Opinião

Um traiçoeiro murro no “estômago” das Artes

Obra do malogrado pintor moçambicano Malangatana em risco na Praça da Independência. O Mural pintado em 1986, estará a ser vandalizado. Assunto que inspira o artigo do professor Lúcio Amado.

Clique para ler o artigo na íntegra – Artigo – Um murro

    8 comentários

8 comentários

  1. CAUE-A-PAGUEÇAGINON

    6 de Agosto de 2013 as 8:42

    Vandalizado?
    Só em s.tomé…

  2. Bebeth

    6 de Agosto de 2013 as 8:48

    Deve-se falar com propriedade e dizer a verdade. O mural está a desvanecer com a passagem do tempo e precisa de ser retocado. Mas não está a ser vandalizado coisa nenhuma. Busca de visibilidade a qualquer preço ou quê?

    • Bebeth

      6 de Agosto de 2013 as 11:50

      Dito isto, concordo com Lúcio Amado: o gerador deve ser retirado dali porque está a tapar o mural. Mas isso não quer dizer que a obra está a ser vandalizada. Obrigado.

  3. Acreditamos todos num melhor STP

    6 de Agosto de 2013 as 9:48

    É triste quando falamos ou julgamos o acto do outrem sem antes conhecermos a verdadeira razão e o porque das coisas. Sr. Lúcio, no ver acho que há coisas muito mais importante acontecendo neste país que deveriam ser merecedor a sua atenção. deixemos de intrigas baratas. Comecemos um novo ciclo no país. Att.

  4. Kanimambo

    6 de Agosto de 2013 as 10:48

    Comecemos um novo ciclo. Ver, ouvir e calar. Assim é que tudo está bom. Palhaços

  5. E agora.?!...Falo eu

    6 de Agosto de 2013 as 10:53

    Pelos comentários acima, parece que alguns estão a confundir a “OBRA PRIMA DO MESTRE” com “PRIMA DO MESTRE DA OBRA”.

    Meus caros, leiam o artigo de uma forma desapaixonada e tentem perceber a essência do mesmo.

    “…Existe nesse espaço central uma pintura – que enche o olho do mais empedernido cidadão – do Mestre Malangatana feita na parede dum prédio de traços arquitectónicos coloniais. O prédio mandado construir pelo antigo Banco Nacional Ultramarino, que é constituído por 6 andares e tem a capacidade para receber 24 famílias.
    É justamente aí nesse recanto que as autoridades público-privadas resolveram colocar em frente dessa Obra, um gerador de energia eléctrica de grandes dimensões, retirando a tudo e a todos a beleza dessa pintura…”

    É ou não verdade a presença deste gerador? É ou não razoável que as pessoas que gostam de arte sintam indignadas com este ato?
    ____________________________

    “A grandeza de uma obra de arte está fundamentalmente no seu caráter ambíguo, que deixa ao espectador decidir sobre o seu significado.” (Theodor Adorno)

  6. X

    6 de Agosto de 2013 as 11:46

    Porque é que a cara do Amado está esverdeada nesta foto?

  7. Y

    6 de Agosto de 2013 as 11:47

    Ou será que está avermelhada?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo