Está em marcha inquérito sobre a biodiversidade em São Tomé e Príncipe

Arrancou no distrito de Cantagalo o inquérito  sobre todas as espécies da biodiversidade  existentes em São Tomé e Príncipe. Com a duração de um mês ,o inquerito visa colher subsídios para elaboração de uma  politica  mais eficaz para a proteção  das espécies.

O inquérito teve o seu arranque no distrito de Cantagalo, a população tem sido interrogada  pelas equipas de inquiridores  que estão a percorrer o distrito para fazer um levantamento de todas as espécies da biodiversidade  existente neste distrito.«Nós pretendemos  apanhar toda a biodiversidade no que diz respeito a biodiversidade do ecossistema marinho, ecossistemas florestais , das águas interiores e também  da agropecuária» avançou Olívio Diogo Líder dos Consultores.

Uma atividade em que os inquiridores vão conversando com a população para saber concretamente as alterações que os ecossistemas tem sofrido quer seja positivas ou negativas de modo a ter elementos suficientes  para a implementação do plano de acção que consiste na elaboração de estratégias de forma a travar o estado da degradação dos ecossistemas « No que diz respeito ao ecossistemas há algumas espécies que tem vindo a desaparecer, nós temos que acautelar-mos para tomar medidas em que essas espécies não continuem a desaparecer a velocidade galopante como tem vindo a acontecer» frisou  Olívio Diogo

O inquérito ira percorrer todo o país e tem como o grupo alvo  as comunidades costeiras, do interior do país principalmente para as pessoas que habitam perto do parque natural. Todo o ser humano vive e depende do ecossistema, o ecossistema faz parte do ser humano e o ser também é parte do ecossistema tudo é derivado da biodiversidade.

Sónia Lopes

  1. img
    Lagaia Responder

    Espanta-me muito a metodologia desse trabalho! Porque pelo que indicam pode-se concluir que se trata de um inquérito sócioeconómico e não de uma recolha de dados sobre o estado da biodiversidade. Nunca vi/li sobre esta metodologia de trabalho para um trabalho referente a biodiversidade.

    Outra admiração é sobre o ecossistema agropecuário. Isso existe?! Como se lê no texto de Sónia Lopes, “Arrancou no distrito de Cantagalo o inquérito sobre todas as espécies da biodiversidade existentes em São Tomé e Príncipe.” Espécies de biodiversidade!?!?!

    Mais, Olívio Diogo conforme sabe-se publicamente é sociólogo, não entende-se porque um profissional de sociologia coordena um trabalho que ao príncipio deveria estar a cargo de um biólogo! Enfim… é S.T.P! Peace!

  2. img
    Sensa Comissário Responder

    Lagaia…
    Bom saber que os leitores em STP estão atentos aos acontecimentos diarios.
    Como vc mesmo disse… é S.T.P mesmo!!! E estou totalmente de acordo ctg, parece ainda que neste nosso País ainda carece de pessoas que entendem da area e coordenar as coisas, como devem ser.
    Poxa vida!!! Será que com tantos biologos, agronomos, ou mesmo pessoas de areas afins não criticam esta coisinha… porque muitas coisas que passam aqui neste país carece de competencia… e é por isso que o país não avança como deve ser… Esse Olivio está lá para estudar a Sociedade, ou quê?
    Valha-me Deus… só em STP mesmo!?
    E o Tela Non devia ter mais cuidado em publicar suas noticias… deveria alguém supervisar primeiro as noticias.
    Meu contributo…
    Bem haja esse nosso País, STP
    Gostei Lagaia!!!! ah ah ah

  3. img
    ANCA Responder

    O País, tem necessidade de reconhecimento dos seus problemas reais internos, pelos Partidos Políticos Nacionais.

    Como é o caso do atraso Social, Cultural, Desportivo, Político, Ambiental, Económico e Financeiro, a Miséria, Fome e Pobreza extrema, que se encontra mais de metade da nosso Território/População.

    Tem sido uma escalada de aumentar de Fome, Miséria e Pobreza extrema desde 1975, até então, com o regredir Social, Cultural, Moral, Desportivo, Político, Ambiental, Económico e Financeiro.

    Andamos preocupadíssimos, a fazer polítiqueces, com o reconhecimentos das liberdades, garantias e bem estar social, cultural, desportivos, moral, político, ambiental, económico e financeiro dos outros, com intrigas políticas, ódio, persiguições políticas, negóciatas pessoais e política, com interesses pessoais e políticos, com intuito de somente ganhar eleições, e estabelecer as posses.

    Caros cidadãos, Sociedade civil, Intituições e Responsaveis Civis e Políticos.

    Basta prestarem atenção as estastíticas do País, (Território/População), para perceberem que;

    á falta de cobertura no, acesso á Água Potável, á grande parte do nosso Território/População – logo um Problema de saúde e salubridade Pública.

    a falta de cobertura no, acesso á Saneamento Básico – logo um problema de acesso á Habitação condigna, um problema de Infra-Estrutura e um Problema de Saúde Pública.Por exemplo; a falta de habitação condigna faz aumentar a promiscuição, á poligamia, a proliferação de famílias mono parentais, a proliferação de meninos de rua, á deresponsabilização Familiar á nível social, cultural da assunção da responsabilidade perante os filhos menores. Logo um problema social, cultural de desenvolvimento sustentável futuro, com á saúde e com á educação.

    a falta de cobertura, á eletricidade, no acesso luz electrica, a grande parte do Território/População, um problema de infra-estrutura. Logo um problema no acesso á equipamentos, como os Electrodomesticos(Fogão electrico ou á Gás, Frigoríficos, etc,etc) Televisão, Computadores, por exemplo, grande parte da população, ainda hoje para cozinhar, utiliza a lenha e o carvão, quando oterritório dispõe de Mar, Rios Petrólio, Gás, e nalgumas regiões de Vento. Logo um problema de acesso á informação e novas tecnologias, logo o subdesnvolvimento.

    Dentre outros tantos que aqui poderia enumerar.

    Em suma;

    Um problema sério de falta de Organização/Planeamento e Investimento Coordenado e Homogeneo no País- Território/População.

    Ainda está por resolver questões á problemas colocados atrás e outros tantos;

    As questões de;

    Porquê?

    Onde?

    Como?

    Quando?

    Quanto?

    Quem?

    O quê?

    Os cidadãos SãoTomenses e a Sociadade Civil, deve e pode ser capaz de resolver eresponder tais questões, de uma forma Organizada e Construtiva.

    É preciso mudanças nas intituições e nas Organizações da Sociedade civil, na forma como aqueles que têm responsabilidades, de coordenação, execução, legislativo, e Presidencial, exercem o seus Poderes, para com aqueles que são ou melhor que deveriam ser Orientados, Organizados e Coordenados para o crescimento e desenvolvimento social, cultural, moral desportivo, político, ambiental, económico e financeiro.

    Jamais deve ser uma varinha mágica de dois anos ou de quadro anos mas sim de compromisso de cada cidadão/ã SãoTomense por cada cidadão/ã SãoTomense, independentemente das suas paixões, credos, gostos, pelo desenvolvimento, deste belo País- Território/População.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • img
      Coisas da Terra!!! Responder

      ???….???

      Qual é a relação deste seu texto com a noticia acima???

    • img
      Paracetamol 500mg Responder

      Cara Jovem Anca.

      Contribui com conteúdo e não com palha.
      Seja objectiva e sucinta.

      Aceita as criticas…para ascender ao bom caminho.

  4. img
    Paracetamol 500mg Responder

    Mais um projecto para recolher fundos junto dos organismos.

  5. img
    rsrsrsão Responder

    É bom cuidar das pessoas, pois os animais estão bem.

  6. img
    Olivio Diogo Responder

    Meu nome é Olivio Diogo – Sociólogo
    A minha intervenção neste espaço é única e exclusivamente por alguém se ter lembrado de citar o meu Nome. Assim, pretendo dissertar um pouco sobre o conceito que tenho de coordenação, para esclarecer alguma incompreensão que revelaram as pessoas que citaram o meu nome.
    A coordenação não é mais do que o processo de integração das diferentes atividades desenvolvidas em cada departamento da organização (ecossistemas) de forma a atingir os resultados organizacionais pretendidos (levantamento de toda biodiversidade). Sem esta integração, perder-se-ia o sentido da organização como um todo – seriam criados incentivos para que cada departamento se centrasse apenas nos seus interesses, em detrimento dos interesses conjuntos (a relação existente entre os vários ecossistemas). A coordenação funciona assim como um contra peso à divisão do trabalho – enquanto a divisão do trabalho separa as pessoas, a coordenação servi para uni-las.
    E acresce ainda, que estou, também, a trabalhar no aspeto socioeconómico da biodiversidade que qualquer ser de inteligência mínima percebe que é transversal a todos ecossistemas (costeiros e marinhos, Aguas interiores, florestais e agropecuário) preenchidos por quadros nacionais com formação nas áreas.
    PS. Uns amigos me informaram do assunto, dai que vim salvar o meu bom nome. Nao conte comigo para voltar a responder

  7. img
    Manuela de Ceita Responder

    Lagaia, quis dar um contributo. Acho melhor contactar a equipe de consultores, vi sabe algo sobre os conceitos, dai podia dar uma explicação ao Sociologo que se perde pelo caminho. É melhor telefoná-lo e falarem os dois, por acaso é grave, mas não preciso chatear-se. Não sabemos tudo, temos de ser humildes, isso faz de nós um grande homem. Aprendemos sempre.

Deixe um comentario

*