Sociedade Civil apresenta ao Ministério Público queixa por crime ambiental no sul de São Tomé

O Movimento da sociedade civil, que nasceu espontâneamente para tentar travar a desflorestação da zona sul da ilha de São Tomé, se reúne esta sexta – feira com o Procurador Geral da República. Uma queixa crime deverá ser apresentada contra o Estado são-tomense, para salvar a floresta do sul.

O Estado são-tomense também é sócio da Agripalma. Empresa a qual concedeu 5 mil hectares de terra para plantio de palmeiras. No sul da ilha de São Tomé a devastação está a ganhar proporções perigosas.

Na última quarta – feira o Téla Nón registou no terreno que a devastação da floresta virgem na região sul, já chegou a Alto Douro e Vanhá, e tende a avançar em direcção a Vili e Santo António Mussacavu.

As terras que a Agripalma devastou em Alto Douro e Vanhá, pertenciam aos agricultores de Porto Alegre. Foram distribuídas pelo Estado em lotes para exploração familiar. Os agricultores ostentam o título de posse de terra, que o memo Estado decidiu nas últimas semanas passar para a Agripalma sem negociar com os agricultores.

Fidel Sanches Presidente da Associação da Comunidade de Porto Alegre, disse que o Governo através do Ministro da Agricultura, António Dias, prometeu uma solução para os agricultores no prazo de 15 dias. Segundo o representante da comunidade, Já passaram dois meses e nenhuma solução foi apresentada.

Segundo ainda Fidel Sanches, o impacto do derrube da floresta é visível. «Antes encontravamos macacos nesta região, mas agora não vê mais», pontuou.

As ONG, Marapa e Alisei que trabalham com as comunidades do sul de São Tomé no desenvolvimento da agricultura e pescas, também orientam as populações na protecção do ambiente. As ONG consideram que a ameaça é grande. Pelo menos 3 espécies de aves, endémicas na região sul, poderão desaparecer. Picanço ou Ibs é um deles. É uma ave rara no mundo. Estudos realizados indicam que deverão existir apenas 50 exemplares, na floresta do sul de São Tomé. O avanço dos caterpilares da Agripalma, pode estar a destruir o habitat desta espécie rara.

Numa das zonas de Alto Douro, em que a floresta desapareceu o Téla Nón pôde registar uma nascente de água que ficou a céu aberto.  «Ela vai secar», afirmou um dos técnicos da ONG Marapa, que contemplava a extensa área sem verde, sem vida. As terras de Alto Douro, que já se transformaram num espécie de aeroporto, isto é sem qualquer árvore, colidem com terrenos da Praia Jalé, onde uma nascente de água, criou um extenso Mangal.

Esta nascente, é a principal fonte de água que alimenta o imponente rio Malanza. Os efeitos da devastação tão próxima da nascente, podem comprometer o caudal do rio Malanza que tradicionalmente prende a atenção de quem visita a região sul. Acto contínuo várias espécies de plantas e animais endémicos no Mangal de Malanza, poderão simplesmente desaparecer.

Aurélio Silva, agricultor da região sul e membro do movimento da sociedade civil, também denunciou a situação. Considera que para além de aves únicas, plantas de valor medicinal, estão a ser dizimadas.

Esta sexta – feira, o movimento da sociedade civil, apresenta todas essas preocupações ao Procurador Geral da República, mas não só. Vai introduzir uma queixa crime sustentada pela lei. São muitos aspectos da lei da floresta e não só, que estarão a ser violados, com o avanço dos caterpilares da Agripalma em direcção ao maior pulmão da ilha de São Tomé, a floresta de Caué no sul da ilha.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Machado Responder

    Até que enfim que SÃO TOMÉ Acorda, fico feliz de ver isto Feliz e espero que não cedam. O pais é Nosso numca nele deviam ter deixado tocar , infelizmente temos tido certas pessoas que nos governam que primeiro olham seus própios interesses antes de ver os do povo e da nossa terra .

    • img
      Estanislau Afonso Responder

      Agradeço a vossa contribuição.
      Mas no entanto,aproveito esta oportunidade para informar-vos que para haver crescimento económico, é preciso formação bruta de capital. Isto acontece com a indústrialização, económia de escala. Desta forma, teremos como financiar o nosso Orçamento Geral de Estado, que hoje infelizmente depende do estrangeiro.

      • img
        John Smith Responder

        Senhor Estanislau Afonso, o seu comentario, perfeito, mas quero lhe dizer que si nao houvesse tanta currupçao no nosso país, nao teriamos tantos problemas como s os que temos, o que nao podemos é cruazar as maos, enquanto nos aniquilam. podiamos producir sal, açucar, e muitas coisas mais sem tocar naquilo que é mais bonito que temos.
        obrigado
        J.S

        • img
          Coelho Bravo Responder

          senhor John Smith por acaso comes a boniteza? Porque não deixamos de fazer criticas e pensar na solução para o país? Porque não utilizamos a mesma inteligência de criticar para solucionar? Já é tempos suficiente para pararmos de criticar. Criticamos tudo e não resolvemos nada. Como achas que vamos deixar de ser pedinte? Desde quando estamos com esta beleza na pobreza, no desemprego, na calamidade e tudo de pior? Será que as palmeiras desenvolvem um papel na fotossíntese diferente de outras plantas? Como acham que cresce um país sem aproveitar o recurso que tem? Já não sei o que quer os santomense.

  2. img
    Indignado Responder

    Reforçando sobre as aves : o Picanço (Lanius Newtoni), o Anjolo (Neospiza Concolor) e a Galinhola (Bostrychia Bocagei – tb conhecida como Dwarf Olive Ibis em inglês), são espécies endémicas de São Tomé – ou seja, que existem apenas aqui nesta ilha e em nenhuma outro lugar do planeta – e são classifacadas na Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza, com o nível “CR: Criticamente Ameaçada”. Esta classifacação é efetuada com base em estudos cientificos existentes e atualizados, que em STP já são consideráveis. Vale ressaltar que o nível a seguir na escala da classificação da lista vermelha é o “EX : Extinto”, e já nesta altura já não há volta para trás… Vamos despertar, gente!!

  3. img
    Pen Drive Responder

    Qual a alternativa económica que a dita sociedade civil apresenta para a zona sul. Ando muito desconfiado com essa sociedade civil. Não será os eternos interesseiros de sempre! Que comem tudo e não deixa nada para o povo. Ou já querem fazer parte da sociedade? O futuro dir-nos-á.

  4. img
    Bili Responder

    Meus irmãos se ninguem vos dá ovido nem resolve a vossa situação, tomem uma decisão e bloqueam o trabalho até este estado de caracol decidir. Nem deveriam ter adimitido a invasão da vossa propriedade sem o vosso consentimento. Achem o que quiserem essa é a minha opinião. Emobra longe, mas estou connvosco. Força.

    • img
      verdade Responder

      Não sabes o que dizes.

  5. img
    alvaro lopes Responder

    Assim é STP a nossa terra, temos mis olhos do que bariga, qualquer um pode nos enganar, é só ter meia dúzia de tostões e vendemos a alma e o corpo, Perguntem ao RAFAEL BRANCO E AO SEU CUNHADO XAVIER MENDES, QUANTO CUSTOU TUDO ISTO. AGORA TEMOS QUE TENTAR PARAR TUDO ISTO E SALVAR A NOSSA FLORESTA, A NOSSA FAUNA, A NOSSA FLORA E A NOSSA TERRA. FORÇA O MOVIMENTO NA DEFESA DO SUL DO PAís. bem hajam!

  6. img
    Paracetamol 500mg Responder

    Triste esta sociedade civil, que não defende os verdadeiros interesses de STP. Se o país precisa desenvolver,é preciso investimento. Acontece que a empresa substituiu as velhas palmeiras por novas, revitalizando os mesmos espaços.

    • img
      Faustino Responder

      Quem assinou este contrato que lesa basntante o país deveria ser automaticamente preso. Não sei o que é que o PGR ainda está a esperar tanto tempo para prender já estes indivíduos. Já deveriam estar presos. Isto é não só incompetência como malvadez, má-fé e espírito de quem pensa assim: eu estou já com uma certa idade, sei que vou morrer daqui por pouco tempo, portanto, vou arrasar isto tudo, não me interessa este país e outras gerações que venham mais tarde. É assim que esta gente pensa. Deviam ser todos presos. Isto é um crime, um atentado ao país. Malditos!!!!

      • img
        Pen Drive Responder

        E os macacos e as aves vão dar de comer a toda gente da zona sul e trazer desenvolvimento para STP?

        • img
          Carlinhos Responder

          Volto a repetir: esta gente que assinou este projecto deveriam estar todos presos em cadeia de alta segurança. Babdidos!

          • img
            Coelho Bravo

            Talvez falas assim porque não tiveste oportunidade de estar no meio deles para comer um bocado. A quanto tempo estamos com aquela terra toda vivendo na miséria? Por acaso vimos algum empresário santomense para fazer alguma coisa que presta com aquelas terras. QUIDAREÔÔÔÔÔÔÔÔÔ MINHA GENTE DEIXA ESTA OPORTUNIDADE PARA CAUÉ DESENVOLVER UM POUCO.

  7. img
    Orgulho Santomense Responder

    Voçês estão a chorar o quê?

    A empresa não invadiu espaço nenhum. O governo concedeu para um investimento. Hora muito bem, o Governo é que tem que definir que desenvolvimento quer para o povo de S.Tomé e Príncipe. Si falam tanto no Turismo, Prestação de Serviço e Agricultura, então deixem os homens em paz e vão ajudando também mas com boas opiniões. O governo tem que definir bem a questão das áreas protegidas. estamos a conservar tanta área para sustentar a pobreza. Quando um infeliz sem emprego e sem casa necesita de madeira para ir lá buscar. que controlo temos destas áreas? nenhuma.
    Hora meus amigos, desta forma não contribuimos, nós temos que ter orgulho daquilo que é nosso, e sermos criativos com o que temos, e com o espírito de crescer. colhem exemplos de países que estavam na mesma situaçao e hoje ja estão bem posiçionados. será que é tão difícil de chegar lá? não o que é necessário sobre tudo é o povo santomense ser mais tolerante às coisas que nos trás vantagens significativas e lutar contra a corrupção aquilo que os nossos políticos fazem. Na minha opinião, para são tomé e príncipe ja não haveria campanha nem simpatias políticas porque são as mesmas caras que rondam ao poder roubando o pouco do povo. estamos cansados desses caras.
    Por isso devemos gritar!
    “Fora. ja não queremos os lacaios” viva a liberdade”.

    • img
      Carlinhos Responder

      Lesse tanta ignorância que de vez em quando eu acho que esta gente nunca andou na escola ou são estruturalmente corruptos estando condenados a morrer corruptos.
      Sermos criativos como?? O senhor acha que dar cabo de uma grande área florestal é ser criativo? O senhor é burro? Só pode ser. A não ser que o senhor está metido neste projecto de corrupção até ao pescoço. Não me admira nada disto. Bandidos

    • img
      Aurélio Responder

      Qual criativo qual caraças?! Deveriam ser todos presos. Sim! Todos aqueles que estão direta ou indiretamente relacionados com este projeto deveriam ir para a cadeia. São maus,porcos e burros. A culpa não é vossa.

  8. img
    santa catarina Responder

    A empresa não invadiu foi dado pelo governo de Rafael Branco foi o resultado do primeiro assalto ao poder do MLSTP/PSD+os famossos do PCD.O povo do sul e não só deveria sair a rua e pedir contas aos defensores da patria os MLSTP+PCD e agora com o apoio do MDFM+UDD.
    Meus senhores com estes senhores não vamos a longe o tempo já nos deu a resposta se não deram durante os 35 anos não é hoje que irão dar.Vamos sair a rua reivindicando os nossos direitos como estão a fazer na turquia. Tenhamos coragem a liberdade conquista-se a democracia tambem, conquista-se não é dadiva nenhuma. Em tudo temos que trabalhar e trabalhar duro só assim é que saberemos viver o prazer da liberdade.
    Vejam só para a questão do arroz, agora dizem que baixaram de preço é porque a conciencia mordeu-lhes o arroz não vale mesmo nada. o STP trainding foi a mesma coisa. até quando?
    Vejam só a questão do Timor Leste O ministro de Plano e a Ministra de ME só passear ao Timor com o dinheiro do povo enquanto o senhor Alcino em visita de cortesia a convite trás oferta e anuncia com toda pompa e circunstancia, até tem o direito de tirar a sua parte. Que país estamos?
    Está na hora de por um ponto final a toda esta situação.
    Viva a liberdade!

  9. img
    Baga Tela Responder

    Deviam obriga-los a plantar tudo que arrancaram.

  10. img
    Alguem!!!! Responder

    Só pena que 99,99% dos que criticam não estejam presentes no seu País para defender os reais interesses do Povo….
    O povo vive do desenvolvimento e não da história, nem da nostalgia…
    Se não forem as ajudas externas e os investimentos privados o que seria deste país!?? Se já assim tem pouco, mas força bloqueiem o desenvolvimento….

    • img
      Coelho Bravo Responder

      Obrigado pelo seu comentário. Eles são como refugiados e não conhecem os verdadeiros problemas do país e só param longe a tentar bloquear o nosso desenvolvimento. A crise na europa já é bem visível e muitos europeus já se refugiam para africa a procura de emprego. Tenho fé que um dia este país conhecerá dias melhores e vocês que andam a fazer estas criticas é que terão melhores cargos nesta empresa.

  11. img
    Rita Responder

    Esta zona toda tem proteção dos mecanismos das Nações unidas, UN REDD, por isso, tem havido conluio destas agencias, por isso devem ser levados ao tribunal internacional.

  12. img
    Tia Maria Responder

    Fidel Sanches continua com a iniciativa, mas macacos e morcegos temos a mais e vai levar tempo a desaparecerem.
    Macaco já, Todos quase são macacos, do dinheiro do estado.
    Macacada.

  13. img
    minus Responder

    bilu,bilu,bilu,miau,miau,miau… isso já parece as cataratas do niagara toda gente sabe que as aguas continuarão a rolar de cima pra baixo, é um desperdício de frases tao lindas i inspiradoras!!!

  14. img
    carla fonseca Responder

    Realmente este país tornou-se um palco de oportunistas e assantantes do poder. Por acaso a Sr. Deus lima, que se diz Bas tonaria, sem ser eleita acha que agora vem sair em defesa dos interesses da dita sociedade civil…Bom sabemos que ela é protegida do PM, mas sinceramente devias +e fazer eleições na ordem do abogados em vez de querer protagonismo barato.

  15. img
    Coelho Bravo Responder

    Os pequenos agricultores da zona sul deveriam e têm todo direito de revindicar as suas indemnizações pelas áreas em que eles tomaram conta durante algum tempo e muitas vezes fizeram algum investimento. Eles coitados nem tinham oportunidade de serrar pelo menos as madeiras que lá tiveram o que a empresa tem cortado em rodelas enquanto a população com casa em péssimas condições. É verdade que devemos ter ares protegidas e em relação a isso é o maior recurso que o distrito de Caué tem. Então este recurso tem que ser aproveitado. Mas quanto ao projeto por favor não vamos mais uma vez impedir grande desenvolvimento para a zona sul.

Deixe um comentario

*