Sociedade

Bolseiros de S.Tomé e Príncipe em situações de fome no distrito da Guarda em Portugal

Os cerca de duzentos estudantes bolseiros santomense  que frequentam o distrito da Guarda em Portugal estão em Situações de fome. A noticia foi avançada numa reportagem emitida pela RTP internacional na última quarta – feira.

Para o presidente da associação dos estudantes dos  PALOPS na guarda  não tem sido uma tarefa fácil quando soube que há alunos que já tiveram que ir ao lixo buscar comida. « ficam a aguardar por volta das vinte e duas horas para irem a supermercados pegar nos caixotes que tem la colher alguma coisa para sobreviver.» Disse o presidente da associação.

Uma   Estudantes disse  que não vai poder continuar os seus estudos por viajar para Portugal.

falta de condições  de sobrevivência e dai terá que regressar a sua terra natal. «eu consegui viver com o que os meus pais me enviavam, mas agora a situação tornou-se mais complicada na licenciatura a propina é mais cara então eu não vou conseguir pagar e ai vou desistir » disse uma estudante.

Avança ainda a notícia  que não recebem quaisquer bolsas do estado santomense que no entanto os declara como bolseiros. Como é que vão conseguir continuar a estudar? É a pergunta que o presidente da associação dos estudantes dos PALOPS quis fazer por carta ao governo de S.tomé e Principe. «Espero alguma coisa de S.Tomé mais eu não espero nada do ministro da educação, espero da oposição a própria intervenção do presidente da republica mais eu não espero do ministro porque essa carta é mais uma». Acrescentou o presidente da associação dos estudantes dos PALOPS  na Guarda Felisberto da Costa.

A directora do ensino superior e formação Edinilsa Afonso reagindo a noticia avançada pela RTPi  afirmou categoricamente  que estes estudantes não são bolseiros santomenses. «estes estudantes não são bolseiros do estado  santomenses. Afirmou Edinilsa Afonso directora do ensino superior e formação.

Quanto a declaração que os declara como bolseiros em Portugal a  técnica do ministério da educação disse. « esta declaração a RTPi não mostrou  não a mostrou com nitidez mas com recurso as técnicas de produção de imagem  nós pudemos verificar que esta declaração foi assinada por alguém que exerceu funções no ministério da educação  até 2007, se o estudante foi bolseiro de 2007 ele  em 2012 ele não conserva o estatuto de bolseiro». Acrescento Ednilsa Afonso.

Segundo esta responsável, o estado não está em condições de atender os referidos estudantes.

«destes alunos de guarda é bom que fique claro que o ministério não tem quaisquer responsabilidade em relação eles, estamos a falar da sensibilidade , é verdade que esta sensibilidade tinha que ser combinada com outras coisas mormente a disponibilidade financeira do estado para o efeito. Não há nenhuma medida de urgência que se possa tomar para ajudar esses estudantes. Ednilsa  Afonso avançou ainda sobre  o atraso no pagamento das bolsas aos estudantes. «neste momento  infelizmente nós registamos atrasos no pagamento em relação a todos eles, nós temos regularizadas as situações até Dezembro de 2011 em relação a todos os países. Afirmou Edinilsa Afonso.

Enquanto a ajuda não chega o que será destes estudantes?

Sónia Lopes

    56 comentários

56 comentários

  1. Céu Costa

    14 de Setembro de 2012 as 5:02

    Avistei ontem essa reportagem na TVI e fiquei muito chocada com a situação,triste demais para um país COMO STP.

  2. ZE PEDRO

    14 de Setembro de 2012 as 6:31

    Sejam esses estudantes bolseiros ou não do Estado, a verdade é que são;
    1. Seres humanos
    2. São-tomenses
    3. Estudantes
    Por isso não existe nenhuma razão para os deixar a sua sorte, não colhe a justificação dada pelo Ministério da Educação

    • E. Santos

      15 de Setembro de 2012 as 1:51

      Meu caro, por muito que se compreenda e sejamos todos sensíveis a situação destes estudantes, há um princípio básico a não esquecer: quem não tem não pode dar.
      O que disse a Directora do Ensino Superior pareceu claro ” se não conseguem satisfazer os bolseiros do estado, sua responsabilidade assumida, que dira, estes caídos de paraquedas”. ´´E assim também em nossa casa, nosso rendimento não é elástico. Sópagamos o que conseguimos e até onde nosso salário permitir. A partir daís se for preciso apertar o cinto e até passar fome, vamos passar. Veja o que está a acontecer em Portugal. Quantas famílias já não estão na rua e a passar fome? Sejamos realistas: esta é a nossa situação actual e o ME não tem como ajuadar.
      O Estado São-tomense sim, tem de encontrar uma forma de repatriar os seus cidadãos em situação de risco. Só nos resta mesmo apertar com isso, para aliviar estes estudantes.

  3. Elias Diakum

    14 de Setembro de 2012 as 7:37

    Elas podem e devem recorrer à prostituição, dá muito dinheiro. Eles coitados não.

    • Sempre a subir

      14 de Setembro de 2012 as 9:52

      Como é que o Téla Nón põe no ar esse comentário! Se não for brincadeira de mau gosto, o Elias Diakum me desculpe mas es muito mau. Estudantes são pessoas geralmente sensatas que procuram por vias de educação encontrar a melhor forma de contribuir para o país. Para prostituir não precisavam nem sair do país. Para concluir, mesmo que eles não procederam da maneira apropriada para bolsas de estudos, têm um sonho digno e se algo corre mal, São São Tomenses. Se estão a comer no lixo, o Estado ou seja o Governo deve socorre-los, resgatar cidadãos nesses casos e em casos de catástrofes naturais também cabe ao estado.

    • Perola

      14 de Setembro de 2012 as 11:34

      Ke conversa e essa, elas devem recorrer a prostituicao, para ja isto e de uma crueldade enfim e por outro lado preconceituoso nao sao so mulheres ke fazem prostituicao neste mundo os homens tambem, maxista de m….., e terrorista porque nao vais tu fazer prostituicao, ou a tua mae teu pai ou teu filho ou filha filho da p…..,ainda vou descubrir quem e voce nao e possivel alguem pensar assim, filho de uma egua, por isso que fazem de tudo para nao dar bolcas para estudantes mesmo bons alunos e ke os pais nao tem condicoes, falndo assim ate imagino ja ken fez este comentario.

    • zangada

      14 de Setembro de 2012 as 12:01

      Este governo e de maus, para ja a comecar do Ministro da Educacao, homem e mau, mesmo pessoas que nao tem condicoes ele diz porque os pais, nao fazem emprestimo no banco para custear estudos dos filhos, e diz mesmo que nao tem nada a ver com alunos que conseguiram sair do Pais, nao e da responsabilidade do Ministerio da Educacao, imbirento este tipo de gente se tiver um acidente apetece nao lhe acudir e dizer lhe tambem, nao tenho nada a ver com isso, porque e assim que ele pensa, tambem nunca foi pai, por isso nao sabe o que e isso.

      • E. Santos

        15 de Setembro de 2012 as 2:00

        Mas o Ministro tem razão e é preciso mudar a mentalidade sãotomense. Já lá foi o tempo em que nós viviamos só a esticar as mão e a pedir. Já lá foi o tempo em que só se conseguia estudar com bolsa de estudo do estado. Temos de pensar que o estado não pode tudo.
        Em qualquer parte do mundo os pais fazem empréstimo para os seus filhos estudarem. Em Portugal, os estudantes pagam pelo ensino superior. E os que não conseguem entrar para o Ensino superior público são obrigados a estudar no ensino particular que é mais caro e por isso só o fazem com recurso a empréstimo bancário. Aliás os bancos têm várias ofertas de crédito para formação supeiror. É isso que os nossos bancos também têm de fazer e incentivar para aliviar o estado.
        O estado sãotomense não é rico, nós não produzimos isso tudo.
        Vamos ser realistas, por muito que nos custe.

      • O Revolucionario

        17 de Setembro de 2012 as 14:47

        Meus caros leitores, nao se pode acreditar numa coisa dessa, afinal se na realidade queremos despertar interesse do governo santomense em relacao aos alunos santomenses, nao se pode jogar sujo dessa forma. Nao venham pra ai a sujar o bom nome dos santomenses porque sei que os santomenses ca em Portugal nao apanham comida no lixo pra comer. Tmabem sou aluno e santomense, nao sou bolseiro muito menos recebo alguma ajuda qualquer de alguma instituicao para pagar os meus estudos, temos que nos aprender a virar de forma a sustentar-nos ca nesse pais, e nao estar apenas sentados a espera que o governo nos venha dar dinheiro para estudar. Fome!!! ate podem passar mas catar comida no lixo isso de certeza que nao. Nao venha sujar os outros santomenses que ca estao ok! Se keres dinheiro procurar trabalhar e nao esperar que o governo venha nos dar, porque todos que estao ca tem familia em STP e de certeza que preocupa-se com eles ok! Sejam realistas e nao covardes, sujos e idiotas porque assim nao irao convencer o nosso governo a vos dar dinheiro nenhum…

  4. Sao Tome Principe

    14 de Setembro de 2012 as 7:49

    Assim é que é, a oposição tem que dar exemplos pro activos para a boa governação. Seria igualmente salutar que tb se desse apoios aos doentes que estão em Portugal a dormir na rua.

  5. Sao Tome Principe

    14 de Setembro de 2012 as 7:58

    Se o Governo tiver coragem politica para cortar a bolsa aos estudantes de bolsa perpetua, haverá sim dinheiro para apoiar os que correram o risco de aventurar e fazer uma formacão, porque são estes que realmente querem estudar para regressar e ajudar São Tomé e Príncipe, e não os que têm bolsa pérpetua.

  6. aaaaa

    14 de Setembro de 2012 as 8:12

    Só solidário com estes estudantes por um lado, mas por outo lado diria, bem feito. Pais irmãos, destes alunos são os mesmos que andam a dizer para deixar o governo trabalhar. O governo está a trabalhar e bem. Trabalhar, não reconhecendo os alunos como pessoas, como santomeneses. Bom trabalho. Excelente governo. É o melhor governo que S. Tomé já teve desde a independência. Bem feito para estes estudantes e seus pais. Aguente com ele sem reclamações.

    • E. Santos

      15 de Setembro de 2012 as 2:09

      Que outro governo faria diferente, meu caro. Não misture alho e bogalho. O teu país não é rico e tu sabes bem disso.
      Não está em causa este ou outro governo,está em causa a falta de condições para resolver o problema.Não a falta de vontade.
      O Governo tem de trabalhar sim, e trabalar com afinco para por termo a anarquia que sempre foi a questão da Bolsa de estudo e que hoje, com a crise nestes países, vai trazendo ao de cima a situação dos sãotomenses que se aventuraram em estudar no estrangeiro. Diga-se de passagem…por pura ambição. Lusiada, ISP não têm formação superior???? O que é que faz uma pessoa que já tem 11.º ir começar do 10.º novamente para terminar com 12.º ano e depois tentar entrar para Universidade. Se conseguir!! Porque por mérito poucos entram, têm mais uma vez de vir pedir ao estado apoio para entrar na Universidade por via de quota dos Palop. Tivessem entrado logo para o ISP e pronto. Hoje já estariam formados.

    • E. Santos

      15 de Setembro de 2012 as 2:18

      Eu faço um apelo a todos os santomenses no sentido de darem o seu contributo para o repatriamento destes estudantes. Todos acusam o governo mas não vi ninguém que se pôs a frente e foi abrir uma conta para que todos pudessem depositar as suas ajudas de forma a se angariar fundos para os mesmos poderem voltar. Nós só nos limitamos a falar e falar. Mais acção meus senhores. Se a situação é catastrófica, vamos ser mais activos.

  7. luisó

    14 de Setembro de 2012 as 8:34

    Este artigo parece escrito por alguém que acabou de tirar a 4ª classe.
    Erros gramaticais, frases sem sentido, mistura noticia com declarações, etc.
    Muito mal…

  8. Lede di alame ça ua

    14 de Setembro de 2012 as 8:45

    A currupcao e ma gestao dos dirigentes santomenses, corre no sangue, nao tem cura, existira sempre estudantes com dificulidades uma vez que os nossos dirigentes estao se lixando pra outros, ou seja, ninguem gosta de ver outro a desenvolver independentemente, seja de que forma for, o odio a ganancia e a inveja esta dentro da sociedade santomense, e os dirigentes nao passam, nada mais nada menos, doque individuos que apenas foi eleito irregularmente para dirigir os destinos do nosso querido pais, dai que a solucao, acho que era melhor, criar condicoes para que nos podemos estudar e qualificar mesmo em sao tome, tudo e uma questao da mente humana, os gajos que lecionam em portugal, franca, ou seja em que lado for, nao passam de pessoas, oque falta no nosso pais e mudar a mentalidade e dinamizar o ensino…………..

  9. Mimi

    14 de Setembro de 2012 as 8:55

    Tenham eles ido “por sua conta e risco” como disse a Exma Sra Dra em representacao do Ministerio de Educacao, o estado é responsável pelos seus cidadaos, sejam eles estudantes ou nao, vivam eles dentro ou fora do país. Por isso considero muito irresponsavel a atitude publica de virar as costas por uma representante do estado.

  10. Custo

    14 de Setembro de 2012 as 9:18

    Um respresentante do governo afirma que país não responsabilidades com cidadãos nacionais? Creio que acima de tudo, estes estudantes são humanos e são cidadãos de STP. O Estado tem resposabilidades de zelar pelos os seus. Um Estado que não essa responsabilidade, deixa de o ser e passa a ser um bando de oportunistas e saqueadores. Cuiados, porque aqui se faz, aqui se paga!

  11. filha da verdade

    14 de Setembro de 2012 as 10:20

    Fikei triste em saber d uma tal entrevista,palavras sem nexo revelando uma falta d comptencias para exercer tal cargo,antes d serem santomenses sao humanos,et d acordo com tais criterios o estado devia fazer algo,como s tem dinheiro para viagens, caros d luxos et outras regalias mais et nao s pode responder em um caso pontual seres humanos ki estao a passar fome??????Esta mesma Sr dita Directora e algem sem alma, sofrida et mal amada,infelizzzz,gostei d ver ki ela chegou a revelar sua propria personalidade na praca publica,varias sao as pessoas ki s keixam d seu comportamento arogante,estupido…nao sei d onde tirou esse tipo d comportamento,os santomenses sao caracterisados pela boa educacao,enfimm,todos keremos uma educacao d qualidade,nao uma educacao d falcidadesss,apelo a todos santomenses uma resposta activa a essa entrevista pork ja e chegada a hora d mudar as coisas,vamos ver os filhos das pessoas ki estao em certos paises “boa bolsa”, filhos d quem estao la, fico triste em saber ki pessoas desse tipo ki estao em certos cargos nao defendem o interesse desses a quem o deveria fazer, triste et cansada estou
    VIVA R.D.S.T.P UM DIA AINDA SEREMOS LIVRES EM TODOS OS SENTIDOS

  12. INCOMODADO COM ISTO

    14 de Setembro de 2012 as 10:45

    Para falar não dá éé,
    enfim aqui em STP, tb tem, o novo ano lectivo a vista e nada de Bolsa do ano passado, quando sabemos que há alunos que foram para o exame mas as escolas não publicaram a nota por falta de pagamento, o que aconteceu a estes alunos? reprovaram naquela cadeira. Mas os nossos irmãos que estão la fora não merecem este tractamento, tem sangue, carne e osso como tudo mundo tem.

  13. conterrâneo

    14 de Setembro de 2012 as 10:58

    A questão que se coloca é se esses estudantes que sairam de STP para Portugal através de diversos acordos firmados entre as Camaras Distritais e os Municípios Portugueses são ou não bolseiros do Ministério de Educação.

    Qual é a responsabilidade das Camaras Distritais nesses processo?

    Ouvi dizer que a camara de Água Grande já preparou mais um conjunto de jovens para enviar para esses municípios este ano.

    Quem assumirá esses envios de jovens para formação profissional?
    É o Ministério de Educação?

    Ou as Camara Distritais?

    Penso que tem que ficar bem claro, as responsabilidades de cada um nesse processo.

    Se a responsabilidade é das Camaras Distritais, então elas devem ser levadas aos Tribunais para assumirem os seus compromissos.

    • cabrito do mato

      14 de Setembro de 2012 as 16:14

      O Ministerio d Educacao e o regulador das Bolsas em sao Tome, as listas para as Bolsas das cameras eram afixadas no Ministerio da educacao, hj como coisa deu mal o Culpado,quem e??As camaras?axo ki nao,o ministerio da Educao tem ki avaliar em ki hambito esses acordos sao assinados,o Importante aki e ver ki as Pessoas estao a passar fome o estado d sao tome nao tem Responsabilidade com seus cidadaos??E vem DIZER PELA PESSOA D ALGEM KI NAO TEM NADA HAVER COM ISSO???ENFIMM

  14. roça vitoria

    14 de Setembro de 2012 as 11:16

    Se são ou não bolseiros na verdade é que o governo deve resolver o problema desses estudantes isto porque são Sãotomenses.

  15. Conveta Quá

    14 de Setembro de 2012 as 13:26

    Os estudantes não são bolseiros de facto. Com os bolseiros a situação ainda foi regularizada em Dezembro. Só foram nove meses. Os que são bolseiros não podem ter razão de queixas porque ainda receberam a bolsa há nove meses. Não é isso sra Ministra?
    Se praga pegasse, hein?

    • Conveta Quá

      14 de Setembro de 2012 as 13:28

      Sra Ministra não, nossa sra Directora.

    • Quem é a veradeade?

      15 de Setembro de 2012 as 22:25

      E você pensa que a praga não pega?

      Talvez não pegue mesmo. Mas as consequências dos nossos atos levaremos connosco quer seja bom quer seja mau; quer acreditemos quer não.

      Nem precisamos rezar pragas, pois cada um levará sobre si o resultado das suas malicias ao menos que se arrependam e mudem dos seus maus caminhos.

      “Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo que está encoberto, quer seja bom quer seja mau.” Eclesiastes 12:14

  16. anca2

    14 de Setembro de 2012 as 14:34

    Peço encarrecidamente ao Director do Jornal TÉLA NÓN que mude a estrutura de acesso aos comentários porque já é altura de S.T.P conhecer quem são os que realmente não temem a nada. Se deseja comentar que seja obrigatório identificação. Porque em S.T.P tem muitos que atirram pedra e depois escondem a mão. Não vale nada.

    • haha

      19 de Setembro de 2012 as 8:54

      Qual é o seu nome?

  17. Fijalatao

    14 de Setembro de 2012 as 16:16

    Nos outros comentários, fiz alusão a sucessivos filhos de dirigente e outros mais que ascendem o poder! Pergunta-se: Este senhor Ministro de Educação, de certeza que não foram os seus pais que pagaram a sua formação! Esse senhor Ministro estodou com bolsa de formação do povo de S.Tomé e Príncipe! Pois bem, todos nós temos algo em comum no que diz respeito a santomenses! Nós somos por naturza e devido os limites do território, ingratos, invejosos, egocênticos, orgulhosos pela negativa, autoinferiorizam-se,pessimistas, não determinados,desconfiados, não deixe que o outro se desenvolva,enfim uma série de adjectivos que nos caraterizam, contribuindo para o abismo em que estamos metidos há já 37 anos. Pois bem e para dizer que este ministro esqueceu que há bem pouco tempo, ele também era estudante fora do seu país! Mas, após colocado na senda política e ascendeu o poder, os outros são imagens “Ícones”. Por isso, uma nova revolução neste país caía bem agora e neste momento!

  18. Lisboa

    14 de Setembro de 2012 as 16:54

    Fiquei triste ao saber que os nossos jovens estão a passar fome em Potugal.
    Os nossos governantes têm que por a mão na consciência e ajudar os nossos miúdos porque afinal de contas eles também um dia foram estudantes. Também faço um apelo aos ditos jovens para serem mais humildes, porque vejo alguns mais preucupados em ter telemóveis de 300 e 400€ e roupas de “marca”. Quem chora fome, não pode dar-se ao luxo de certas coisas! Sejam humildes com espirito de camaradagem!

    • Sacramento

      14 de Setembro de 2012 as 20:16

      Ah, tem razao devem ser ajudados, mas muitos que foram nao sao miudos outros homens ate que ja tinham mulher e filho, portanto deviam ver a idade e mandar trabalhar uma parte deles. Enquanto que ha estudantes bons alunos de pouca idade que estao em paises que estudante nao pode trabalhar e nao tem bolca e coitado dos pais tem que ralar p ajudar, estes tambem passam mal,e muitos dos que vao a Portugal fazer profissional ja eram homens marmanjos e todo esse tempo nao estudaram p terminar um simples curso profissional, devem arranjar algum trabalho, Portugal ate se consegue lavar uns pratos e ganhar dinheiro, Brasil nem isto os estudantes podem fazer. Ahm nem todos esses que estao a reclamr devem ser ajudados usam telemoveis de marca, roupas de marca e ate vinham de ferias.

  19. da costa

    14 de Setembro de 2012 as 17:13

    Essa diretora nao tem coracao. ela nao e ser humano, falar assim mostra como os santomenses que dirige essa ilhota sao super maus. Espero que a cumunidade saotomense em portugal, essa coisa chamada embaixada de stp, e pessoas de boa vontade passa dar uma mao a esses estudante.

    • Chorare

      14 de Setembro de 2012 as 22:07

      Mas a sra so falou p televisao, quem manda e Ministro eu tambem tenho raiva desse governo pk minha filha nao tem bolca e boa aluna, pouca idade, mas a sra ia dizer que vai dar bolca sim, coitada so esta a trablhar quem manda e governo. Ela nao tem dinheiro p financiar os estudantes, os superiores e que decidem deixem de falar mal da senhora

  20. Iraquiano

    14 de Setembro de 2012 as 20:08

    isso ja não vai a bem so a mal, so resta é pegar maschir, zagaia, pistola e ir na rua!!!

    um bem haja!!

  21. Dos SANTOS

    14 de Setembro de 2012 as 23:17

    Estou fora de Sao tome ja 25 anos mas sigo sempre os acontecimentos do Pais;Hoje ja serve de licao para outros santomenses nao vir a europa porque tem o bilhete de viagem mas sim tem que pensar o quem vai mi sustentar enquanto eu tiver ali?Isso que os estudantes devem pensar antes de subir no aviao para estrangeiro.Europa nao e facil mesmo para europeus imagina outros.

  22. ex-estudante

    15 de Setembro de 2012 as 2:23

    Que possa haver alunos Santomenses a passar muitas dificuldades em Portugal eu até acredito, agora passar fome no distrito da Guarda, só quem não conhece esse local de Portugal pode dizer uma coisa dessas.

    São locais que não têm nada a ver com Lisboa ou Porto, onde funciona muito o espírito de entre ajuda entre as pessoas, onde há muita gente do campo e as pessoas são muito boas e muito amigas dos seus amigos.

    Por outro lado, há em Portugal as cantinas sociais, onde pessoas que não têm dinheiro podem ir lá comer sem pagar nada. Quase todas as cidades têm este tipo de cantinas.

    Em conclusão, dificuldades com dinheiro, propina, livros, telemóvel,etc, eu acredito, agora fome ….. e logo na Guarda….

    • E. Santos

      19 de Setembro de 2012 as 13:15

      Pois, eu também não acredito muito nisso.Cheira-me mais a chantagem emocional, propaganda da oposição. Mas pronto.
      Agora uma coisa é certa, está na hora do São-tomense parar de pensar que seu país é rico porque ninguém planta e todos colhem uma pinha de banana, matabala, mandioca para comer. O país não produz para gerar riqueza e o pouco que tem é assambarcado por todos. Pelos dirigentes, pelas chefias intermédias (diga-se directores e chefes do sector público), pelos simples funcionários da função pública, enfim, cada um ao seu nível, mas todos põe a mão ou punham a mão no que é de todos ( a pesar de Governo e políticos serem olho de peixe).
      Sendo assim, o que sobra, não dá para tudo. E quem não tem não pode dar. Isso é básico, dinheiro não é elástico.

    • Age mais e fala pouco

      24 de Setembro de 2012 as 16:16

      ex-estudante e E. Santos!!!

      Realmente estão a viver no séc. passado, e já a muito tempo não visitas o distrito de Guarda. Esses comentários, poderiam ser aceite, mas infelizmente não serão. Não sabem o que falam. Se puderem vão pra lá estudar e verão com próprios olhos. Só quem aqui está,sabe tamanho das dificuldades. Quantas vezes já foram a caixote de LDIL buscar frango e peixe? Caros, informam-se sobre a situação e vejam o número de alunos de stp existem lá, só se fôr na vossa Câmara ou cantina a darem de comer a esses todos estudantes ao longo de 3 anos , lá tem também alunos de outros paises de africa(palop),mas não apresentam essas situações.Vcs não têm nução da vossa intervenção?????

      SRssrsrsrsrsr dar-te algo para comer nos dias de hoje??? Não têm nução de perigo, gostam mesmo de bla bla bla

    • Maldito o dia da Independência

      24 de Setembro de 2012 as 16:41

      Que existes alunos lá com declarações de bolseiros do ano 2011/12, existem. O Instituto Politécnico da Guarda tem e a associação também acredito que tem. O antigo de 2006/07 era apenas para explicar a situação (Não passa de uma declaração de fachada).
      Que diretora mentirosa, e ainda por cima uma declaração assinada por ela.
      Mimi quem te viu e quem te vê!!!????

      Uan djá ê ca bluguna êeeeeee.

  23. fiá luxchinga

    15 de Setembro de 2012 as 9:37

    A situação é triste para ver compatriotas a passar por esta situação, mas culpados são os nossos dirigentes e por não planear a vinda destes estudantes tendo em conta recursos diponiveis a curtos prazos. Por outro lado não são os únicos culpados porque existem pessoas singulares que dao deligencia para colocar muitos estudantes aqui em Portugal, ao cuidado das respectivas camaras locais, mas agora como Portugal esta atravessar uma grande crise e cortaram em maioria despesas aqui estão as consequencias, na qual cabe ao governo dar resposta e por em causa a boa imagem de S. Tomé e Príncipe.
    Na minha opinião estas pessoas singulares deveriam ser chamado para ajudar a resolver problemas. Por outro lado os familiares dos respectivo alunos também devem responder pela respectiva situação.
    Meus caros compatriotas temos que aprender a ser responsaveis, porque não somos, apenas sabemos indicar dedos aos outros na qual somos nós origem do mal. É bom que refletamos bem, depois falamos, porque sou santomense estou em Portugal á 15 anos e conheço muito mal dos nossos compatriotas e culpam governo, assim como existem muito a receberem bolsa cá sem estar estudar a mais de 20 anos ou mais.
    Neste caso a responsabilidade é de quem? Estas pessoas falam?
    como existem Santomenses que nasceram em Portugal nunca foram a S. Tomé mas posuem bolsa de STP, quem é responsavel?

  24. fiá luxchinga

    15 de Setembro de 2012 as 9:51

    È bom que haja uma inspecção as Finanças em STP para esclarecer determinados factos porque se formos ver as transferencia feita para cuba na qual o valor nunca vai certo, hora falta 30€ ( hora Dólar) , hora esta faltar nome de 4 a 5 alunos e valor certo para os restantes . Na qual os nomes vai a faltar por rotatividade, por outro lado porquê que a quantia vai hora Dólar hora Euro, sabendo que temos um cambio fixo.

    È bom que Governo como meio de comunicação nacional agem a fim de esclarecer a verdade.
    Por outro lado importante não é mandar muitos bolseiros para formação, como tinha sido papeis de governo anteriores, mas sim pouco e ter condição para os sustentar. Por isso estou de acordo a presente governo em não enviar estudantes a qualquer preço para exterior.

  25. S.Cristão

    15 de Setembro de 2012 as 11:10

    Padre Olinto viu:
    Quando nós diziamos sô padre pa não fazê pedofolia com crianças na catequese,sô padre ainda zangava gente.Até tinha que casar com criança,porque ela era menor.Tudo isto Deus está chateado com sô padre.

  26. observador atento

    15 de Setembro de 2012 as 11:21

    Sra Directora do Ensino (…),
    Por uma questão de:
    HUMANISMO / ÉTICA / PRINCÍPIOS MORAIS /e outros bons, põe o seu cargo à disposição.É o seu profissionalismo que está em causa.O próprio Olinto Daio vai já dentro de dias lhe dar um “CHUTO” se é que quer já saber.A senhora já não tem reputação profissional alguma;este resto que ainda possui,conserve,,,ainda pode lhe servir. Uma coisa fique sabendo “Política é muito ingrata”. Um bémuê.

    • Chorare

      15 de Setembro de 2012 as 19:44

      Mas como o sr pode ver qualquer pessoa nesta funcao, tinha que esclarecer as coisas portanto nao vejo onde a directora tem culpa, a nao ser que o sr Ministro queira tira la so p fazer Ingles ver, Sra. Directora, nem sou pessoa da sua amizade mas forca coragem.

  27. Engenheiro( LISBOA)

    15 de Setembro de 2012 as 17:49

    UMA CHAMADA DE ATENÇÃO AO SROU SENHORA SACRAMENTO,mas suponho que O ILETRADO EM QUESTÃO SEJA UMA SENHORA e nesse caso ILETRADA.
    SENHORA SACRAMENTO,peço-a que antes de abrir a boca e falar asneira, que pensasse um pouco nos vómitos.
    Eu estou em portugal com estudante bolseiro e já sou HOMEM GRANDE TENHO FILHOS EM SÃO.TOMÉ e fiz o ensino secundário a senhora nem se quer estava na forma,estou certo, e para a função pública trabalhei mais de 20 anos e sou culto por excelência e graça a Deus sempre fui. Infelizmente devido o CLIENTELISMO,CORRUPÇÃO E A TRISTE PARTIDARIZAÇÃO DO PAÍS, não me foi concedida a bolsa a tempo e época devida.

    Agora eu pergunto:
    – Eu já não tenho
    direito de ser formado no exterior e

    beneficiar da ajuda do ESTADO SANTOMENSE

    para qual trabalhei e contribui para

    segurança social mais de 20 anos e tal?

    Pois eu digo-te que tenho por excepção

    e merecimento.

    Felizmente eu já sou ENGENHEIRO e

    orgulho-me de o ser neste tempo tão

    difícil trabalhoso. E quando a senhora

    diz que alguns estudantes deviam ir

    trabalhar, era bom se houvessemesmo

    trabalho em portugal e que a AUTORIZAÇÃO

    DE RESIDÊNCIA, emitida pelo SEF em

    Portugal o permitisse. Digo-lhe que

    nenhum estudante do governo ou não, iria

    se preocupar com CARIDADE deste ou dos

    outros governos anteriores, porque 150,250 euros para uma formação??? E que

    chega com atraso médio de 7 meses??? E

    querem ter bons quadros??? Quando se

    desloca de um país para estudar a funão é

    ESTUDAR,por isso temos a AUTORIZAÇÃO DE

    RESIDÊNCIA QUE NOS INTERDITA A

    TRABALHAR,a senhora entendeu???

    SUA PODRIDÃO VERMELHO E INVEJOSA!!!!

    (FATÁ SÚDU NI BÓCÁ SÉ BÔ!!!CÁLÁ LALUGU MÓ NGÁMA LÁÁ PANÚ)

    AH PÓDA MÚ CUNFIANÇA NÉM QUÉ MÚ… LEVÁ

    NÁ CÁ GUADÁ SAUÊGI FÁ… MAGI CLONVEÇON

    SAN SÉ, NÁ IÊ MU FÁ NÊ PIQUINÁ…

    Ah, ficá cú Deçu antê olá bilá,mó falá se

    Deçu mêcê, pundá camián de balú cú cá fé

    móli, só cu plôcõ cá nhê lichi… Humm bè zá…

    SAN SACLAMENTÚ Ê, SAN CÁ TOMÁ XTENÇÚ Ê,

    PUNDÁ MUNDÚ TÊ PESÚ MÓ CTT…

    • E. Santos

      19 de Setembro de 2012 as 13:29

      Nesta lógica, todos temos direitoa bolsa de Estado para estudar no estrangeiro. Convenhamos. Mas nada disso. A bolsa de Estudo exite para ajudar pessoas carenciadas, ou de baixa renda. O que acontece é que em STP somos quase todos de baixa renda, pois contam-se nos dedos quem tem possibilidade real de manter um filho a estudar no exterior. Por isso o EStado foi dando bolsas, bolsas na maioria oferecidas por outros estados que reconhecendo a nossa falta de condições de financiar o estudo dos nossos quadros também nos ia dando as bolsas no âmbito do programa de cooperação.
      Ho je as coisas já não são bem assim, já temos muitos formados, o país já garante formação superior aos seus estudantes por isso a tendência, e mais ainda com a crise internacional é estas bolsas irem diminuindo. Sendo assim, os Sãotomenses têm que começar a deixar de pensar em Bolsa de Estudo, tem de pensar que quando terminarem o liceu entram para uma universidade local. Assim é que tem de ser.
      Se por ventura por mérito ou por alguma sorte conseguirem a bolsa, olha, optimo. Mas se não conseguirem, não deixam de se formar por isso.
      Agora, diga-me: você que se formou engenheiro e é bolseiro o que vai fazer com a sua Engenharia? Qual o seu primeiro pensamento? E se a Europa não estivesse em crise, qual o seu primeiro pensamento? Não regressar a casa, certo? Como muitos outros, investimento sem retorno do estado.
      Outra coisa, os seus descontos para Segurança Social, nada tem a ver com Bolsa de estudo. Estes são para garantir a sua reforma no futuro, quando você já não puder mais trabalhar.
      Não ponho em causa o seu direito de ser formado, mas daí a pensar que tinha de ser com bolsa de estado, isso já não tinha de ser. De qualquer forma, boa sorte, qualquer que seja a sua opção. Mas educa o seu filho para pensar diferente.

  28. Primeiro Ministro

    15 de Setembro de 2012 as 19:58

    Onde tem andado todo o dinheiro que era destinado aos pagamentos de bolsas de estudos aos estudantes que ja terminaram seus estudos em Portugal, Cuba, Brasil, Moçambique etc? Essa quantia não era destinada a educação e formação? Onde andará esse bendito dinheiro?

  29. Abdulay silva

    16 de Setembro de 2012 as 15:35

    por causa de atitudes de governação como essa impossibilita o reconhecimento do nosso pais na Diáspora, Por culpa de políticos sem bom senso de governação,,,,,,, que vergonha

  30. Normany Costa Dias

    16 de Setembro de 2012 as 22:11

    Acho que está não será a postura mais adequada do Ministério da Educação. Temos uma situação extrema de estudantes santomenses que vêem com estatuto de bolseiro, estão a passar fome e o País diz não puder fazer nada(…) Francamente, só somos notícias pelos maus exemplos e há uma completa inércia do governo para resolver a situação. A imagem do País não conta!? Como é que o País deixa sair estudantes com estuto de bolseiro quando não o são?

  31. feijoada

    17 de Setembro de 2012 as 16:51

    Isto é muito simples: ´Cá em STP ja temos universidades com alguma qualidade. Atendendo o estado de crise/miseria que se encontra o estado português e não so como o estado santomense, aconselho todos estudantes bolseiros e não bolseiros a regressarem para sãotomé e continuarem os seus estudos na Lusiada ou ISP mediante o pedido de equivalencia, como eu fiz. Estudava em portugal onde era bolseiro e ja no 2º ano de Direito, não recebia e quando recebia era com atraso, resolvi regressar e continuar em Lusiada e ja estou no 4º ano. Estou muito feliz porq o estado tem pago ou seja tem dado a sua participação.

    Abraço a todos

  32. Engenheiro(Lisboa)

    18 de Setembro de 2012 as 15:29

    É uma atitude corajosa Senhor feijoada!!!
    Entretanto tiveste o privilégio ou a sorte de escolher um curso que também se faz em São.Tomé, felizmente!
    Digo-te que a crise que eu pessoalmente tenho passado cá em Portugal, se houvesse uma escola de Engenharia lá em São.Tomé e Príncipe, eu seria o primeiro a regressar São.Tomé!!!
    Fomeeeeeeeeeeeeee!!! Mas, felizmente eu já sou Engenheiro e até hoje admiro-me a mim próprio, a minha coragem e determinação.. Mas,meu irmão o que passei, espero nunca mais viver situação semelhante e não desejo que ninguém.
    Vive CRISE HUMANITÁRIA, TENS IDEIA DO QUE É ISSO ??? Dá um salto para Somália e não só verás!!!

    Bem DEUS E(é grande)!!!
    Magi ózé ngá contá tlabé cú li ni bóca ê, móçú….

  33. Engenheiro(Lisboa)

    18 de Setembro de 2012 as 15:31

    Gralha do meu comentário:
    Onde se lê, ‘Vive’, deve-se ler ‘Vivi’.

  34. DEUSA

    19 de Setembro de 2012 as 13:02

    Para o Sr. Elias Diakum
    Já vi k é um M… e provavelmente mais um dos ditos dirigentes do País chamado São Tomé e Príncipe. Em k século está? Parece k ainda anda na caverna.
    Em primeiro lugar, a prostituição não é só para as raparigas.
    Em segundo lugar, não sei se tem família, em especial “avó, mãe, irmãs, sobrinhas, filhas e primas” porque quem tem não reage assim.
    Em terceiro lugar, pude apurar k é um pedófilo/psicopata.
    Então seu grande M…, ignorante, nem sei k habilitação tem, mas não deve ter concluído a 1ª classe. Agradecia k desse seu traseiro “cú” de forma a dar sustentabilidade aos demais estudantes, uma vez k, pela sua conclusão e talvez experiência própria, diz dar muito dinheiro. Assim estaria o assunto arrumado.
    Hei-de desvendar quem é.
    Passar bem.

  35. nando vaz: a.n

    20 de Setembro de 2012 as 17:58

    estamos perante um governo que ate esta parte,nao teve,nem tem politica para criacao de riqueza nacional. estamos petante um estado pauperissimo.apelo que gostaria de deixar aos colegas estudantes,se vira.

  36. black Mamba

    25 de Setembro de 2012 as 2:24

    estudantes graduados em cuba abandonados sem bolsa sem passagem para regreso .
    em completo estado de abandono

  37. José Sarney

    30 de Setembro de 2012 as 11:49

    vamos com calma.fui estudante. tive a op,ortunidade de fazer alguns cursos em portugal e na Romenia. Fui sempre bolseiro. Apesar disto e naqueles tempos da primeira republica, , estudantes saotomenses nunca tiveram facilidades; nascemos do mar e da terra e a nossa salvaçao sempre foi trabalho e muito trabalho.Pedir ajuda, sim , mas com humildade e educaçao que sempre nos caracterizou .

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo