Sociedade

Primeira mulher mestre-naval nas Forças Armadas de São Tomé e Príncipe

Chama-se Edna Marisa Henriques Manuel. Após 6 anos de formação em administração naval, na escola naval da marinha de guerra de Portugal, regressou a terra natal no último fim de semana. Mais um pilar na edificação da Guarda Costeira são-tomense.

Como novo braço das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe, a Guarda Costeira acaba por ser responsável pela segurança da maior parte do território nacional. Uma unidade militar que se afigura cada vez mais importante para o país, cujo mar representa o seu maior espaço territorial e a única fronteira em relação ao continente africano.

A formação de quadros em curso, para dar força ao novo ramo das forças, é um elemento fundamental para garantir a operacionalidade da Guarda Costeira, e conferir segurança ao país e aos cidadãos.

Edna Marisa Henriques Manuel é o mais recente exemplo disso. Pela  primeira vez uma mulher são-tomense, é oficial da Guarda Costeira. Após 6 anos de formação na Escola Naval da Marinha Portuguesa, na classe de Administração naval, regressou ao país no último fim de semana como qudro superior da Guarda Costeira. É mestre em administração naval.

Idalécio Cubila, Comandante da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, não escondeu a satisfação. « É muito importante. É a primeira mulher em São Tomé e Príncipe, como oficial da guarda costeira. Ela vai administrar todos os serviços da Guarda Costeira», afirmou o comandante.

No passado dia 13 de Setembro, apresentou a sua tese de mestrado na escola portuguesa tendo sido aprovada, e recebeu o grau de mestre.

Edna Manuel entrou na escola naval da marinha de guerra de Portugal no ano 2007, no quadro da cooperação técnico militar entre São Tomé e Príncipe e Portugal.

Abel Veiga

    23 comentários

23 comentários

  1. paparazzi

    14 de Outubro de 2013 as 11:18

    bem vinda a terra

  2. Fbi Soares

    14 de Outubro de 2013 as 11:39

    Parabens Edna

  3. JPC

    14 de Outubro de 2013 as 12:15

    Parabéns, Edna! És o nosso orgulho. Força e determinação são os teus nomes do meio, por isso, tenho a certeza que conseguirás vencer os novos desafios que terás pela frente. Estamos contigo, estamos juntos! Grande abraço.

    Ass: Cravid

  4. Bem de S.Tomé e Principe

    14 de Outubro de 2013 as 14:21

    Que outras mulheres sigam a caminhada da Edna. Temos muitas que optam por Direito e Medicina e outras profissões que têm muita aderencia. Assim podem diversificar o profissionalismo em varias instituições do país.

  5. Bingo

    14 de Outubro de 2013 as 14:51

    Força, Edna! Mãos ao leme.

  6. Colomba

    14 de Outubro de 2013 as 14:59

    Bons ventos para a sua futura carreira!

  7. João Kibonda

    14 de Outubro de 2013 as 17:28

    Foi com grande orgulho e satisfação sem igual, que li esta nobre notícia.
    Desejo-lhe muitos parabém e um rio de êxito na sua carreira pofissional em prol do país e do povo santomense.
    Força!

  8. BALU CUADO

    14 de Outubro de 2013 as 17:36

    Parabens, EDNA; que esses cadastrados do país não te corrompam. Cuidado eles gostam que fales pouco, não tenhas muita opinião, não os contrarie. No fundo para avançares diga-lhes sempre “Parece-me bem”.

  9. luisó

    14 de Outubro de 2013 as 17:45

    Os meus parabéns para esta jovem oficial e para a Guarda Costeira de STP.
    Agora algumas correções:
    Esta jovem não é um quadro superior mas sim uma jovem 2º Tenente;
    Depois não é mestre-naval mas sim de Administração naval ou seja poderá dirigir toda a administração naval, desde a pessoal, financeira, logística, etc.
    Há que fazer alguma investigação antes de se escrever estas coisas.
    Mais uma vez parabéns para todos e os melhores sucessos.

  10. luisó

    14 de Outubro de 2013 as 17:49

    Privei com ela algumas horas aquando da realização das provas de admissão ao ensino superior militar português em 2007.
    Fico muito contente por ver que ela ultrapassou todos os obstáculos, e não são poucos, para vencer.
    Parabéns.

  11. Male

    14 de Outubro de 2013 as 17:54

    Que e bom e ,mas o mal e que essas bolssas nunca sao postas ao concurso publico. Aposto que e mais uma daquelas bolssas em que os selecionados vao pelas portas de tras… Ja conheco bem aquelas duas Ilhotas

    • luisó

      14 de Outubro de 2013 as 23:19

      Caro amigo vou-lhe contar uma coisa que é 100% verdade e se quiser pode acreditar:
      Quando sai este concurso ele é publicitado nas FASTP, nos jornais do País e passa na rádio o anúncio.
      Quem quiser junta os documentos necessários com o 12º ano e inscreve-se.
      Depois é marcado o dia das provas para o liceu nacional, provas que vêm de Portugal em envelope fechado e através da mala diplomática e as provas são feitas nas salas com pessoal da cooperação militar portuguesa a fiscalizar e com segurança da PM das FASTP.
      Quando acabam as provas são recolhidas e enviadas para portugal para serem corrigidas pelas academias que posteriormente enviam as notas finais e através da embaixada.
      Entram os candidatos com melhor nota e conforme o número de vagas.
      Melhor exemplo do que este e da sua imparcialidade não há, por isso não fale do que não sabe.

    • Ná flá só fa

      14 de Outubro de 2013 as 23:45

      Quê Quá?! A Edna Marisa fez texte de selecção em STP realizada pela Embaixada de Portugal, no Liceu Nacional, num universo de mais de meia centena de candidatos convocados via radio (portugues e matemática), provas corrigidas em Lisboa na Academia Militar.
      Não fale só companheiro “Male”,cumaaaaa, ê sa téla ammmm.
      Quando se é mesquinho, vive-se de complexos, mais grave são autenticas mentiras como esta que acabo de ler, sem qualquer fundamento ou elemento de investigaão prévia,apenas para exprimir raiva e sentimentos recalcados.
      Fui companheiro.

      • luisó

        15 de Outubro de 2013 as 16:49

        Caro amigo eu estive lá nessas provas e sei do que digo, por isso não admito que me desminta.

  12. CABO-VERDIANO

    14 de Outubro de 2013 as 18:15

    ELA MERECE! QUE DÊM A MENINA O K ELA TEM DIREITO

  13. oficialsupremo

    14 de Outubro de 2013 as 18:33

    isso não corresponde a verdade a verdade ,ja existem sim muitas mulheres oficiaise de personalidades profissionais da marinha,inclusive 3 ainda a especializarem no Brasil , temos que primar pela verdade e responsabilidades das verdades e dos reconhecimentos dos méritos.

  14. oficialsupremo

    14 de Outubro de 2013 as 18:45

    os jornalistas devem ser isentos da política e de laços parentesco,todos bem sabemos de que na marinha e no exército militar existem guadros licenciados,com qualidades ,pois uma só mão não lava a cara, o que e que devemos falar dos que estão no Brasil a fazerem especialidades? será que a licenciatura delas não valem ??

  15. STP*

    15 de Outubro de 2013 as 14:16

    So para acrescentar a palavra do luiso:

    Os oficiais habilitados com o curso de Administração Naval estão preparados para chefiar o serviço de abastecimento dos navios, dirigir, inspecionar e executar atividades no âmbito da organização e gestão dos recursos financeiros, participar na direção, inspecão e execução da atividades relativas ao abastecimento da Marinha e das atividades relativas às tecnologias da informação, na organização e racionalização do trabalho, análise ocupacional e investigação operacional. Muito força e parabéns Edna Marisa Henriques Manuel pela conclusão do teu curso de 2º grau. E é uma forma de incentivar outras mulher santomenses em formar neste tipo de area!!!

  16. Malagueta Quente

    15 de Outubro de 2013 as 17:55

    O merito é todo da Edna e o nome de S.Tomé e Principe projecta-se mais. Nesta esteira, devem também seguir agradecimentos ao ex-Presidente de S.Tomé e Principe Fradique de Menezes que foi o principal impulsionador desse processo de mulheres santomenses também irem para a tropa- ou seja, também se enveredarem pela vida militar. Hoje temos , para além da Edna, muitas outras jovens raparigas a se singrarem bem no exército e em serviços para-militares. Há no entanto que reclamar pela fraca adesão das mulheres a vida militar nos últimos dois anos., Há que haver mais trabalhos de sensibilização nesse sentido.

  17. Machista

    15 de Outubro de 2013 as 18:21

    Acho mal mulheres irem para militares e profissões similares

    Lugar de mulher é em frente ao fogão

    Tenho dito

    • rapaz de riboque

      16 de Outubro de 2013 as 10:39

      deves ser mesmo um ignorante daqueles que não ve um palmo a afrente do nariz as mulheres só servem para ser mãe e escravizadas acho muito bem darem oportunidades a elas para acabar a exploração

  18. german Carvalho

    15 de Outubro de 2013 as 21:51

    Atrasado mental.Então porquê tantos homens a serem cozinheiros? Tens inveja e Uêchá

  19. suffu giomendxi

    17 de Outubro de 2013 as 12:48

    realmente é de louvar e de elogiar a EDNA pelo empenho e dedicação, força corragem e vontade de se aprumar e herguer militarmente, sim o País precisa disto, doutro critério, bastava aprovar com verdade de que não é pela primeira vez uma mulher óficial da Guarda Costeira pois, existem muitas outras mulheres oficiais na Guarda costeira, Marinha, Estado maior e no quarter militar.com licenciatura, especialidades, experiênçias e qualidades profissionais ainda mais claro afirmo que neste momento algumas estão no Brasil a especializarem e outras em vários outros Países licenciando, muito bem e boa iniciativa positiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo