Sociedade

Japão dá mais ajuda alimentar no valor de 2,4 milhões de euros

São Tomé e Príncipe e o Japão assinaram quinta – feira, mais um protocolo de ajuda alimentar avaliado em cerca de 2,4 milhões de euros. A ajuda alimentar baseada em arroz, visa evitar a rotura do stock a nível nacional, e garantir a segurança alimentar.

O fundo resultante da venda do arroz, a preço acessível para a população, é utilizado para execução de projectos de luta contra a pobreza e apoio institucional. O Embaixador do Japão acreditado junto ao Estado São-tomense, destacou a realização das eleições legislativas no ano 2010, como um dos projectos financiados com o fundo resultante da venda do arroz, tendo também suportado as despesas de funcionamento da Comissão Eleitoral Nacional nas eleições presidenciais de 2011.

O Ministro das Finanças e Cooperação Internacional, Américo Ramos, prometeu boa gestão do fundo de contra-partida. Note-se que no passado, os fundos de contra-partida da venda do arroz ofertado pelo Japão, foram delapidados assim como a própria oferta, ou seja o arroz. Desvios e má gestão que geraram pelo menos três famosos escândalos do Gabinete de Gestão das Ajudas(GGA).

Abel Veiga

    29 comentários

29 comentários

  1. Arlindo Pereira

    24 de Fevereiro de 2012 as 9:43

    Compatriotas, a ajuda alimentar nesse caso, nao contribui para a segurança alimentar, mas sim, para a dependencia de ajuda alimentar.Considero que a segurança alimentar no caso de STP, provem no aumento de consumo de produtos produzidos/fabricados localmente e consequente aumento da produção. Nunca é tarde para mudar de rumo.

  2. Arlindo Pereira

    24 de Fevereiro de 2012 as 9:54

    Considero que este tipo de ajuda nao contribui para a segurança alimentar, mas sim para a dependencia de ajuda alimentar. A segurança alimentar se consegue com o aumento de consumo de produtos produzidos/fabricados localmente e consequente aumento da produção.
    Nos precisamos de mudar de politica

  3. bisnerro

    24 de Fevereiro de 2012 as 10:05

    Desta vez estou estou de olho em vocês!

  4. rapaz de riboque

    24 de Fevereiro de 2012 as 10:05

    essa ajuda é para estragar nos contentores ou para o navio afundar ao largo da baia com essa ajuda? e a quem sera beneficiado com essa ajuda? é o povo ou alguns senhores e seus familiares? espero que essa ajuda seje bém aproveitada emfavor dos mais necessitados

  5. Preto

    24 de Fevereiro de 2012 as 11:28

    O povo bem precisa, mas infelismente essas ajudas só servem para “enriquecer” alguns que o “povo manso” já conhece.

  6. TRISTEZA

    24 de Fevereiro de 2012 as 11:46

    Conte com migo também, estamos de olho.

  7. Trinta Mil Barris de Petroleo

    24 de Fevereiro de 2012 as 12:02

    Deus me perdoe se estou a falar algo errado. Mas Japão é responsavel pela falta de vontade em se trabalhar neste país. Não necessitamos de arroz!
    Enviam ajuda aos Refugiados em campos, aonde a fome e má nutrição mata. Queremos saber fazer, tecnologia e produzimos o suficiente para o nosso povo. É imoral receber este tipo de ajuda do Japão. Em troco levam o melhor pescado que temos em aguas sem poluição. Cabeça é senhor do corpo.

    • "Nós por cá e a nossa maneira"

      24 de Fevereiro de 2012 as 12:42

      …carissimo(a)não diga disparates… necessitamos de arroz japonês agora mais do que nunca e temos que levantar as mãos para céu e agradecer ao povo japonês que cultiva o seu arroz e vem nos oferecer, seja lá em troca do que for….porque caso contrario, estariamos iguaizinhos nossos amigos refugiados em campos…..concerteza voçê não vive no país, porque poderia saber que com 1 kilo de arroz japonês, que custa 15 mil dobras, (é o mais barrato que existe no mercado), 5 mil dobras de tomate, 10 mil de oleo alimentar e 20 mil de peixe, alimenta um familia de 6 pessoas, almoço e jantar , onde lá em casa o pai é desconhecido e só a mãe trabalha como funcionaria publica ou empregada domestica…..com os 50 mil dobras voçês não alimenta ninguem com banana e peixe neste nosso país de hoje onde o dito salario minimo é de STD 825.000,00 (oitocentas e vinte e cinco mil dobras)…..portanto não digas disparates e ganhe juizo……..

      …haver vamos…..e obrigado japão, toda ajuda em sempre benvinda ao país…….

    • skip

      24 de Fevereiro de 2012 as 13:01

      E vc por acaso aceita ir ao campo semear arroz, há coisas que sai mais caro produzir do que comprar. Fui

    • Mimi

      24 de Fevereiro de 2012 as 13:26

      Concordo consigo. Batemos palmas e agradecemos mas nao mudamos o rumo das coisas. O país nao está em guerra, tem terra fértil, mar imenso e continuamos a receber de quem teve a dignidade de se reerguer depois de hiroshima/nagazaki, teve a dignidade de se reerguer depois do terror de fukushima. E nós continuamos à espera do arroz que o Japao nos dá!… para nos alimentarmos, porque nao podemos produzir o nosso próprio arroz? Haja dignidade!

    • Paz

      24 de Fevereiro de 2012 as 16:33

      Concordo plenamente , já um proverbio dizia aprenda a pescar em vez de receber peixe como doativo do pescador. Ate agora nao existe no país sentido de responsabilidade para assegurar a nossa propria segurança alimentar

  8. lino

    24 de Fevereiro de 2012 as 12:22

    concordo consigo, amigo.
    Precisamos de ajuda sim, …mas não da forma como o japão tem feito.
    Assim, é só para esquema desses gajos que gerem isso.
    É só máfia.

  9. TRISTEZA

    24 de Fevereiro de 2012 as 12:27

    bem falado.

  10. Mina Tela

    24 de Fevereiro de 2012 as 13:48

    oh Skip se vc n vai outra pessoa vai… isso k ele falou é verdade… msm vc k esta a falar se fizeres as contas em 30 dias n vai comer so arroz…. esse tipo tipo de business quem esta a ganhar é japao e nao stp…. pork razao eles nao nos oferece um barco do tipo que eles tem pescado pra gente pagar aos pouco?… talvez vc n sabe qto custa 1 kg de peixe na europa… estou falando de peixe k vc n liga(fulu-fulu).
    alguem tem beneficiado com este business n povo pequeno k nem dinheiro pra comprar mesmo um kilo desse arror..

    fui

    • skip

      24 de Fevereiro de 2012 as 16:29

      Oh Mina Tela so quis responder ao Trinta mil barris de petroleo, mas pronto terei que comentar again, a posição que defendo é que devemos fortalecer a parte em que somos realmente bons, isto se formos mesmo, como cultivo de outros generos alimenticios como matabala banana e por ai fora, até se for o caso para exportação e, nao acho que o japao é culpado do santomense n querer trabalhar, isto é culpa dos pais que criam ou nao os filhos e nao lhes incutem o valor do trabalho. Eu sinceramente nao investiria em semear arroz, preferia mil x plantar banana, matabala e outros e continuar recebendo arroz do japão e com isso ter um fundo proveniente do arroz, mas nao para ELEIÇOES DOS BANDIDOS E POLITICOS LADROES da nossa praça, porque acho que os encargos das eleiçoes deviam ser pagos por quem quer ser eleito, mas sim para um dia chegar ao representante do governo japones em stp e dizer: AGORA VOU COMPRAR O TEU ARROZ. Quanto a barcos de pesca esquece, pq nem com barco Principe, conseguimos dar manutenção, quanto mais um barco de pesca de alta tecnologia.

      • Mina Tela

        24 de Fevereiro de 2012 as 18:23

        Thanks a lot man for your answer..
        Me desculpa se respondi mal … mais esse business de Pesca k esta a rolar ha alguem a viver nisso. na gestao do barco tens ranzao.. mais te digo a gestao vem um pouco tb de boa fé querer fazer.
        falando de agricultura acho que o governo nao quero investir… fala apenas em coisas pequena… imagina so 1 kg de carne de porco esta 100 mil dobras imagina 1kg de carne de vaca. si formos ver o boi se alimenta sao tome tem demasiado o pais é totalmente verde.
        enfim….
        brother thanks one again
        fui

        • Ghadafi

          27 de Fevereiro de 2012 as 8:41

          Meu caro
          Oque e isso de “thanks one again”??????Isto esta mal. Diz-se:”thanks once again”.Sem querer parecer arrogante espero ser construtiva esta minha intervenção.

    • skip

      24 de Fevereiro de 2012 as 16:34

      PS.: Semear arros exige muita terra, por isso deixemos para quem as tem a sobrar, pq se nao daqui a pouco santomense vai querer ser produtor de soja ou trigo tbm.

      • Mina Tela

        25 de Fevereiro de 2012 as 13:36

        risos..
        um abraco

  11. luisó

    24 de Fevereiro de 2012 as 14:21

    lá vem mais uma ajuda daquelas que depois de vendido na praça vão à procura do dinheiro e faltam 2 milhões…e depois ninguém sabe explicar e mais um buraco sem fundo.
    Onde é que eu já vi este filme?

  12. Madalena

    24 de Fevereiro de 2012 as 14:51

    Dizem pessoas bem experimentadas, vivas de boa saude, graças ao Céu, de que ja houve ensaio de arroz de sequeiro em Ribeira peixe com bons resultados. Aonde ficam estes dados, nas prateleiras do ex MAP(Ministerio de agric, e Pesca). Por isso, sou de opinião que não devemos aumentar a nossa dependencia alimentar, com ajuda de Japão em arroz. Queremos sim, a tecnologia(Savoir fair).
    Yanhame, mandioca, batata doce, matabala, banana, etc, Milho.etc. Arroz de japão, muito obrigado. Ha seca em Portugal, enviem para os agricultores portugueses.

  13. Mario da Costa

    24 de Fevereiro de 2012 as 14:56

    Nós por cá! é daqueles que diz que não ha comida, quando o arroz escasseia, se calhar. Inove!! Põe a mentalidade a funcionar!!
    Arroz não! Tecnologia sim!
    É uma questão de opção.
    Entre importar armamento e sementes melhoradas está a distancia da velocidade da luz no vazio.

    • "Nós por cá e a nossa maneira"

      24 de Fevereiro de 2012 as 15:42

      ….se calhar porque vivo em stp e sei quanto a população sofre quando “falta arroz” a baixo preço no mercado……não sou contra outro tipo de cooperação, seja ele a que nivel for…mas a noticia é sobre a oferta de arroz japonês ao povo santomense que não produz nada ao nivel alimentar a não ser agricultura de colheita e de dar jeito para ganhar algum no mercado para sobrevivencia……..que venha a tecnologia, que venha dinheiro, etc,etc…desde que bem gerido e bem governado, vamos continuar a agradecer amavelmente as ajudas…..

      …..haver vamos……

  14. S.Antonio

    24 de Fevereiro de 2012 as 15:20

    bucfdlgbmçk~l,uºgç.uio

  15. S.Antonio

    24 de Fevereiro de 2012 as 15:20

    muito bom para STP

  16. lino

    24 de Fevereiro de 2012 as 16:24

    Por favor entreguem o arroz ao Delfim.
    Vão ver como ele é justo para o povo.
    primeiro ele, segundo ele, terceiro ele…etc etc etc…sempre ele.
    O povo vai se fo…
    Esperimentem.

    • san

      25 de Fevereiro de 2012 as 2:01

      Que miséria……

  17. Homem

    26 de Fevereiro de 2012 as 12:49

    Ora ai esta mais dinheiro para turma dos imunes.

  18. Madalena

    27 de Fevereiro de 2012 as 12:02

    Meus carissimos, tenho visto neste painel, duas categorias de participantes, uns que entendem pouco da ajuda alimentar e outros que nada entendem. Eu faço parte daqueles que nada entende. Para mim é mais promissor investir em tecnologia, educação alimentar, o local do que receber constatemente, toda a vida mais 6 meses a ajuda de quem quer que seja. Ora vejamos a semente de jaca, que todos conhecemos tem igual calorias(Cal), que o arroz. Ja comi semente de jaca assada. Ainda tem uma vantagem de ter as ciclo esteronas que são importantes afrodisiácos. MAs como esse conhecimento disponivel não se pode investir em jacas e evitar o arroz. Quem sabe se os casos de tensão arterial derivam do arroz?
    è comum ver gente a tardinha na minha rua a comer jaca, logo depois ja se sabe fogo na cangica. Não queremos arroz! As sementes podem vir da Guiné Bissau, Portugal ou mesmo Taiwan.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo