Autoridades sanitárias anunciam redução de casos do Paludismo

A Direcção do Programa Nacional de Luta Contra o Paludismo, veio anunciar a redução do número de casos de paludismo em São Tomé e Príncipe, depois de quase ter perdido o controlo da doença em Junho último.

« Foi preocupante a situação que vivemos entre Junho e Julho em que chegamos a ter seiscentos casos por mês  e neste momento nós estamos com trinta casos ,portanto isto quer dizer que seguramente estamos  numa situação muito mais confortável  do que anteriormente» , referiu o responsável do programa de luta contra a doença-.

Recentemente, e por causa da subida explosiva dos casos de paludismo, foi lançado mais um ciclo de  pulverização das casas, e em simultâneo a campanha de sensibilização da população no uso do mosquiteiro impregnado, assim como a implementação de outras medidas de prevenção do combate ao mosquito que provoca o paludismo.

As autoridades acreditam que tais medidas terão contribuído para a redução de casos, mas reconhecem no entanto que o país vive a estação seca, conhecida por gravana, onde tradicionalmente os casos de paludismo diminuem em relação a estação das chuvas que começa nos finais de Setembro.

Aproxima-se a época chuvosa por isso a luta não deve parar. O sexto ciclo de pulverização já esta na sua faz e final faltando apenas os distritos de Lobata e Lémba. Neste sexto ciclo registou-se uma taxa considerável  na cobertura satisfatória.  Em Agua-Grande a taxa atingiu cerca de  80 % e  nos outros distritos cerca de 90 %  um percentagem bastante considerável.

Sónia Lopes

  1. img
    ZE PEDRO Responder

    é bom não se estar a fazer esses anúncios como se já tivessem alcançado algo de extraordinario….

  2. img
    Sempre a subir Responder

    É positivo essa preocupação. O mérito também é do esforço financeiro que os nossos parceiros de desenvolvimento têm vindo a empreender ao longo desses anos todos. Aliás se tudo que foi planeado tivesse sido posto em execução e com uma melhor cooperação da população, o resultado seria ainda muito melhor. Seja como for estamos em bom caminho.

  3. img
    Será? Responder

    Não será que agora há menos mosquitos, vectores de transmissão da doença?
    Vida Longa é voto dedicado a todos os que contribuem pela causa.

  4. img
    Stlijon Responder

    importante é garantir a continuação das pulverizações e a pesquisa ativa. Abandonar agora significa perder todo o investiento feito.

  5. img
    plantas hoje colhes amanha Responder

    ainda existem pessoas na iguinorancia de não dormir ( aceitar dormir)de baixo dos mosquiteiros, povo de STP veja e entendam que é um grande esforço dos países amigos de STP em nos ajudar com equipamentos , formação , e muitos mais financeiramente para acabar com esta praga que são os mosquitos e os virus que ele transmite a nós e parece que o paludismo é para as pessoas pobres , convenhamos que muitos ditos ricos de STP apanham o virus do paludismo e por vergonha vão ao estrangeiro curar, nem querem que os outros saibam que apanharam os virus além de não aceitarem o tratamento que se tem aplicado nas casas não dormem de baixo do mosquiteiro. enfim , assim o pais não desenvolve.
    Vamos nos esforçar para acabar com o paludismo porque iremos economisar dinheiro que gastamos com medicamentos e o mais triste com a morte dos nossos familiares e espero que o telanon divulgue + notícias sobre a evolução destas campanhas.

  6. img
    Santosku Responder

    Nota-se que houve um trabalho arduo para diminuição do paludismo. Agradeço a todos quer directa ou indirectamente deram o seu contributo para melhoria da situação. São Tomé e Principe sem paludismo é um mar de rosas porque os estrangeiros sobretudo os turistas vão mas confiantes na ssua saude.

  7. img
    Samuel Santos Responder

    Isto é bom!!

  8. img
    CST - Flagrante Responder

    É o país que se quer!!!

  9. img
    Povo põe, Povo Tira Responder

    A ministra da saúde, faltou respeito ao Presidente da republica, chegando mesmo a abandonar a sala da reunião… Sou do ADI, mais fiquei muito triste com essa situação. Apesar de não ter votado no Pinto da Costa, mais a maioria dos São tomenses votaram, logo ele tem que merecer todo respeito enquanto presidente da republica.
    Se for isso que ADI pretende fazer, humilhar o Presidente da Republica, não contem comigo, estou de fora.

  10. img
    Male pocon Responder

    Em Agua-Grande a taxa atingiu cerca de 80 % e nos outros distritos cerca de 90 % um percentagem bastante considerável.

    Porque nao 100% ?
    Ha pessoas que acham isso uma brincadeira ?…
    Deve haver punicao severa para aqueles que nao aceitam pulverizar as suas casas.

    Essa ardua luta deve ter a aceitacao e colaboracao de todos.
    A dor de perder um ente querido por causa do paludismo so sabe quem ja passou por isso.
    Por isso, deixemos de achar que somos mais importantes do que os outros e colaboremos todos para o bem de todos.
    Viva STP.
    Deus connosco

Deixe um comentario

*