Elaboração do novo plano estratégico nacional de combate ao paludismo.

As autoridades sanitárias do País juntamente com os seu parceiros voltaram a estar reunidos esta quinta-feira dia  18  na sala de conferências do Programa das Nações Unidas (PNUD) em São Tomé para  definir os objectivos específicos que devem inteirar o novo plano estratégico nacional de combate ao paludismo  no pais .

Durante três dias de atelier os participantes que já definiram os objectivos gerais deste plano terão até a próxima terça-feira dia 23 para definir todos os objectivos e em seguida definirem o plano de actividades para combate a doença.

Dos resultados conseguidos nos últimos dez anos a  equipa de trabalho  considerou o desenvolvimento  das capacidades institucionais  e promoção  da pesquisa operacional, descentralização  dinâmica , definição, reforço de engajamento do estado, coordenação  das parcerias , colaboração intersectorial, engajamento comunitário, bem como  a mobilização  de recursos e prestação de contas  como medidas necessárias  para a consolidação  dos objectivos  traçados  no combate a esta doença em São Tomé e Príncipe.«Nós estabelecemos uma missão que é coordenar, liderar para atingir a meta de eliminar o paludismo em São Tomé e Príncipe para permitir uma melhoria na economia do País» Disse Maria de Jesus, coordenadora nacional do Programa Nacional de Luta contra o Paludismo (PNLP).

Face a diferença dos resultados alcançados pelos diferentes distritos do País no combate ao paludismo o novo plano estratégico nacional vai conhecer duas dimensões. Uma de pré eliminação na ilha do Príncipe e em Lembá e a outra de consolidação dos resultados obtidos pelos restantes distritos do País.

«Nós temos duas orientações, uma que é para a consolidação dos resultados nos distritos de São Tomé que não atingiu a fase de pré-eliminação e especificamente para região autónoma do Príncipe e o distrito de Lembá avançar para a fase de pré eliminação. Avançar para fase de pré eliminação, significa que nesses dois lugares até 2016 possamos conseguir ter menos de um caso por mil habitantes por mês» Acrescentou Claudina Cruz, Representante da OMS.

Este novo plano estratégico nacional de combate ao paludismo para  2012/ 2016 está a ser elaborado na sala de conferência do Programa das Nações Unidas ( PNUD)  em São Tomé e deve ficar concluído no próximo dia 23 de Outubro deste ano.

Sónia Lopes

  1. img
    Santosku Responder

    Só devo desejar força e vontade para realizção destes dois objectivos. Porque sem a saúde não desenvolvimento e não havendo desenvolvimento há miséria, portanto não se adormecem.

    • img
      CST - Flagrante Responder

      Concordo plenamente com a tua opinião. Devemos dar força e moral para que os que estão a frente dos destinos das coisas possam ter aquela adrenalina para trabalhar!
      Desejo da minha parte que os trabalhos sejam feitos com a cabeça fria em prol da salvaguarda dos interesses desta nação.
      Fui!!!

  2. img
    ÔSSÔBÔ Responder

    Este é o desejo de todos. Que o Paludismo acabe no arquipélago!
    Viva STP!
    FUI

  3. img
    Anjo do Céu Responder

    Não é só estar ai sentado vários dias a eleborar estudos e projectos de acabar com paludismo que anseio de todos nós não esquecendo de incentivar os trabalhadores que andam dias e meses no campo sofrendo com cheiros desses produtos sem haver um aumento sdalarial pra os mesmos Zé povinho.Acho uma injustiça neste capitulo de incentivo.Eles precisam de tomar muito leite e comer bem sobretudo na hora do almoço.Enquanto os senhores responsaveis estão nos altos bares e quiosques a regabofe com bom vinho e os que andam c maquina as costas e outras actividades andam a comer pão com pão.Sejam conscientes com distribuição do dinheiro de projecto para os devidos efeitos.Não Patrice que está a comer dinheiro ao nivel dos directores e adjuntos es´~ao a lamber demais.Um bem haja par Zé povinho trabalhador

Deixe um comentario

*