Greve da saúde só pega se o Governo não dialogar até sexta – feira

Em declarações ao Téla Nón, Bemvinda Vera Cruz líder do sindicato dos médicos e porta voz da União Sindical do sector da saúde, recordou que a implementação da carreira profissional é uma reivindicação que vem de 2012. As negociações que se iniciaram com o anterior governo devem prosseguir com o actual executivo.

«O nosso principal objectivo não é a realização da greve. O pré-aviso de greve é uma maneira  de exigirmos que o governo se sente a mesa para negociar connosco», afirmou Bemvinda Vera Cruz.

Desde finais de 2011, que o Téla Nón acompanha o protesto dos profissionais da saúde por causa das difíceis condições de trabalho. Em 2012, os profissionais da saúde decidiram unir os diversos sindicatos numa frente comum de luta, com vista a implementação em 2013 da carreira profissional, assim como a resolução da crise de medicamentos, e outros consumíveis que atingiu nível crítico. «Já vínhamos a negociar com o anterior governo e é importante que o actual governo, sente connosco para concluir as negociações», precisou Bemvinda Vera Cruz.

A médica que actualmente é porta voz da União dos quatro sindicatos da Saúde, apontou a não implementação da carreira profissional, como principal ponto de discórdia com o actual governo. Bemvinda fez saber que não há, e nunca houve vontade política dos governos para a implementação da carreira profissional.

Recordou que no caso dos professores a implementação da carreira doente já é um dado adquirido. «Tivemos m encontro com o ministro da saúde, em que falamos sobretudo da implementação da carreira profissional. Dizem que este aspecto está inscrito no orçamento geral do Estado, mas nós não entendemos desta forma. Para implementação da cerraira tem que haver negociação tem que haver a definição de um salário de base», reforçou.

Através da implementação da carreira profissional, os profissionais da saúde pretendem melhorar o salário praticado no sector. Um médico tem salário base de 3 milhões de dobras, cerca de 122 euros, que dá uma reforma de 600 mil dobras mensais.

Segundo a líder sindical, os profissionais esperam que o Governo retome as negociações esta sexta – feira. «Se até o final da tarde de sexta – feira, não haver mais negociações, entraremos mesmo em greve na segunda feira», conclui Bemvinda Vera Cruz.

Abel Veiga

  1. img
    Africano Responder

    “Greve da Saúde só pega se o gov…”, francamente ó Téla non olha o português!

    • img
      Nação Santomense Responder

      Caros(a) Colegas Enfermeiros da RDSTP, devem levar a Vossa iniciativa até a Última consequência, porque o país está a proteger a politica suja do governo português e que está a por em causa o vida do ser humano.

      O Banco Português da Caixa Geral de Depósitos tem 27% do capital no Banco dos SANTOMENSES, que está a sugar este povo colocando-os na minséria, e estão a construir o novo Banco paralelo BISTP e não investem na compra dos materias básico para o hospital : compresas , soros , seringa, materiais para cirurgia…, mas a final por onde vai os dinheiros dos Contribuintes Santomeses?

      Mas que pesadelo, pedimos a Independência para ficar Livre dos COLONOS e continuamos a ser o seu subordinados. A saída viável para a situação é Greve até conseguirem os Objetivos definidos e devem procurar ter uma parceria com alguns Sindicatos dos Enfermeiros Internacionais que não sejam portugueses porque são Racista da estrema direita.

      A estrutura dos Enfermagem Angolanos e Muçambicanos, poderam fortalecer as parcerias com hospital cental de STP nas ajuadas de alguns materias e criação de protocolo com a Escola Superior de Enfermagem o que dignifica a Classe, pelo respeito , rigor , transparência , e responsabilidade da Ética e o Profissionalismo da Enfermagem.

      O Ministério da Saúde tem de ser girido por pessoa competente, e que tem conhecimento a situação real da saúde da RDSTP, não pode ser aventureira ou aventureiro, estar a frente do Ministério da Saude, é necessário difinir uma politica séria no SNS.

      Os que têm condições financeira, devem pagar a taxa mais alta, todos devemos contribuir com o mínimo que é aceitável a clase mais desfavorecida.

      Os Impostos e a taxas que são cobrados aos contribuintes servem para financiar o sistema de saúde, nos Orçamentos Anuais do Estado, mas a CORRUPÇÂO é a firida Crónica deste país STP que copeia todo o mal de portugal dos corruptos portugueses que estão instalado em STP, isto tem que acabar de uma vez por toda , numa reforma profunda na estrutura do Estado.

      Devem intenssificar a Vossa luta, morre quem morre fica quem fica, Serviço Mínimo
      em caso especial. A responsabilidade de um enfermeiro é como um piloto a pilotar o avião, mínimo erro é fatal, por isso deve ser bem remunerado o seu serviço, e Valorização das Carreiras para que sentense alegre na função que desempenha e responsabilidade que tem sobre a Carera.

      Por isso que o GOVERNO deve criar prioridade para o diálogo com a Classe para encontrar a saída para esta situação não se bricam com os profissionais da Saúde, porque estamos a falar de TRATAR da VIDA HUMANA.

      Srº PM. dê muita atenção a esta Classe , dialogue e crie as condições para que os profissionais tenham boas condições de trabalho.

      • img
        TRUKI BIC-LAC Responder

        SR. NAÇÃO SANTOMENSE…O sr. deve estar muito confuso. O que é que o Banco Português da Caixa Geral de Depósitos (???) tem a ver com a greve do pessoal de Saúde de S. Tomé e Príncipe ?? Diz o sr. ….”Está a sugar este povo colocando-os na miséria….e estão a construir um novo Banco paralelo ao BISTP”…. Quem está ou pretende construir um novo Banco, é o vosso Banco Central de S. Tomé e Príncipe. Peçam responsabilidades ao vosso Governo ou ao vosso Banco Central de S. Tomé e Príncipe. Quando diz… “mas que pesadelo, pedimos a Independência, para ficar livre dos COLONOS e continuamos a ser o seu subordinados”…e “devem procurar ter uma parceria com alguns Sindicatos dos Enfermeiros Internacionais que não sejam portugueses porque são RACISTA da estrema direita”… deve ter algum cuidado ou informar-se melhor, junto do seu Governo e dos Sindicatos de Saúde de S.Tomé e Principe. Sabe que até agora nenhum dos ‘Irmãos Africanos’ disponibilizou qualquer ajuda para S.Tomé e Príncipe nos serviços de saúde e não só ???? E que estão no tal País ‘Racista e de estrema direita’ à volta de 700/800 doentes Santomenses, nos Hospitais e que o Governo de S.Tomé nem sequer paga os 20% acordados com o Governo Português???? E que até o Governo de Cabo Verde (um Irmão Africano), se recusa a mandar mais medicamentos para S. Tomé, enquanto não forem pagos os medicamentos que já foram enviados???? Não cuspa para o ar nem na mão que ainda vos vai ajudando, apesar de todas as dificuldades. Informe-se junto do seu Governo, dos Sindicatos da Saúde do seu País e peça ao sr. Abel Veiga, que como Jornalista responsável, por este ‘Jornal Digital’ o informe. Depois mande as ‘bocas’ que achar convenientes….Entretanto…. não morda a sua língua…. porque pode morrer ‘envenenado’ com tanta peçonha e raiva demonstradas naquilo que escreveu.

        • img
          Nação Santomense Responder

          Eu respondo-o com claresa e tenho toda a razão clara do que digo, não sou nem fui parasita patogénico, porque se assumem responsabilidade com esses doentes porque querem fazê-lo e são dívidas para futura geração, por isso que aproveitam destas ajudas, para difamar e humilar as pessoas quando critica-vos quem não quero ser lobo não veste a pele.

          Todos país que tem dependido da migália de portrugal encontar-se na minséria extrema e STP e Guné Bissau são os exemplo se a pessoa não sabe girir a sua casa ,vai gerir dos outros. O direito da expressão é livre se sentiu encomodado porque é Realidade, e o que têm -me feito é o exemplo claro do que estou a falar realidade e sinto-me a revolta de problemas que Vocês têm-me criado pela inveja e má-fé.

          Se houver um inquérito sobre essas juntas médicas, há casos que não deveria sair do país e que é possível que existe alguém que Lucra com esta situação, virem á portugal e morrer de fome e com falta de dinheiro para comprarem medicamentos não
          é melhor morrer em STP.

          Centenas de milhares de Dobras foram gastos no Hospital do Agostinho Neto que hoje está entrega a bicharadas, explique que proposta foi apresentada a STP para que puse-se fim a esta situação, o país não pode estar a depender permanentemente da Vossa migália, se não tivessem aceite esta situação, certamente já teriam resovido a situação de uma outra forma.

          Eu iniciei o trabalho com 12 anos em 1972 o Srº se calhar ainda não tinha nascido
          e quando nasceu encontrou sempre a vida fácil, gastando o que não tinha é a situação que colocaram o país, distruindo vida das pessoas sempre com pensamento de maldade.

          Eu sou Cidadão português de origem STP que luto pelo dereito de igualdade e oportunidade, independentemente da Raça Negra ou Braca,use a sua conciência coloque-se no meu lugar , seja honesto consigo próprio olha para realidade Africanos em Portugal que são lhes empurado para o Gueto e marginalidade, matando persseguindo humilhando.

          Deve existir cerca de 5 milhões de portugueses espalhados pelo mundo e são bem acolhidos nos países Africanos e outros,emesmo assim andam a revendicar o nacionalismo, bloqueando o desenvolvimento Africanos de interferir na vossa politica, e demonstrando o preconceito edeológico, que ainda existem mente de alguns radialistas.

          A sua a meaça e insinusção não me intimida apenas demonstra a Vossa atitude de não aceitar criticas construtivas para mudança da vossa atitude perante os Africanos acolhedores.

          O que STP precisa é construção de casas Sociais, Novo Hospital, Saniamentos basicos o que cria postos de trabalhos no investimentos de logo praso e não pequenas ajudas temporária. Porque não construção de uma Indústria Famceutica em STP que serviria o Golfo da Guiné e toda esta Região da África com parceria entre os dois países.

      • img
        Culorado Responder

        Caro compatriota,

        Depois de ter lido o teu comentário,
        aconselho-te utilizar um outro pese udo nome porque ninguém lhe conferiu poderes para o representar nem autorizou-lhe falar em nome dos Santomense, muito menos por em causa as boas relações existentes entre nosso povo e povo português.

        Pois, é preciso refletir melhor sobre o primeiro e terceiro parágrafo do teu comentário que abaixo passo a transcrever para tua melhor reflexão:

        “Caros(a) Colegas Enfermeiros da RDSTP, devem levar a Vossa iniciativa até a Última consequência, porque o país está a proteger a política suja do governo português e que está a por em causa o vida do ser humano”

        “Mas que pesadelo, pedimos a Independência para ficar Livre dos COLONOS e continuamos a ser o seu subordinados. A saída viável para a situação é Greve até conseguirem os Objetivos definidos e devem procurar ter uma parceria com alguns Sindicatos dos Enfermeiros Internacionais que não sejam portugueses porque são Racista da estrema direita”.

        Cada coisa no seu lugar, nada de confusão, melhor é profissional de enfermagem cuidar dos doentes enquanto os políticos cuidem da política externa do País.

        Nem toda pessoa tem o privilégio de ser polivalente…

        • img
          Nação Santomense Responder

          Ó otário abre os olhos estás a ser pisado e roubado pondo na minséria e bloqueando o devenvolvimento dos cidadãos Negros, utilizando matança secreta com forças de poderes oculto e ainda não entendeste.

          Eu falo por ser Santomense que está a ser Injustiçado e que tem lutado para melhorar a minha posiçao socia e vejo o bloqueio e que participei duramente na Libertação deste país desde 14 anos altura da revolução e o Srº provávelmente não tinha nascido, ou és daquele que vive a custa de trocos que lhe dão.

          São 6 anos que ando na luta nos Tribunais para encontrar a justiça ao fim de recuperar o meu bem que são 18.000,00€do crime de Burla organizado pelo Funcionários do Estado Português e 7.000,00€ do no Tribunal de Trabalho contra a empresa Simi-Pública e o GovernoP. tem feito tudo para bloquear o processo.

          Então este Governo P. deu 7 bilhões de euros ao Banco privado BANIF e não paga-me cerca de 25 mil euros, e só passa toda vida a difamar e insinuar a minha pessoa e com ameaça de morte, envolvendo conterâneo santomense na rede organizada para distruri a minha pessoa e familia, deixam de ser burros abrem os olhos.

