Sociedade

Relatório da comissão clínica que analisou a morte do menino Tiago agudiza a polémica

O relatório diz que a criança de 8 meses, que faleceu em janeiro passado no hospital Ayres de Menezes, veio da Inglaterra, onde se registou surtos da gripe H1N1. Os pais desmentem, afinal de contas vivem em Portugal. Contestam o conteúdo do relatório e exigem justiça.

«Queremos que os responsáveis pela morte do nosso filho sejam chamados à responsabilidade e respondam pelas suas falhas», declaram os pais de Tiago numa carta de protesto endereçada ao Ministro da Saúde.

Os pais residentes em Portugal, que vieram para São Tomé em Dezemro do ano passado, para festejar Natal e a passagem do ano, e para permitir que a família em São Tomé conhecesse o pequeno Tiago, acabaram por encontrar o maior desgosto das suas vidas.

Em Janeiro de 2013, o filho ficou doente e foi conduzido ao hospital central Ayres de Menezes. Era uma gripe. Alguns dias depois do internamento a criança faleceu. «Nós não pedimos um relatório, exigimos como pais do Tiago Capela e pelas circunstâncias que levaram à sua morte, depois do internamento no Hospital Central, que fosse instaurado um inquérito e apresentamos testemunhas que nunca foram ouvidas», reforça os pais na carta endereçada ao Ministro da Saúde, em protesto ao conteúdo do relatório da comissão clínica.

O relatório diz que a criança vivia na Inglaterra, o que os país desmentem, detalha que o hospital central não tinha oxigênio, e avança outras deficiências técnicas que terão dificultado o atendimento adequado da cdriaança de 8 meses.

O leitor tem acesso ao relatório da comissão clínica e também a carta protesto enviada pelos pais ao Ministro da Saúde.

1 – relatorio clinico

2 – Carta Aberta ao Ministro da Saúde

Abel Veiga

    21 comentários

21 comentários

  1. Alfredo Castanheira

    14 de Abril de 2013 as 18:01

    Este país está desgraçado. Grandes incompetentes e corruptos. Só sabem fazer greves e exigir responsabilidades aos outros. Uma quantidade de médicos burros, incompetentes e preguiçosos. Onde se viu uma coisa desta! Matam uma criança por incompetência e negligência e ainda por cima começam a inventar barbaridades sobre a proveniência da referida criança que ofende o país e o povo. Para quê estas c oisas???? Mataram a criança porquê que estão a inventar que a mesma veio de Inglaterra e estava cpontaminada com vírus H1N1???? Para quê estas coisas, minha gente??? E se fosse vosso filho??? É muito triste tudo isto!!!! Esta atitude, para além de revelar incompetência é reveladora da crueldade e corrupção que se vive cá em S.Tomé. Quem fez este relatório deveria ser automaticamente preso ou demitido das suas funções. Isto não pode ficar assim. Uma falta de respeito para com as pessoas que estão a sofrer. Para quê inventarem mentiras para encobrirem a vossa incompetência e má-fé???? Vocês hão-de pagar pelo que estão a fazer a esta triste família. Os vossos filhos e netos hão-de pagar por que estão a fazer sofrer os outros. Deviam assumir a vossa culpa em vez de estarem a mentir e ainda por cima culpabilizar os pais da referida família. Isto é muito triste. Quando foi para fazerem greve souberam correr e exigir ao governo uma quantidade de coisas. E agora?????? Deviam ser presos e suspensos todos os médicos e técnicos envolvidos nesta morte desta criança. Se eu fosse do governo, qualquer que ele fosse vocês haviam de responder por aquilo que vocês estão a fazer aos outros. Podem crer…Uma cambada de incompetentes, porcos e maus.

    • sãtomense

      15 de Abril de 2013 as 16:37

      dá-me m«vergonha de ser sãotmense… idiotas.. médico estupidoss.. isso tudo é culpa do governooo

  2. Saotomense

    14 de Abril de 2013 as 18:48

    O que aconteceu ao malogrado Tiago é mais uma prova evidente de negligência médica.Infelizmente em S.Tomé tem sido assim ,cometem erros e ninguém chama a responsabilidade as ninguém,fazem tudo entre eles para livrar de forma corrupta dessas responsabilidades. Na minha opinião O Ministério da Saúde,O Hospital,os médicos que assistiram o miúdo de forma negligente devem ser levados a BARRA de TRIBUNAL. Pais, em nome do vosso filho não fiquem por aí,lutem para que seja feita a justiça,para que sirva de exemplos e que para o futuro negligência como esta não voltem acontecer. A comissão Clínica supostamente está a camuflar a verdade a seu favor.Haja JUSTIÇA.FORÇA PAIS!!!

  3. luisó

    14 de Abril de 2013 as 20:01

    No fim a culpa vai morrer solteira e mais uma vez estes tipos arranjam desculpas para safar o corpo.
    Onde anda a justiça e o Estado de Direito de que tanto se fala?
    Essa criança em Portugal morria?
    Estamos a falar da morte de um ser humano e todos fogem e assobiam para o lado, não se ouvem testemunhas e depois fazem relatórios que parecem vindos de um outro filme.
    Enfim terra sem futuro, infelizmente, devido aos seus actores principais.

    • Carlinhos

      14 de Abril de 2013 as 21:00

      Quem fez o relatório deve ser ajutomaticamente preso. Quem manifestou incompetência e negligência tem que responder pelos seus autos.

  4. mulata

    14 de Abril de 2013 as 22:44

    Dizer que a criança vivia em Inglaterra (mentira) e que só num hospital muito avançado é que ela poderia sobreviver é revoltante e vergonhoso para o país. Será que a direção do hospital sabe a diferença entre relatório e inquérito? A justiça tem que ser feita.

  5. vaca gorda

    14 de Abril de 2013 as 22:54

    Enfim.., é muito lamentável o que disseram sobre o relatório, porque conheço bem o casal e sei aonde vivem. E vivem em Portugal e o miúdo nunca foi a Inglaterra como dizem, si continuarmos assim com esses corruptos, mentirosos, baixos e sujos que temos na nossa sociedade principalmente no Hospital e nos centros de saúde estamos acabados, Hospital não funciona!…, Governo pior pocaria, minha gente em que Pais estamos? Todos os dias mesma coisa!… desperta povo

  6. Paracetamol 500mg

    14 de Abril de 2013 as 23:33

    Cada coisa de desce..! Credo relatório medico. Se a criança nasceu e sempre residiu em Portugal, como pode ser oriunda de Inglaterra? Quem acrescentou este facto a situação? A gripe H1N1…Com que analises chegou-se a essa conclusão? Quem ou qual o laboratório que realizou esta analise? Há que pedir responsabilidades

  7. O Ditafor

    15 de Abril de 2013 as 2:18

    Sinceramente este estupido que elaborou o relatorio nao faz a minima ideia do que é um relatório. Referir que a criança sofria de N1H1 ( suposta razao que levo-o ao óbito) Esta gripe é altamente contagioso e nao ter feito nenhuma recomendacao para os que estiveram em contactos com a crianca fazerem analises ou algo de genero, mostra efectivamente que quem elaborou-o queria encobrir ou proteger os negligentes técnicos de saude.
    Afinal foi uma perda de vida humana resultado de incompetencia dos que dizem ser ”doutores” mas não passam de uns BURROS e ignorantes inseridos num sistema de corrupção estatal…enfim

    Nota final: aconselha se a quem redigiu o referido relatório a fazer uma revisão literária e gramatical ou para nao dizer voltar a escola, porque há frases que perde se no raciocínio e outras com gravíssimos erros gramatical.

  8. Ledji milondó

    15 de Abril de 2013 as 7:39

    Devemos começar desde já a responsabilizar os médicos pelos seus atos, de contrário estamos todos fritos, inclusive há pessoas que matam por satisfação.
    Alerta povo.

  9. Atanasio Gomes

    15 de Abril de 2013 as 8:19

    Quando falo alguns incociente dis que eu falo muito voces ficam a saber que este mafé é que esta a reinar no nosso STP falta de conciencia e maturidade alguns deles nao merecm estar no lugar onde estao so por ser familha de? ocupam lugar que nao lhes pertençam

  10. Danilo Salvaterra

    15 de Abril de 2013 as 10:34

    Como prova o relatório tornado publico, os assuntos são tratados com leviandade num desespero desmedido para atingir uma ou outra pessoa. O próprio relatório em si é caso disto.

    Aos pais, meus pesames e solidariedade, incitando-vos a prosseguirem o caminho da justiça, incriminado o Estado Santomense, deste dano irreparável.

    Não resolve nada, mas pode evitar outras mortes de forma irresponsável

  11. Diáspora

    15 de Abril de 2013 as 10:35

    incompetência generalizada, á todos os níveis…puxa vida, que ignorância reina nesta terra, gente burra que nem da 1.ª Classe deviam ter saído….este é mais uma prova viva dde gente que governa e dirigi o país, bandos de burros, nem sabem o que escrevem nem disfarçam o bajular do chefe,,,,,

  12. Zumbakuê

    15 de Abril de 2013 as 10:50

    Depois de ler o dito relatório, sou céptico, quanto aos ditos “DRº”.kuáá Liiii.
    Tirem-me desse filme.
    É preciso relembrar que,com a vida humana,não se pode brincar.

  13. Santosku

    15 de Abril de 2013 as 11:14

    Estes médicos são todos uma cambardada de incompetentes a começar do dito Dr.º Pascoal. Médico conhecido como médico mata vida e não salva vida. Partir para greve foi tão fácil mas para trabalhar com consciência e honestidade é que não. Encorajos os Pais do pequeno a prosseguirem até as últimas consequências, doe a quem doer.

  14. jorge desalmado

    15 de Abril de 2013 as 13:50

    Depois dizem que o povo não tem razao.
    Voces ja viram no nosso “hospital” algum Presidente ou ex Presidente da Republica ministro, deputado, juiz, fina flor da nossa praca? Eles não confiam nas nossas instituiçoes, não confiam nos nossos sistemas, não confiam nos nossos médicos, não confiam nos nossos enfermeiros… enfim a lista é longa, eles não confiam em nada do que é nosso porque sabem o que vão lá encontrar. Hipócritas que só sabem enganar o Zé Povinho.

  15. Sem Noção

    15 de Abril de 2013 as 20:22

    Não têm noção do que relatam: O hospital não teve condições para salvar o “menino Tiago”, mas depois da sua morte, o hospital adquiriu condições para verificar que a causa da morte é o facto do menino ter passado por Inglaterra e contraído o virus. Os inteligentes sabem pedir desculpas, mas os negligentes, nunca.

  16. verdadeiro

    16 de Abril de 2013 as 8:34

    Venho também reportar este caso, esta Terra esta muito pior não existe o espaço para de algo, a Medica em serviço tinha que esta fora daquela Instituição, existe N casos desses no Hospital, muita negligencia Medica dos enfermeiro que fazem trabalhos dos Médicos, na Maternidade já não se fala, as Mães e os Filhos Morrem primeiro por um erro dos sucessivos directores, porque eles sabem que obrigatoriamente tinha que haver um Medico naquela Maternidade, como é habitual enfermeiras VS pacientes, segundo enfermeiras que fazem de rogadas passando pelos Médicos, esquecendo elas que para ser enfermeira não é só formar, primeiramente é ter vontade de servir os outros, segunda coisa é gostar desta profissão que não é assim tão fácil, a terceira e a ultima é não haver punições por negligencia e o erro Médicos na Lei e um código ético.

  17. HLN

    16 de Abril de 2013 as 11:45

    São tantas coisas que gostaria de dizer, mas prefiro dizer apenas essas:
    Pais de Tiago, não desistam façam de tudo, informem, e levem esse caso a mais alto nivel possivel, denunciem o estado santomense. não disistem nunca.

    Esse relatório, é uma autentica barbaridade. Só com cristo.

  18. vilma Gomes

    16 de Abril de 2013 as 15:48

    Meus amigos compartilhamos todos esta dor e a vergonha k temos dos nossos serviços de saúde peço k tentem fazer uma pesquisa na maternidade e vamos perceber quantas negligencias acontecem naquele local e da origem a mortes de parturiente e bebé recém nascido, ninguém faz nada e ninguém é responsabilizado por estes crimes

  19. Gualter Soares

    17 de Abril de 2013 as 15:33

    O nosso sistema de Saúde nunca esteve altura prestar um bom serviço ao povo dada a constante gestao danosa da coisa publica praticados por aqueles imbecis politicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo