Sociedade

Incêndio de origem duvidosa matou mãe e 3 filhos na localidade de Lemos

Um bebé de um mês e meio, e duas crianças uma de dois anos e outra de 4 anos, arderam no fogo que consumiu a residência de madeira na localidade de Lemos baixo. A mãe de 38 anos cidadã liberiana sucumbiu junto com as crianças na intensa língua de fogo que segundo testemunhas terá sido ateada por gasolina.

Vizinhos e testemunhas do incêndio disseram ao Télá Nón que há grande suspeita da mãe ter amarrado as crianças para arderem junto com ela no fogo que terá sido também ateado por ela mesma. Tudo aconteceu por volta das 19 horas da última quarta – feira. O marido não se encontrava em casa.

Segundo os vizinhos é um cidadão são-tomense que viveu muitos anos no estrangeiro. Regressou a terra natal, trouxe a mulher de nacionalidade liberiana, comprou um terreno em Lemos, onde construiu a casa de 6 compartimentos.

Até quinta – feira a viatura do marido estava estacionada diante da casa carbonizada. O fogo foi tão intenso, que alguns pombos que estavam numa capoeira, perto da casa também morreram.  Pelo menos a plantação de maracujá diante do quintal, resistiu as chamas.

Os vizinhos suspeitam que algum conflito no seio do lar, misturado com ciúmes, terá precipitado o desfecho incendiário, que ceifou a vida de 3 crianças menores, incluindo a mãe a suposta autora do incêndio.

Como tradicionalmente a corporação de bombeiros, chegou depois da casa estar reduzida a cinzas.

Abel Veiga

    11 comentários

11 comentários

  1. meu namorado

    7 de Março de 2014 as 10:12

    É de lamentar a situação ocorrida, infelizmente vidas foram ceifadas pelo fogo supostamente posto pela mãe.
    Mas a duvida que me vem a mente é: qual é a função de bombeiro em São Tomé? Será que a função é vender agua a obras?
    …conveta téla

  2. santola01

    7 de Março de 2014 as 11:48

    Creio eu que não faz sentido o parágrafo “…O fogo foi tão intenso…”, pois parece mais uma piada de mau gosto. MORRERRAM 3 CRIANÇAS E VOCES FALAM DA MORTE DOS POMBOS???
    Coitado das crianças que não são culpados e têm este desfecho..

  3. Lemos Cima

    7 de Março de 2014 as 15:16

    Realmente é preciso Diálogo Nacional! Como é possível um acontecimento deste e não há perícia criminal? jornalistas, autoridades a acreditarem naquilo que pessoas vão dizendo na rua? Um incêndio onde há vizinhança, o local fica a +/- 100mts do destacamento de bombeiros de Mé-Zóchi em Lemos! O cadáver da senhora não é autopsiado! as crianças vitimas foram amarradas! usou-se gasolina! alguém viu membros daquela familia a comprarem ou a manusear gasolina!
    Sejamos País

  4. arelitex

    7 de Março de 2014 as 20:55

    Todos estes acontecimentos .necessitam de ser investigados , por peritos .porque nem tudo o que brilha é ouro . visto estes assuntos de incêndios de casas , ser matéria relacionada com a polícia . a polícia de STP , devia de ter obrigatoriamente uma brigada especializada nesta matéria .

  5. jus

    7 de Março de 2014 as 22:58

    o minsterio publico desapareceu…já não se faz nada…investigue este fato e um crime crianças mortas …vai yudo ficar na agua de bacalhau este pais não tem justiça

  6. Eu também sou filho da terra

    8 de Março de 2014 as 11:01

    A madeira é um material inflamável, pelo que para além da perigosidade que representa O seu uso na construção de habitações, também potencia a destruição da floresta. Portanto, já é o momento do governo dinamizar a economia de modo a construir ou permitir os investidores construir habitações de alvenaria para a população, melhorando assim a sua condição de habitabilidade.

  7. Seabra

    9 de Março de 2014 as 1:36

    …paz as santas almas inocentes, paz à esta mãe , certamente infeliz com o homem saotomense. A primeira questão que ponho : em quê se baseia esta hipótese de ser à mãe (libérant) à provocar o suicídio colectivo (ela e os 3 filhos), provocando o fogo? Onde é que se encontrava o marido (ele saotomense)? Não falam do marido como suspeito, apenas do carro dele estacionado em frente da casa . Ora, que à justiça deve ocupar-se deste aspecto, q é de 1 importância capital. De jeito nenhum este marido é inocente…direta ou indiretamente ele está implicado, porque se levou uma mulher estrangeira pra Terra dele, tinha uma certa responsabilidade de tratá-la bem , pois que construi-la uma casa (normal), não é tudo. Mas deixa-la sozinha, com filhos, e ir viver com uma outra mulher da Terra dele, STP, creio que foi fatal. Outra hipótese , possível, é que o proprio marido pode ter querido desembaracar-se dela e dos filhos para começar uma nova vida com à outra. Pode ter pago alguém para cometer tal acto. Pode ser também à nova mulher saotomense (que está goma o marido da liberana), que montou e ou cometeu este bárbaro ato contra à rival . Tudo é possível. Eu duvido que tenha sido à victima à cometer o incêndio…sobretudo tamanho como descreve o artigo e por cima com 3 filhos.

  8. arelitex

    9 de Março de 2014 as 15:07

    eu penso que este tema de casas que ardem sem ser feita uma investigação correcta do acontecimento ,neste caso com mortes mais complicado é .requer uma análise ,mais cuidada politicamente .olhando á natureza do nosso país e á imensa vegetação .que torna o nosso país dos mais bonitos de todo o mundo .e é assim que ele têm que se manter . tudo o que seja habitações , fora da capital . na realidade o bungalow feito de madeira (o original de STP ), é o que se enquadra mais na beleza do nosso país .mas é necessário que politicamente sejam impostas regras ou leis na sua construção .mais propriamente haver distâncias mínimas na construçâo entre bungalows e com mais geometria e acessos mais facilitados .ajudaria na beleza ,e em futuros saneamentos ,colocação de água e instaçâo electrica . evitando assim na infelicidade de arder um bungalow ,por mil e um motivo .nâo pegar o incendio a outros , e mesmo esse que está a arder haver mais possibilidades de se fazer alguma coisa . acho que já é altura de começarmos a olhar para cada tema com olhos de ver e tentar melhorar as situaçôes

  9. Paulo Emanuel d'Alva

    10 de Março de 2014 as 23:42

    Noticia muito triste, fico ainda mais chocado com certos pormenores que foram ressaltados na redação como “(…)Pelo menos a plantação de maracujá diante do quintal, resistiu as chamas.”
    Como é que alguém pode dar importância a isso no meio de uma situação com desfecho tão dramático!??
    Na minha humilde opinião o redator dessa notícia deveria PELO MENOS ser demitido!! …só isso.

    • Nija

      11 de Março de 2014 as 17:53

      Concordo com vc…. Em meio a esse desastre, o jornalista vem falar que ” pelo menos a plantação de maracujá n foi afetada” … falta de sensiblidade…

  10. Eumir Ten Jua

    11 de Março de 2014 as 0:13

    Meus sentimentos aos familiares neste momento tao dificil.
    Contudo é triste um redator abordar um fato desta gravidade com tanta frieza.
    ” Pelo menos a plantação de maracujá diante do quintal, resistiu as chamas.”
    Obgd por valorizar tanto uma plantaçao á vida de seres humanos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo