Sociedade

Central Hidroeletrica do contador em risco de paralisação

Uma derrocada na zona de Mendes Leite,  afectou o canal principal  da câmara de carga que abastece a central hidroeléctrica  sobre o rio Contador. Uma situação muito preocupante para a empresa de Água e Eletricidade – EMAE.

A qualquer momento o canal principal que abastece a câmara de carga da central hidroeléctrica do contador poderá deixar de existir. E se isso acontecer a central hidroelectrica do contador na zona norte do pais automaticamente deixara de funcionar. Uma situação considerada de preocupante pela Empresa de Agua e Electricidade  EMAE. «A situação aqui é muito mais complicada, requer muito mais cuidado,  porque este é o canal principal que abastece a câmara de carga, e a ponte pode a qualquer momento ruir», alertou Raul Cravid Director Geral da EMAE.

Desta vez  o deslizamento de terra sucedeu-se na zona de Mendes Leite, com prejuízos avultados para a EMAE. « Os custos são elevados estamos a falar de uma ponte aérea com mais de vinte e seis anos, já levou varias pancadas e vemos qual é o estado atualmente por isso os custos serão elevados», acrescentou o Director Geral.

O abate indiscriminado e ilegal de árvores pelos malfeitores para o fabrico do carvão também tem contribuído para o desabamento de terra no local. Por isso há que se adoptar medidas urgentes para por cobro a esta situação. De recordar que em outubro do ano passado a conduta no Rio Bordelo foi danificada como consequência de uma derrocada, cujos trabalhos de reparação levaram cerca de  dois meses e agora a empresa de água e eletricidade confronta-se com mais um problema de derrocada desta vez  no canal principal  que abastece a central hidroeletrica do contador.

Sónia Lopes

    11 comentários

11 comentários

  1. insenção

    25 de Janeiro de 2013 as 10:27

    “O abate indiscriminado e ilegal de árvores pelos malfeitores para o fabrico do carvão também tem contribuído para o desabamento de terra no local. Por isso há que se adoptar medidas urgentes para por cobro a esta situação.” Sera que abatem arvores por maldade? Não seria forma de encontrar sustento? Haveria que se encontrar formas para que parem de abater as arvores sem comprometer o dia-dia… O jornalismo requere um pouco mais de seriedade.

    • Mimi

      25 de Janeiro de 2013 as 11:07

      As minhas dúvidas sao exatamente as mesmas. Malfeitores?… Porquê malfeitores?

      • Barão de Água Ize

        25 de Janeiro de 2013 as 12:22

        Correcto! A haver malfeitores, quem serão eles na realidade? Gente encartada?

  2. Floga

    25 de Janeiro de 2013 as 11:19

    O Raúl Cravid está a dramatizar a situação. A situação é complicada, mas tem solução. Já tivemos situações mas dificeis no contador e resolvemos. A entrevista do Raúl Cravid é de uma pessoa desesperada e que sabe que tem dias contados para sair da EMAE. Quer ele é mostrar serviço para continuar. Na sua luta tetanica para continuar na EMAE, Raul anda a pagar dinheiro a pessoas(como VATA e outros)para estarem no parque e Papafigo popular com objectivo de denegrir imagens de outras pessoas e passar a imagem de que ele é director ideal para a EMAE. Eu sou tecnico da EMAER e conheço bem o Raul, como está com a corda ao pescoço tem feito amigo nos ultimos tempos de todos tecnicos e trabalhadores e anda de gabinete a pedir abaixo assinado para pedir a sua continuidade.O Raúl tem que sair. Raúl é um jogador nato, sem moral e incompetente. O Raul hoje já diz que é amigo do Pinto da Costa e do MLSTP esquecendo da campanha suja e porca que fez em Caúe a favor do ADI e Patrice Trovoada. Granda bandido este Raúl.

  3. Barão de Água Ize

    25 de Janeiro de 2013 as 12:21

    A culpa não será da EMAE? Dos seus técnicos, por falta de estudo rigoroso do tipo de estrutura face aos riscos do local? E não se pode evitar essa localização, desviando o fluxo das águas?

  4. Florestal Meyer Antonio

    25 de Janeiro de 2013 as 12:43

    O abate de árvores é prejudicial quando é feito em locais de forte inclinaçao, por isso pode constituir um perigo. Mas nao falemos de malfeitores só porque são os pobres, pois é o proprio Estado que promove esse abate, é so vermos as obras na estrada que liga a Capital a Ribeira Peixe, quanto derrube de árvores em volta da estrada?

  5. Lupuye

    25 de Janeiro de 2013 as 15:13

    E preciso tomar-se muito cuidado com o abate indiscriminado das arvores. Sei que o povo tem que buscar sustento para a sua familia (por exemplo, o carvao) mas e absolutamente necessario educa-los a replantar para que haja continuidade e para que a erosao nao destrua o que e de todos nos. Basta ver o problema da ilha “Hispanhola” dividida entre o Haiti e a Republica Dominicana. Vista do ar usando o ” Google Earth” notamos que a parte da Republica Dominicana esta toda verde ao passo que a parte ocupada pelo Haiti esta castanha. Isso e falta de arvores. Abusaram no corte de arvores fazendo carvao e outras coisas e agora estao com um pais sem floresta. Portanto e necessario corrigirmos esse problema agora porque mais tarde sera muito tarde. Obrigado

  6. madalena

    27 de Janeiro de 2013 as 13:19

    Se defacto é tudo verdade, que medidas deverão ser tomadas? Desde logo, ajudas os utilizadores de carvão a consegurem energia mais barata, fogão solar, fogão melhorado, politicas sociais da EMAE, ajudar na reflorestação()fogão electrico para gente da roça, sensibilização da comunidade e politica de credito mais barato

  7. madalena

    27 de Janeiro de 2013 as 13:29

    Um estudo de viabilidasde destas centrais, deve ser feito. Vale a continuar com estas centrais todas? num Pais de 964 km2. com menos de 250 mil pessoas?
    sem fabricaS NEM INDUSTRIAS.

  8. vamos alnalizar a nossa situaçao

    27 de Janeiro de 2013 as 13:47

    O Raúl Cravid está a dramatizar a situação. A situação é complicada, mas tem solução. Já tivemos situações mas dificeis no contador e resolvemos. A entrevista do Raúl Cravid é de uma pessoa desesperada e que sabe que tem dias contados para sair da EMAE. Quer ele é mostrar serviço para continuar. Na sua luta tetanica para continuar na EMAE, Raul anda a pagar dinheiro a pessoas(como VATA e outros)para estarem no parque e Papafigo popular com objectivo de denegrir imagens de outras pessoas e passar a imagem de que ele é director ideal para a EMAE. Eu sou tecnico da EMAER e conheço bem o Raul, como está com a corda ao pescoço tem feito amigo nos ultimos tempos de todos tecnicos e trabalhadores e anda de gabinete a pedir abaixo assinado para pedir a sua continuidade.O Raúl tem que sair. Raúl é um jogador nato, sem moral e incompetente. O Raul hoje já diz que é amigo do Pinto da Costa e do MLSTP esquecendo da campanha suja e porca que fez em Caúe a favor do ADI e Patrice Trovoada. Granda bandido este Raúl. e nao só apoiou Maria das neves em caué e durante 8 dias mudou para o evaristo, este homen nao merece ser nada neste país. só país de brincadeira, como diz o rui almeida de sport maximo 1 e 2.
    digo mais nao só o raul, mas também julio silva.

  9. Cassuma-sofredor-

    28 de Janeiro de 2013 as 18:21

    Isto de eletricidade para minha zona,CASSUMA é uma novidade tanto é que pior é saber de que barragem autoridade competente esta falando. É verdade que devemos louvar a iniciativa mas eu como jovem de Cassuma contra exploração condeno mendigar para autoridade da autarquia local Mé-Zochi solucionar a questão da energia sendo que a lei prevê que as necessidades básicas como água, energia, estradas, habitações dentre mais são da obrigatoriedade e por ordem do presidente NELSON CARVALHO presidente local estamos numa esperança de aguarda e mais aguarda que em cassuma nada deu passos significantes de nada desde que a sua presença foi ao tutela da pasta.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo