Sociedade

TRABALHO dignifica os serviços prisionais e de reinserção social

A instituição dirigida pelo criminologista Lázaro Afonso, está a crescer no trabalho e pelo trabalho. O Director dos serviços prisionais, incentiva o espírito de trabalho no seio dos reclusos e guardas prisionais e o resultado está a vista. Produzem várias toneladas de produtos alimentares, para consumo interno e o abastecimento do mercado nacional.

Em colaboração com os reclusos que estão interessados em dar a sua colaboração para o aumento da produção alimentar, a Direcção dos Serviços Prisionais, apostou na produção agrícola e na criação de porcos.

De Abril à Junho de 2013, plantaram 2 mil bananeiras, 3 mil plantas de matabala, e mais de 1000cafezeiros na zona de campo grande. «No mesmo período plantamos e semeamos, milho, feijão-verde, couve repolho, cenoura, malagueta e tomate na zona do canavial», acrescentou Lázaro Afonso.

.O resultado está a vista.  «Obtivemos aproximadamente 6 toneladas de tomates biológico, que foram vendidos entre 10 e 5 mil dobras o quilo», precisou o Director da Cadeia Central, tenso acrescentado que os serviços prisionais conservaram mais de 200 quilos de tomate em arca frigorífica para consumo interno.

Um processo produtivo nunca antes desenvolvido na cadeia central, que contribui para a reinserção de jovens delinquentes, que nunca antes tinham vertido o suor na terra para ganhar o sustento, preferindo práticas ilegais. «No que respeita a criação de suínos já temos 6 em gestação e pensamos ter muito brevemente uma boa produção. Nesta matéria é nosso maior desejo conseguir mais suínos, cabras, bovinos, mas não fomos comtemplados. Apesar das críticas vamos continuar a semear, plantar e a criar», reclamou Lázaro Afonso.

Fruto do trabalho agrícola dos reclusos e guardas prisionais os serviços prisionais já realizaram duas feiras agrícolas, ara o abastecimento da população.

A era de trabalho que se abriu na Cadeia Central, foi exaltada no passado dia 17 de Dezembro considerado como o dia da Cadeia Central de São Tomé. Há 31 anos o único estabelecimento prisional do país, foi transferido de Morro Peixe para a cidade capital.

O Primeiro-ministro Gabriel Costa, marcou presença no acto, tendo dito que os serviços prisionais sob a liderança de Lázaro Afonso, provam que com pouco se pode fazer muito. Provam também que o problema de São Tomé e Príncipe, não é apenas a falta de dinheiro.

Na presença dos demais convidados, nomeadamente o Presidente da Assembleia Nacional, Alcino Pinto e a Ministra da Justiça Edite Tem Jua, o Director dos Serviços Prisionais citou uma declaração, que diz tudo o que se passa no país. «Os sucessivos dirigentes do nosso país nunca tiveram a virtude de premiar os que trabalham mas sim elevam para os lugares mais altos, a preguiça os que esperam para encher os seus bolsos a custa da desorganização social para melhor reinarem,» acabo de citar, declarou Lázaro Afonso.

O clima de TRABALHO instalado na cadeia central, permitiu a reabilitação da cozinha e a construção de uma cantina para os agentes. Da mesma forma pela primeira vez o edifício da cadeia central foi vedado em betão. Um trabalho dos reclusos em parceria com a Direção da Cadeia e com o apoio pessoal da Ministra da Justiça.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. .A. Gomes

    23 de Dezembro de 2013 as 15:25

    Parabéns aos gestores da prisão. Isto é um bom exemplo.
    No entanto, não se pode admitir este tipo de libertinagem que tem estado a acontecer na cadeia. Os presos têm autorização para saírem,, e voltam a praticar novos roubos e voltam sossegadinho para a cadeia. Tenho um familiar em que um preso arrebentou a sua casa dois dias consecutivos numa semana. As pessoas reconheceram o tal preso e ele foi a cadeia com testemunhos que reconheceram o homem, mas nenhuma medida foi tomada, e este preso continua a fazer a sua passeata pelas ruas da capital como se nada tivesse passado.
    Individuos que tiraram vidas as outras pessoas sem motivo, individuo que violou uma jovem em Diogo Vaz e matou a mesma esta livre a fazer trabalhos para EMAE. Por isso é que um dos indivíduos que recentemente matou a sua mulher disse que iria matá-la, porque ele dentro de dias teria o passe para ir a casa.
    Por isso, apoio o trabalho que os gestores da cadeia estão a fazer, mas reprovo que este trabalho esteja a ser feito com criminosos, reincidentes, gatunos perigosos etc. Já vi criminosos no mercado a ameaçar pessoas, dizendo que a ele não importa matar mais um pois ele já se encontra na cadeia.
    Os criminosos devem ser castigados de forma severa, para não transformar em incentivo e prémios para quem comete crimes
    Bem Haja STP
    A.Gomes

  2. Esperanza

    23 de Dezembro de 2013 as 16:24

    Excelente trabalho do director dos serviços prisionais e também dos detentos. Eles merecem uma chance para provar mudanças. A vida exige esforço, e é mais proveitosa e prazerosa se trabalharmos arduamente para atingirmos os nossos objectivos.

  3. Realista

    23 de Dezembro de 2013 as 23:23

    Pork o caso ainda nao Bateu na tua porta

  4. Pai Natal

    24 de Dezembro de 2013 as 12:29

    Carrissimo Senhor A. Gomes: Penso que deverias obter mais informacoes com relacao aa tal rouba e saber o pk que mts dos presos que cometem crime estam a prestar servicos fora do recito prisional.Te aconselharia a obter mais informacoes sobre o Servicos Prisionais e de Reinserçao Social e o seu verdadeiro funcionamento,talvez desta forma estarias mais seguros ao fazer os seus comentarios ou criticas que em nada abala os esforços que vem prestado e devemos reconhecer actual Direcçäo….que deus te perdoe senhor A.Gomes.

    Um bem haja a todos,feliz natal e prospero ano novo,fuiiiiiiiiii

  5. S.Tomé Poderoso

    24 de Dezembro de 2013 as 13:21

    Hummmm, é outro que quer aparecer, Criminologista qual quê?, hão-de ver que eles estarão passe especial de natal e ano novo se a criminalidade ñ vai aumentar… até COMPENSA ir para cadeia em STP.

  6. k. A.

    26 de Dezembro de 2013 as 10:51

    TEMOS QUI DA A MAO PARMATORIA VIVA O Director dos serviços prisionais, incentiva o espírito de trabalho no seio dos reclusos e guardas prisionais e o resultado está a vista. Produzem várias toneladas de produtos VIVA LAZARO DA FONSECA AFONSO

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo