4 Milhões de euros de Taiwan financia maior unidade de capitação e distribuição de água em São Tomé

A obra cuja primeira pedra foi lançada no último fim-de-semana, estará concluída dentro de 2 anos. 11 comunidades do distrito de Lobata, incluindo a região norte do distrito de Água Grande, são os principais beneficiários da água potável, que vai ser captada na Roça Formosa.

Taiwan, que financiou e deu apoio técnico a São Tomé e Príncipe, para criação de um Master Plan, para captação, tratamento e distribuição de água potável em todo o país, financia a construção de um dos maiores sistemas de captação e distribuição de água na ilha de São Tomé.

4 milhões de euros, vão permitir a construção de 4 estações de tratamento de água superficial, com capacidade de produzir diariamente mais de 5 milhões de litros de água potável. As obras que começaram este fim-de-semana na Roça Formosa, antiga dependência de Monte Café, deverão estar concluídas em 2013.

11 localidades a maioria do distrito de Lobata, como a comunidade piscatória de Praia Morro Peixe e outras, assim como as populações que habitam a zona norte do distrito de Água Grande, nomeadamente as Praias Cruz, Loxinga e Gamboa, nos arredores do aeroporto internacional, terão o problema de água resolvido em 2013. «Com esse projecto que ultrapassa 4 milhões de euros e que vai garantir cerca de 5 milhões de litros de água por dia, as populações de Lobata e da zona norte de Água Grande terão acesso a água», garantiu o Primeiro Ministro Patrice Trovoada.

O Chefe do Governo que junto com o embaixador de Taiwan, lançou a primeira pedra para construção do grande projecto de adopção de água a população, agradeceu o apoio de Taiwan. «Queria agradecer Taiwan, porque vai ser com o fundo de Taiwan que vamos conseguir realizar essa grande obra que vai servir uma boa parte da nossa comunidade», frisou Patrice Trovoada.

O embaixador de Taiwan, aproveitou para anunciar que para além do projecto lançado na Roça Formosa, o seu país apoia São Tomé e Príncipe, vai executar mais dois projectos de adopção de água potável a população. Projectos que fazem parte do plano mestre de água potável, elaborado há cerca de 2 anos em parceria com o Estado são-tomense.

Abel Veiga

  1. img
    ESMERALDA Responder

    BOM SINAL

  2. img
    José dos Santos Responder

    Ele diz:
    Foi executado um grande projecto para a melhoria de abastcimento de água a bairro de oque del rei e não só, infelismente para este bairro foi uma decepção particularmente as pessoas que são abastecidas com um tubo enterrado no solo a mais de 50 anos. Antes do projecto está zona tinha água diáriamente entre as 5:00 horas e 9:00 horas. Na execução do projecto foi feito um levantamento topográfico entre o depósito Água Clara (Mesquita)e a estrada que liga oque del rei à Congá o que tinha deixado a população alegre pelo facto iria passar um tubo nesta zona em substituição deste enterrado a mais de 50 anos, afinal o que se observou não foi executado esta parte. Com o fim do projecto os residentes passaram a ter água só no segundo periodo um dia sim outro não cujo horário varia de acordo ao funcionário para abrir e fechar a vavula o que veio a contrariar o objectivo do projecto.O caricato é que na garvana água era diariamente agora com a chuva passou a dias alternados e a belo prazer do funcionário. Agora pergunto porquê não água todos os dias? Ou por outro lado porquê não alternancia um dia de manhã e outro de tarde? Gostaria quem de direito pudesse reflectir sobre essa matéria pelo facto água no segundo período 2 à 3 horas em dias alternados não resolve o problema de afazeres das pessoas após um grande projecto de pompa e circunstância.Obrigado

  3. img
    Jorge CRAVID Responder

    Atenção a todos:

    A palavra “CAPITAÇÃO” existe mas não se enquadra neste caso.

    Neste caso deve escrever-se “CAPTAÇÃO”

    Verificar o Dicionário se persistirem dúvidas.

    Com respeitosos cumprimentos

  4. img
    Pedro Cravid Responder

    Mais um fracasso,vão arranjar tecnicos de meia tijela dai mais alguns dias de água nada…vigiem o finaciamentos porque antes as obras o dinheiro ja acabou com estes pilantras,a ver vamos…

  5. img
    Jorge CRAVID Responder

    Atenção mais uma vez a todos:

    No penúltimo parágrafo onde está escrito “ADOPÇÃO” deve escrever-se “ADUÇÃO”

    As duas palavras existem mas nada têm de semelhante!

    Verificar o Dicionário em caso de dúvidas.

    Já não é a primeira vez que faço a chamada de atenção para este erro ao Téla
    Nón!!!

    Anda muita gente jovem lendo este Jornal e é bom que ele seja também o veículo de ortografia correcta.

    Respeitoos cumprimentos

    Jorge

  6. img
    João Responder

    Estão a ver? Governar STP nao tem muita ciencia. Agua, estrada, agricultura, saúde e educaçao.
    Agora, quando os politicos passam a roubar a torto e a direito chegamos a stptraiding, gga, 407 marrocos, fuga a fisco porque todos têm o rabo na estrada, etc.
    João

  7. img
    STP_Amadora Responder

    Atenção as empresas que vão fazer esta captação. Não deixa Mota Engil fazer como fez com agua de que veio de Madalena até hospital que não corre.Atenção aos projecto desta captação, que não envolve tecnologia que vai funcionar só dias e que ficará igual a muitos outros projectos que só ficaram no papel…

  8. img
    Frontal Responder

    Pois é muito bonito o Projecto!

    Espero k este projecto tenha cabeça tronco e membros, e que os 4 milhões de euros sejam utilizados INTEGRALMENTE nele. Que esta verba não venha a ser desviada para viagens, diverções,viaturas sem falar em outras coisas.

    S. Tomé e Príncipe precisa muito de projectos como este que ora se lança mas que sejam capazes de atingir os objectivos para os quais são criados.

  9. img
    ESMERALDA Responder

    QUEM IRÁ FISCALIZAR A OBRA ? AS MESMAS PESSOAS DE SEMPRE ? TEMOS QUE COMBATER A CORRUPÇÃO PARA QUE O PAÍS SE DESENVOLVA.
    A VER VAMOS.
    VIVA STP
    VIVA A DEMOCRACIA

  10. img
    Anca Responder

    Unidade; Disciplina; empenho no Trabalho, para o progresso/desenvolvimento sustentável do país.

    Somente temos que agradecer a República da China Tawain pela vontade e esforço, de ajudar a encontrar caminhos do progresso social – político – económico e quiçá financeiro, do país(território/população), dado em conta
    a pobreza e miséria, que permitimos que nos assola.

    Bem haja Tawian

    Trabalhemos mais e melhor para que aumentemos a produtividade do país(território/população), combatamos a cultura de ociosidade e corrupção, que assola a nossa condição de pobres e miseráveis, para a nossa vergonha enquanto sociedade de homens livres e humanos.

    Libertemos dos grilhões mentais e comportamentais que passou a ser cultural, em nós, da preguiça e ociosidade/vaidade/corrupção, e abracemos o gosto e empenho pelo trabalho árduo, pela liberdade e dignidade de um povo, um país(território/população),de nome Santo.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Mais Disciplina(educação e formação de qualidade, mais cultura/formação/berço de saber ser, saber estar, saber fazer, saber saber), para mais unidade, para melhor gosto e empenho pelo trabalho árduo, para uma estruturação do país(território/população), sustentável a nível social, político, económico, ambiental e financeiro.

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • img
      luisó Responder

      caro anca,

      só sabe agradecer á china tawain então e os outros?
      quem paga a reconstrução da estrada para ribeira peixe no valor de 10 milhões?
      já agradeceu?

  11. img
    Fijaltao Responder

    Tudo a que se refere a serviços hidráulicos para o país, é benvindo.

    Para relembrar os autores deste projecto, diga-se de raspão, que já houve um contributo bastante grande e elucidativo da diáspora no que se refere a captação, tratamento e distribuição de água a população.

    Não é demais alertar os autores do projecto que este trabalho deve ser todo ele novo e moderno, devendo esquecer os antigos tubos galvanizados deixados pelos portugueses a quase 40 anos e que está em desuso em todos os países do mundo, devido a sua fácil corosão e transporte de óxido de ferro para consumo das populações. Hoje sim, se usa tubos de polietireno vinílico com duração quase que ilimitada contribuindo assim para uma boa saúde da população e a diminuição com gastes em tratamentos.
    Agradeço também e o povo também agradece que se algum filho de S.Tomé tentar desviar as técnicas e materiais modernos para uso de técnicas e materiais antigos e absoletos e já enterrados a dezenas de anos em substituto do outro como forma de desviar a quantia orçamentada para esta obra, seria bom que os denunciassem para bem de todos.

  12. img
    mcel Responder

    Apenas uma Opinião
    Para a informação ser mais completa o Jornalista deveria informar também quem é o Adjudicatário, isto é o empreiteiro que ganhou e irá executar a obra.
    Esclarecimento: O Adjudicatário da referida empreitada é a CONSTROMÉ, SA, empresa com larga experiência em obras desta natureza e com um corpo técnico altamente capacitado para o efeito. Exemplo mais recente, é a obra de abastecimento de àgua de Milagrosa, canga,cruzeiro, obolongo, pau sabão.

    • img
      raul brandao Responder

      Se fosse possivel fornecerem-me contatos desta empresa Constrome sa,email e/ou telfone fico grato.
      Cumprimentos
      rbrandao

Deixe um comentario

*