Sociedade

Crianças de Monte Mário clamam por uma escola secundária na localidade

Para as crianças de Monte Mário localidade da região sul de São Tomé, o horizonte estudantil termina na quarta classe. A localidade não tem uma escola secundária. Trabalho braçal na empresa Agripalma ou pesca em jangadas representam o futuro imediato para as crianças.

Longe da capital, a vida em Monte Mário é quase primitiva. Depois de percorrer mais de 50 quilómetros da cidade de São Tomé em direcção ao sul do país, o encontro com a pobreza extrema vai evoluindo quanto maior for a distância.

Em Monte Mário, a população não para de crescer. Centenas de crianças, brincam na estrada pública. Uma estrada que não as leva a futuro nenhum. Aliás o futuro para elas é agora. Antes da brincadeira com os trotenetes, já tinham trabalhado duramente no projecto de plantio de palmeiras na Ribeira Peixe.

Outras já tinham regressado da pesca feita em jangadas. Só podem estudar até a quarta classe. «Aqui merece ter uma creche e não existe. Não há emprego. Não temos uma escola secundária cá. As crianças têm que fazer 12 quilómetros até Porto Alegre ou ir para Angolares que é mais longe», reclamou Manuel de Fátima.

Com dificuldade para se exprimir em Português, Manuel de Fátima lá foi falando no seu crioulo puro, com o qual se identifica como homem, o angolar. «Por isso as crianças aqui fazem quarta classe e termina tudo. Passam imediatamente a rachar côco, fazer trabalhos braçais, pescar para ajudar a por pão na mesa», acrescentou.

As declarações de Manuel de Fátima, confirmam uma realidade já apurada pelas autoridades nacionais em estudo recentemente feito no país. Aumenta o número de crianças trabalhadoras, sem contratos e consequentemente mão-de-obra barata e explorada.

Arnaldo Bragança, é outro habitante de Monte Mário, insatisfeito com o seu futuro e das suas irmãs mais novas. Todas tiveram bom desempenho escolar, até a quinta – classe.  Foram enviadas para estudar na cidade de Angolares. Os familiares que deram abrigo as duas meninas, não conseguiram suportar os custos e tiveram que regressar para Monte Mário. «Acha normal que uma boa aluna já na quinta classe tem que abandonar para ingressar no trabalho na Agripalma? Mesmo quando recorremos as famílias em Angolares para receber as crianças, alguns dias depois recusam, por causa das despesas», declarou.

A população local, apela as autoridades nacionais a unirem forças no sentido de levar ensino secundário às crianças do Monte, onde a maioria fica sem saber escrever o nome Mário, por falta de um estabelecimento de ensino.

Chester Sousa

    31 comentários

31 comentários

  1. Lupuye

    23 de Agosto de 2012 as 18:41

    Enquanto nao nos preocuparmos com a educacao total do pais nao podera haver desenvolvimento. A pobreza, esta, continuara a crescer e o tipo de sociedade em que vivemos, com um decimo de gente que tem tudo e nove decimos que nao tem nada perdurara.
    por outro lado como podem entrar emprezas em STP e empregar santomenses se as pessoas mal podem escrever os seus nomes? As grandes emprezas precisam de gente capaz, gente instruida e que entende o mundo em que vivemos. Enquanto formos “tapados” so podemos dar um rendimento que fica aquem das nossas necessidades.

  2. STP@

    23 de Agosto de 2012 as 19:03

    È uma imensa vergonha,para onde vão as verbas doadas para se investir na educação?!

    Que país é este
    ?!

  3. STP@

    23 de Agosto de 2012 as 19:04

    È uma imensa vergonha,para onde vão as verbas doadas para se investir na educação?!

  4. Engenheiro

    23 de Agosto de 2012 as 21:01

    Só porcarias na governação. Governação sem Norte.
    Não serve para nada O RECENSEAMENTO GERAL DA POPULAÇÃO E DA HABITAÇÃO.
    Um governo que não dirige a sua governação com base nos indicadores estatísticos não serve para coisa nenhuma, é uma farsa de governação, dirigem o país ao seu belo prazer e com base em alucinações.

    É incrível!!! Sinceramente.
    Governam preocupados com as eleições, ao invés de se basearem DADOS ,FACTOS, INDICADORES ESTATÍSTICOS.
    PERGUNTEM AO MINISTRO DE EDUCAÇÃO QUANTOS DA REGIÃO DE LOBATA PROVAVELMENTE ESTARÃO NO 5º, 10º E 11º ANOS DAÍ HÁ DOIS ANOS, SE ELE SABERÁ RESPONDER OU PELOS MENOS SE TEM DADOS ESTATÍSTICO PARA O RESPONDER.
    UM BERGONHA!!! DIZEM OS ESPANHÓIS…

  5. Quase lá!

    23 de Agosto de 2012 as 21:38

    Que tristeza! Nascer no Monte Mário implica perder direito de escolher entre ser licenciado, doutorado, professional formado, ou ser pescador, vianteiro, trabalhador de roça sem a respetiva qualificação. Ou seja, nascer lá, implica ser “obrigado” a não ter qualificação para fazer aquilo que se tem fazer ainda que não se goste de fazer.

    Talvez uma parte dos nossos 5 milhões retidos pelo sr. Delfim Neves e ou boa parte gasta pelo Patrício Trovoada para comprar consciência nas campanhas eleitorais, juntando um pouco do que é gasto nas suas viagens, dariam para subsidiar nos transportes e ou nas estadias desses meninos para escolas mais próximas das suas localidades.

  6. ANCA

    23 de Agosto de 2012 as 23:34

    O sector da educação/formação é um sector fundamental, para o crescimento e desenvolvimento futuro, dos distritos do País(Território, Mar, População), bem como da Região Autonóma do Príncipe para estruturação, organização, planeamento, investimento, no País no seu todo.

    O Ordenamento do Território, faz-se sentir, necessário e urgente, no País(Território, Mar, População).

    Pois a que ter em conta a especifidade social, cultural e económica, especificidade do território, do Mar, do Clima de cada distrito/região, para potenciar a organização, planeamento e investimento, que devem traduzir em mais valia para aquele distrito/região, de modo a garantir a engrenagem e sustentábilidade futura do Distrito/Região.

    Sr, Presidente da República, Sr, Primeiro Ministro, Sr, Ministro da Administração Interna, Sr, Ministro e educação cultura, Sr Secretário de Estado do Desporto, Sr Ministro da Economia, Sr, Ministro das Finanças, Sr, Presidente da Assenbleia Nacional, Sr, Presidente da Região Autonóma do Príncipe, aos Presidente das Camaras, aos responsáveis políticos, á sociedade civil organizada, ao sector privado nacional, caros cidadãos.

    A situação da fome, da miséria, da pobreza extrema, é uma realidade qotidiana que cabe a todos nós saber solucionar e dar respostas celeres, pois que o custo da pobreza extrema, se jamais soubermos dar respostas á esta situação, temos e teremos no futuro, com maior incidência, uma sociedade de clivagens, onde falta a coesão e paz social, onde reina a injustiça social, económica e financeira, onde perda e desvalorização cultural, perda de identidade, aumento de criminalidade, do crime organizado, corrupção, etc, etc,…

    Mediante a cooperação, parcerias estratégicas para o desenvolvimento, entre os nossos parceiros de cooperação, mediante a contribuição da sociedade civil organizada, do sector privado SãoTomense, dos cidadãos SãoTomeneses em particular, devemos e podemos, tornar extensível o nosso sistema de ensino/educação e formação, a todos os distritos/região/população, dentro destes nas localidades onde os números de habitantes por Km2, assim o justifique.

    Um exemplo;

    Caros cidadãos

    Se se cada um de nós, assumirmos o compromisso de contrubuímos a financiar novas creches/jardins de Infância/ Escolas Primarias/Secundárias/ Liceus, Escolas de Formação Profissionais nos Distritos onde Nascemos, de forma estruturada, organizada, planeada, creio as nossas crianças terão um futuro melhor, bem como o próprio País(Território, Mar, População), que nos viu nascer, modernizará e progredirá rapidamente.

    Mas desengane-mos, se se pensarmos que está tarefa é somente do Presidente/Presidentes da República, dos Governo/Governos, dos orgaõs responsaveis, é também nosso dever, enquanto sector privado SãoTomense, enquanto sociedade civil organizada, enquanto cidadãos SãoTomenses.

    Apadrinhemos(aqueles que podem, pois quem jamais tem jamais pode dar), uma campanha, que deve ser prodigiada, em prol de cada criança que jamais tenha possibilidade, de estudar, que jamais tenha possibilidade de educação, de formação, veremos como no futuro sentiremos orgulho na nossa nação.

    Necessário e Urgente se torna, organizar, estruturar, planear, investir, local, distrital/regional e a nível nacional no País(Território, Mar, População), social, cultural, desportivo, político, ambiental, económico e financeiramente, para a modernização das estruturas do País, (Território, Mar, População), para o crescimento e desenvolvimento sustentável, desta geração bem como da futura.

    É necessário o sentido de Estado, de responsabilidade, de rigor, de transparência, sentido de estabilidade, coesão e paz social, organização, planeamento, investimento, cooperação, fiscalização, mediante a Unidade, Disciplina, e muito gosto pelo Trabalho Árduo.

    Cidadãos

    Á terefa, jamais é fácil, requer muita humiladade, de honestidade, altruísmo, empreendedorismo, compreensão de todos e entre todos, os SãoTomenses.

    Acreditem

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençõe São Tomé e Príncipe

    • ANCA

      23 de Agosto de 2012 as 23:45

      A nossa sociedade vive de carências, de dificuldades, necessidades, sociais, culturais, desportivas, políticas, ambientais, económicas e financeiras, inverter esta condição da realidade, jamais deve ser somente tarefas dos governos, das autarquias.

      Tendo á socidade civil, o sector privado, bem como nós os cidadãos Sãotomenses conciência desta realidade, de fome, de miséria, de pobreza extrema na nossa sociedade, é um desafio, a nossa consciência, a nossa honestidade, humildade e responsabilidade, para com o País(Território, Mar, População), que nos viu Nascer.

      Um convite á nossa dedicação, altruísmo, gosto pelo trabalho árduo, para ver desenvolver e modermizar o nosso (Território, Mar, População), em suma nosso País, nosso Planeta, de modo Sustentável.

      Pensa nisso.

      Reflete, se gostas do local onde nacestes

      Pratiquemos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem

      Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • ANCA

      24 de Agosto de 2012 as 0:02

      Há que saber tirar partido da realidade que se vive nestas comunidades, nos distritos/região, saber decifrar as potencialidades, sociais, culturais, e sobretudo económicas;

      Imaginemos uma comunidade, é constituída por pescadores artesanais.

      É imperioso organizar, planear acções, a curto, médio e longo prazo, e investir de emediato nesta comunidade, modernizar o modo de fazer, acrescentar mais valia nas suas actividades, para mudar no futuro o modo de ser estar e pensar.

      Quem diz comunidades de pescadores, diz de agrícutores, dos criadores de gados, caprinos, ovinos, bovinos, etc, etc,…

      É sabido que, na Flora e Fauna do nosso País, existem plantas com própriedade medicinais, várias espécies flores, várias espécies frutas, o nosso Mar é rico em Planton, de que estamos a espera- que sejam os outros a explorarem por nós.

      Cabe á nós cidadãos SãoTomenses

      Sejamos altruístas, empreendedores

      Mãos ao trabalho árduo.

      Coragem, força, deducação, muita humildade

      Arregaçar a manga

      Trabalhar, Trabalhar no duro

      Pratiquemos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem

      Deus abençoe São Tomé e Príncipe

      • Anca

        25 de Agosto de 2012 as 9:55

        Somente Reparo, uma atenção;

        Caro “Telá Nón”

        Para um jornalismo que se quer cada vez mais evoluído, a nível nacional, jamais fica bem apresentar factos, baseados em suposições, ou seja sem apresentar provas concretas.

        Quando se refere na notícia em epígrafe que;

        “Trabalho braçal na empresa Agripalma ou pesca em jangadas representam o futuro imediato para as crianças.”

        Ou ainda

        “Em Monte Mário, a população não para de crescer. Centenas de crianças, brincam na estrada pública.”

        É preciso confimar e comprovar estas informações, com números, com provas de contratos, destas crianças no trabalho braçal nesta empresa, bem como os números que confirmam o aumento da populaçõa naquela localidade.

        Pratiquemos o bem

        Pois o bem

        Fica-nos bem

        Deus abençõe São Tomé e Príncipe

  7. fiá guinhô de bodo dáwa

    24 de Agosto de 2012 as 0:43

    O Estado Santomense (Governo)é como os patrões,quanto mais burro for os empregados melhor é!!!!!ainda não repararam neste promenor? façâo a vossa própria análise…É fácil descobrir o porquê!!!!

  8. Argenezio Antonio Vaz

    24 de Agosto de 2012 as 9:06

    Estamos de acordo com as carencias. Mas onde estavam esses nossos derigentes que nos governaram durante mais de três decadas.Agora é que se vem criticar que não isso ou aquilo. Todos aqueles que governaram o Pais deveriam hoje tratar do assunto, pois todos os partidos e fundamentalmente o MLSTP tem responsabilidades. Olha quando um governo pôs autocarros para as crianças, como foi? Deixem de criticar e apresentem soluções.

    • Quase lá!

      24 de Agosto de 2012 as 13:04

      Os nossos anteriores governos tiveram atos desastrosos para o país e têm grande culpa neste negócio. Por esses atos desastrosos podiam e deviam ser responsabilizados. No entanto, não os podemos chamar para resolver os problemas da atualidade. Para isso, elegemos um novo governo e é a este (novo governo) que depositamos os nossos votos e nossa confiança. Prometeram trabalhar para solução dos nossos problemas, e nós só temos o direito de reclamar essas promessas e todo o respeito que nos são devidos.

      Não os elegemos para roubar como os antigos, para serem corruptos como os anteriores, para não trabalhares como os demais, para continuarem a enganar o povo … Para isso, continuaríamos com os anteriores malandros…

      • Quase la?

        24 de Agosto de 2012 as 20:38

        Queria dizer “para não trabalharem como os demais.”

  9. Zeme SOOO

    24 de Agosto de 2012 as 9:12

    Ja não era sem tempo para Tela non trazer noticias encomendadas.

    será que justifica uma escola secundária em Monte Mário? O que é escola Secundária? Quantos professores para quantos alunos? Não seria melhor criar condições de transporte para que elas possa se deslocar a lugar mais perto onde existe escola secundária?

    Vamos ser mais recionais.

    Fui

    • Quase lá!

      24 de Agosto de 2012 as 13:36

      Realmente uma nova escola PODE não se justificar. Implicaria nova estrutura diretiva, novas instalações, muito professores para varias disciplinas e varias classes e para poucos alunos, ou mesmos professores lecionando disciplinas e classes diferentes com decréscimos de qualidade de ensino, subsídios para os professores que para la se deslocarem …

      Alternativas:
      – 12 Km seriam perfeitamente aceitável se o governo se dispusesse em criar boas vias de acesso e ou transportes para os alunos. Decerto beneficiaria toda a esquecida população de Monte Mário.
      – Subsidiar as despesas dos alunos pela sua estadia numa das escolas mais próximas com a pena de verem privados do afeto e educação dos seus pais numa fase que muito precisariam.

      O que não é aceitável:
      Uma população de pessoas abandonadas a sua “sorte” aguardando altura das eleições para lá irem comprar votos.
      Zeme SOOO, Tela Non deve nos informar e o governo tem a obrigação de arranjar soluções para situação do país. Você não acha?
      Força aí!

  10. plantas hoje colhes amanhã( e não passará fome)

    24 de Agosto de 2012 as 9:38

    Quanto mais cega estiver a população melhor !!!!!!!!!!!!!!!!!, assim os os governantes do país manobram melhor, nós ja tivemos muitos governantes malvados , telanon há muito mais coisas aqui em STP para serem publicadas por favor continuem , com este ou com outros governos que virão para governar façam o vosso trabalho.

  11. Ngue tela

    24 de Agosto de 2012 as 9:55

    Realmente e’ muito triste. Penso eu que este e’ um passo muito importante tanto para eles assim como para o nosso Pais. Ter pessoas cultas nunca e’ de demais, alias sera sempre uma mais valia. Hoje somos homens, e amanha serao eles.
    Se nao estudarem, nao poderao conduzir o Pais ao desenvolvimento!

    Bem haja, para o nosso S. Tome e Principe.

  12. Vagi Ngola

    24 de Agosto de 2012 as 11:33

    Meus irmãos, desenvolvimento de um país passa pela formãção humana. Como queremos, que o país desenvolva e ainda encontramos nesta situação? Em pleno século XXI?
    Mas uma vez o Governo de STP ignorando o seu povo ou filho desta terra.

  13. zeme Almeida

    24 de Agosto de 2012 as 12:56

    Muito triste esta situacao que ja vem arrastando a longo destes 37 anos desde que assumimos a direccao do Pais.A culpa sao de todos governantes que estiveram a frente deste Pais,sem dar a devida atencao a esta localidade.Vejo certos comentarios ali que me antecederam com intuito de deitar culpas ao actual governo e a pessoa do Patrice Tovoada das mas governacoes.Fico triste quando vejo pessoas a utilizar este espaco para denegrir este governo como o unico que apareceu alguma vez neste Pais como culpado de toda esta situacao.O Pais conheceu dias melhor,o que nos faltou e a conscienia de fazer algo para melhoria da nossa populacao.

  14. Carlos Vaz

    24 de Agosto de 2012 as 13:19

    Não sei se é necessario msm construir uma escola secundaria nessa localidade que deve ter em torno de 300 pessoas, se formos construir escola secundaria em cada 10 km de distancia, com um orçamento tão pequeno e todas as dificuldades que temos, não vamos ao lado nenhum, agora oq se deve fazer e acho que deve ser urgente é disponibilizar uma mini-Van para ir buscar e levar essas crianças a escola. Por outro lado, acho ser uma irresponsabilidade , como as pessoas falam de algumas empresas no pais, no texto o senhor fala sobre a AGRIPALMA, será verdade que essa empresa contrata crianças para trabalhar, é preciso verificar a veracidade desses factos antes de envolver o nome de uma empresa nisso, esse espaço é uma montra, hoje em dia o consumidor internacional presta muita atenção nesses factos antes de comprar os produtos. São por todas essas leviandades que custa-me crer que existam empresas serias querendo trabalhar em STP. Nenhuma empresa seria quererá investir num lugar assim, tanta falta de seriedade

  15. Kauike

    24 de Agosto de 2012 as 14:57

    Voces são mandados de partidos.
    Estão a destrair o nosso governo.Deixem o governo trabalhar-estao a trabalhar bem.Eles vao pagar os Licenciados.Aviso a todos o slicenciados que nao precisam me procurar.Sô Primeiro Ministro ja prometeu.Ele vai pagar todos Licenciados,mesmo quem não é licenciado mas que eu pus nome na lista,talvez tambem pode receber.Ja falei com nosso PT.

  16. pida

    24 de Agosto de 2012 as 15:14

    Em contrapartida la vai senhor Primeiro Ministro viajando pelo mundo “fazendo os seus negocios”enquanto as criancas(o futuro do pais)estao entreges a sua sorte ,expropiando o bem da nacao e andando na cumunidade internacional como um”mendigo”dizendo para toda a gente de que”o pais e pobre e sem recursos”.Esta na hora de o povo fazer ouvir a sua voz caso o contrario o pais declarara o”estado de calamidade humanitaria” sem ter sofrido de uma guerra, tudo por causa de ma fe e esperito fechado por parte dos auto-denominados”governantes”.

  17. HLN

    24 de Agosto de 2012 as 17:29

    Simplesmente lamentável, 37 anos de independência, não sei, o que esse e sucessivos governantes pensam sobre desenvolvimento de um país.
    Depois querem acabar com motoqueiro, vendedores de plásticos e muitos outros casos distribuídos pela capital.
    Irmãos de sul, espero que vosso apelo seja ouvido e implementado.

  18. helder leitão

    24 de Agosto de 2012 as 18:07

    Será que os ditos deputados de Cauê não veêm isso? Se pela Historia angular nunca foi colonisado porquê não aparece um Amador a reunir forza…. fui. Eu quando fiz a minha juventude criava barecadas,estacas e hoje nada se faz,agora que ha mais jovens estudando na Universidade nada è feito. Só coragem..

  19. helder leitão

    24 de Agosto de 2012 as 18:09

    Quero dizer,arancava estavas das obras não viaveis para o Distrito etc..

  20. Butauê

    25 de Agosto de 2012 as 0:15

    Tantas crianças sem direito de sonhar e de escolher o que querem ser no futuro…
    como é isso possível em pleno seculo XXI?
    Vários governos desde a independência com mesma filosofia,Afropessimistas e incapazes de aproveitar os nossos ricos recursos geoestratégicos de forma a nos garantir um desenvolvimento sustentável no futuro.Que país é esse?Porquê que os sucessivos governos Têm a mesma filosofia de governação?Será porque dão o mesmo sentido a questão de governar “governar consoante a nossa realidade”que desde tenra idade ouvi falar na nossa praça?
    Bem haja STP

  21. António Medeiros

    25 de Agosto de 2012 as 6:30

    omo é que as crianças de Monte Mário vao ter escola! O sr PT passa vida a viajar. O pioré queviaja sem informar ao povo. Segundo informaçoes que tenho através de um alto dirigente do ADI o sr. PT trovoada viajou para Estados Unidos de America para ir buscar a sua querida esposa maliana. Quem pagou a viagem? Se os partidos de oposiçao disserem qualquer coisa lá vem ele dizer que os partidos querem deixar o governo cair. Sua Excelência PR. Pinto da Costa faça qualquer coisa. A democracia em S. Tomé está a degradar, está perdendo o seu valor. O governo está psicologicamente a dar cabo do deputado do MDFM Pires Neto com ameaças de demiti-lo do trabalho só por ele ter dito no parlamento que os actuais membros de governo pertencem ao grupo VABU. Eles sao mesmo VABUs.

  22. arlindo fernandes

    25 de Agosto de 2012 as 9:41

    Sem educacao nao temos LIDER palavras de Nelson Mandela . Sem educacao nao ha futuro risonho. ACORDEM CAMARADAS

  23. batechapa de adi

    25 de Agosto de 2012 as 11:50

    Patrice Trovoadas viajou há dias.
    Quando ele vier lá pra semana vai trazer muito dinheiro.O vosso problema vai ser resolvido.O principal é deixar-nos governar.Isso é mais importante pra nós.Se nós nao conseguirmos,paciência.É normal.
    Pedimos a população,é “CALMA”.Vamos ser todos ricos em s.tomé.Vai haver escola,comida pra toda gente.

  24. zeme Almeida

    26 de Agosto de 2012 as 12:26

    O partido que mais governou este Pais e maior culpado desta situacao { MLSTP }.Foram tantas promesssas a esta populacao.O Patrice Trovoada e o seu governo e que esta levando com esta {CARAPUCA}.

  25. minus

    18 de Maio de 2013 as 14:53

    outra vez a bola esbarra na porta da politicagem, do governo, dos fulanos , beltranos e cicranos, isto da comigo em doido… porque sera que se espera que o governo cumpra com suas promessas quando sao todos meros humanos, imperfeitos, carregados de defeitos e pecados, alem disso mortais!nao deixem a casa desabar so porque o senhorio desinteressa-se, afinal ele nem sequer vive nela! cuida que o pouco de humanidade que restou em ti oh santola, acuda as necessidades do teu proximo na medida do possivel, olha que unidos muita coisa e possivel( falando do bem e nada de politicagem)!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo