Sociedade

Estudantes são-tomenses em Maputo – Moçambique escreveram carta de aflição

Excelentíssimos, Sr. Presidente da República Democrática de São Tomé e Príncipe, Sr. Primeiro Ministro, Sr. Ministro da Educação, Sr. Ministro das  Finanças e Cooperação Internacional e Srs. Deputados, as nossas mais sinceras e cordeais saudações.

Nós os estudantes universitários São Tomenses, a estudar na República de Moçambique, em diferentes áreas de ciências, enviamos para todos os órgãos de soberania da Republica Democrática de São Tomé e Príncipe, e para toda a sociedade civil santomense, como forma de alertar ao novo executivo e em particular o ministro da educação para viabilizar o pagamento do nosso subsídio de bolsa em atraso, referente aos meses de Janeiro à Maio do ano corrente.
Visto que, os estudantes depende desse valor para pagar as suas despesas de estadia, como aluguer de casa, alimentação, saúde, despesas académicas, visto de estadia, entre outras despesas, e com a falta de pagamento do subsidio de bolsa a nossa vida neste país tem se tornado num autêntico calvário.
Pelo que pedimos aos líderes de nosso maravilhoso país se dignem a resolver a nossa situação o mais rápido possível, pois esta, está a tornar-se insuportável, visto que estamos dependentes da caridade de alguns bons samaritanos.

Sabemos das dificuldades financeiras que o país vem enfrentando, motivo pelo qual consideramos que os representantes do povo deveriam ser mais rigorosos, responsáveis e sobretudo  repensarem  um São Tomé e Príncipe com mais  dignidade.

Sem mais delongas e cientes de que VExcias se sensibilizarão com esta lastimável situação que nós Estudantes Bolseiros na República de Moçambique vivemos, aguardamos urgentemente pelo vosso retorno, pois o sucesso dos nossos estudos depende da minimização das nossas dificuldades, que transcendem a ordem financeira.

Queira em nome de todos os Estudantes receber os nossos sinceros cumprimentos.
Esta carta foi elaborada pelos estudantes:

•       Abnilde Lima
•       Azimah Lima
•       Edney Castelo David
•       Nilton Paquete
•       Bruno Da Fonseca
•       Bruno Osnader Dos Santos
•       Laury Da Silva
Maputo, 08 de Maio de 2012

    21 comentários

21 comentários

  1. Nós

    10 de Maio de 2012 as 9:46

    STP é uma vergonha! Enquanto os nossos governantes “passeiam” pelo mundo “armados” em grande, os nossos filhos morrem à fome no estrangeiro!

    • Mina Piquina

      10 de Maio de 2012 as 12:48

      Isto está pior do que a Guiné Bissau. Sempre a subir, até a vitória final.
      Fui

  2. Ôssôbô

    10 de Maio de 2012 as 11:36

    Mais filhos santomenses que peçam socorro no mundo!
    Será que este governo é pai ou padrasto?
    Seguramente haverá outros filhos espalhados no mundo que hão-de pedir socorro.
    Senhores políticos desavergonhados acudam esses estudantes!!

  3. Amor a stp

    10 de Maio de 2012 as 12:22

    Pior Ainda os filha dele tem do melhor, Viaja nao sei kantas vezes. E nos o povinho filhos de pessoas que esforcam e suam para que que os fillhos sejam alguem na vida è k vida nessas condicoes de m….. Tempos que corner com Estes gatunos que so estao no poder para chular, fazer grandes casas em grandes quantidades, ate Quinta têm. A riqueza ou melhoro salario em stp esta muito mal destribuidos,

  4. rapaz de riboque

    10 de Maio de 2012 as 13:48

    realmente é de lamentar jovens fora das suas familias a passarem necessidades,mas se aparecer alguém que os queiram ajudar vai aparecer neste espaço pessoas a criticar

    • Ôssôbô

      10 de Maio de 2012 as 21:53

      Rapa(zinho)de Riboque!
      Em que lado estás? Queres ajudar? Queres criticar? Ou talvez queres atrapalhar?
      Tem razão, és mesmo de riboque!!!

      • rapaz de riboque

        15 de Maio de 2012 as 14:47

        amigo que se diz qualquer coisacomo OSSOBÔ que for caso de eu ajudar estou pronto e tenho possiblidades graças há Deus o que tu talvez não tenhas não sou vaidoso sou humilde e ja ajudei a muita gente portanto se ajudar mais uma vez não é de admirar, o que de certeza nunca fizeste nem tem coragem de fazer

      • rapaz de riboque

        15 de Maio de 2012 as 16:22

        para não gostares assim do riboque da para desconfiar alguma coisa o teu pai era de la? ou ja foste persseguido lá.

  5. dPires

    10 de Maio de 2012 as 14:06

    Meus Senhores, meus caros comandantes, por nos abandoneis nessa maré de miséria e sofrimentos? Por nos encheis de falsas promessas?

    Primeiro, a carta dos Bolseiros de Brasil, agora os de Moçambique, será que os senhores querem mesmo que nós lavemos as nossas roupas sujas na imprensa? Antes, éramos colonizados pelos portugueses e hoje parece que nós próprios andamos a comer-nos uns aos outros!

    Todos sabem que uns dos trabalhos mais difíceis é ser estudantes, e que são os estudantes, os responsáveis do desenvolvimento do país. Seguindo esta linha de silogismo, concluímos que o desenvolvimento de um país não é fácil.
    Os senhores conseguem imaginar o que cada Estudante passa no estrangeiro?
    Provavelmente os seus filhos não se encontram nestas situações.

    Dizem que muitos estudantes, finda formação, não regressam ao país. Isto é uma grande verdade, mas na física/química apresenta uma verdade mais verdadeira do que esta, e é a seguinte: «toda as acções têm uma reacção, ou seja, se o país não reúne condições para receber os seus filhos, como é que os seus filhos terão vontade de regressar? Quantos são aqueles que regressaram e conseguiram executar o mínimo que aprendeu na formação? Mas o propósito desta carta não é discutir o regresso, mais sim as qualidades de vida dos filhos de STP que próprio STP atirou pelo mundo fora.

    Portanto, apelos ao senhor P.Ministro que tanto prometeu, ao senhor presidente que muito honrado parece ser, ao senhor ministro da educação e a todos que juraram «cumprir e fazer cumprir os deveres que lhes foram incumbido» que ajudem os nossos Irmãos Estudantes Bolseiros, aqueles que exerceram os seus direitos de sufrágio na escolha de quem lhes afigurou confiança!

    POR FAVOR, AJUDEM OS BOLSEIROS SANTOMENSES DE MOÇAMBIQUE, DE BRASIL E TODOS OUTROS QUE SE ENCONTRAM ESPALHADOS PELO MUNDO FORA!

  6. João da Luz

    10 de Maio de 2012 as 14:40

    Concordo com tudo o que foi dito em todos estes comentários. Apenas gostaria de deixar uma ressalva quanto à carta em si. Já é tempo de os nossos estudantes aprenderem a escrever bem. Entenda-se que uma carta escrita com erros tira alguma da seriedade, quanto mais escrita a um órgão de soberania.
    Estou, contudo, com estes pobres estudantes na sua luta por manter uma vida digna em Moçambique.

  7. TVSA-Televisão Santomense Aberta

    10 de Maio de 2012 as 14:51

    PATRICE TROVOADA
    PADRE OLINTO DAIO,
    Kidalêôôô
    Ajuda os estudantes!!!
    Zudá inén mina téla nón…

    • Amor a stp

      10 de Maio de 2012 as 18:46

      Esses ai so pensam no seu bolso,
      Kidaleoooo stp ate kando è k o povo vai ter melhores condicoes de vida….

    • Amor a stp

      10 de Maio de 2012 as 18:47

      Esses ai so pensam no seu bolso……

  8. anonimo

    10 de Maio de 2012 as 15:09

    este caso realmente vem acontecendo não só com actual governo mas com os anteriores. Eu sou natural de s.tomé resido no arquipelago dos Açores e tenho cá uma função que contacto muito com a realidade das coisas., certo dia encontrava-me no meu gabinete e entrou um subordinado meu acompanhado por estudante s.tomense que cá estudava, por estar a conduzir uma viatura ligeira de passageiros sem que estivesse habilitado com a respectiva carta de condução ou seja tinha a carta mas não o permitia conduzir em portugal e também a viatura não se encontrava assegurada em qualquer companhia do ramo. O meu sobordinado entrou no meu gabinete e expos-me a questão que era para o jovem ser presente ao tribunal eu com pena do jovem que declarou desconhecer as leis portuguesas falei com o meu subordinado e com o jovem as coisas ficaram por ali,o jovem lamentou que tinha dificuldades , aprontei-me a ajudar o que fiz de imediato e por várias vezes o meu espanto achei a falta do jovem que passou dias sem o ver quando sub que já tinha regressado a terra e que nem teve o descaramento de se depedir de mim. No ano passado vou ai por eronia do distino vejo o jovem nem bom dia teve coragem de me dar mas estou sempre de braços abertos para ajudar,

  9. Engenheiro( LISBOA)

    11 de Maio de 2012 as 11:30

    Os sucessivos governos têm investido muito nos estudantes mas t~em investido mal. Por isso, um curso para 3anos, alunos fazem em cinco ou seis; um curso para cinco anos fazem em sete oito e pior ainda saem com carência do ponto de vista técnico. Porquê? Passam fome, dormem na rua muitas vezes, são desprezados nos estrangeiro por razões de carência vivida dia após dias.
    Por isso é que o PÊPÊ-LIMA cantou:
    huam, huam Dotôlô matapó, huam, huam Engenheiro matapó, huam, huam Professsor matapó, huam, huam Enfermeiro matapó,etc.
    Digo com sinceridade, a situação que os estudantes de S.Tomé e Príncipe(filhos dos pobres) tem vivido neste século, nesse tempo no estrangeiro, se não fôr um questão determinação e coragem, estudar para quê? Com fome,desconcentrados, duplamente carentes,tristres,enfim.
    Um governo que envia BOLSA de 6(seis) em 6(seis, isso é no mínimo um crime contra direitos humanos.
    Falando de Portugal, por exemplo, o ano lectivo 2011/2012 já acaba no próximo mês de junho e a BOLSA referente este ano ainda não foi paga nem uma vez e a recandidatura só foi aberta em Janeiro, documentos só foram à S.Tomé em Abril( se não me engano). Enfim… Fico por aí.

    Um grande abraço a todos…

  10. Neves

    11 de Maio de 2012 as 23:58

    Tal como fez “TVSA-Televisão Santomense Aberta” mesmo ao Sr. PATRICE TROVOADA e o Sr. PADRE OLINTO DAIO:

    Os senhores sabem, até porque também estudaram no estrangeiro (Sr. PADRE OLINTO DAIO, penso eu, beneficiou de apoios de instituições) que

    não dá para disfarçar as difíceis situações com que muitos estudantes são-tomenses enfrentam nos vários países para onde foram estudar.

    Como julgo ser de conhecimento geral, para além dos condicionantes com que deparam a maioria dos estudantes deslocados, um estudante estrangeiro, depara ainda com as questões de inclusão social (como por exemplo racismo e xenofobia por que são vistos como usurpadores de direitos);com as questões de integração social e, como não podia deixar de ser, com as questões de integração académica (como por exemplo, sucesso e insucesso escolar).

    Ora, os senhores, concordam comigo certamente que, sem dinheiro para pagar a renda atempadamente, sem poder comprar livros e sem dinheiro para comer e/ou comendo a custa de favores alheios, dá direito à reclamações e põe em causa o objectivo que lhes levou a imigrar: estudo.

    Este assunto não é novo. Mas será que não há outra solução? É que já começa a aproximar ao sadismo (http://pt.wikipedia.org/wiki/Sadismo): Envia-se jovens e não jovens para estudar no estrangeiro e, depois, pões-lhes a sofrer e a morrer de fome.

    Penso que não estou a exagerar.
    Ora vejamos um exemplo: vim como bolseiro em 2001 e quando conclui a Licenciatura solicitei o meu regresso mas nenhuma resposta obtive. Arranjei maneira de sobreviver e continuei os estudos.

    Terminei a Pós-Graduação e o Mestrado. Voltei a solicitar o meu regresso. Outra vez,n enhuma resposta chegou.

    Vocês têm que começar a dar ao povo o feedback (pt.wikipedia.org/wiki/Feedback) para onde vai o dinheiro. Isto não pode continuar assim. Estas Bolsas de estudos ( na sua maioria) são financiadas por doadores (parceiros e instituições) internacionais

    NO MEU CASO e de muitos outros santomenses FOI a china taiwan QUEM FINANCIOU a bolsa de estudos. SERÁ QUE ELES SABEM QUE NÃO REGRESSAMOS PORQUE O GOVERNO SIMPLESMENTE NÃO RESPONDE O PEDIDO DE REGRESSO? SERÁ QUE SABEM QUE STP MENOSPREZA co-cidadãos HABILITADOS COM LICENCIATURAS, MESTRADOS E DOUTORAMENTOS?

    Porquê continuar a pedir instituto camões e outras entidades professores e porquê continuarmos a reclamar que temos falta de quadros qualificados, falta de professores com habilitação própria para docência, falta de engenheiros, falta de … se o próprio estado tudo faz para que não regressem à sua pátria?

    Será que isso gera mais dinheiro para o país?

  11. Cuba-STP

    12 de Maio de 2012 as 4:13

    Deste outro lado de oceano nem sabemos que fazer,o senhor ministro venho a Cuba no ano pasado nós engano com uma promessa fiticia de pago das todas a dividas em atrasos, de forma a começarmos o ano 2012 com as contas em dia.Em vez do pagameto,oque esta sucedendo é o aumento das dividas, que ja levamos mais de 6 meses de atraso.Oque significa que nao houve nenhum cumprimento da parte do senhor ministro, mediante a sua promesa numa reuniao que tivemos em Havana,concretamente no laguito,espaço residencial do governo cubano que abergam as delegaçoes governamental que venhem de visita a Cuba.Nesta reuniao estavam presente o Senhor Ministro dos Negocios estrageiros e a senhor Ministra da Saúde.Apelamos aos pais que facam pressao junto ao governo, vós sois legitimos representantes nossos antes autoridades governamental santomense.Um bem haja a todos,que um dia as promessas dos politicos santomense seje uma realiddade porque a bondade e a fé nao se encuentra nas cores religiosas tampouco politicas.Mais sim na consciencia e no querer fazer dos homens.Tudo tem seu limite…………………………

  12. Piter P

    12 de Maio de 2012 as 18:13

    por isso quando voltem ao pais fiquem logo corruptos. tudo isso sao filmes de nos todos contra nos todos, kwa kwa kwa.
    todos passaram por isso ate aqueles que hoje sao dirigentes.
    voces quando um dia serem dirigentes tambem os estudantes vao vos gritarrrrrrrrrr kidareeeee.

  13. Vane

    12 de Maio de 2012 as 22:47

    A mudança é preciso, primeiro na mentalidade da população e depois através do voto, mudar esses parasitas corruptos…Não a corrupção!

  14. Vane

    12 de Maio de 2012 as 22:49

    Até quando vais dormir STP?
    Acorda santomenses, vcs tem um belo país nas mãos que precisa ser estimado e a responsabilidade disto é dos filhos desta terra.

  15. Lima

    15 de Maio de 2012 as 21:09

    Boa Tarde meus caros

    Vejo com muita preocupação a situação dos jovens Santomenses, e o facto de haver muitos comentários, só demonstra que a opinião pública é importante, quanto mais fosse, para chamar atenção do poder político para a necessidade de cuidar bem daquilo a que se propuseram e honrar os seus eleitores e o povo Santomense em geral. Mais uma vez parece-me que estamos perante uma situação que se enquadra no velho ditado, segundo o qual…(só a boa vontade, não chega), e no caso concreto, o governo terá agido com intenção de ser útitl, mas por sinal não tomou as devidas precauções, nomeadamente no que respeita a planificação do que seria a permanência dos estudantes nos países, onde se encontram neste momento.
    Dito isso, parece-me que deve ser repensada a política de envio de estudantes para o estrangeiro. Por dificuldades todos passamos,todos nós que optamos por seguir a vida acadêmica, conhecemos bem os problemas que essa escolha nos trás, desde situação de ilegalidade no país estrangeiro, até o duro trabalho na construção para pagar os estudos e sustentar a casa.

    Continua…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo