Governo apetrecha os serviços geograficos e cadastrais

Esta terça-feira o Governo entregou,  um conjunto de equipamentos informáticos e de medição aos Serviços Geográficos e Cadastrais. O lote esta avaliada em cerca de 112 mil euros. Do lote constam  quatro computadores portáteis, sendo dois de mesa, duas carrinhas todo-o-terreno e GPS entre outros.

O objectivo desta entrega  é apetrechar o sector  com os equipamentos  que facilite o trabalho dos técnicos ligados ao sector  «agora estamos a entregar aquilo que vem complementar a actividade do sector. Com estes equipamentos, tudo quanto os técnicos fazem no terreno será digitalizado e informatizado sem a interferência humana que possa alterar quer seja, os mapas ou o levantamento que façam”, disse Carlos Vila Nova, ministro das Obras Públicas e Recursos Naturais.

Um  scanner, vários GPS, uma guilhotina, quatro estações totais entre outros materiais  já tinham sido entregues  de forma a  permitir a recolha mais fiáveis  de dados das  informações que o sector recolher «vai-nos permitir agir como base em não tomar decisões erradas, o que muitas vezes tem acontecido e é de lamentar. Por vezes, recebe-se uma informação pelo facto de não ser a mais correta, a mais fidedigna, a decisão acaba por ser errada. Tudo isso vem contribuir para que se evitem essas coisas e se tomem decisões mais acertadas com base nas informações mais corretas e reais”, acrescentou o ministro.

A capacitação  dos técnicos para lidarem com os aparelhos para o fornecimento de   um trabalho com qualidade  serão feitas numa segunda fase.“nós esperamos muito, porque tem a ver com o levantamento cadastral, estudos geográficos de informação no terreno e tudo isso”, segundo o director dos Serviços Geográficos e Cadastrais, Heliodoro Pires Quaresma.

Segundo ainda o  director, este é um dos maiores investimentos feitos pelo  do Governo, e suportado pelo Orçamento Geral do Estado. Uma acção  que vai contribuir para um trabalho mais digno aos utentes, porque todos os serviços vão ser informatizados na direcção.

“Com estes materiais nós passaremos a ter os trabalhos digitalizados, porque antes fazíamos uso de cadernetas manuais, mas agora com as estações totais temos cadernetas electrónicas e com os portáteis, os dados são descarregados directamente e tratados digitalmente no gabinete, o que torna o trabalho mais rápido, eficaz e de melhor qualidade”, garantiu Heliodoro Quaresma.

A entrega destes equipamento vem dar a sequência  ao processo  de apetrechamento  os serviços geográficos cadastrais de São Tomé.

Sonia Lopes

  1. img
    ANCA Responder

    Muito bem

    Há que fortificar e fortalecer as Instituições Nacionais, através a modernização na organização, sua estruturação/planeamento e investimento, em formação qualificação para a competência- saber e saber fazer-, em equipamentos e infra-estruturas, para melhor cumprirem os objectivos, para qual foram criadas.

    Há que organizar, estruturar e investir mais e melhor nos serviços ligados aos Ordenamento do Território, embora necessário seja uma boa política, orientação e planificação do Território, Mar, População, para que as decições possam ser sustentável no futuro, com bases em informações que devem ser credíveis, nos Sistemas de Informação Geográfica.

    É preciso Ordenar, organizar e Planear o Território, Mar, População(suas actividades), fazer o enquadramento legal, com base em informações, estudos e levantamentos Técnicos, para um investimento que se quer no futuro, certo, productivo, que acrescente mais válias económicas e financeirar, para o País(Território, Mar, População), mas que respeite o ambiente, que seja sustentável.

    Necessário, conhecer bem as valências do Território, Mar, População( suas actividades económicas, sua cultura e hábitos), para uma melhor organização, Planeamento e Investimento á nível Social, Cultural, Desportivo, Político, Ambiental, Económico e Financeiro, para o crescimento e desenvolvimento económico e financeiro sustentável no futuro, tanto desta, quanto da gerações futuras.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençõe São Tomé e Príncipe

  2. img
    zuchi dletu Responder

    Bom começo, mas apostar seriamente nas pessoas que vão trabalhar com as máquinas e com os programas, que tenham a melhor formação, pois são as pessoas competentes que devem ser escolhidas, seja com cartão partidário ou não sejam com cartão do partido, mas têm de ser sérios e competentes, senão de nada vale ou seve o investimento. E depois que se possa ter acesso público num site de acesso universal. o cadastro é de todos e para todos, para já nota 6 pelo investimento e modernização.

  3. img
    Isidoro Porto Responder

    Apos dois anos de arrumacao da casa (com viagens a misttura), so resta ao Governo apresentar realizacoes, realizacoes e realizacoes, para justificar a confianca nele depositada, nas urnas ha dois anos.

    Parabens ao Governo, aos servicos geograficos e cadastrais, aos deputados (do MLSTP, PCD, ADI e MFDM) e ao povo santomense em geral pela iniciativa.

    As viagens estao a dar os seus frutos.
    Estamos no bom caminho.

    Isidoro Porto
    30/AGO/2012

  4. img
    Santosku Responder

    Investimentos sim, capacidade sim. Creio agora com estes aparelhos a venda dos terrenos por estes senhores dono de Cdastro vai diminuir quiça parar. São grandes bandidos na venda de terrenos. O mesmo terreno vendem a duas ou mais pessoas. Agora vamos ver.

  5. img
    Lede di alame ça ua Responder

    E um bom comeco,tambem temos de lembrar que em sao tome existe muita teoria mas na pratica nao se ve nada, ex: estradas, reabilitacoes, construcoes, doca de peixe,com orcamento milionario afim de encher os bolsos dos ladroes de gravata, mas estou contente com a entrega, temos e que seguir em frente.

  6. img
    Fernando Responder

    Acho bom trazer-se a praça pública realizações. Mas isto para o leigo é muito bom. Agora, como ficam os sectores para os quais se quer evidenciar?! Mais estruturados, adequadamente apetrechados em legislações (politicas e planos estratégicos para o sector), em recursos humanos adequados? Com um processo avaliativo bem definido? Capazes de prestar contas do seu desempenho, aos decisores e aos contribuintes? Meus senhores, o país tem que estruturar-se para que tenhamos instituições fortes, não acções avulsas e pontuais e muito menos homens fortes…

  7. img
    Helder Pinto Responder

    Viva
    Agora, maos a obra,a cartografia de um pais define o grau de desenvolvimento desse pais, espero que estao nao altura de digitalizar todos os mapas antigos do pais e vectorizar, georreferencia todos os recurso naturais do pais, actualizar a rede geodesica, recuperar todas a infra estruturas geodesicas, efectuar um cadastro urbano e rural de forma a melhorar a planeomento, estarei sempre desponivel em apoiar na formacao dos tecnicos.
    HPinto – Chefe do Sector dos Servicos Cartograficos e Topograficos da Angola Exploration Mining Resourches

    • img
      mosssad Responder

      Caro Helder Pinto, agradeco o seu gesto, isto mostra que esta e a unica forma que tens de ajudar o pais que t fez homem, e professional que hoje es.
      Essa actitude e de louvar, os tecnicos santomenses ou de origem como tu, que estao no estrangeiro deveriam todos ter esta actitude, em ajudar os jovens santomenses que nao tiveram oportunidade em said do pais para poder usar estes instrumentos.
      AFSSM .. Tecnico de Eng Civil

    • img
      mosssad Responder

      Caro Eleodoro, eu como Tec de Eng Civil com mais de 6 anos de experiencia na construcao civil de construcao de edificios comerciais, redidencias e publicos, fico feliz em saber que o pais dispoes destes equipamentos, muito bons sim, mas ha que saber usar. agora tem e que preparar tecnicos, de modo a poderem usar os mesmo … Por experiencia propria esses Total Station sao equipamentos milindrosos que requerem varios cuidados e um deles e a humidade constante que deve ser evitada.
      quanto a computadores portateis acho que nao foi a melhor escolha tendo em conta que como e para base de dados cartograficos em vez de portateis, o Sercicos Cadastrais deveriam era sim ter Servidosres, que tem maior capacidade de armazenamento de dados.
      A isso chama-se falta de informacao dos nossos membros do Governo quando vao fazer aquisicao de materiais … e com a falta de energia que o pais atravessa constante mente, deveriam investir tambem em paineis fotovoltaicos de modo a permitir que os mesmo aparelhos temnham sempre carga nas baterias.

      O uso de GPS em sao tome pode ser obsoleto tendo em conta que a recpcao como e via Satelites podera haver pperda constante de sinais o que faz com que a Estacao Total nao funcione correctamente.
      Tento em conta tambem que o sistema cartografico usa Sistema Global.. os nossos tecnicos terao que saber converter em muitos casos para Sistema Local…. sao processos que levarao o seu tempo.
      Todas essas informacoes so se ganham com pratica no terreno,
      Bem haja …

      AFSSM tecnico de Eng Civil
      HND BSC ENg Civil

  8. img
    Colomba Responder

    Belos tempos que passei nesses serviços, com o eng. Vale, Pina, Chumbeiro, Gamboa, Aleixo, Trigueiros, Sameiro e tantos outros, que me perdoem de não me vir à memória os seus nomes, mas já lá vão tantos anos…
    A pena que me dá, cada vez que aí vou, ver o estado em que está o seu edifício.
    A nostalgia das saídas às 5 da manhã (quando não era mais cedo), quando tínhamos trabalho de campo.
    Belos tempos…

  9. img
    Isidoro Porto Responder

    CITAÇÃO:«agora estamos a entregar aquilo que vem complementar a actividade do sector. ÃCom estes equipamentos, tudo quanto os técnicos fazem no terreno será digitalizado e informatizado sem a interferência humana que possa alterar quer seja, os mapas ou o levantamento que façam”, disse Carlos Vila Nova, ministro das Obras Públicas e Recursos Naturais.FIM DE CITAÇÃO

    CITAÇÃO:“Com estes materiais nós passaremos a ter os trabalhos digitalizados, porque antes fazíamos uso de cadernetas manuais, mas agora com as estações totais temos cadernetas electrónicas e com os portáteis, os dados são descarregados directamente e tratados digitalmente no gabinete, o que torna o trabalho mais rápido, eficaz e de melhor qualidade”, garantiu Heliodoro Quaresma.FIM DE CITAÇÃO:

    O povo apostou na mudança. Esta realização revela uma verdadeira mudança.

    Mudança de “PAPELACAO” de ontem para a “DIGITALIZACAO” dos tempos modernos.

    Isto revela uma MUDANÇA de noite para dia no “Modus Operandis”, “Modus Vivendis” e “Modus pensantis” nos Servihços Geográficos e Cadastrais. Essa mudança vai com certeza refletir a montante e a juzante, no modus operandis de vários sectores do país.

    Urge começar a pensar, primeiro para dentro (com pequenas realizações ao alcance dos parcos recursos do país), criar auto-suficiência interna, para depois pensar para fora, para o Mercado Regional, com os pés bem assentes no chão.

    Não é racional concentarmos todas as nossas atenções e energias na resolução dos problemas dos vizinhos, ou na competição com os mesmos, quando internamente, não somos capazes de resolver os nossos mais elementares problemas.

    Evitemos o “LUXO NA MISERIA”. Os projectos Megalómanos, que dependem dos apoios e intervenções dos outros, e levam uma eternidade a serem concretizados, são importantes. Mas os mais importantes e urgentes, são as pequenas realizações que reflectem directamente no dia a dia dos cidadãos comuns.

    O Governo deve apenas preocupar com o seu dever de executar, e apresentar realizações, ainda que pequenas, mas que reflitam na melhoria de vida dos cidadãos comuns e na melhoria do dia a dia do país em geral, sempre nos MARCOS DA LEI.

    O Governo não deve se distrair com os problemas dos TRIBUNAIS, do PARLAMENTO e de outras instituições que não dependem de si. Se elas não cumprem os seus verdadeiros papeis, nao satisfazendo as expectativas da sociedade, isso não deve apoquentar o GOVERNO. Para os dois restantes anos, apenas realizações, realizações e realizações. TUDO NGUE CU CA PLEME MELE,TE VONTE DE LOLO DEDO.

    Isidoro Porto
    30/AUG/2012

  10. img
    fia luxinga Responder

    Caro compatriota,sempre confiei neste governo, dada discurso que tenhem feito ao longo do tempo, tem mostrado pessoas com sentido rumo ao mundo globalizado na qual estamos inseridos, mas por outro lado temos estes cambalacheiros que aprenderam a roubar e somente querem la estar a mentir e confundiro povo. Força Patrice pouco a pouco vai mostrar os bandidos como se trabalha

  11. img
    jaime Responder

    esperemos agora que as viaturas nao sejam para roubar terrenos para entrgar aos filhos e libaneses.nao confio neste governo,no ministro muito mrnos,corrupto.mostre a sua casra que esta tapada.O sr heleodoro é um excelente tecnico e uma pessoa seria.

  12. img
    Passos Trovoada Responder

    Caro ANCA,
    Isso não significa necessariamente uma melhoria dos Serviços Geograficos e Cadastrais.
    Nem sequer é mudança de filosofia dos SGC, porque vai continuar a distribuir terrenos sem critérios pré-estabelecidos.

    Enquanto isso existir e os SGC não cumprirem a sua verdadeira finalidade no quadro do ordenamento do território vai sempre haver corrupção … entrega de terrenos aos amigos dos PT, DN, FM…

    …ou seja, o país vai continuar na mesma.

    Bejos

Deixe um comentario

*