Resultado definitivo do IV Recenseamento Geral da População mostra melhoria nas condições de vida da população

O tratamento final dos dados recolhidos no terreno durante o recenseamento geral da população que decorreu de Maio a Junho de 2012 mostra novos números e indica que nos últimos 10 anos, a condição de vida da população melhorou significativamente.

Os resultados preliminares do IV recenseamento geral da população e da habitação, indicavam o registo de 187.356 habitantes. Após o tratamento dos dados, ou seja, a separação do trigo e do joio (pessoas que residem no país e visitantes), o Instituto Nacional de Estatísticas, apurou que a população efectiva residente em São Tomé e Príncipe, e de 178.379 mil habitantes. No período do recenseamento, o INE, registou 8156 pessoas que estavam de visita ao país.

Em relação ao ano 2001, a população aumentou 2,45%. Em termos sociais os dados recolhidos pelo INE, garantem que houve significativa melhoria das condições de vida da população. «As coisas melhoraram bastante em relação ao recenseamento passado. Houve uma melhoria significativa. Há mais pessoas a consumirem energia eléctrica, acesso a água quase toda gente, mas o saneamento do meio ainda continua a ser um problema», declarou, Elsa Cardoso Directora Geral do Instituto de Estatísticas.

Os dados difinitivos divulgados pelo INE, numa cerimónia que decorreu esta quarta – feira no hotel Praia na capital são-tomense, dizem que no ano 2001, apenas 47,7% das famílias são-tomenses tinham acesso a energia eléctrica em casa. No ano 2012, o número subiu para 57,9%.

O gráfico do INE, mostra que o distrito de Caué no sul de São Tomé, é a região onde menos famílias tem acesso a energia eléctrica 35,5%, quando em Água Grande que envolve a capital, são 71,5%. O destaque também para a ilha do Príncipe, onde 65,1% das famílias tem energia eléctrica em casa, número superior ao segundo distrito mais populoso do país Mé-Zochi, com 55,5% das famílias com acesso a energia eléctrica.

No que concerne ao uso de combustíveis por agregado familiar, os números revelam uma situação preocupante no que diz respeito a protecção do ambiente, mais concretamente da flora. É que 49,5% das famílias são-tomenses usam a lenha como combustível, apesar da percentagem ter reduzido em relação ao ano 2001, que era de 71,8%. Só 2,0% da população utiliza o gás butano como combustível. Petróleo para cozinha é o segundo combustível mais utilizado, depois da lenha, com 36,6% das famílias como utilizadores deste combustível.

O Ministro do Plano e Finanças Hélio Almeida, que presidiu a cerimónia de divulgação dos resultados definitivos, deixou entender que o documento representa uma luz de orientação para o Governo. «A partir destes dados o governo consegue identificar áreas prioritárias de investimento nos domínios da educação, saúde, habitação, saneamento básico, transporte, energia programa de assistência a infância e a velhice, …. Fornecem parâmetros para decisões de investimento, do sector privado, como sejam selecção de locais para instalação de fábricas, creches, estabelecimentos comerciais restaurantes  entre outros», afirmou o ministro.

A população cresce, e as mulheres continuam a ser a maioria. Ao contrário dos resultados preliminares do recenseamento, que apontavam pela primeira vez, para uma subida da população masculina na ordem de 50,03% contra 49,97% de mulheres, os resultados definitivos, confirmaram que elas continuam a ser a maioria. «Quando referimos que homens era o maior número, referíamos a população recenseada, a toda gente que foi recenseada naquele dia, entraram todas as pessoas que não viviam em São Tomé e Príncipe, todas as visitas. Já fizemos a separação e agora depois do tratamento das informações temos as mulheres com 50,3% e homem com 49,7% a diferença não é grande», frisou a Directora do INE.

São Tomé e Príncipe tem 89.872 mulheres para 88.867 homens. Dentre os 178.379 habitantes residentes no país, 2637 são estrangeiros. Dos 2637 estrangeiros residentes no país, mais de metade são caboverdianos, 50,3%. Seguem-se os angolanos 8,9%, gaboneses 10,5% e os nigerianos 8,9%.

A Igreja católica continua a ser a maior no país. 55,7% da população é católica, 21,2% disse que não tem religião.  Segundo o INE, 4,1% da população pertence a igreja adventista, a igreja evangélica Assembleia de Deus tem 3,4%, seguindo-se outras com percentagens igual ou inferior a 2%.

Abel Veiga

  1. img
    Barão de Água Izé Responder

    As conclusões deste recenseamento, são referentes ao nosso País? Melhoria das condições de vida, com problemas diários ou sem energia, em muitas localidades? Os mercados na cidade estão limpos e organizados? OS deficientes e pessoas com problemas psíquicos já saíram da rua com apoio social? O que fazer com o futuro de milhares de crianças que andam a estudar?
    O Hospital Central já atende todos os doentes de forma humana e digna? Este relatório vale tanto, como a afirmação do Banco Central que em 2012 a Economia em STP crescerá acima dos 5%.

  2. img
    homem honesto Responder

    Peço a Tela non para pedir o INE um mapa que consta quantas pessoas (homem e mulher) têm em cada distrito e região autónoma do Príncipe e publicar.

    Assim vai facilitar os leitores para eventuais trabalhos que possam minimizar a probreza nos diferentes distritos.

    Com estes resultados os homens ainda continuam a ter duas mulheres, mesmo sem condições.

    A probreza continua.

  3. img
    Verdade Responder

    Este relatório refere-se ao período que vai do ano 2000 à 2012. Mas de Janeiro à Setembro de 2013 quase que houve uma catástrofe. Tudo foi a água abaixo! Houve uma regressão considerável. Pois pode-se classificar este do pior governo dos últimos 20 anos. Questões como défice orçamental, o desemprego, o decrescimento da produtividade, o abrandamento da economia, ausência de investimento privado na nossa economia, a desconfiança dos investidores, a degradação do poder de compra cada vez mais acentuada, a incerteza no futuro, a implantação do medo, incredibilidade dos nossos parceiros de cooperação, o incumprimento das leis do país enquanto estado de direito democrático, enfim, dentre muitos, são os aspectos que caracterizam o nosso país neste momento.

  4. img
    António Menezes Responder

    Publique -se os resultados e tragam isso na net para que todos tenham acesso.

  5. img
    forro da terra Responder

    E a taxa de desemprego?

    Ninguém diz nada?

  6. img
    carlos Responder

    era bom que o tela nom proovesse um debate com estes dados para nos conhecermos a fundo o nosso pais baseado nestes dados por ora frescos.

Deixe um comentario

*