Estrada de valor económico é reabilitada para ligar comunidades das Roças Água Izé e Milagrosa

São 6 quilómetros de pista rural, cuja reabilitação dentro de 6 meses, vai permitir a comunicação entre várias dependências das roças Água Izé e Milagrosa entre si, e entre elas e o mercado, para escoamento da produção de cacau, frutas, tubérculos e gado.

As dependências das ex-empresas agrícolas Água Izé e Milagrosa, preenchem grande parte da região centro da ilha de São Tomé. Região de grande produção do cacau, mas também de produtos alimentares. A Roça Santo António e Ponta das palmeiras, que vão ser ligadas pelo troço de estrada, são grandes produtoras de matabala, banana, fruta pão, mandioca, milho etc.

A pista que vai ser reabilitada dentro de 6 meses e cuja primeira pedra foi lançada pelo Primeiro Ministro Gabriel Costa, abre acesso para outras comunidades agrícolas que no passado estavam ligadas a Roça Milagrosa. Estas também são de terreno fértil para o cultivo de tubérculos, banana, e cereais nomeadamente o milho.

O troço a ser reabilitado está avaliado em 115 mil dólares. O financiamento é do Banco Africano de Desenvolvimento. A pista rural, vai ligar as diversas comunidades agrícolas à estrada número 2, actualmente considerada a  melhor do país, pois foi reabilitada por betão betuminoso.

A melhoria de acessibilidades ao interior, vai contribuir para o aumento da produção de gado. As comunidades de Água Izé e Milagrosa oferecem condições para a produção dos gados, caprino, suíno, também bovino, para não falar de aves como galinha e patos. «Com esta reabilitação da pista vamos aumentar a produção, e a economia nacional. Só assim estaremos a contribuir para a luta contra a pobreza», declarou o representante dos agricultores, que usou da palavra na cerimónia de lançamento da primeira pedra, esta quarta – feira.

Bulauê, estilo de música popular são-tomense, saudou o lançamento da primeira pedra. Tchabeta, estilo de dança cabo-verdiana também foi exibido. Afinal de contas grande parte da população que habita as roças são cabo-verdianos ou são-tomenses de ascendência cabo-verdiana. «Este troço liga Água Izé a Milagrosa, e constitui um cordão que tem grande importância na produção alimentar», confessou o responsável do projecto PRIASA, Álvaro Vila Nova.

O Banco Africano de Desenvolvimento que financia as obras, garantiu que está ao lado do Governo, para vencer desafios. «Há vontade do Banco Africano, em continuar a cooperar com o governo no sentido de juntos resolvermos os desafios de redução da pobreza em São Tomé e Príncipe», enfatizou o representante da instituição financeira pan – africana.

Ainda com o som do bulauê, a ecoar nos ouvidos, e o calor da tchabeta a contribuir para festa dos habitantes do interior de São Tomé, o Primeiro ministro Gabriel Costa, sublinhou o valor económico da reabilitação da pista rural de 6 quilómetros. «Entendemos que tudo o que fizermos em prol da melhoria das condições de vida das populações, estamos a criar condições para que haja mais felicidade para toda gente», frisou o Chefe do Governo.

A Associação do Grupo de Interesse pela  Manuenção de estradas GIME  – 20, vai executar a obra, que deverá ser inaugurada dentro de 6 meses.

Abel Veiga

  1. img
    Zona Sul Responder

    Continua em frente e não olha para as barreiras. Isto é que é apostar no desenvolvimento!

  2. img
    Abelino Santos Responder

    Estou muito satisfeito.

    Este e o estilo de Pinto da Costa, mais não esqueço de enaltecer o Gabriel também e um outro grande estratega. Arranjem mais coisas destas. So espero que mao daninha e olhos feiticeiros não venham destruir porque nos anos 80 Pinto conseguiu instalar atelier central em Bobo Foro mas entregaram de mao beijada ao colono do Victor furtuoso mais seu filho Carlos. Era uma das melhores oficinas na Africa central na altura, ate com unidade de fundição, forno de alta temperatura isto já era um grande paço para industria Sãotomense .

  3. img
    CAUE-A-PAGUEÇAGINON Responder

    Estrada de valor económico?
    Que estrada não tem valor económico em S.Tomé?
    Quererá dizer, estrada de elevado valor económico? É que é outra coisa se dito assim…

    • img
      CAUE-A-PAGUEÇAGINON Responder

      É engraçado que Gabriel lançou uma obra em MeZochi, 7 quilómetros, por (um)1 milhão de dolares… E estes 6 quilómetros são 115 mil dolares…
      Estão a brincar com dinheiro do povo e com recursos do país?

      • img
        CAUE-A-PAGUEÇAGINON Responder

        Quando deve estar tudo em foque para o desenvolvimento, vêm com esta de “redução de pobreza”… Isto é para desculpar uma certa incompetência e má estratégiza?
        Porque o desafio é desnvolviemnto das ilhas… Não há razão para se estar a lutar contra pobreza em S.Tomé, quando temos tudo para desenvolver sim é estratégias para o desenvolviemnto sustentado das ilhas muito ricas pelas condições naturais únicas no mundo!

      • img
        rfgfdbfg Responder

        o palerma a estrada de Me-zochi é alicatroada em betão betuminoso e a de agua ize é de terra batida, antes de falar porcaria veja primeiro os trabalhos e faça uma valoração logica depois opina…

  4. img
    Stwart Neto Responder

    Esse processo não é novo, já vem de longe e não tem nada a ver com o Pinto

  5. img
    Badiu di STP Responder

    Senhor Ministro para quando a reabilitação/construção das casas nas Comunidades de Guegue, Uba Budo e outras?

  6. img
    Verónica Responder

    O Victor Frutuoso é colôno? Francamente Avelino, É a primeira vez que ouço isto. Deixa de má boca.Tu deverias saber quem roubou e destruiu o Atelier Central e se tu não sabes, investigue. E o Victor Frutuoso foi lá e deu emprego a muita gente.
    Deixe dessas coisas.
    Estas estradas, têm valor e mito valor. Os coitados dos Agricultores sem estrada, são obrigados a carregar na cabeça, andar Kms e Kms para chegar onde tem acesso a viaturas. E se hoje constrói-se ou se se reabilita uma via dessas vcs, má bocas dizem que isto não é nada. Só pode vir da oposição. Porque razão vs não fazem campanha para acabar com os ladrões. Porque vcs tb os são. Vamos trabalhar e deixar cada um tb trabalhar. Sigam o exemplo do Nelson Carvalho, Presidente da Câmara de Mé Zóchi que tb é do ADI mas está fazendo. Deixem o arroz em paz, comam banana e vamos ver se reduzimos os ladrões de pato, galinha, cabra, porco, banana, entre outros e vamos ajudar os dirigentes que querem fazer, deixando de querelas. Viva São Tomé e Príncipe, Viva os Governantes de São Tomé e Príncipe que querem trabalhar e estão trabalhando

  7. img
    Põe boca não tira Responder

    Esperemos que essa obra se conclua e que possa trazer mais valia para nossas comunidades agrícolas permitindo escoar com mais facilidades os seus produtos….

  8. img
    som Responder

    Só espero e espero q. seja de boa construção e q. aja uma fiscalização exemplar,e ñ fazer por fazer!vão em frente!sucesso

  9. img
    Blaga-Pena Responder

    Bom trabalho. Sigam em frente, mas o MLSTP, o PCD e o MDFM que se ponham a pau porque “Gabi” quer mesmo é fortalecer o seu UDD.

    • img
      Crise de fome Responder

      Ele não conseguirá. As pessoas até podem gostar do governo mas não gostar dele para nada. Achas que ele conseguirá atrair os simpatizantes destes Partidos? Lembrem-se que o governo é do Pinto da Costa e não dos Partidos!

  10. img
    trindadense Responder

    boa iniciativa cada um tem a sua vez deixa ministro trabalhar, continue assim aposta nas agricultura, populações de Anselmo Andrade, mato cana,olivas marim Bernado farro Claudino forro estão a sofrer muito que DEUS da uma mão a essas pessoas, continue assim senhor ministro..

  11. img
    The Politic Responder

    Porque terra batida e não asfaltada? Quanto tempo vai durar esta terra batida? Como sempre o Governo fazendo obra so para calar a população (pobre ela e analfabeta que se conforma com tão pouco). Si na realidad quer ajudar o povo faça Estrada asfaltada e não terra batida.

  12. img
    realista Responder

    mais pra keee essa cenas todas de dizer k tao a fazer estao la pra fazer e o vosso dever porque dinheiro do estado e pra ser investido pra bem de todos agora kero ver depoix de eleicao proximo ano se esta accoes continuarao ou nao, haver vamos

  13. img
    zecadiabo Responder

    Ate que enfim, algo significativo com visao no desenvolvimento de forma a estender as maos aos trabalhadores das rocas do nosso Pais que sistematicamente foram esquecidos.Espero que estas iniciativas nao ficam so para Roca Agua Ize e as independecias, mas todas as Rocas do Norte a Sul do nosso Pais que carrecem de iniciativas como estas.Tambem desta forma vai permitir desanuviar a Cidade Capital com excessos de vendedores e assaltantes que queixam por falta de trabalho. O nosso pais nao e industrializado temos que nos mentalizar em trabalhar no campo como fora dantes.
    Um bom aja a todos de boa Fe que se tem dedicado nesta iniciativa.
    FORCA POVO STP.

Deixe um comentario

*