00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

São Tomé reflectiu sobre o dia dos mártires da liberdade de Angola

Os angolanos  e seus descendentes residentes em São Tomé,  reuniram-se no último sábado numa palestra  no arquivo histórico  para relembrar  a data do 4 de Fevereiro.

Quatro de Fevereiro de 1961 foi o dia do inicio  da luta armada da independência de Angola . Um só povo e uma só nação é nesse espírito que os angolanos residentes e descendentes em São Tomé se uniram numa palestra para comemorar mais um 4 de Fevereiro que foi o inicio da luta armada movido por cerca de duzentos homens  contra a antiga colónia. « Tendo em conta que o 4 de Fevereiro  foi o inicio da luta armada em Angola  e sucedeu em 4 de Fevereiro de 1961 em que cerca de duzentos  angolanos decidiram  invadir a cadeia da sétima esquadra , a emissora nacional  e foi ai que deu o seu auge  o seu ponto de partida  a luta pela independência e para que esta data não passe em vão  a associação decidiu organizar uma palestra » disse  Carlos Costa Presidente da Associação.

A associação existente a mais de vinte anos  em São Tomé e Príncipe aproveitou a ocasião para a reeleição do  nos novos corpos directivos  e passar os conhecimentos sobre as leis de cidadãos estrangeiros  residentes. « Nesta palestra decidimos também aproveitar já a presença de muitos  membros que são da localidade longínqua e então fizemos assim também uma  assembleia extraordinária para  rectificar o corpo directivo»  afirmou  Carlos Costa Presidente da Associação.

Para Carlos Costa  presidente desta associação a revolução de 4 de Fevereiro  tem uma grande importância  para os angolanos.

Sónia Lopes

  1. img
    TC Responder

    Grande reflexão que os santomenses fizeram…qual a conclusão? O que aprendemos de novo? eh eh eh…

  2. img
    TELÁ SÁ GINÓM Responder

    Mais uma reflexão que nos mostra quão grande podemos ser como pátria. Um mundo aberto a tantos descendentes.
    DESCENDENTES DE CABO VERDE, S.T.P.
    DESCENDENTES DE ANGOLA, S.T.P.
    DESCENDENTES DE MOÇAMBIQUE, S.T.P.
    DESCENDENTES DE GUINÉ BISSAU, S.T.P.
    DESCENDENTES DE PORTUGAL, S.T.P.
    Quantos mais descendentes da Sub Região do Golfo?
    É caso para reflexão a quem de direito, todos nós: Devemo-nos entreter com o país ou rever a dimensão da nossa NOBRE PÁTRIA?

Deixe um comentario

*