Sociedade

ONG “Conselheiros da Visão” e as Forças Armadas promovem saúde ocular

Mais de 1000 pessoas entre crianças e adultos já foram assistidas pela equipa da ONG portuguesa Conselheiros da Visão que em parceria com as forças armadas são-tomenses, está a fazer o rastreio da saúde ocular no país. Segundo a ONG portuguesa catarata é o mais grave problema de visão no país.

A catarata ocular é um dos graves problemas de saúde ocular em São Tomé e Príncipe. Constatação da ONG portuguesa Conselheiros da Visão. Das 1000 pessoas rastreadas na campanha que começou na zona sul de São Tomé e está a evoluir na região centro da ilha, foram registados 700 casos de doenças oculares como catarata e outras perturbações visuais, como a miopia e a hipermetropia.

De mãos dadas com as forças armadas de São Tomé e Príncipe, os problemas de visão de centenas de são-tomenses, sobretudo a população mais pobre, estão ser devidamente tratados.

Segundo Rafael Silva da ONG Conselheiros da Visão, durante o rastreio que está a ser feito em toda a ilha de São Tomé, a catarata é a patologia ocular mais dominante. Doença que com tempo evolui provocando a cegueira. Para situações de catarata os pacientes estão a ser conduzidos ao hospital central, e alguns casos operados.

A acção solidária que nasceu de contactos entre o Comandante do Exército, o Tenente-coronel Idalécio Pachire e a ONG portuguesa está a oferecer óculos a centenas de pessoas que sofrem de perturbações ou erros oculares.

O Major Tomé da Glória, que comanda a operação dos militares de apoio social, em parceria com os Conselheiros da Visão, Forças armadas são-tomenses, fez questão de explicar que os tempos são outros. Os militares devem contribuir directamente para o desenvolvimento do país e o bem-estar das populações.

Por isso os militares estão agora na trincheira lutando pela melhor saúde ocular no país, principalmente no seio das populações mais desfavorecidas. A campanha que começou no distrito de Caué, sul de São Tomé, já passou por Cantagalo e Lembá e nesta quinta – feira entrou pelos distritos de Lobata e Mé-Zochi.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. luisó

    18 de Novembro de 2011 as 16:08

    É assim mesmo que deve ser, as Forças Armadas ao serviço das populações em tempo de paz. Saudações e cumprimentos por esta acção das F. Armadas STP na pessoa do seu Comandante.

  2. luisó

    18 de Novembro de 2011 as 16:14

    correcção: “deve escrever-se”

  3. ESMERALDA

    18 de Novembro de 2011 as 19:08

    BOM SINAL

  4. luisó

    18 de Novembro de 2011 as 23:21

    caro abel veiga,
    já vi que corrigiu os erros do texto.
    agora está muito melhor, mas não quer dizer que o texto esteja bem escrito, há algumas gralhas de português, mas pronto não se pode ser perfeito.
    já agora depois de ter retirado o meu comentário um obrigado não ficava mal.
    obrigado.

  5. gilmar santo

    21 de Novembro de 2011 as 8:26

    bom cinal,estou muito grato por este cinal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo