Elísio Teixeira porta voz da ADI na denúncia contra a firma de Delfim Neves vai ser processado criminalmente

A empresa D.S Neves anuncia que irá introduzir uma queixa a crime contra Elísio Teixeira, por injúria e difamação. Afinal de contas as 3 mil toneladas de arroz, que segundo Elísio Teixeira(na foto), estão no mercado e são impróprias para o consumo, ainda nem se quer chegaram ao país.

1. Aquando da introdução no Ministério Público de um processo de suspeição contra Sua Excelência Ministro do Comércio Industria e Turismo e o Director da DAF deste Ministério, o Senhor Elísio Teixeira, em representação do seu partido ADI, disse: “… Estamos perante um negócio lesivo ao estado por ter sido feito uma adjudicação directa para importação de 3000 toneladas de arroz…” …. O arroz que foi importado não têm qualidade de para consumo humano, é sujo e cheiroso.” Trata-se de uma importação feita pela firma D.S.NEVES, LIMITADA…”

2. Sobre estas declarações temos a esclarecer o seguinte:

a) A firma Modelo Alimentação Neves, Limitada, tal como outras empresas sedeadas em S.Tomé e Príncipe, foram contactas a participar num concurso de consulta ao mercado através na nota nº 19/DAF/MCIT/2013, de 24 de Janeiro de 2013 ( DOC.1 e 1a);

b) No acto de abertura da proposta constatou-se que foram contactadas oito empresas nacionais e apenas três concorreram nomeadamente: A Modelo Alimentação Neves, Limitada, D.F.L Limitada e Cash & Carry, Limitada. Como se pode verificar na acta da abertura das propostas subscritas pelos concorrentes do dia 8 de Fevereiro de 2013 (DOC. 2 e 2a);

c) Após abertura e consequente avaliação das propostas pelos Júris do concurso a Firma Modelo foi notificada através da nota nº 49/DAF/MCIT/2013 de 13 de Fevereiro do ano em curso, de que foi a vencedora do referido concurso (DOC 3)

Face aos esclarecimentos e documentos comprovativos acima mencionados não há motivo nem há lugar para suspeições de acto de facilitismo como quis o senhor Elísio Teixeira, convencer a opinião pública nas suas declarações.

d) Concluído o processo de adjudicação a frima Modelo Alimentação Neves, Limitada, em consonância com o BGFI BANK, assinaram uma proposta para abertura de um Crédito Documentário, para importação das 3000 toneladas de arroz, grão longo, de origem indiana, 5% quebrado, embalados em sacos de 25 quilos ( DOC 4 e 4a);

e) Após a assinatura do acordo acima referido, o BGFI BANK, solicitou a cobertura cambial ao Banco Central de S.Tomé e Príncipe para garantir o pagamento do produto no estrangeiro e, obteve resposta positiva da mais alta instituição financeira do país através da nota refª. 12/MPC/DOG/2013, de 18 de Março de 2013 (DOC 5);

f) Passados cerca de 3 semanas após a recepção pelo BGFI BANK da nota da cobertura cambial DO Banco Central, procedeu-se a abertura do Crédito Documentário, para importação das 3000 toneladas de arroz, nas condições contratuais (DOC 6 e 6ª), estando ainda em curso todo esse processo na expectativa de o produto chegar ao país durante o mês de Junho do ano em curso;

g) Realce-se que ao Crédito foi aberto com garantias prestadas pela Firma Modelo Alimentação Neves ao BGFI BANK, tendo em conta os atrasos registados no pagamento pelo estado dos 30% para a confirmação da encomenda no acto de celebração do contrato;

h) Relativamente a importação das 900 toneladas de arroz através do mercado da nossa sub-região (Douala – Camarões), foi uma operação pontual para o abastecimento regular do mercado evitando a possível ruptura de stock tendo em conta os atrasos registados na operação das 3000 toneladas da parte do BGFI BANK, que tem enfrentado varias dificuldades para encontrar um Banco Europeu ou Americano da primeira linha para garantir e confirmar o Credito Documentário aberto por este banco, de modo a responder as exigências contratuais do fornecedor;

i) No que tange a importação acima referida, nada tem a ver com o produto requerido no concurso, ou seja as 3000 toneladas de arroz, quer a sua qualidade, quantidade, origem e embalagem. Repito foi uma operação pontual para evitar a ruptura do stock mantendo o mercado abastecido até a chegada das 3000 toneladas de arroz prevista para o mês de Junho:

j) Deve-se ainda esclarecer que foram comprados 900 toneladas de arroz em Douala, na perspectiva de embarque ter sido efectuado no primeiro navio contratado para o efeito e, ao iniciar o carregamento o armador pura e simplesmente recusou fazer zarpar o seu navio rumo à S.Tomé com argumentos de que há informações postas a circular da existência dos piratas no mar de S.Tomé e Príncipe. De todas as explicações e esclarecimentos prestados quer pelo afretador, quer pelo seu agente em S.Tomé Equador Viagens, o armador não reconsiderou a sua posição e teve-se que recorrer ao afretamento de um outro navio disponível de capacidade inferior, que resultou-se em deixar em terra cerca de 57,5 toneladas de arroz que posteriormente serão transportados para S.Tomé;

k) Quanto a qualidade do produto ora importado, gostaríamos de salientar que para além de visibilidade ocular de qualquer produto, faz-se fé nos Certificados de Qualidade e de Fitossanitário emitidos pelas entidades credíveis e vocacionadas para o efeito a nível internacional (Doc. 7, 8 e 9). Pelo que refutamos todas as suspeições proferidas pelo Senhor Elísio Teixeira, sobre a qualidade o produto, ao menos que o mesmo apresente outros certificados laboratoriais para efeito de controvérsia. Pelo que sabemos o ADI não dispõe de qualquer tipo de Laboratório de no país nem a pessoa que proferiu a infeliz declaração entende da matéria e muito menos ser perito na certificação de qualidade;

l) Saliente-se ainda que, este mesmo produto está sendo comercializado no mercado Camaronês e a importação das 900 toneladas de arroz para S.Tomé só foi possível graças a colaboração do Governo e das autoridades aduaneiras e portuária da República Federativa dos Camarões;

m) É de todo importante esclarecer a opinião publica que a pretensão do Senhor Elísio Teixeira e do seu partido, outro objectivo não tem senão manchar o bom nome de algumas figuras e dirigentes políticos e descredibilizar a nossa empresa, até porque por má fé o mesmo referiu-se uma outra sociedade que nada tem a ver com a operação em curso. Importa-se frisar, aliás, é do conhecimento público que alguns chamados dirigentes políticos do ADI decidiram fazer política e criticar tudo, não importar como e o quê!

Por razões acima referidas decidiu-se pela introdução da presente queixa-crime por litigância de má fé contra o senhor Elísio Teixeira, por insinuar contra as pessoas colectivas e singulares questões que o mesmo tem a perfeita consciência da lisura e legalidade desse processo.

Seguem as cópias do processo de adjudicação e outros – Clique -Documentos DS NEVES

——————–Nota de reacção da Firma D.S Neves Limitada ————————————

Notícias relacionadas

  1. img
    Emilio Freitas Responder

    Esse senhor Delfim e seus acolitos acham que o povo de STP continua sendo totalmente idiota a ponto de não perceber as suas artimanhas, é incrivel isso. So pelas vossas explanações acima se verifica existencia de materia crime passiveis de punição. Mas como o tribunais e o ministerio publico estão entregues a bicharradas como sempre os senhores têm certeza da impunidade, então vêm fazer essas figuras triste

    • img
      Responsabilidade Responder

      Senho Emilio
      Deixa de ser invejoso. Senhor deve ser um imbecil sem poder de analise. Eu não tenho nada a ganhar nas maos do senhor Delfim Neves. Mas como tenho o poder de analises vi atraves das peças que ele junta a sua alegação que o senhor Elisio Teixeira está a agir de ma fé passivel se ser sancsionado e a justiça funcionar no País. Quando se tras algo ao publico deve-se estar suficientemente informadao. ~Só pelo facto do senhor Elisio fazer referencia a uma empresa que não tem nada a ver com o caso do arroz já é uma difamação. Eu lamento muito o facto de o senhor Procurador da Republics nao ser uma pessoa célere na solução desses casos para tirar tudo a limpo. qualquer dia, com essa morosidade por parte da Procuradoria da Republica coisas piores virão. Senhor Procurador ginga ubuê punda Dêcu

      • img
        Emilio Freitas Responder

        Tens tanto poder de analise a ponto de achares que todo mundo em STP são acefalos, é incrivel, teu cerebro deve esta, em regressão porque não é possivel, isso

  2. img
    realista Responder

    mais um caso pra cunhado de delfim garido sacar dinheiro do ADI VAO VER SO .
    OUTRA CENA SENHOR ELIZIO VCES TINHA TODA HIPOTESE DE exclarecer cenas stp trading nao fizeram agora ta com essa cenas por amor de deus ja tinha hipotese sinto muito .

    • img
      Rui Castro Responder

      Nesta bagunça de disse que disse queixa contra queixa ouvi um dos argumentos do senhor Elísio Teixeira com alguma lógica se for verdade ” negócio lesivo ao estado”. Mas, fiquei espantando com esta expressão vinda deste senhor. Porque ele enquanto ministro lesou muito ao estado, vejam apenas dois exemplos:
      1. Era ministro com o salario do ministro e recebia outro salario mais emolumentos pagos pelo mesmo estado (santomense) todos os meses do seu anterior cargo enquanto diretor dos Serviços dos Registos e Notariados. A que nome se dá a este tipo de comportamento? Burla? Corrupção ou malandragem? Um homem deste carácter tem moral para se dirigir mensagens a nação sobre a corrupção?
      2. Enquanto ministro do Governo dito moralizado do Patrice Trovoada as suas namoradas, mulheres e amentes, lutavam entre elas no ministério acabando por danificar os computadores e outros bens do estado e nada foi pago e nada lhe aconteceu!
      E esta emmmm!

    • img
      Neise Cassandra Responder

      Advinha!
      Qual é coisa qual é ela, que em 2009 não tinha dinheiro sequer para pagar a factura de consumo de energia e agua, chegando ao pondo de solicitar a EMAE pagamento em prestações, em 2010 é nomeado para um alto cargo do estado santomense, em 2012 deixa de exercer estas funções, no final deste mesmo ano viaja para europa (Portugal) e compra uma belíssima casa no bairro dos ricaços europeus (cascais) no valor de 5 milhões de euros? Depois de adivinhar diga-me pois donde veio este dinheiro? Quem compra uma casa por este valor deve estar na posse de pelo menos 4 vezes mais ou seja, 20 milhões de euros! Fruto de trabalho limpo? Investigue!

      • img
        Alexandre Responder

        Meu caro.
        Falar sem ter provas, não vamos ao lado nenhum. Quem me garante que o que estas a dizer é verdade?

  3. img
    zeme Almeida Responder

    ADI nao dispoe de qualquer tipo de laboratório no País,nem a pessoa que proferiu a infeliz declaracao,entende da matéria e muito menos ser perito da certificacao de qualidade.Com este paragrafo, o DSNEVES quer dizer muita coisa!Eu penso que este senhor agiu de ma fé para com o povo de STP.O ADI é um partido politico que denunciou um caso vicioso na praca e com todos os direito que a lei em democracia os confere.Por facto de nao ter-mos laboratórios sufisticado no País é que deve-se fazer tais compras,com objetivo nos enganar?Só em STP.

    • img
      Alexandre Responder

      Eu penso que o meu caro amigo não vive em STP. O arroz que se encontra no pais não é preciso ter um laboratório para saber se é ou não apropriado para o consumo. Eu pelo menos posso te garantir que esse arroz não é apropriado para o consumo por vi o arroz e sente o seu cheiro. Deixemos de partidarismo e vamos ser relistas quem importou esse arroz sim, é que fez um Trabalho de Má fé.

  4. img
    jorge desalmado Responder

    Hum… CONTRA-ATAQUE. Vai pegar?
    Queixa-crime contra queixa-crime… igual a ZERO. Tribunal na Politica e Politica no Tribunal. Haver vamos!!!

  5. img
    arlindo fernandes Responder

    ADI deixou de ser partido politico e agora chama-se ASAE .Como e possivel alguem que ja exerceu funcao de ministro da justica falar sem certeza no que diz.Republica das Bandalhas.Juiz das Bananas Maduras.Querem poder a todo o custo assim nao chegam la . Na politica nao deve haver ODIO entre irmaos mas sim trabalho e tolerancia.O poder nao se conquista com mentiras nem aldrabices mas sim lutando com fizeram os nos antipassado na era da escravatura que muitos nem eram formados e muitos nem sabiam ler nem escrever,mas veceram Tenham mais confianca nos outros e saibamos perder ainda vamos a tempo de lutar e sermos um dos melhores no golfo da guine

  6. img
    Desgraçado Responder

    É o que dar fazer direito na lusofona… ataques têm que ser feito com cabeça tronco e membro, é uma prova clara que ADI não sabe quais são os deveres da oposição e por serem burros e nem sei como conseguiram fazer licenciatura em direito, tal secretário tal porta voz… têm que voltar para faculdade…

  7. img
    Pv Responder

    “operação pontual para evitar a ruptura do stock mantendo o mercado abastecido até a chegada das 3000 toneladas”. Esta operação seguiu os tramites legais? Poderia Sr Delfim Neves explicar melhor essa operação pontual.
    Quanto a qualidade de arroz, independentemente dos certificados de qualidades que valem o k valem, os consumidores terão sempre a sua opinião.

  8. img
    "Nós por cá e a nossa maneira" Responder

    ….lesivo é o que este senhor Elísio Teixeira fez no ministério da justiça. Se a justiça funciona-se aí sim íamos verificar quem lesou quem neste país…..

  9. img
    Raciocinio Lógico Responder

    Delfim Neves, com todo o respeito que o senhor como pessoa singular e ser humano merece, mas tenho a dize-lo que, só mesmo a um palhaco ignorante é que o senhor poderá ludibriar com esse palavreado todo exposto no seu articulado.

    E como nao sou pessoa de leitura fugaz, mas atenta, apenas e simplesmente, para nao ter que argumentar tanto, perguntaria algo que lhe faltou buscar artimanha justificativa, por descuido. Ora vejamos:

    - Se se tratou apenas, de um abastecimento prévio e pontual da empresa Modelo, por que cargas de água, o Ministro do Comércio solicitou a isencao do mesmo producto, ao seu colega da (DE) Infraestructura e Obras Públicas? Sabendo que se tratava de um abastecimento pontual, e de caráter privado da sua empresa, sem prévia negociacao com o Estado.

    Agora, prepara-te bem, para mentires sobre isso, se fores capaz. quero ver até onde chega a sua artimanha.

    • img
      Bravo Responder

      Senhor Raciocinio lógico,
      Acho que o senhor não ignorante por isso deve saber que o pedido de isenção é normal. o senhor deve saber o que é venda cif. Se o estado decidiu comprar o produto CIF ou seja, no porto de S.Tomé, para ter o controlo de venda e distribuição aos comerciantes produto deixa de ser do importador no porto de s.tomé e pssa a ser do estado. portanto o governo pode solicitar isenção que entender até porque os impostos e taxas que se paga vão mesmo para os cofres do estado. Por outro lado, foi o Governo do P.Trovoada que aprovou e publicou um decreto onde isenta todas as mercadorias do estado de taxas portuárias. Saiba mais junto da enaport.Logo não foi a Empresa privada que solicitou e nem iria beneficiar da eventual isenção.No meu entender era uma forma de vender o produto mais barato para a população.

  10. img
    Sun sun sun Responder

    Refiro-me a isencao d imposto aduaneiro, que conforme os documentos apresentados pelo denunciante, mostram a missiva do Ministro Demostenes ao Osvaldo Abreu, solicitando a dita isencao. Por favor, resposta.

  11. img
    ERC Responder

    Não sou admirador do Delfim Neves, mas essas intervenções da ADI é uma clara manobra de conquista da opinião pùblica num periodo eleitoral. A ADI esteve no governo e nunca denunciou nada, porque serà que agora denunciam semanalmente os supostos casos de corrupção? Ainda estou espera que expliquem aos santomenses o motivo da viagem colectiva feita pelos membros da ADI ao Gabão. Tenham vergonha!!!!

    • img
      Antónia Quintas Responder

      explicações da firma MODELO E ALIMENTAÇÃO NEVES
      “NO QUE TANGE A IMPORTAÇÃO ACIMA REFERIDA NADA TEM A VER COM O PRODUTO REQUERIDO NO CONCURSO, OU SEJA 3.000 TONELADAS DE ARROZ”
      o arroz que foi importado, não faz parte do concurso lançado? certo?
      entretanto o governo comprou-o para evitar a roptura do mercado. O governo comprou este arroz mediante concurso público? ou fez uma compra directa a firma Modelo Alimentação Neves.Consultar a Lei 8/2009

  12. img
    E. Santos Responder

    Hehehe, o PCD e mais concretamente o Delfim Neves, nunca fazem nada….uns inocentes, coitados. Grande cara de pau, isso sim.
    O Elísio é porta-voz do ADI e é nesta qualidade que faz as denuncias. Então, processem o ADI. Agora querem impedir que a oposição faça o seu trabalho.
    Acham mesmo que é preciso ser laboratório para saber que este arroz amarelo, sujo e mal cheiroso é uma bela porcaria que nos estão a dar para comer? Basta ter olho, boca e nariz.
    Porque as doenças que isso pode provocar só o tempo dira.
    São Tomé é o único país onde o Estado não protege o Povo.
    Um dia destes este país vai virar uma anarquia.

    • img
      E. Santos Responder

      E tem mais, este certificado não diz respeito ao Arroz que veio para São-tomé e sim o que deu entrada em Camarões. Sem contar que o mesmo fala em Arroz longo e branco e o que nós temos cá é amarelo e partido.
      Ainda existe o risco deste certificado ser falso.
      Pessoal do ADI, o mundo hoje é muito pequeno. Se o Governo de STP não vai investigar nada para o Delfim não mandar o Governo abaixo então investiguem vocês. Foi bom terem disponibilizado estes documentos. Peguem já nele com uma porção deste arroz amarelo que Delfim trouxe e enviem para a Índia para certificarem que este corresponde ao arroz que venderam para camarões. O Povo vos vai agradecer na urna.
      Este pessoal do PCD toma todos os São-tomenses por parvos.
      E ainda há quem acredita neles…de olhos fechados, a mais pequena desculpa que dão.
      Matam São-tomense e sopram para não doer.

      • img
        Manuel Almeida Responder

        caro E.Santos,
        Honestamente não sou um grande adminirador do Delfim Neves, mas quem não entende de detrminadas coisas não deve opinar.
        Os certificados de origem e de qualidade são emitidos de uma só vez por lote de produto a ser embarcado no país de origem,oK! e em cada fracção que for reexportada pelo primeiro recebedor neste caso o importador em camarões ele tem a obrigação de facultar cópias dos originais destes doumentos a cada um dos seus clientes que sairem da sua zona de jurisdição.Sem o tal as autoridades aduaneiras não fazem despacho de reexportação. Logo os julgo que os documentos aprsentados desde que sejam autenticos são válidos independetemente da quantidade de produto bastando para isso as referencias da qualidade do produto que consta nos documentos sejam exactos ou equiparados com as marcas e dísticos das embalagens.

        • img
          Cunha Rego Responder

          Senhor Manuel Almeida tem toda a razão explicou muito bem o processo do comercio internacional. No entanto, esqueceu-se de frisar outros certificados que podem ser emitidos a qualquer momento sobre requerimento da entidade fiscalizadora ou a solicitação de qualquer interessado trata-se de certificado fitossanitário e de fumigação no caso de cereais como é o lógico. É apenas uma contribuição. No meu entender acho que estamos a chover no molhado. Porque o produto ao chegar no porto deve ter sido inspecionado pelas autoridades competentes que por sua vez autorizou a saída do porto e colocado no mercado, cujo uma grande franja da população tem estado a consumir. Logo não pode haver mais suspeições. Embora cada um é livre de fazer os seus comentários até mesmo solicitar outros certificados fitossanitário.

        • img
          E. Santos Responder

          Meu caro amigo. Realmente não sou especialista nesta questão. Mas acho que não é preciso ser especialista de coisa alguma para perceber que um Arroz comprido e Branco não é igual a um arroz amarelo e partido.
          Que o Certificado da India seja verdadeiro, não tenho dúvida. Tenho dúvida sim é de que este certificado corresponda ao arroz que veio para São-tomé proveniente de Camarões.
          Quem lhe garante que este certificado não foi dado precisamente para documentalmente fazer parecer que o DN comprou o arroz branco e comprido solicitado taxativamente pelo Estado São-tomense. Mas em contrapartida, comprou um porcaria bem mais barata para ficar com o resto do dinheiro no bolso? Quem lhe garante?
          Aliás, ao verificar a qualidade do arroz que contraria o que está escrito no papel (certificado apresentado), a sua firma deveria logo emitir um documento ao vendedor a reclamar ou a pôr em causa o arroz. Ele não é cego. Não o fez porquê? É burro por acaso ou destraíu-se?
          Acho sim que alguém deveria ir a Índia verificar se é de facto este arroz amarelo e partido a que corresponde o certificado de origem apresentado pelo vendedor em camarões e que a firma do Sr. delfim não contestou, mesmo tendo olho e nariz.
          Se tudo fosse tão simples assim como o Sr. está a dizer a Droga e outros produtos contrafeitos não saiam de um país para outro desfarçados, com embalagens bonitas e devidamente certificados pelas autoridades.
          Mais a mais estamos em África….faça-me o favor.

  13. img
    verdade seja dita Responder

    Meus senhores ser deputado significa esta ali para representar o povo, é considerado um trabalho que recebe salário todos os meses, podem vir cá dar provas de que agiram de acordo a lei mas se esquecem k a lei diz bem claro, deputados não podem participar em concursos públicos,não importa se esta empresa é do filho do deputado, da mulher, genro, sogro,etc, não pode, claramente para não dar nessas coisas, eu percebo k as coisas em stp não estão la muito bem mas quando e que vamos perceber de uma vez k kem ocupa cargos políticos(ser deputado,ministro,presidente da assembleia, até o senhor presidente da republica) deve exclusivamente dedicar-se a assuntos k relacionados com o seu posto de trabalho k e ser deputado, não ao comercio, não há outro tipo de negocio.

  14. img
    Emilio Freitas Responder

    Espero que um dia a população evolua e ao inves de cortarem as mãos de um faminto que cortem as do senhor Delfim e seus acolitos, porque com menos Delfins certamente teriamos menos situações de roubos e assaltos.

  15. img
    mana Responder

    Adi esta a cair no ridiculo. Estes rapazes (levy, agostinho, elisio) em vez de estudarem e lerem os papeis, eles so passam vida nas tendas a cortar agua, dançar, e em casa de multiplas senhoras e querem combater delfim neves. O delfim e mais espertos que eles todos reunidos. Fui….

  16. img
    Rui Borges de Pina Responder

    Ula lá la: Só pensando no caso STP TRADING analisasse q a justiça é uma mera falsa neste território por outra são p os pobres: N tenho filiação partidária sei a dificuldade q o Governo enferenta p pagar salário uma verdadeira ginástica a um tempo a esta parte vinham-se pagando na conta do estado nos bancos comerciais p/ emissão de Bilhetes de Identidades, registos criminais, alterações de nomes e n só mais hoje nota-se o pagamento mesmo no balcão das respectivas unidades cara a cara será este é o modelo p desenvolvimento.C/ excepção dos serviços da Migração e Fronteira,. Sobre o arroz é necessário uma refelexão a história mt mal contada.

  17. img
    Pimbino Levy Responder

    Infelizmente quando os gatos pingados estão no poder acham-se capazes e pensam k td podem e fazem cada porcaria k dá dó.
    A conclusão k chego: são tds vigaristas kando estão no poder só pensam em ter mais casas, mais carros e mais mulheres. Por isso tou farta dos politicos e politiqueiros. K atire aprimeira pedra umzinho de politico k seja honesto em São Tomé. Tudo jogos de interesse. Bandidos, ladrões, ganasiosos e mentirosos compulsivos

  18. img
    Negro de STP Responder

    Rapazes novos de todos os partidos Faço aqui um apelo.
    Vamos denuciar todas as formas de corrupção
    Vamos por boca na butija não tenhão medo
    Vamos dignificar a nossa nova GERAÇÃO e por um travão na corrupção.

    • img
      Rui Castro Responder

      Já que o ADI decidiu fazer a política de ataques deve antes educar e disciplinar os seu dirigentes caso contrário cairá no ridículo. Ora bem: Enquanto o ADI está na ofensiva de ataques contra tudo e todos que não sejam da sua cor política, trazendo para rua verdades e mentiras uma coisa é certa o povo quer saber de tudo quer dos políticos do poder quer da oposição e o ADI esconde os seus males e defeitos. Ainda na última sexta-feira, dia 31.05-13, um membro do conselho nacional do ADI, ex motorista do famoso Elísio Teixeira ex ministro da Justiça do Governo Patrice Trovoada e irmão do outro famoso do ADI Domingos Boa Morte ( boxeiro que agrediu o Gégé Viegas na plena sala do plenário da Assembleia Nacional) até à altura da acto ilícito e criminoso enquadrado no Guichet único ( tacho facilitado pelo ex ministro da justiça no momento de queda do seu governo) foi preso por falsificação de assinatura e movimento de cheques do Guichet único. Já tinha movimento de cheques no valor de 160 e 150 milhões de dobras e neste último fim de semana o ultimo tento foi de 118 milhões de dobras. A que nome se dá a isto? ADI deve publicar estas coisas no seu site, porque se fosse um membro dos outros partidos seria notícia de destaque dos raios de informação. Costume-se dizer na nossa língua materna o seguinte: Bô cu labo ni stlada ça ká méssé pótó dji outló n’guê? Bõ ku meia fonodo ça ka dá mali de chinelo? Fui…

  19. img
    Negro de STP Responder

    Jaja mé aua fiô ca sa cula ….

  20. img
    convencido Responder

    Adi, campada de bandidos camuflados em serios. Nos, os antigos da mudança , vamos entrar na cena politica. Deixem o delfim em paz! Cambarda de incompetentes desfarçado em serios de gravata e casaco. Senhor ministro de agrcultura, homem capaz e serio, manda esses rapazes, levy. Agostonho. Elisio o paquetinho trabalharem lote e produzir comiga para o povo pequeno. Gabriel nao treguas aos preguisosos da geraçao desesperada. Viva delfim neves. Viva gabriel e viva pintio da costa

  21. img
    paparazzi Responder

    uma pergunta muito pertinente quero fazer o agora porta voz do adi sr elisio Teixeira
    quando era ministro da justiça não tinha assuntos do sr delfin neves nas suas mãos o porque não o fez como ministro e agora vem fazer como porta voz e mau porta voz.so sabe levar queixinhas chega elisio teixeira

    • img
      Filho da Terra Responder

      o palhaco já ouviste falar em separação dos poderes na democracia, quem dita as sleis sãos os legisladores e quem executa são os tribunais e não ministros, PALHAÇO

  22. img
    desta terra Responder

    Meus senhores,
    Os documentos que estão em anexo a esta notícia são secundários, no que toca a selecção das empresas para qualquer concurso. E a DAF sabe disso.

    Falta o documento primordial que é o relatório do concurso, onde consta:
    1- A identificação de todos concorrentes;
    2- O valor proposto por cada concorrente;
    3- O motivo de exclusão de concorrentes;
    4- Razões que levaram à escolha do vencedor.

    Só com o relatório desse concurso se pode depreender que condições essa empresa apresentou para ser considerada vencedora do concurso, em detrimento a outras empresas participantes.

    Portanto esses documentos em anexo, pretendem confundir a opinião pública, porque têm pouca importância.

    No mínimo, pedimos aos colocantes desses documentos para apresentarem também o relatório do concurso.

    A aguardar, ficamos.

  23. img
    Caos, Caos , Caos Responder

    Meus Senhores, seria bom deixarem de lamurias e palavriados…vamos deixar que a justiça trabalhe,…separemos o pulitico do juridico….acho k o ADI como grande partido e com tantos Juristas que tem, e ja forma ministros, logo sabem quais são os reais problemas do país,….. deveriam vir ao parlamento trabalhar, criar leis a fim de impedir de coisas dessas ñ voltem a acontecer….deixem de ser um partido de feira-de-ponto e fala-barratos, ..e passemos a trabalhar serios…

  24. img
    Antónia Quintas Responder

    Sinceramente, me surprende o fanatismo político com certas pessoas debatem neste espaço.
    senão vejamos:
    se houvesse actos de denuncias de supostas corrupções para serem investigados e responsabilizar os seus actores desde a independencia deste país, a situação sócio-economica de S.Tomé e Príncipe seria diferente a que é hoje. certo? Então, deixemos a justiça fazer o seu trabalho e trazer toda a verdade dos factos ao conhecimento de todos sem estamos aqui a fazer juizo antecipado em favor deste ou aquele. o facto de essas denuncias terem vindos seja lá de quem for, não nos importa. importa sim que sejam denuncias responsáveis para o bem deste povo marterizado. As denuncias ajudaram a dissuadir certamente os actos de corrupção.

  25. img
    Mé-zochi Responder

    Meus senhores, o Nelson Mandela, na luta pelo apartaide lutou e foi preso pelo povo, pelo idela de comungava…ora vejamos no ADI o seu lider comportou como rato do naviu, mal comessou a afundar, pulou fora…onde esta o grande lider que deveria estar ca lutando com o povo, sofrendo com o povo…chegou a hora de pensamos, sera esse um lider, aquele que abandona o pode e foge pra viver a grande em Portugal…..meus senhores do ADI, por terem sido governo, e tambem têm no seu seio muitos jurista. em vez de fazerem politica de feira-de-ponto, porque que ñ vêm ao parlamento, trabalhar pra criar leis que venham a evitar de coisas dessas aconteçam…..reflexão

  26. img
    alvaro lopes Responder

    Estamos na presença de mais um caso de justiça. Não houve concurso público, a empresa é do sr deputado e comerciante e vice presidente do pcd Delfim Neves, o estado foi lesado, o arroz é de péssima qualidade, até então so entrou 700 sacos e os restantes não virão mais, já estamos habituados a isto, esta é a forma como o sr Delfim Neves viu para tirar o dinheiro ao povo santomense(estado)

  27. img
    Mé-zochi Baixo Responder

    Meus senhores, o Nelson Mandela, na luta pelo apartaide lutou e foi preso pelo povo, pelo idela de comungava…ora vejamos no ADI o seu lider comportou como rato do naviu, mal comessou a afundar, pulou fora…onde esta o grande lider que deveria estar ca lutando com o povo, sofrendo com o povo…chegou a hora de pensamos, sera esse um lider, aquele que abandona o pode e foge pra viver a grande em Portugal…..meus senhores do ADI, por terem sido governo, e tambem têm no seu seio muitos jurista. em vez de fazerem politica de feira-de-ponto, porque que ñ vêm ao parlamento, trabalhar pra criar leis que venham a evitar de coisas dessas aconteçam…..reflexão

  28. img
    alvaro lopes Responder

    Entendo que o jornal tela non não está na banca para defender este ou aquele político, mas se a caso de justiça tem-se que dizer doa a quem doer
    Passem por favor o meu texto sobre a matéria

  29. img
    alvaro lopes Responder

    Mas uma vez declaro que não concoro que quem insulta pessoas vê o seu texto publicado e quem comenta sem insultar não vê o seu texto publicitado, sinceramente e ´desde o dia 01 de junho que enviei o meu texto sobre o assunto

  30. img
    mimi Responder

    O ADI precisa mudar a postura de panfletista acelerado e passar a fazer verdadeira politica, que seria de esperar de um grupo que se diz ser partido politico. Para se merecer respeito é necessário aplicar a sabedoria (por mínima que ela seja) como deve ser!

  31. img
    alvaro lopes Responder

    Caro amigo Mimi, não chama isto panfleto, o que é deve ser dito, não sou nem nunca fui do ADI maS MEU CARO, NEGÓCIO ASSIM, VISTE QUEM Fazia parte do juri do dito concurso que passou a ser adjucação directa, viste a qualidade do arroz, viste o preço e quantas toneladas entrou até então, outra vez a mesma empresa clone da D&D Lda mas ja se sabe quem é o dono, chega disso ja chega

  32. img
    santiago filho Responder

    o partido ADI e os seus colaboradores tem que ter um pouco de vergonha.voces teem tantos problemas por resolver, ainda ha poucos dias surgiu a prisao de 4 navios que encontravam-senas n/ aguas a mandato do vosso eis P M. para o roubo de gas. Caros amigos o vosso tempo ja acabou agora deixe trabalhar a quem esta n/ poder. o sr Delfim merece mais respeito. OBRIGADO

Deixe um comentario

*