Agudizam-se as contradições entre a Ministra Ângela Pinheiro e a Direcção de luta contra o paludismo

Em Abril último a directora do Programa de Luta contra o Paludismo, apresentou dados preocupantes sobre o aumento da doença, que foram desmentidos pela Ministra da Saúde. Quinta – feira, a directora do programa chamou a imprensa para anunciar novos dados que desmentem a Ministra.

As contas do Ministério da Saúde, sobre o aumento dos casos do paludismo em São Tomé e Príncipe, não batem certo. A Ministra da Saúde Ângela Pinheiro e a Directora do Programa de Luta Contra o Paludismo Maria de Jesus Trovoada, são protagonistas da contradição que tira credibilidade ao sistema nacional de saúde.

No dia 25 de Abril, dia internacional do paludismo, Maria de Jesus Trovoada, enquanto Directora do Programa Nacional de Luta Contra do Paludismo, sem qualquer pressão dos jornalistas, anunciou a nação são-tomense, o aumento do paludismo no país. «Se compararmos com o ano passado podemos dizer que houve um aumento de casos. Fechamos o primeiro trimestre do ano passado com 6 mil casos, estamos em Abril e se compararmos com o ano passado temos um aumento em dobro de casos», declaração de Maria de Jesus Trovoada no dia 25-04-2012.

Quase duas semanas depois do anúncio feito pela direcção competente do ministério da saúde, a Ministra Ângela Pinheiro, foi interpelada pela Assembleia Nacional, sobre a situação no sector da Saúde. No parlamento a Ministra desmentiu os dados avançados em Abril pela Directora Maria de Jesus Trovoada. «No primeiro trimestre de 2011 tivemos 1444 casos de paludismo e no mesmo período de 2012 registou-se 2778 e não 6 mil casos como disseram», declarou a ministra Ângela Pinheiro na segunda semana do mês de Maio.

O Téla Nón num artigo publicado na segunda semana de Maio, denunciou a “MENTIRA”, que tinha se instalado no sistema nacional da Saúde por causa do aumento do paludismo. Ninguém conseguia encontrar a VERDADE, face a publicação de dois dados completamente diferentes sobre a evolução do paludismo.

Esta quinta – feira 24 de Maio, A Directora do Programa Nacional de Luta Contra o Paludismo, convocou a imprensa, para fazer uma comunicação sobre os novos dados que reflectem a evolução do paludismo no primeiro trimestre de 2012, em comparação com o mesmo período de 2011.

Única certeza é que ficou mais uma vez clara na intervenção de Maria de Jesus Trovoada, que o paludismo está a aumentar de forma grave. No entanto a Directora, não reconheceu publicamente qualquer erro seu, ou lapso, na divulgação dos dados em Abril passado, em que indicou 6 mil casos no primeiro trimestre de 2011 e o dobro no mesmo período de 2012.

Preferiu anunciar novos dados que contrariam as suas declarações de Abril passado, e que por outro lado, desmentem os números avançados pela ministra da Saúde no parlamento. «De Janeiro até fins de Abril de 2012, tivemos aproximadamente o dobro de casos de paludismo, a nível nacional. Total de 3647 casos», afirmou a Directora do Programa de Luta Contra o Paludismo.

Logo a seguir apresentou os dados do primeiro trimestre de 2011. «De Janeiro de 2011 até fins de Abril de 2011, tivemos um total de 2103 casos». Precisou.

Após 3 anúncios dos dados do paludismo no país, os números não batem certo. A contradição é grande e patente entre a Direcção responsável pelo combate contra o paludismo e a ministra que tutela o sector da saúde.

A pergunta que persiste, é a seguinte: Onde estará a VERDADE?

Maria de Jesus Trovoada, enquanto Directora do Programa de Luta Contra o Paludismo, terminou a sua intervenção na quinta – feira, com uma declaração no mínimo cómica, em busca de um bode expiatório para justificar as suas próprias contradições.  «Gostávamos de chamar a atenção da população para o facto de que as informações relativas à situação do paludismo em São Tomé e Príncipe, que têm sido ultimamente veiculadas em alguns meios de comunicação social, não correspondem a verdade e são da sua inteira responsabilidade», afirmou a Directora, na comunicação feita a imprensa, em que não aceitou perguntas por parte dos jornalistas.

Com o paludismo a subir, a Direcção do Programa de Luta Contra a Doença, prometeu para 11 de Junho próximo o início do sexto ciclo de pulverização das casas.

Abel Veiga

  1. img
    mosssad Responder

    O que a Sr Angela tem para dizer a populacao sobre esse caso?

    • img
      Minuye Responder

      Percebe-se claramente que essa tal directora quer é aproveitar o problema do aumento de casos de paludismo para criar polémica e quem sabe conseguir assim o cargo de ministra da saúde para ela. Isto é um claro sinal de insubordinação. Os números não mentem, então não há porquê criar polémica. Basta conferir a base de dados e apresentá-la com seus números verdadeiros. Ao invés de perderem tempo com essa polémica, deveriam é trabalhar em conjunto para arranjar uma solução para o verdadeiro problema que é o aumento do paludismo no país.

      • img
        Estevão Responder

        Mas você é marido desta incompetente como é que não poderia responder para ela? Você é outro incompetente que está na direção de Turismo e não percebe patavina daquilo.Tudo isto é uma vergonha para o país.

    • img
      amem-aleluia Responder

      Meus senhores,

      Vamos acabar com a palhaçada. A Ministra esteve no parlamento no início de Maio. Certamente que apresentou dados dado pelos serviços. Será que Já dispunha dos dados de Abril? Ou se tratava dos dados de MArço?

      A directora não veio dismentir a Ministra, mas sim actualizar os dados tão somente isso.

      Desculpem, mas façamos deste espaço uma verdadeira oportunidade para reflectir desapaixonadamente o país. Muitas manchetes e comentários aqui postado cheira a politiquices.

      Fui…

    • img
      Calibre-12 Responder

      O que está a acontecer é que os jornalistas santomenses, de hoje, transformaram em simples consumidores de tudo quanto cai nos “esgotos” desses incompetentes governantes.
      Ora bem;- Se a Ministra diz uma coisa, a directora diz outra coisa e depois dá-se o dito pelo não dito com novos numeros, novos dados e toda uma trapalhada, porquê que os jornalistas não fazem o trabalho de casa, partindo eles próprios para a investigação? Porquê que não vão directamente as fontes de informação, quero referir-se aos técnicos que são os detentores dos dados reais?
      Ponto este parte da minha análise de lado, é necessário dizer-se também o seguinte;
      -A Ministra em condições normais já deveria ter posto o seu cargo à disposição. Não tendo feito isto, o senhor Patrice Trovoada já a deveria por na rua!
      A senhora directora do Programa de luta contra o paludismo, que diz ser uma cientista, mas não é cientista coisa nenhuma, é prima de primeiro grau do patrice Trovoada e entrou para aquela função pelas portas traseiras.
      Os técnicos do sector consideram-na a pior responsável que o sector alguma vez conheceu.
      Portanto meus caros, a incompetência no sector da saúde está a ganhar proporções alarmantes comprometendo a vida de todo um povo.
      Há que agir! Há que salvar este país! Ha que salvar este povo!

  2. img
    desgraçado Responder

    Isto é uma prova clara que o Patrice e suas corjas não estão preecupados com o problema social, saúde e educação estão entregue a sua sorte, paludismo aumentou,já não atribuem bolsas de estudos a jovens, uma calamidade, o que me espanta é que atual governo tem maior orçamento da historia de stp, e não conseguem mostrar a capacidade, so têm capacidade pra viajar, beber, e aranjar mulheres, espero que isto sirva de lição pra povo, isto é consequência do banho nas campanhas, povo tem que mudar de mentalidade, patrice não tem e nunca teve capacidade pra governar stp, este governo assassino tem que ser julgado na praça publica.

  3. img
    HLN Responder

    Essa situação não passa de uma autentica vergonha pública, parece briga entre as comadres.
    Num país credível alguém tem que assumir a responsabilidade perante a opinião pública, como o nosso é totalmente diferente dos outros assim vai se andando.
    Conclusão nada resolvido que vem a associar-se a muitos outros casos de São Tomé e Príncipe.Toda essa trapalhice e e confusão desmedida resumi-se apenas a umas simples palavras:
    Arrogância
    Incompetência.

    Não entendo o que impossibilita a Ministra de Saúde ( Angela Pinheiro) e a Coordenadora de Luta contra o Paludismo( Maria Trovoada) resolverem isso internamente antes de saírem a praça pública.

    Parece muito esquisito cá para mim como é o nosso STP. Elas partilham o mesmo Homem e confundem instituição e responsabilidade como suas próprias casas a ver vamos.

    • img
      mosssad Responder

      De AROGANCIA ..todos sabemos que o Patrico e.

      Incopetente.. isso ja tinha dado provas antes…

      VADIO e Preguicoso, ja mostrou antes e agora cada vez mais com as viajens misteriosas ao estranjeiro.

      O Que falta mais para tirarem este homem dai?

      So quando comecar a morrer criancas e idosos, como na somalia, liberia e outros paises por ai. e que se vai tomar alguma decisao.?

      Haja paciencia para aturar uma coisa dessas.

  4. img
    edemais Responder

    Bom dia,
    é um

  5. img
    danilo neves Responder

    Meus caros ;
    ja é demais para um povo tao alegre, simpatico e acolhedor. deixemos de tanta barbaridade. como todos sabemos, hoje em dia em Sao Tomé as pessoas ocupam o cargo de acordo com as suas opçoes partidarias. basta participar nas campanhas de forma viva , terá logo um cargo , caso o seu partido vença as eleiçoes, independentimente das suas competências . este é o maior mal que paira em Sao Tomé . estes miúdos que estao no governo , nao conseguem tomar qualquer decisao porque sao meninos que estao ali para cumprirem as ordens do sr. Patrice Trovoada. é esta a realidade. ultimamente tem havido intrigas sucessivas entre os Juizes, tribunal e ministério publico . que vergonha meus senhores… até quando é que conseguem retirar as mascaras que vos protege. novos juizes ultimamente fizeram um abaixo assinado.o tempo do sr. Silvestre Leite ja passou ele que vá para a reforma . só querem é viajar . temos um tribunal de contas que nao funciona. isto tudo acontece porque estamos num pais de favores e de excesso de corrupçao.

  6. img
    Estamos tramados Responder

    Depois da intervensão da senhora Ministra no Parlamento sobre os dados do paludismo e ouvindo agora a Directora da area, só resta a senhorsa Angela Pinheiro uma saída- Pedir a sua demissão porque ela não tem controlo das instituições que ela dirige. Isto só se refere a area da saude. Do trabalho é pior ela não entende patavina disto. A area do trabalho só está virada a distribuição de tabuas e barrotes e dar refeiç~eo quentwe aos velhos. Agora pergunto como vai o sector de emprego e formação profissional? Como vai a area de Inspecção do Trabalho? Se eu fosse Secretário Geral deixaria o caso porque não está ali a fazer nada.
    Fui

  7. img
    Dos Santos Responder

    Ministra de Saude o melhor que faria seria pedir dimissao do cargo,deveria ver que maioria de santomenses nao estao de acordo com as suas capacidades.Um bom profissional deve reconhencer o seu erro.

  8. img
    Carlos Ceita Responder

    Meus amigos
    São Tomé e Príncipe é um microestado insular africano com uma população em quantidade semelhante a um conselho de Portugal ou uma vila do Estados Unidos da América e sem contradições étnicos e religiosas. Francamente não vejo razoes para que não haja dialogo, concertação e entendimentos entre os saotomenses. Meus senhores e minhas senhoras do Ministério da Saúde e da Direção da Luta Contra Paludismo tenham juízo deixem de andar a brincar com a saúde das pessoas que vivem neste país e os que pretendem visita-lo.
    Sejam humildes sejam profissionais e sobretudo tenham sentido de estado. Aprendam com a experiencia de uns e de outros e com os países amigos. Por favor trabalhem com e para as populações, articulem-se. O Mundo mudou com a internet e facebook. As sociedades civis estão cada vez mais exigentes e já não se deixam enganar.
    Gostava de ver em articulação o Ministério da Saúde, Ministério do Ambiente, Ministério da Agricultura das Obras Publicas e as camaras Municipais e os diversos técnicos desses ministérios envolvidos neste complicado processo de combate desta doença.
    Num país pequeno como o nosso devia haver apenas um super ministério (Ministério da Agricultura do Ambiente e Ordenamento do Território). Este Ministério teria todas as condições de trocar informações com o Ministério da Saúde e fornecer dados sobre o mapa geográfico do país, os diversos lugares do território nacional em que o mosquito se reproduz e proceder a intervenção ao nível do saneamento básico.
    É que só a massificação da rede dos mosquiteiros e pulverização intra-domiciliária é positivo mas não é suficiente. Eis a minha humilde contribuição.

  9. img
    Baga Tela Responder

    Isto é uma palhaçada que representa a gornação política se STP.
    É triste…

  10. img
    jamaicano Responder

    Ai está o mal de tudo isto: é que ha muita partilha de homens,secretárias com ministro ou director enfim uma troca de parceiros nas instituições que geram conflitos e põe em causa o bom andamento das coisas. Certamente que ambas partilham mesmo homem,para dar origem a este desacordo de infomação.

  11. img
    Estrangeiro Responder

    Se não fosse sobre uma doença, seria ridiculo. Assim só é lamentavel!

  12. img
    fuzileiro Responder

    ate aonde e que tudo isso vai parar…. stp cada vez pior……..

  13. img
    conterrâneo Responder

    Essa Maria Trovoada já demonstrou que não serve para os cargos que tem estado a ocupar.
    Talvez por uma ajudinha politica.

    Essa senhora foi diretora da cultura e tinha que ser despedida por não apresentar solução, só criava problemas ao Padre Olinto.

    Até o Padre passou-se e a despediu.

    Chegou a haver manifestações publicas dos nossos cantores contra a sua(a sra) actuação, o que culminou com o seu despedimento.

    Ela agora é “TACHADA” como directora de cento nacional de endemias, como premio de não ter feita nada no anterior cargo.

    A sra é AGRONOMA de fromação!
    Os campos estão a precisar de agronomos!

    Como é que ela vai controla pauludismo??
    A prova de tudo isto é mais esta.

    Ela nem sequer sabe fazer as contas!

    O país não pode ficar refém dessas (in)competencias!

    Desde de quando é que 6.000 é dobro de 2.103?? Sra Maria Trovoada? Desde quando? A onde é que a sra aprendeu isto?

    Se houve falha na primeira divulgação que a sra fez, o erro é humano, mas, á sra teria que ter humildade para reconhecer o erro na 2ª divulgação e dizer que falhou!

    Por essa e por outras é que a população “CAI” sobre o governo que até tem estado a esforçar-se para fazer o seu melhor num contexto tão dificil que o mundo se encontra.

  14. img
    Alima Blúcu Responder

    Além dos números sobre evolução do paludismo, que aparentemente não batem certo, parece haver contradição também no nome da titular do Programa Nacional de Luta contra o Paludismo. Aqui na notícia do Tela Nón o nome da Sra. é Maria de Jesus Trovoada. Já o Jornal O Pargo tem estampada uma notícia sobre o mesmo assunto, cujo o nome da pessoa é Maria de Jesus dos Santos. Qual dos nomes é auténtico?

  15. img
    RICARDO VIEGAS Responder

    SAO TOMÉ JA É A LARGOS ANOS, QUER GOVERNE JOAO QUER GOVERNE PEDRO, CASA DA SOGRA.
    CADA UM FAZ AQUILO QUE QUER, CADA UM DIZ AQUILO QUE LHE DA NA TELHA SEM O MINIMO DE RESPONSABILIDADE. OU TENHEM DUVIDAS Q 99% DELES SAO UMA CAMBADA DE GENTES MENTIROSAS E LADRAS. SE ESSA REPUBLICA NAO FOSSE DE BANANAS, BEM MORRIA O POVO A FOME Q ELES ESTAVAM POUCO SE LIXANDO. ABRAM OS OLHOS

  16. img
    pontapecavalo@hotmail.com Responder

    Tambem..o que vcs esp
    eravam de uma ministra de saude sem saude ?

    • img
      olaf Responder

      Comentário estúpido e ignorante!

  17. img
    cacau Responder

    sinceramente, que ministra incompetente, senhora ministra, não divulgue os dados por ouvir falar, certifique, reveja, peça ajuda caso tenhas duvidas, a senhora não esta numa feira a vender frutas na conversa com comadres. Se não pode deixa. Trata de conseguir meios de modo a abastecer o hospital pra que o mesmo não tenha falta de medicamentos.

  18. img
    Conóbia cumé izê Responder

    O Patrice quis meter a prima.Cientista ;não sei não ! Coloração política e familiar valem mais do que vidas humanas ? O PALUDISMO estaria sobre controle, se não tirassem HERODES ROMPÃO.Será porque saiu do ADI ? E agora? As vidas humanas que estão a ser perdidas,quem paga ? O Patrice TROVOADA vai comprar vidas das pessoas que estão a morrer ?…Quem com ferro mata, com ferro será ferido !… Fui

  19. img
    mosssad Responder

    A ministra e bonita,,tem cara de santinha,, ai que coisa fofa…. e claro que e isso que o patrice quer no governo…meninos bonitos incopetentes e para mostrar as carinhas …..

  20. img
    helmerdias Responder

    Realmente estou de acordo com o sr calibre 12 os nossos jornalista em vez de estar a fumentar guerrinhas que nao abona a favor de ninguem deve como cidadão de bem ir a fonte investigar,perguntar e por realmente e concreta as notícias com dados e desmentir quem fala verdade ou não assim todos nós santomenses ficaremos mais informadoS e esclarecidos.Como o jornalismo do nosso pais cresce para bem de todos.

  21. img
    Credo Responder

    Senhora ministra isto é ki o povo quer e o seu elenco governamental Prestem ATENÇÃO:::
    povo quer que o governo organiza é esta…. precisamos imediatamente de encontrar soluções para os problemas ao nível da própria alimentação diária, para a saúde, para a educação, para os transportes, para a habitação, para o abastecimento de água, energia elétrica, enfim…, para a nossa sobrevivência quotidiana de forma gera. ISTO É KI O POVO QUER

  22. img
    E agora.?!...Falo eu Responder

    Antes de mais…
    Caríssimo Abel.
    Neste artigo perguntas “Onde estará a verdade?”. Não tratando do primeiro artigo que escreves sobre este assunto, tu, com um pequeno trabalho de investigação, deverias trazer-nos a verdade destes números. Apesar de não ser relevante para o meu comentário.

    O que me preocupa nisto tudo, é a forma displicente como pessoas com responsabilidades de governar olham para o real aumento desta doença. Se estas duas senhoras estivessem a falar de números de sapatos que têm, calças ou das viagens que fazem, até podia dizer que ambas têm razão. Mas, minhas senhoras, vocês estão a falar de saúde. Sabem o que é isso? Segundo a Sra. ministra ” «No primeiro trimestre de 2011 tivemos 1444 casos de paludismo e no mesmo período de 2012 registou-se 2778 e não 6 mil casos como disseram» “, não a vou contrariar mas, é ou não um aumento para quase o dobro dos casos? Se fossem 6 mil já era preocupante? Atendendo a gravidade da doença não bastaria haver um caso para deixa-las preocupadas?

    Mesmo não sendo amigas, os cargos que ocupam exige que haja comunicação entre ambas. Deixem os vossos problemas pessoais/particulares, se é que existe, e façam qualquer coisa que justifique o cargo que ocupam. Não temos mais paciência para esta figura triste que andam a fazer. A juventude e a inexperiência não podem servir de desculpas para falta de responsabilidade.
    Saudações
    —-
    “A política foi primeiro a arte de impedir as pessoas de se intrometerem naquilo que lhes diz respeito. Em época posterior, acrescentaram-lhe a arte de forçar as pessoas a decidir sobre o que não entendem.” – Paul Valéry: filósofo, escritor e poeta francês.

  23. img
    Nando Vaz (Roça Agostinho Neto) Responder

    A política é nobre e muito nobre mesmo, e não é para todos!..

Deixe um comentario

*