      • img
        Culorado Responder

        Caros Compatriotas

        Todas essas reivindicações são justas e legítimas, mas a greve revela falta de carácter e sentido de responsabilidade dos seus mentores ou patrocinadores: senão vejamos:

        È ridículo exigir nota positiva ao estudante sobre a matéria que ainda não foi dada. Outrossim:

        Entregar um exímio condutor e/ou piloto um veículo de alta velocidade, mesmo novo que seja e exigir-lhe logo no início duma longa e dura viagem, que arranque em alta velocidade é mesmo que lhe exigir, suicida-te. (ou chegas lá ou espalha-te mais o veículo).

        Pois, durante dois anos o XIV Governo dizia deixa-nos trabalhar.
        Mesmo assim, O XIV Governou deixou os serviços de Saúde em STP no estado de degradação e penúria, em que se encontra.

        O XV Governo recebeu essa herança há menos de 3 meses e pelo menos, já realizou um encontro com os profissionais de saúde para se inteirar da real da situação. O que significa que a saúde em STP já mereceu especial atenção do XV Governo e como é óbvio, agendada como prioritária.

        É imperioso dar tempo ao tempo…

        Reivindicações, sim,

        Mas greve, não.

        Miolé miolé mem non na tê ni mon nom pa non bili txila-fa- ê, cela non tê paxença pa nom çôçô pleça…

        Vamos esperar, se nada for feito! Então vamos a greve, OK!

        Esperemos que justo não pague pelo pecador,

  2. img
    Brasileiro Responder

    Que absurdo,122 euros por mês para um médico…Alguém pode me dizer qual o salário de um deputado em STP? E de um professor?

  3. img
    E. Santos Responder

    Com este salário, até eu consigo pagar para ter um médico só para mim….hehehee É uma vergonha. Mas a questão não deve ser apenas salarial. Os médico neste país têm de dignificar a sua profissão. Os médicos estão a perder o respeito das pessoas porque não conseguem salvar vidas. Antes pelo contrario, com tamanhã falta de condição de trabalho e motivação, alguns até abandonam os doentes a sua sorte. E claro, são automáticamente crucificados. É de facto uma vergonha este país…

    • img
      Culorado Responder

      E. Santos

      É o País que seu preferido XIV Governo deixou depois e dois anos de governação, é verdade ou não?

      Esse comentário é digno de profunda reflexão, daí que abaixo passo a transcrev^-lo:

      “Com este salário, até eu consigo pagar para ter um médico só para mim….hehehee É uma vergonha. Mas a questão não deve ser apenas salarial. Os médico neste país têm de dignificar a sua profissão. Os médicos estão a perder o respeito das pessoas porque não conseguem salvar vidas. Antes pelo contrário, com tamanhã falta de condição de trabalho e motivação, alguns até abandonam os doentes a sua sorte. E claro, são automáticamente crucificados. É de facto uma vergonha este país…”

      Claro que esse comentário é teu; francamente!…

      Resumindo e concluindo:
      Tens tanta vontade de atacar o XV Governo que acabastes de atacar indiretamente o teu próprio adorado e preferido XIV Governo que deixou serviço de saúde nessa vergonhosa situação que acabas de reconhecer.

      Não importa a cor do partido, o que mais interessa é a melhoria dAS condições de vida dos Santomenses.

      VIVA COMENTÁRIO CONSTRUTIVO

  4. img
    flavedé Responder

    Nenhum medico em S.Tomé recebe 3 milhões de dobras.

    É só perguntar nas finanças quanto, no total, que um medico recebe por mês.
    Eles têm salário base, horas extraordinárias, e subsidio de turno.
    No minimo cada um recebe a media de 12 milhões de dobras por mês.

    Até os medicos politicos ou presidentes de camaras vão a noite ao hospital fazer turno para receberem essa bufufa, que não é pouca.

  5. img
    asd Responder

    Epa se os medicos não querem trabalhar contrata-se estrangeiros. Em Angola existem medicos em Angola sem emprego.É só chamar. Faz parceria com Russia tão cheios de medicos sem fazer nenhum. Manda esses cambardas de medicos convencido e incopetentes lamber sabão.Pensam que já são gente só sabem receitar paracetamol se febre, nem sequer escutam um paciente, que faz os trabalhos são os coitados dos enfermeiros

  6. img
    dhaniel Pires Responder

    Óh senhor(a) asd!

    O senhor tem noção do que está a falar ou apenas pretende intervir para manifestar a sua ignorância e deslindar a capacidade racional da raça humana?

    O(a) senhor(a) diz: «Epa se os médicos não querem trabalhar contrata-se estrangeiros.» Primeiramente o estado teria que pagar a indemnização dos médicos/enfermeiros despedidos porque eles por si só não se iriam despedir-se, para depois subcontratar serviços de estrangeiros e lhes proporcionar um salário que certamente será maior do que o mínimo exigido pelos tais sindicatos, além de outros mimos que o governo terá que conceder a estes. Subcontratam estrangeiros, desempregam os indígenas, aumentam o número de qualificados desempregados, apertam as oportunidades para pessoas desqualificadas como o(a) senhor(a), e estimula o aumento do sistema «apadrinhagem/cunha», e o resto dá para o seu cérebro deduzir. (…)

    Outro comentário seu, cheio de polpas para o governo foi: «Manda esses cambardas de médicos convencidos e incompetentes lamber sabão. Pensam que já são gente só sabem receitar paracetamol se febre, nem sequer escutam um paciente, que faz os trabalhos são os coitados dos enfermeiros». O senhor ainda tem a cara de pau de menosprezar aqueles que dão tudo para garantir uma mínima saúde – em consonância com as condições de trabalho que lhes são oferecidas pelo governo – aos seus irmãos e familiares?

    Se os médicos reivindicam é porque a situação está má.

    Espero que tudo sege resolvido com diálogos e acordo de partes, sem guerras entre os Gregos e Troianos.

  7. img
    supresa Responder

    esse médicos de STP, ou são bestas ou são parvos e não estão a respeitar a formação e o juramento que fizeram no âmbito desta mesma formação, são inconsequentes neste acto que considero um vergonha na medicina SANTOMENSE. esses senhores(A) sabem muito bem que o orçamento ainda não foi aprovado como e que querem que o governo resolve a situação com qué com boca…parvos..e alem disso porque que não fizeram isto no ano passado com governo do ADI, isto é politica que os médicos estão a aproveitar da desordem para fazer desordem… fosse em outro lugar poderiam ver médicos a fazer greve não tem vergonha na cara medico nunca deve fazer isto pá ok…

  8. img
    volto já Responder

    A maldade:
    A greve no sector da saúde tem que ser uma greve séria e responsável isto porque isto é um bem de todos apesar de os nossos dirigentes ignorantemente pensarem que estão imunes a saúde local. ora : sem avião e sem piloto correm sérios riscos. Vós sabeis que um enfarte uma hemorragia esquémica cerebral pode acontecer a qualquer um. E o destino provável, é ficar a caminho do aeroporto, o que não, é desejável. Neste ponto de vista os nossos dirigentes deveriam ser os primeiros aderir a greve e abandonar o poder. Este actual governo não é o pai da desgraça da nossa saúde esta situação já perdura 38 anos sempre com a mesma forma de pensar (se alguma coisa me acontecer vou tratar lá fora ) cuidado ! Cuidado! Cuidado! A maldade tem limite. Zaire é um pais rico o presidente Mobuto saiu voltou já embalado, Hugo Chaves, e alguns dirigentes nosso também voltaram da mesma forma. Pensem e repensem bem na vossa maldade.
    Todos nos sabemos que a saúde em qualquer país do mundo não é de fácil solução. A riqueza da saúde não é monetária, não é palpável, mais é o de maior de todos os bens . A meio da redacção deste comentário a minha filha interpelou dizendo que não basta somente criticar mas também apresentar soluções ou medidas, quanto a mim a solução esta nas mãos de quem governa.
    Para haver a saúde é necessário haver dinheiro, mas como arranjar dinheiro? Há 38 anos que somos independentes, o que é que nós temos feito para desenvolver a agricultura, a pesca, e o turismo que são os pilares para o desenvolvimento da saúde e do país. Basta que se desenvolvam estas áreas para que tenhamos uma saúde desejável. Estas são soluções possíveis. Ainda não somos 200.000 criaturas. Basta de maldades. Quem não acreditar (cá pô fica cu gêlu sê tlóca).

Deixe um comentario

*