também com um jogo internacional da FIFA ele fica ausente.
      Sempre se disse que este Patrice é mais de lá do que de aqui.
      Agora já se começa a dar razão aos verdadeiros santomenses.
      E pior de tudo é que o homem não está a governar coisa nenhuma, só pasa a vida a viajar e a pedir dinheiro como um mendigo ao seus amigos para seus proprios bolços.
      Abra olho santomense!

      • Leonel Vaz dos Santos

        14 de Novembro de 2011 as 11:46

        Este é primeiro ministro ou caixeiro viajante? Este homem é mesmo sãotmense?
        Vem dos E.U.A. e Portugal no dia seguinte viaja para Gabão para assistir a um jogo particular entre ~Gabão e Brasil. Logo a seguir vem para o país e viaja para Cuba e Venezuela.
        Que Primeiro ministero é este! Com uma greve no sector que ele tutela, não dá confiança a ninguém e viaja como se fosse que S.T.P.é dele.
        Eu sei muitas coisas sobre este indivíduo. Brevemente vou abrir a boca com documentos.
        Ele andou a pagar o correspondente da RDP- África em S.Tomé e o jornalista Carlos Menezes da mesma Rádio para passarem só informação que punha em causa o governo de Rafael Branco. Hoje nem notícia da greve da RNSTP não passa na RTP-ÁFRICA. sE TIVERMOS MEMÓRIA FRESCA na segunda volta das eleiçoes presidênciais esta estação radiofónica passava os tempos de Antena do candidato do ADI.
        Gostaria que o senhor Óscar Medeiros e Carlos Menezes fizessem um favor ao povo de S.T.P., quando chegar ao peírodo eleitoral que suspendessem as suas actividades nesta Rádio.
        O patrice Trovoada não é culpado. O culpado somos nós que elegemos um estrangeiro para governar o nosso pais.

      • Cosme Alberto

        14 de Novembro de 2011 as 11:54

        Este é primeiro ministro ou caixeiro viajante? Este homem é mesmo sãotmense?
        Vem dos E.U.A. e Portugal no dia seguinte viaja para Gabão para assistir a um jogo particular entre ~Gabão e Brasil. Logo a seguir vem para o país e viaja para Cuba e Venezuela.
        Que Primeiro ministero é este! Com uma greve no sector que ele tutela, não dá confiança a ninguém e viaja como se fosse que S.T.P.é dele.
        Eu sei muitas coisas sobre este indivíduo. Brevemente vou abrir a boca com documentos.
        Ele andou a pagar o correspondente da RDP- África em S.Tomé e o jornalista Carlos Menezes da mesma Rádio para passarem só informação que punha em causa o governo de Rafael Branco. Hoje nem notícia da greve da RNSTP não passa na RTP-ÁFRICA. sE TIVERMOS MEMÓRIA FRESCA na segunda volta das eleiçoes presidênciais esta estação radiofónica passava os tempos de Antena do candidato do ADI.
        Gostaria que o senhor Óscar Medeiros e Carlos Menezes fizessem um favor ao povo de S.T.P., quando chegar ao peírodo eleitoral que suspendessem as suas actividades nesta Rádio.
        O patrice Trovoada não é culpado. O culpado somos nós que elegemos um estrangeiro para governar o nosso pais. Amém.

  3. jose carlos

    11 de Novembro de 2011 as 15:47

    ontem vi o primeiro ministro ao lado do Ali Bongo a assistir o jogo Gabão- Brasil, esse Patrice anda a brincar com os saõ-tomenses

  4. Jójó

    11 de Novembro de 2011 as 17:01

    Ele está a tratar da Vida dele, se não pusermos a páu, ele vai rir-se de nós os Santomenses, chamando-noas de Bobos, pque deixamos tudo andar, mas vendo as asneiras serem feitas na nossa cara

  5. safú zedo

    11 de Novembro de 2011 as 17:02

    boa ADI— deixa-nos governar…. é assim que governa? povo saberá julgar os deixar-nos trabalhar…. viva democracia –a posição é assim que faz politica em pais democratico….boa PCD,MDFM,MLTP…continuam com a oposição …o povo que deixem a oposição trabalhar— fazer o seu papel que até agora está melhor q o governo…

    • Zulmira

      12 de Novembro de 2011 as 14:36

      Comcordo com Safu Zedo.
      A oposição finalmente parece ter despertada.
      O país está mesmo de pernas para o ar e muitos negócios escuros parecem estar em carteira governaiva.

  6. Anibal Pontes

    11 de Novembro de 2011 as 21:20

    Se nós santomenses, de topo a base não decidirmos servir ao País ao invés de estar a servir-se dele , estaremos condenados a adiarmos mais uma vez o nosso País. Percebe-se de longe que o governo esta desorientado,e o primeiro ministro não sabe o que fazer. O sr primeiro ministro vê-se de longe, quis mais, se eleger para satisfação do seu ego, do que espirito de missão e de servir a nação. Pensava que com a eleição deste senhor pudessemos inverter essa maré de desgraça e estagnação que nos assola desde da independencia. Enganei-me por completo, agora ganhamos outros tipos de politicos e formas novas de se governar. Adotou-se o DESRESPEITO para com o cidadão trabalhador, e uma arrogancia sem precedentes, tipico dos paises onde reina a ditadura . Miguel Trovoada, um gentleman pra muitos, pelos vistos não soube cuidar do seu unico filho. Enfim, me dilacera o coração , so de pensar que tive um filho ai, infelizmente.
    Como pode o sr primeiro ministro depois de varios dias de ausencia e o País debaixo de toda essa convulsão viajar e deixar tudo como se nada tivesse acontecendo!?
    From Brasil…

  7. ADELINO DOS SANTOS

    12 de Novembro de 2011 as 8:11

    Esse 1ºministro anda sempre ausente do País

    • Agostinho Fernandes

      12 de Novembro de 2011 as 14:39

      Se o primeiro ministro está a viajar, deixa ele com vida dele. Se ele está a tratar de vida dele é porque ele não é burro.
      Invejosos.

  8. lino

    12 de Novembro de 2011 as 11:30

    como dizia o nosso compatriota e bem….o sr. patice anda a tratar da vida dele.
    por isso, o povo que tenha paciência…A GRVE DEVE CONTINUAR.
    o varela e companhia fazem boa vida e os outros que se lixem.
    força aí, rapazes.

  9. Olhos Vivos

    12 de Novembro de 2011 as 15:29

    Olhos Vivos – (12-Nov.2011)
    Comentário Nrº.39/11
    Boa Tarde,
    Enquanto assistimos as passeatas sem produzir algo palpável para o bem colectivo ,o nosso 1º. Ministro P.T. vai adiando cada vez mais as grandes decisões que o País precisa e o Afonso Varela, ao que tudo indica é o Peso pesado deste Governo. Como figura nr. 2, do executivo demonstra algum nervosismo, fragilidade e desgaste. Porquê? Eu explico: Porque está em todas. É um Ministro sem pasta e por via disso, tem cometido imensas falhas.Atrevo-me dizer que, tudo isto deve-se a ausência do Chefe do Governo que está mais fora do que dentro do País para cuidar dos seus negócios.Perdoem-me meus amigos e com todo respeito Srº Ministro Secretário do Governo de menoria do ADI. Se eu fosse a sí e depois de todas trapalhadas que se tem verificado nas ultimas semanas, punha o lugar a disposição para evitar a estagnação e que V.Excia não seja apontado como factor de instabilidade deste Governo. Não estão em causa as suas capacidades e qualidades técnicas, mas sim, as estratégias e o enquadramento do elenco Governamental: Em nome dos princípios elementares e dos interesses nacionais, peço-lhe: Demita-se Srº. Ministro para ver como é que o Srº.PM, se vai safar e para não provovar mais estragos.V. Excia, ainda não percebeu que esta forma Governar o País pertence ao passado?
    Agora questiono ao chefe do Governo:Srº. PM, não acha que este Governo já deveria ser remudelado para permitir uma maior suavidade na linha de actuação de cada Ministério ao mesmo tempo refrescar as multiplas tarefas do Ministro Sec.do Grverno “O MINISTRO DE FAZ TUDO”, com vista a proporcionar outra dinamica e um melhor ambiente de trabalho no desempenho dos seus membros para possibilitar ao titular de cada pasta uma nova filosofia de gestão nos assuntos de domínio do sector público e privado para travar estas ondas de prolongadas greves. E para finalizar,permita-me que eu lhe dirija quatro perguntas telegraficas:Srº. PM, O que é que nos tem a dizer sobre o tecido empresarial do nosso País?O que é que podemos esperar de sí atá o fim da legislatura?Como é que estará o País até 2014? A comunidade emigrante e a revolta dos nossos estudantes bolseiros no estrangeiro não o preocupa? Que perspectivas para STP e se haverá mexidas no seu Governo,SIM ou NÃO?O País precisa saber!Olhos Vivos.

  10. Mimi

    14 de Novembro de 2011 as 8:51

    Mas o “Governador” de S. Tome e Principe, governa de fora ou de dentro do pais? Na sua ausência, nao se decide nada! e ele passa a maior parte do tempo lá fora. Qaul o numero de dias contados esteve o Sr. Primeiro Ministro dentro? e fora? a quem e que ele presta contas? Que ao menos o povo soubesse o quê que ele vai fazer. Justificam-se tantas idas e vindas quendo nao se vê de concreto nenhum resultado?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo