Navio “Tropical” já foi resgatado pela marinha da Guiné Equatorial enquanto que “Andreia” continua desaparecida

As duas embarcações de pesca de São Tomé e Príncipe desapareceram no alto mar há cerca de 20 dias. Após o SOS, lançado pelo Presidente da República junto ao seu homólogo da Guiné Equatorial, navio Tropical foi resgatado no último sábado pela marinha equato-guiniense. Falta Andreia que continua desaparecida.

Após 19 dias a deriva no alto mar, por causa de uma avaria no veio de hélice da embarcação Tropical, a tripulação foi resgatada no último sábado pela marinha da Guiné Equatorial, que avançou em patrulha de busca e salvamento após solicitação feita pelo Presidente da República Manuel Pinto da Costa.

O navio foi arrastado para o porto de Luba- Malabo, e a tripulação já conseguiu contactar com os familiares em São Tomé, através dos serviços da presidência da república.

No entanto outra embarcação designada “Andreia” que se fez ao mar há cerca de 20 dias, para socorrer o navio Tropical, também desapareceu. Segundo o Tenente Coronel Victor Monteiro, Director do Gabinete do Presidente da República, as autoridades da Guiné Equatorial reforçaram esta segunda feira a busca do navio Andreia. A Força aérea do país vizinho começou a realizar voos de reconhecimento com vista a encontrar a embarcação.

Victor Monteiro acrescentou que as autoridades de outros países vizinhos como Gabão, já foram alertadas no sentido de apoiar na busca da embarcação Andreia.

O Tenente Coronel na Reserva, que no passado foi ministro da Defesa, e actualmente é director do Gabinete do Presidente da República,  aproveitou para questionar o facto de há bastante tempo existir um projecto que visa a instalação de reflectores nas embarcações de pesca. Segundo Victor Monteiro, um reflector passivo custa apenas 30 dólares e o activo designado – AIS, custa entre 300 e 500 dólares.

Tanto Tropical como Andreia, são embarcações de pesca após dias no alto mar, atracam no cais velho na Praça da Independência na capital são-tomense, para abastecer o mercado com o pescado. O Director de Gabinete do Presidente da República, garantiu que através de tais reflectores as duas embarcações seriam facilmente identificadas através do sistema de radares que os Estados Unidos Instalaram no país.

Porque o projecto nunca mais foi implementado, Victor Monteiro, disse que «somos um país de flasóóóóó..,

Abel Veiga

  1. img
    graca Responder

    antes tarde que nunca!..
    pai grande ” pinto da costa”quero alertar para que nao se esqueca dos barcos 30 de setembro e o rei amador …
    sera que eles ainda esestem ?…

    • img
      rapaz de riboque Responder

      pai grande uma ova não fez mais do a sua obrigação

  2. img
    Barão de Água Ize Responder

    Mais um exemplo da incapacidade de STP.
    Pescadores à deriva, perdidos no mar alto, e os seu país não tem meios próprios
    de salvamento.
    Tal como no mar, os cidadãos de STP andam à deriva hà mais de 35 anos! Nós, Sãotomenses, andamos à deriva no mal alto da pobreza e o pior é que qause toda a gente, incluindo politicos, acham que tudo normal. Porquê preocuparem-se???

  3. img
    São Tomé Poderoso Responder

    Vitor Monteiro grande lambe Bota, mais falaste bem um abraço a Dr Pinto da Costa diz ele para trabalhar e não esta la assentado, a copiar o Cavaco Silva cada Presidente tem seu estatuto..fui

  4. img
    E. Santos Responder

    Para resgatar os nossos navios, a nossa Guarda Costeira não vale de nada. Coitados andam a deriva.
    Agora, para apreender barco bandido, ah, estavam logo lá. Uns experts.
    Façam-me o favor.

  5. img
    dolo bega Responder

    Pai grande é Deus lá no céu.

    deixem-se de blasfémias ao catalogar um humano, imperfeito e mortal como todos nós, com títulos nao merecidos.

    esse senhor é pai grande de quem?? meu avo é pelo menos 2 anos e meio mais velho do que o senhor Pinto da costa, e nem a ele, atribuo títulos extravagantes.

    cuidem mais é da lingua. pois endiosam um homem comum como todos nós.

  6. img
    Setilio Vaz Responder

    É o pai da independencia quer queiramos ou não. Foi o primeiro Presidente do nosso STP. A inveja, odio, ira também escravizam o ser humano moral e culturalmente. “Quem não quer ser aquilo que não é tem que começar a ser aquilo que é.”

  7. img
    fala Serio Responder

    Pois o resultado e isso nao cria condiçoes nos seus paises depois andam de mao esticada na coisa dos outros ,imaginemos se a Guine Equatorial nao tivessem meio de busca? ai vinha a minha questao o que fazer?
    São piquenas coisas que os tais dirigirentes de stp nao pensam, depois de acontecer pede favor aos outros depois resultado isso entra na divida.

    Por isso meus senhores governantes vamos comessar a organizar a nossa casa para nao ficar como um mendingo na rua.

Deixe um comentario

*