Cinco dedos de mão direita para erguer São Tomé e Príncipe

Carlos Hernandez, especialista do Banco Mundial que esteve em meados de Outubro último em São Tomé e Príncipe para ajudar o Governo a formatar o OGE – Orçamento Geral do Estado para 2012, traçou no seu recente estudo as cinco medidas para as ilhas saírem do fosso económico e financeiro:

1 – Manter um quadro económico estável;

2 – Acelerar o incentivo do capital humano nomeadamente na educação e na saúde;

3 – Melhorar o clima de investimento privado;

4 – Melhorar a efectividade do sector público;

5 – Superar o deficit do sector público, com incidência nas áreas de energia e telecomunicações.

O espanhol realçou no seu estudo de que as políticas do Governo na criação de incentivos para atrair investimentos privados e manter um quadro macroeconómico estável têm que ser aceleradas, assim como as reformas nos sectores de energia e telecomunicações têm que seguir a velocidade necessária da modernidade para o país não continuar adiado nas suas politiquices bizarras.

De tudo quanto recomendou o funcionário do Banco Mundial no seu estudo, nada é novo nas lengalengas dos vários Governos que o país vem conhecendo a não ser o momento político com as jovens caras que o Primeiro-Ministro mantem confiança na intocável equipa governante ajustada a estabilidade nos dossiers político, económico e social das ilhas.

Para atrair o investimento estrangeiro e em sequência desse estudo, os são-tomenses tomaram, no dia 20 de Outubro, a boa nota na subida do país no ranking anual em termos de negócios num relatório de Doing Businnes 2012. São Tomé e Príncipe “é o país ao sul do Sahara que teve mais progressos no relatório. O país subiu 11 lugares.” Palmas! 

Na mesma semana em que foi conhecido esse estudo também referindo que São Tomé e Príncipe não precisa do petróleo para desenvolver, os são-tomenses viram um jornal de distribuição gratuita nas ilhas a ser levado a barra dos tribunais pelo Governo, que acusou a imprensa de falsa notícia a colocar na boca do povo de que os membros do executivo são-tomense auferem de forma ilícita um salário mensal a rondar os 540 milhões de dobras, contrário ao salário médio dos são-tomenses de pouco mais de um milhão de dobras. Ministros ganham 539 milhões de dobras (22.000€) de fundos desconhecidos, é o título da notícia que levou o jornal a justificar no Tribunal o pé-de-vento.

Enquanto isso e longe da comunicação social, o Governo representado pela ANP – Autoridade Nacional de Petróleo na pessoa do seu Director e a Oranto Petroleum, uma empresa desconhecida do mundo de hidrocarbonetos e de capital nigeriano, vencedora do primeiro leilão dos blocos da ZEE – Zona Económica Exclusiva, chegaram ao acordo de partilha de produção do Bloco 3. O acordo selado na capital São Tomé, no dia 15 de Outubro, um ano depois da abertura das propostas, realizada à 17 de Dezembro de 2010, contrário a legislação parlamentar respeitou, brutalmente, a velha norma negocial de que o segredo é a alma do negócio, estipulando para quase, mais duas décadas, o tempo de vida útil para que os são-tomenses, eventualmente, beneficiem de um bem natural, já explorado pelos países vizinhos, com o Estado a arrecadar dois milhões de dólares americanos pelo bónus de assinatura. Valor desprezível considerou a Associação dos Economistas de São Tomé e Príncipe.

Por mais que os estudos venham a praça pública anunciar que o petróleo não é uma saída dos são-tomenses da maldição do subdesenvolvimento nem a curto, nem a médio, nem ao longo prazo, na vizinha Guiné Equatorial arquitectada pelos engenheiros africanos, já é visível o mais recente fruto da produção petrolífera na construção do país, o comum dos são-tomenses não precisa de especialistas para lhes direccionar a paralisia do país que colide com o bem-estar de alguns que há muito já cheiram o petróleo com o luxo e a estravagância que exibem acima da cruzada da população sem a água potável, a energia, a habitação, a saúde, a educação e tudo quanto é básico para a dignidade humana.

Os fantasmas deixaram de assustar a ciência, mas em São Tomé e Príncipe o fantasma de petróleo continua a criar diferenças sociais que assusta até o diabo no inferno, ao ponto da população desfavorecida, já há anos, não ter por onde mais apertar o cinto.

Enquanto o país subiu 11 lugares num ranking, em termos de mercado para negócios, num outro, devido aos novos critérios introduzidos nos cálculos de 2011 do IDH – Índice do Desenvolvimento Humano do PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, tornado público no dia 2 de Novembro, São Tomé e Príncipe a duas velocidades, desceu de 127ª posição (Desenvolvimento Humano Médio) conseguida em 2010 para 144ª posição (Desenvolvimento Humano Baixo), ainda assim à frente de Angola (148ª), Guiné-Bissau (176ª) e Moçambique (184ª). A Líbia é o país africano mais bem cotado na lista do IDH de 2011, ocupando o lugar 64º. Há quem ainda queira anotar algo em relação a Líbia?

O 1º Ministro Patrice Trovoada assessorado pelo Ministro Secretário do Governo, Afonso Varela e o Ministro das Finanças e Cooperação Internacional, Américo Ramos (os três decisores do Governo no diálogo com os sindicalistas que foram autorizados por estes através de um SMS a paralisar, no dia 2 de Novembro, a Rádio Nacional e retirar do povo a companheira amiga e informativa) deixaram o país no último fim-de-semana de Outubro, com um ranking de 11 pontos na manga para conseguir os milhões necessários para o OGE de 2012 e, não só, tomaram conhecimento que um outro ranking anunciava a queda do país em 17 pontos por causa da fraca educação, a precária assistência na saúde e as desigualdades salariais que empobrecem cada dia mais as populações e aniquilam a esperança de vida dos são-tomenses. 

Por mais que sejam perfeitas as encomendas legislativas e executivas para o desenvolvimento de São Tomé e Príncipe, se continuar doentia a mente dos decisores das políticas e estratégias económicas que, de um lado, nos momentos eleitorais distribuem o dinheiro selvagem perante a pobreza da população como se de algo inútil tratasse, o país precisa navegar mais, traçando metas e prazos a atingir em cada legislatura, dando assim, um sinal positivo de existência. Quando terminar o ciclo do mais puto Governo da nossa democracia, que obras registará a enciclopédia dos são-tomenses?        

É de recordar que o Banco Mundial e o FMI, entraram na agenda de relançamento económico de São Tomé e Príncipe, há mais de duas décadas ditando o fecho dos hospitais distritais, restando apenas o hospital central na capital e um outro na Região Autónoma do Príncipe para o Estado concentrar os gastos públicos em saúde a dimensão territorial e populacional do país (daí que, na ausência de acessibilidades rodoviárias, preventivamente, toda a população desceu pá cidade) e, ditou ainda à economia estatal a distribuir as antigas roças em parcelas para o envolvimento privado no sistema produtivo do país (sem meios para quem trabalhe a terra).

Tratando-se de uma data comemorativa alargada a comunidade são-tomense no Sulu e, não só, é apetecível dirigir aos manos angolanos de forma particular e a todos quantos se sintam a data o seu dia de festa. Parabéns Angola!

Nós não queremos cópias de outros países. Temos que organizar o nosso país de acordo as condições que aqui existem. (…) Temos sim, aprender tudo aquilo que existe no Mundo e que seja útil para o nosso povo.

(…) Mas não copiar mecanicamente porque isso seria contraproducente.” Agostinho Neto (1922-1979) 1º Presidente de Angola

11.11.11

José Maria Cardoso

  1. img
    Adelino ja digo Responder

    essas medidadas sem gozo, naoé digna de um ESPECIALISTA no banco mundial. Mesmo um garoto pode dar essas medidas.

    Ou isto nao passa de um équivoco, ou banco mundial emprega pessoas de qualidades medicres.

    basta saber ler e ser razoavelmente informado para ber que nao podemos imprescidir das ditas 5 medidas:

    1 – Manter um quadro económico estável;

    2 – Acelerar o incentivo do capital humano nomeadamente na educação e na saúde;

    3 – Melhorar o clima de investimento privado;

    4 – Melhorar a efectividade do sector público;

    5 – Superar o deficit do sector público, com incidência nas áreas de energia e telecomunicações.

    A medida para sao tomé sair do desenvolvimento nao sao économicas mas sim juridicas:
    1. lut

  2. img
    Anca Responder

    Aproveito para deixar aqui uma informação importante no que toca ao desenvolvimento futuro dos cuidados de saúde e medicina do país(território/população), e da África no geral.

    Num artigo citado, pela revista CiênciaHoje;

    “Investigação abre caminho para nova vacina contra a malária”

    “Investigadores ingleses descobriram como vírus invade glóbulos vermelhos”

    “Cientistas do Wellcome Trust Sanger Institute, no Reino Unido, descobriram a forma como o vírus da malária invade os glóbulos vermelhos, o que poderá abrir caminho ao desenvolvimento de uma vacina, noticia hoje a revista científica «Nature».”

    “”A nossa descoberta foi inesperada e mudou completamente a forma como vemos o processo de invasão” do parasita no sangue humano, explicou Gavin Wright, do Wellcome Trust Sanger Institute, co-autor da investigação.” “”Parece ter revelado um calcanhar de Aquiles na forma como o parasita invade os glóbulos vermelhos.” “É recompensador ver como a nossa técnica pode ser usada para responder a problemas biológicos importantes e lançar as fundações para novas terapias”, disse ainda.”
    “A malária mata aproximadamente um milhão de pessoas todos os anos, sobretudo crianças com menos de cinco anos na África subsaariana, mas ainda não há uma vacina disponível.” “A descoberta de Gavir Wright e dos seus colegas permite entender como a mais mortal das espécies do parasita da malária, Plasmodium falciparum, invade os glóbulos humanos nos seres humanos.” “Através de uma técnica desenvolvida no Wellcome Trust Sanger Institute, descobriram que o parasita depende de um único receptor na superfície do glóbulo vermelho, o que parece abrir caminho ao desenvolvimento de uma vacina.”

    “O estágio sanguíneo do ciclo de vida do Plasmodium começa quando o parasita invade os glóbulos vermelhos e é esta fase que é responsável pelos sintomas e pela mortalidade associada à doença.” “Há muitos anos que os cientistas tentam desenvolver uma vacina que impeça o parasita de entrar nos glóbulos vermelhos, mas até agora não tiveram êxito.”

    “Um dos problemas é que o parasita é adaptável.” Embora muitos receptores dos glóbulos vermelhos tenham sido identificados, até agora nenhum mostrara ser essencial: quando se impedia a entrada por um dos receptores, o parasita mudava para outro.” “A descoberta agora divulgada mostra que há um receptor que é essencial ao parasita para invadir.”

    “Além de identificarem esta interligação, os cientistas demonstraram que interrompê-la bloqueia completamente o acesso do parasita ao glóbulo vermelho. E isto verificou-se em todas as estirpes do parasita que foram testadas, o que parece indicar que este receptor é uma porta de entrada universal.” “Os investigadores esperam que a dependência do parasita nesta proteína possa agora ser explorada para desenvolver uma vacina.”

    “”Ao identificar um único receptor que parece ser essencial para o parasita invadir os glóbulos vermelhos do sangue humano, também identificámos um foco óbvio e muito interessante para o desenvolvimento de uma vacina”, disse Julian Rayner, co-autor da investigação.” “”A esperança é que este trabalho leve a uma vacina eficaz”.”

    “A vacinação contra a malária será a forma mais simples e com melhor relação custo-benefício para proteger as populações contra a doença.” “No entanto, para que esta abordagem funcione a nível da população, a vacina tem de ser altamente eficaz para que a vasta maioria das pessoas vacinadas fique imune à doença.” “A investigação do Wellcome Trust poderá levar a este objectivo.”

    In CiênciaHoje

    Relacionemos a informação, e o conhecimento, para saber, e saber fazer melhor.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos Bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. img
    Anca Responder

    Meus parabéns, á José Maria Cardoso, pela forma organizada e sintetizada, como expõe, a sequência dos factos sociais, políticos, económicos e financeiros que condicionam a nossa sociedade.

    Quanto ao desenvolvimento, modernização e erguer São Tomé e Príncipe, importante e necessário se torna, pensamento novo, atitude novas.

  4. img
    NINA Responder

    BOM SINAL

  5. img
    Respeito Responder

    Hever Vamos,e que a estabilidade seja duravel.

  6. img
    Eperanças Renovadas Responder

    Concerteza! Sou adepto desta corrente de pensamento de que a construção das sociedades fazem-se com valores humanos,determinação e mentes sã,entre outros valores que constituem os pilares da Democracia.A construção de um País não se faz apenas com os números porque as pessoas não são mercadorias. Parabéns JMC pelo seu artigo, um bom fim de semana a todos e votos de continuação,buscando forças e inspiração onde elas não existem ao serviço da Patria.!E.R.

  7. img
    Tomba Aly (Cantagalense) Responder

    O Caminho é:
    1. Estabilidade Politica e Governativa
    2. MAis Trabalho
    3. Unidade
    4. Luta conta a corrupção e os Tribunais a funcionarem (STP Trading, PAsseios, GGA. Doca, Mercado Coco Coco, etc)

    5. Nada de queda de Governo mais puto (Como disse José Maria Cardoso).

    MAs é esse Governo mais puto que está a organizar.

    É esse Goveno mais puto que está distante de escândalos da corrupão

    É com esse Governo mais puto que o país vai ganhando credibiliade e confiança ao nível internacional

    É com esse Governo mais puto que o país vai dar passos. Prque se os Governos menos puto (MLSTP/PCD) tivesse tanta experiência como advogam o país não estaria no estado em que se encontra.

    6. José maria cardoso, por favor escreva sobre o desempenho dos teus governos (MLSTP/PCD). José escreva sobre 1.6 mulão de dólares do Governo Japonês. Escreva sobre a carta Rogatória que Brasil enviou pa STP em que esse Governo mais puto vai ter que pagar os 5 milhões de dólares da STP Trading. Escreva sobre os passeios, a doca, GGA e mercado do COco Coco que está preste a matar pessoas, mercado que teu comparça contruiu e ganhou dinheiro para MLSTP dá banho.

    José escreva de assuntos que pode dispertar a consciencia dessa sociedade. Assuntos concretros

    Se esse Governo cair, o povo vai sair À rua. Mezocanos junten-se a nos cantagalences

  8. img
    Tomba Aly (Cantagalense) Responder

    O Caminho é:
    1. Estabilidade Politica e Governativa
    2. MAis Trabalho
    3. Unidade
    4. Luta conta a corrupção e os Tribunais a funcionarem (STP Trading, PAsseios, GGA. Doca, Mercado Coco Coco, etc)

    5. Nada de queda de Governo mais puto (Como disse José Maria Cardoso).

    MAs é esse Governo mais puto que está a organizar.

    É esse Goveno mais puto que está distante de escândalos da corrupão

    É com esse Governo mais puto que o país vai ganhando credibiliade e confiança ao nível internacional

    É com esse Governo mais puto que o país vai dar passos. Prque se os Governos menos puto (MLSTP/PCD) tivesse tanta experiência como advogam o país não estaria no estado em que se encontra.

    6. José maria cardoso, por favor escreva sobre o desempenho dos teus governos (MLSTP/PCD). José escreva sobre 1.6 mulão de dólares do Governo Japonês. Escreva sobre a carta Rogatória que Brasil enviou pa STP em que esse Governo mais puto vai ter que pagar os 5 milhões de dólares da STP Trading. Escreva sobre os passeios, a doca, GGA e mercado do COco Coco que está preste a matar pessoas, mercado que teu comparça contruiu e ganhou dinheiro para MLSTP dá banho.

    José escreva de assuntos que pode dispertar a consciencia dessa sociedade. Assuntos concretros

    Se esse Governo cair, o povo vai sair À rua. Mezochianos junten-se a nos cantagalences

  9. img
    Nando Vaz (Roça Agostinho Neto) Responder

    1 – Manter um quadro económico estável;(gostaria que o Sr. simpleficasse esta frase)

    2 – Acelerar o incentivo do capital humano nomeadamente na educação e na saúde;

    3 – Melhorar o clima de investimento privado;

    4 – Melhorar a efectividade do sector público;

    5 – Superar o deficit do sector público, com incidência nas áreas de energia e telecomunicações.

  10. img
    rapaz de riboque Responder

    pelo menos na foto estão amigos a rir sera que é mesmo verdade esta amizade ou para enganar o povo?

  11. img
    Floli Canidu Responder

    Olhem que na foto os dois homens dos nossos tribunais não estao a rir!!!Porque será?

Deixe um comentario

*