Comunidade de Bela Vista tomou banho de “MORAL” no regresso da água aos chafarizes da roça

Livre e independente, sem medo de perder votos nas próximas eleições, porque também não vive da política são-tomense, a representante da Embaixada dos Estados Unidos de América, deu banho de moral aos moradores de Bela Vista, na inauguração das obras que permitiram o regresso de água potável à roça.

Com o fenómeno BANHO na moda em São Tomé e Príncipe, os moradores da roça Bela Vista, antiga grande empresa agrícola de São Tomé, talvez contavam com o banho habitual que a política de dinheiro fácil e de origem duvidosa, leva para as comunidades do interior, em momentos de celebrações.

Este fim-de-semana a roça acolheu individualidades que se juntaram à comunidade para celebrar o regresso da água ao quintal da Roça, após 5 anos de ausência. Um projecto financiado pelo Governo dos Estados Unidos de América, através de uma solicitação feita pela Associação dos Amigos e Naturais da Vila de Santo Amaro.

Água chegou as lavandarias de Bela Vista e ao chafariz do terreiro da roça. Então só faltava mesmo BANHO. Mas desta vez, ao contrário dos discursos de convite directo ou indirecto, ao banho eleitoral, que os políticos levam para tais cerimónias, a comunidade de Bela Vista, tomou banho que terá lavado até as suas almas.

Izilda Pinto representante da embaixada dos Estados Unidos no acto de inauguração do regresso da água à Bela Vista, foi determinada no banho de corpo e alma. «O projecto é feito para a comunidade, no entanto é a comunidade que acaba por destruir. Isto é vosso, para o vosso bem, para melhorar a vossa condição de vida. Mas a comunidade ela própria, acaba por destruir os projectos. O projecto começou há cerca de 2 anos e houve muitos percalços por causa do roubo na comunidade. A comunidade roubou muita coisa. Com certeza que o membro da comunidade que roubou está aqui connosco. É um aspecto muito negativo», afirmou Izilda

Uma intervenção invulgar no país, ao que tudo indica pelo facto da oradora não ter qualquer compromisso eleitoral, ou estar subordinada a algum sector governamental, que nessas situações procura mais potencializar os votos da comunidade, do que sensibiliza-la para a mudança de mentalidade. Liberdade e independência que permitiram a representante da embaixada dos Estados Unidos, dizer mais. «Criticam o Governo, porque o Governo não faz, mas o governo encontra pessoas que ajudam a fazer, e a comunidade destrói. É uma mentalidade muito péssima da parte da comunidade», reforçou.

Foi banho de água limpa em Bela Vista, para ajudar o renascimento ético daquela comunidade, que depois de 5 anos voltou a ter água nas torneiras. No entanto dezenas para não dizer centenas de outras comunidades, bairros e ruas de São Tomé e Príncipe, precisam de banho de água limpa como aquele que se deu em Bela Vista.

Por outro lado, da parte do Governo já se assiste algum discurso também moralizador. A palavra “TRABALHO” por sinal diferente da palavra “EMPREGO”, que ao ser pronunciada no país, as vezes muda a feição do rosto de muita gente, tem sido repetida vezes sem conta pelo Primeiro-ministro Patrice Trovoada nas suas intervenções públicas.

Talvez a linguagem de TRABALHO e de Mudança de Mentalidade, venha no futuro a substituir a política de BANHO financeiro que tem contribuído para o comportamento de ociosidade, desordem, anarquia, e falta de autoridade no país.

Abel Veiga

  1. img
    C & C Responder

    É assim! Assim é que é!

  2. img
    Badiu di STP Responder

    Como santomense-caboverdiano estou completamente de acordo com a Sra representante da Embaixada dos Estados Unidos de America, ainda digo mais é preciso que os cabo-verdianos e seus descendentes residentes nas roças mudem de mentalidade quando não a situação será ainda pior porque para muitos políticos nós não contamos, caros compatriotas é de todo urgente criarmos uma forte organização para defendermos……………..

  3. img
    MÉ SOLO Responder

    Para quem conhece bem a Drª Isilda, não é de admirar este BANHO dado a comunidade de Bela Vista. È uma personalidade que diz o que pensa e com propriedade. Esta senhora foi uma dores de cabeça no colectivo de professores de Geografia nos anos 80.

    Que este tipo de atitude sirva de Guião para muitos Santomenses principlamente para classe politica, porque assim estariamos contribuir para uma viragem de páginas.

    Para um país como STP não há BANHO melhor que o TRABALHO e MUITO TRABALHO.

  4. img
    Nós Responder

    Ó Tela Nóm, a foto não tem nada a ver com a notícia. Francamente!

    • img
      C & C Responder

      Esse seu comentário( Nós) é infeliz, o importnate é a mensagem. obrigado tela non

  5. img
    Bom Samaritano Responder

    A verdade é para ser dita é o mesmo um banho,muito de nós precisamos desse banho para lavar o nosso mau comportamento, de desordem e nos revistir a nossa alma de pureza, do amor, de ajuda, de carater de honestidade.Se fizemos assim somos nós é que vamos sair a ganhar.S.T.P é uma terra abençoada por Deus.

  6. img
    Filipe Samba Responder

    È uma realidade, mas a ilustre representante poderia apelar mais na linguagem diplomatica

    • img
      Mimi Responder

      Ouvi as palavras da “ilustre representante” e ela teve o cuidado de dizer que falava como santomense. Nao a condeno por ter tirado da garganta o que a mim também sufoca há muito. Quanta diplomacia é preciso usar para falar da ladroice descarada que se vive dia dia em STP? Hoje rouba-se de tudo e valeu o desabafo! O combate ao roubo deve ser tomado como Emergência Nacional!!!

  7. img
    Filó Responder

    Para um STP,, que tem precipitação acima de 2000 milimitros, levar água é coisa que devia ser simples. A boa gestão e ousadia é que se precisa nas roças. Parabens, mas não contento com apenas isso, quero mais:
    Formação profissional, saude, emprego e bem estar. Viva a Democracia.

  8. img
    Mimi Responder

    Gostei de ver. Já é altura de alguém ter coragem de dizer as coisas como elas sao. Agora o roubo e a boa vida passaram a ser práticas comuns e aceitáveis na sociedade santomense. que haja mais gente corajosa e capaz de dizer verdades, doa a quem doer!

  9. img
    Mé Pombo Responder

    Um bem haja a ANASA que muito tem feito pelos moradores de Santo Amaro e arredores, mesmo com escassos recurssos.

  10. img
    Pinderko Responder

    Bonitoo,o discurso tem de ser coerente com a realida….

  11. img
    rapaz de riboque Responder

    que gentinha para criticar nada esta bém pora

  12. img
    tufão Responder

    Congratulo-me com o discurso, porque é necessário. Só assim é que consiguimos educar a nossa população, dizendo as verdades nua e crua, não estamos a prejudica-las, mas sim ensinando-las e a ter responsabilidades nos seu actos.
    Bem haja, Dra. Izilda

  13. img
    Ôssôbô Responder

    Lamentamos só agora ver a realização de uma coisa como esta. Que a iniciativa seja extenssiva a outras roças e que o governo santomense não se esqueça que os caboverdianos merecem o respeito pois, já deram sangue por esta terra, que o caminho para S. Tomé e Prícipe para muitos não tiveram volta.
    SEja como for, esse projecto é louvável!

Deixe um comentario

*