Brasil garante alimentação para mais de 42 mil crianças do ensino básico

Mais de 42 mil crianças que frequentam o ensino básico, beneficiam de melhor dieta alimentar nas escolas. O Governo brasileiro ofertou 180 toneladas de arroz, no quadro do programa de melhoria da nutrição escolar.

O armazém do programa de apoio à alimentação escolar está cheio de arroz. Oferta do Brasil que também está a formar as cantineiras das escolas em matéria de nutrição, incluindo a reabilitação dos refeitórios e cozinhas.

O arroz ofertado é um complemento aos produtos nacionais, que estão a ser promovidos, na dieta alimentar das crianças. Brasil financia também a compra dos produtos locais, para enriquecer a dieta. «Estamos aqui cercados de arroz e entregando ao Governo de São Tomé e Príncipe esta nossa colaboração no âmbito da alimentação escolar, projecto que desenvolvemos aqui com grande sucesso já há cerca de 5 anos», declarou o embaixador do Brasil.

Segundo o embaixador José Carlos Leitão, Cabo Verde foi em Abril passado, beneficiário do mesmo tipo de ajuda. Daí que teve a ideia de desenvolver acções diplomáticas junto a CG-FOME, órgão do governo brasileiro que coordena essas doações, para dar uma mão à São Tomé e Príncipe.

As autoridades nacionais agradeceram ainda mais numa altura em que o Programa Mundial da Alimentação, está a retirar-se paulatinamente do projecto de alimentação escolar. «Estamos numa fase de transição caracterizada por uma paulatina retirada do PAM e assumpção crescente da gestão integral do processo de alimentação escolar pelo governo. É neste quadro de mobilização de parcerias que surge a cooperação brasileira», anunciou o Ministo da Educação e Cultura, Jorge Bom Jesus.

A parceria com o Brasil não se resume a oferta de arroz. A cooperação brasileira tem dado formação às canteiras no sentido da utilização dos produtos locais para enriquecer a dieta alimentar nas escolas.

O Ministro da Educação, diz que o Ministério da Agricultura também está a ser envolvido. « Estamos a mobilizar o ministério da agricultura e do desenvolvimento rural, no sentido de envolver e desenvolver a agricultura familiar no processo da alimentação escolar. Não há outro caminho», pontuou, Jorge Bom Jesus.

Mais de 42 mil crianças que frequetam o ensino básico em São Tomé e Príncipe, são beneficiárias de refeições quentes e nutritivas.

Na mesma cerimónia que decorreu nos armazéns do PAM em Almeirim, o organismo das Nações Unidas ofertou uma viatura e equipamentos informáticos ao programa de alimentação escolar.

Abel Veiga

  1. img
    Cienfuegos Responder

    Boa iniciativa e que fazam bom USO dela

  2. img
    arroz podre Responder

    Veja o nome do Gabinete que foi contacto pela Embaixada do Brasil ” CG-FOME”.
    É vergonhoso, porque o Estado Santomense concedeu a firma modelo alimentação D $ Neves dois milhões de dólares para importação do arroz que nunca mais chega ao País.
    Onde anda este dinheiro senhor 1º.Ministro?
    Assim podiámos oferecer as cantinas escolares este produto para bem das nossas crianças.

  3. img
    Fernando Castanheira Responder

    Que haja fiscalizacao p[ara que esse arroz nao torne para os dirigentes meios para alimentarem as suas extra-mulheres.

  4. img
    Anticorrupção Responder

    Antes de mais, manifesto a minha profunda satisfação no que toca a qualidade de vida e de bem estar que o funcionamento das cantinas escolares poderão trazer às crianças santomenses que di per si, são pobres e realmente necessitam disto para a sua sobrevivência e para poderem ter energia conducente a uma boa aprendizagem.
    Paralelamente à distribuição desse produto à escola, o Ministério da Educação deve estabelecer regras da sua utilização e prever consequências em relação a todos aqueles que possivelmente vierem a tirar isso da boca da criança para o seu bolso. Unamo-nos todos para exigir contas daqueles que esse arroz passar pelas mãos. Denunciemos ao Ministérios da Educação sobre qualquer acto ilícito à volta desse arroz.

    UNIDADE, DISCIPLINA E TRABALHO para o bem da Nação.

  5. img
    António Menezes Responder

    Daqui a pouco vamos comprar esse arroz na feira de ponto…

  6. img
    Mais E-duc + ead ; ) Responder

    Prezad@s,

    A Mais E-duc +ead é uma empresa graduada e filiada à Universidade de Brasília (UnB), prestando serviços em capacitações a distância (EAD) ou semipresencial.

    Capacite seus colaboradores em diversos temas, como: gestão de projetos, ferramentas e/ou processos do sistema único de saúde (auditoria, regulação, fundo de saúde, redes de atenção, tabwin, etc.), tutoria em EAD, Plataforma MOODLE, análise e gerenciamento de riscos, dentre outras.

    Ofertamos capacitações mensalmente em nosso site ou em turmas fechadas (mínimo dez integrantes), aceitamos também, empenho para órgãos públicos, boleto e cartão de crédito como forma de realizar o investimento em nossos cursos.

    Agradecemos antecipadamente!

    Visite o nosso sítio, aguardamos seu contato,

    http://www.maiseduc.com.br
    atendimento@maiseduc.com.br
    (61) 33683991

Deixe um comentario

*