Prémio Ibrahim para a Excelência na Liderança Africana 2013 sem vencedor

O Comité do Prémio independente da Fundação Mo Ibrahim decidiu não atribuir o Prémio Ibrahim para a Excelência na Liderança Africana deste ano. Numa nota enviada à redacção do Téla Nón, a Fundação Ibrahim explica a razão da não atribuição do Prémio para Excelência na Liderança Africana para 2013.

O Prémio Ibrahim para a Excelência na Liderança Africana é o maior prémio do mundo, no valor de cinco milhões de dólares americanos pagos ao longo de dez anos e 200 000 dólares americanos anuais vitalícios a partir de então.

Para ganhar o prémio, os laureados devem cumprir as seguintes condições: ser um antigo chefe de Estado ou de governo africano democraticamente eleito que tenha cessado funções nos últimos três anos; ter cumprido o seu mandato constitucional; e ter demonstrado excelência no exercício das suas funções, contribuindo para retirar pessoas da pobreza e trabalhando para uma prosperidade sustentável e equitativa.

O prémio foi criado em 2007 por Mo Ibrahim, fundador e presidente da Fundação Mo Ibrahim, com o fim de distinguir a excelência na governação africana e proporcionar aos laureados a oportunidade de manterem o seu compromisso para com o continente africano depois de abandonarem as suas funções.

O prémio é selecionado por um Comité do Prémio independente composto por sete personalidades ilustres, incluindo dois Prémios Nobel.

Entre os anteriores vencedores do Prémio Ibrahim contam-se: o Presidente Joaquim Chissano de Moçambique (2007), o Presidente Festus Mogae do Botsuana (2008), o Presidente Pedro Pires de Cabo Verde (2011) e o Presidente Nelson Mandela da África do Sul (honorário).

O Comité do Prémio pode optar por não atribuir o prémio caso considere que ninguém cumpre todas as condições. Foi o que aconteceu também em 2009, 2010 e 2012.
Salim Ahmed Salim, ex-secretário-geral da Organização da Unidade Africana (OUA), ex-primeiro ministro da Tanzânia e presidente do Comité do Prémio, declarou:

“Este Prémio homenageia ex-chefes de Estado ou governo, que, durante o seu mandato, tenham demonstrado excelência na liderança do seu país e ao fazê-lo, servir como modelos para a próxima geração.

“Após uma avaliação cuidadosa, o Comité do Prémio determinou não atribuir o Prémio Ibrahim para a Excelência na Liderança Africana 2013.”

A Fundação Mo Ibrahim

A Fundação Mo Ibrahim foi criada em 2006, orientada para a importância decisiva da liderança e da governação em África. Ao fornecer ferramentas para apoiar os progressos na liderança e na governação, a Fundação visa promover mudanças significativas no continente.

A Fundação, uma organização sem fins lucrativos, contribui para definir, avaliar e reforçar a governação e a liderança em África através das seguintes ferramentas:

·         Índice Ibrahim de Governação Africana;

·         Prémio Ibrahim para a Excelência na Liderança Africana;

·         Fórum Ibrahim;

·         Bolsas de estudo e investigação Ibrahim.

Prémio Ibrahim para a Excelência na Liderança Africana

Criado em 2007, o Prémio Ibrahim distingue a excelência na liderança africana. É atribuído a um antigo chefe de Estado ou de governo por um Comité do Prémio independente composto por personalidades ilustres, incluindo dois Prémios Nobel.

Mais informações sobre os laureados Ibrahim disponíveis em: http://www.moibrahimfoundation.org/laureates/

O Prémio Ibrahim:

  • reconhece e distingue dirigentes africanos que tenham desenvolvido os seus países, retirado pessoas da pobreza e trabalhado para uma prosperidade sustentável e equitativa;
  • destaca figuras que constituam exemplos excecionais para o continente;
  • assegura que África continua a beneficiar da experiência e conhecimento de líderes excecionais quando estes terminam os respetivos mandatos, permitindo que prossigam atividades noutros cargos públicos no continente.

Critérios:

·         ser um antigo chefe de Estado ou de governo de um país africano;

·         ter cessado funções nos últimos três anos;

·         ter sido democraticamente eleito;

·         ter cumprido o seu mandato constitucional;

·         ter demonstrado uma liderança excecional.

O Prémio Ibrahim é o maior prémio anual atribuído no mundo, consistindo em:

  • cinco milhões de dólares americanos ao longo de dez anos;
  • 200 000 dólares americanos atribuídos vitaliciamente a partir de então.

Os laureados Ibrahim podem também candidatar-se a um montante adicional de 200 000 dólares americanos por ano para atividades filantrópicas.

Comité do Prémio

O vencedor do Prémio Ibrahim é selecionado por um Comité do Prémio independente, nomeado pelo Conselho de Administração da Fundação, composto por:

  • Salim Ahmed Salim (Presidente) | Ex-Secretário-Geral da Organização de Unidade Africana; ex-Primeiro Ministro da Tanzânia; Membro do Conselho de Administração da Fundação Mo Ibrahim;
  • Martti Ahtisaari | Ex-Presidente da Finlândia; Vencedor do Prémio Nobel;
  • Aïcha Bah Diallo | Presidente da Rede para a Educação para Todos em África; ex-Ministra da Educação da Guiné;
  • Mohamed ElBaradei | Diretor-Geral Emérito da Agência Internacional da Energia Atómica; Vencedor do Prémio Nobel;
  • Graça Machel | Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade; ex-Ministra da Educação de Moçambique;
  • Festus Mogae | Presidente da Coligação para o Diálogo em África (CDA); ex-Presidente do Botsuana; Vencedor do Prémio Ibrahim de 2008;
  • Mary Robinson | Enviada Especial das Nações Unidas para a Região dos Grandes Lagos de África; ex-Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos; ex-Presidente da Irlanda; Membro do Conselho de Administração da Fundação Mo Ibrahim.
  1. img
    Homem do campo Responder

    Perdoem-me a ignorância.
    Se o tal Dr. Patrice Trovoada é tão integro, trabalhador e defensor dos pobres (rsssssssssss) porquê não lhe atribuiram o tal premio?
    Ahahahahahah, brincadeira tem hora!!!

Deixe um comentario

*