Súplica dos Estudantes bolseiros no Estado do Ceará-Brasil

É de se lamentar que seja sempre necessário estarmos chorando para que possam se lembrar que temos fome e que apesar de tudo isso, ainda estamos vivos, encarando o abismo todos os dias em virtude dos nossos almejos e na busca pela nossa essência tanto acadêmica humana como profissional.

Senhores(as): Ministro(a) da Educação, Ministro(a) das Finanças e Demais Membros do Governo Santomense

Estudantes bolseiros de São Tomé e Príncipe no Estado do Ceará, República Federativa do Brasil, vimos por este meio, usando dos meios disponíveis para gritar e suplicar pela proteção das nossas vidas que se encontram vulneráveis diante da precariedade em que nos encontramos e afundamos cada vez mais pela falta de humanidade da vossa parte.

O Direito como um sistema de normas, criadas por autoridades competentes com o poder de aplicá-lo na sociedade, não existe apenas para limitar a liberdade dos homens nem tão pouco reprimir as infrações como idealizam alguns, muito pelo contrário, ele existe para disciplinar a conduta humana na sociedade almejando buscar a realização da justiça para que os homens possam exercer livremente a sua liberdade e encontrar a sua indispensável segurança.

O ser humano é um fim em si mesmo e por isso tem valor absoluto, não podendo ser usado como ferramenta para alcançar algo, e justamente por isso é portador de dignidade como base que estabelece uma proeminente orientação de toda ordem jurídica, caracterizando-se indispensável para ordem social como valor supremo de uma sociedade fraterna, pluralista e sem diferenciações, instituída no consenso social e empenhada na ordem interna e internacional com fulcro no bem comum.

Com a mais alta necessidade de assegurar o nosso valor como seres humanos que somos, independentemente da orientação sexual, raça, cor e posição social, temos os princípios de dignidade e equidade da pessoa humana com extrema relevância, constituindo a base do Estado Democrático de Direito que é a fonte do ordenamento jurídico cujo São Tomé e Príncipe hipoteticamente faz parte.
Esses valores se manifestam singularmente na autodeterminação consciente e responsável que traz consigo o anseio ao respeito por parte das demais pessoas, que possam garantir no mínimo o Direito à Vida que todo estatuto jurídico deve assegurar, sem desprezar a necessária estima que merecemos enquanto seres humanos.
É de se lamentar que seja sempre necessário estarmos chorando para que possam se lembrar que temos fome e que apesar de tudo isso, ainda estamos vivos, encarando o abismo todos os dias em virtude dos nossos almejos e na busca pela nossa essência tanto acadêmica humana como profissional.
Portanto exigimos que o sangue da humanidade e democracia comece a fluir em vós e que o Altíssimo se manifeste nas vossas ações tão urgentes para nós.

Fortaleza, 11 de Outubro de 2012

Associação Acadêmica dos Santomenses no Estado do Ceará

Os seres ávidos do conhecimento.

  1. img
    Féde ká Dóxi Responder

    Meus meninos. É o que temos, Outrora apenas os estudantes reclamavam. Actualmente e com o alargamento do mês para 45 ou mesmo 48 ao invés de 30, isto está complicado. Há quem diz que as Embaixadas têm salário com atrazo de 120 dias, não sei se isso s confirma. Como alguns estudantes, particularmente os que estão aqui em Portugal recebem com 8 a 12 meses de atraso, agora vai ser 18 meses ou qdo para os que estão no último regressarem, recebem no país e apenas parte. Isto está bonito. Talvez com o novo sistema de orçamento a coisa mude. Bem haja

  2. img
    Carlos Vaz Responder

    Palhaçada, ao inves de vcs escreverem e relatarem o que realmente estão vivendo enchem a missiva com babuseiras, custa-me crer que UNIVERSITARIOS sejam tão poucos objetivos, por outro lado ha-de se entender o porque disso tudo. Cresçam e apareçam , do mesmo modo que se organizaram e criaram uma associação, organizem melhor o que escrevem, e busquem dar melhor profundidade a carta.

    • img
      Helmer Responder

      Amigo…. há que se mudar um pouco a cara da mensagem pra ñ es estar a usar sempre as mesmas palavras… quem sabe chamando a atenção ao direito democrático se consiga alguma melhoria no processo todo!!

  3. img
    Mbé Za Responder

    Muito Palavreado pra dizer que passa fome.

    O Ministro de Educação vai ler a vossa carta e não entenderá absolutamente nada,
    Alguém ai já viu esse Ministro a Discursar, a única coisa que el sabe fazer é contar parábolas nos seus discursos.

    Vocês tem que escrever em Maísculo
    Governo Kidalê ôôôôôôôô, na lega nom molê ni blagí cu fome fô. mén nom cu pé nom mêcê nom antauó.

    Espero sinceramente que o Governos faça alguma coisa por vocês e por todos os outros estudantes na diáspora.

    só que INFELIZMENTE NÃO SE PODE ESPERAR MAIS NADA DESSE GOVERNO A NÃO SER …. (Fala nom podi!)

  4. img
    Manuel Trindade Responder

    Meus senhores a situação financeira do país está muito, mas muito mal. O cofre do Estado está vázio. Os tecnicos das finanças ligam diariamente para as alfandegas para saber se caiu algum dinheiro. O grande problema é que o governo em ve de ser claro e transparente deixar de ser arrogante, rancorista, perseguidor, ditador e explicar devidamente a actual situação do país não faz. O governo anda nas passeatas pelo distrito fazendo promessas incumpriveis ao pobre povo. O estado tem uma grande divida publica. A EMAE deve a ENCO mais de quinze milhões de dolares, o governo por não deixar a ENCO aumentar o preço de combustivel tem um valor quase igual para regularizar com a ENCO. De que economia, gestão de coisa publica o governo está falar? Aonde estado vai encontrar dinheiro para pagar salário no dia 25 de cada mês? Aonde o estado vai encontrar dinheiro para pagar bolsas dos alunos? Mas o que me deixa triste é que o SR Patrice Trovoada tem uma média de duas viagens por mês. Será que o estado não paga nada por estas viagens? Soube que até ontem os funcionários das alfandegas não tinham recebido o salário do mês de Setembro. Isto é justo, para um sector tão importante d estado?

    • img
      Carlos Vaz Responder

      Manuel Trindade é triste isso tudo, mas pior q isso, é saber que nas alfandegas se pratica um salario abusivo para oque é praticado noutros setores do estado, ate simples motorista ganha qs vinte milhoes de dobra enquanto um engenheiro, ganha por ai 3 milhoes em outros setores desse msm estado sem falar em horas extras fantasma praticada por eles ai, e falo com conhecimento de causa, eu queria msm q se fizesse auditoria nesse sector, palhaçada, so isso

  5. img
    Patrice Turista Responder

    È permito usar bandeira de um país, para fazer símbolo de associação?

    • img
      Mina Téla23 Responder

      Ao que parece o problema maior e objetivo dessa matéria não é discutir a bandeira, mas a situação precária dos estudantes santomenses do Ceará e do Brasil inteiro. Melhor dizendo, todos aqueles dependentes do Governo santomense.

      Não queira desviar o foco da conversa.

      Obgada.

    • img
      Helmer Responder

      Acha mesmo que alguém vai se importar com isso?????

  6. img
    Braz Gabriel Responder

    Que o problema seja resolvido sem tardar!
    Assim seja!

  7. img
    Parecetamol 1000mg Responder

    Mt bem dito carlos vaz… Meus meninos deixam de encher linguiça com palha.. isso deve ser trabalho dos meninos q estão a Licenciar em Direito (viegas)

  8. img
    Engenheiro Responder

    Eu sinceramente gostaria que esse PT me

    disse ou dissesse aos santomenses EM QUE FACULDADE ELE SE FORMOU E QUE

    TIPO DE FORMAÇÃO ELE FEZ, PORQUE DAS

    PESQUISAS FEITAS NA EUROPA O TIPO

    NÃO CONSTA EM NENHUMA DELAS, NEM INSCRIÇÃO

    PELO MENOS. Porque eu acho que esse

    indivíduo não entende nada de GESTÃO NEM

    DE ECONOMIA. O TIPO VIVE NO AR E GOVERNA

    NO AR, NÃO ENTENDE NADA, É VAZIO ATÉ NOS

    DISCURSOS DÁ PARA ENTENDER A FROUXIDÃO

    INTELECTUAL DO HOMEM…

  9. img
    Paulo.Portas Responder

    Acho que os estudantes no exterior têm que ter calma e levantar as mão para o céu que embora tarde recebem alguma coisa. De 19975 até 1998 os estudantes no exterior não recebiam nenhum tostão do governo mas todos estudaram e terminaram a formação com força, determinação e coragem passando fome, comendo pão e bebendo água mas conseguiram, portanto façam um esforço tambem

  10. img
    Engenheiro Responder

    Senhor PAULO.PORTAS DE MERDA,voce devia meter essa sua lingua no CU antes de falar essas MERDAS.
    Provavelmente o senhor e analfabeto por excelencia e nao teve a oportunidade de estudar no exterior e tem inveja de quem por direito estuda ou estudou no exterior.
    OH,SEU MERDA, no tempo passado eram os governos amigos e que ofereciam bolsas aos estudantes santomenses com todas as condicoes e o Governo de STP nao pagava nada,ok.
    Tinha muito para te dizer seu FILHO DA PUTA, mas nao vou perder o meu precioso tempo com BURRO VELHO.
    E ERA BOM QUE VOCE SE IDENTIFICASSE E NAO USASSE O PSEUDO…

    UM DIA SABEREI QUEM VOCE E,E ARRANCAREI ESSA TUA LINGUA PARA COMER…

    NOTA.. EXISTE UM PROBLEMA DE GRAFIA COM ESTE COMPUTADOR, MAS QUEM LE, ENTENDE O QUE QUERO EU DIZER ao NESCIO E BRUTO DE PAULO.PORTAS

  11. img
    cacau Responder

    É inaceitavel, e triste discurso do S. Paulo Portas, “camarada”, o mundo esta em constante evolução, de facto muito dos nossos antecessores nessa ilha maravilhosa, estudaram em situaçoes dificeis, distantes dos seus queridos, etc.. mas que não se compare a situações actuais.portanto temos que adecuar a esta realidade, onde tudo é muito carro, desde o alojamento, alimentação, material didatico, e não so. deixemos de viver no passado, e querer vivencia-lo a todo o momento. porque quem vive de história é museu. Sr. Engenheiro, cuidado com expressões. obrigado

Deixe um comentario

*